Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Um coração que cabe na palma das mão!

05.08.19, Triptofano!

Confesso-vos que demorei largos instantes antes de decidir-me a escrever este post que deixei agendado para sair hoje.

Mas no fim percebi que é importante partilhar não só as alegrias e sorrisos, mas também as inquietações, as tristezas e as coisas que nos deixam o coração apertadinho!

Para aqueles que não sabem tenho três porquinhas-da-índia, que são das coisas que eu mais amo nesta vida.

O problema é que estes animais tem uma esperança de vida curta, sendo que as minhas com três anos já são porcas adultas, verdadeiras devoradoras de feno e vegetais, que me levam quase à falência todos os meses.

Na última consulta de rotina, a nossa veterinária descobriu massas inquietantes numa das nossas porcas, massas que há seis meses não estavam lá, o que não era de todo bom sinal!

Fomos por indicação dela a uma médica especialista em ecografias a animais exóticos e aquilo que já sabíamos mas não queríamos aceitar confirmou-se: um cancro agressivo de rápida progressão.

Ainda pensámos em ir a uma consulta de quimioterapia no Hospital Veterinário do Restelo (eles prestam este serviço para cães e gatos mas também exóticos) mas depois de conversarmos com a nossa veterinária percebemos que para ter algum tipo de resultado teríamos de sujeitar a porquita a uma série de intervenções que poderiam ainda ser-lhe mais prejudiciais.

A verdade é que ela pode viver mais um ou dois anos sem qualquer problema, como pode viver mais um ou dois meses, é uma verdadeira incógnita.

Mas o que me deixa o coração numa lástima, é saber que ela agora está na clínica com as irmãs em regime de Hotel, a ser super bem tratada é verdade (quando vi o feno que eles lá dão às porquinhas senti-me tão pobre e mau pai que nem queiram saber...algo que só piorou quando trouxeram uma taça cheia de vegetais todos cortados assim em ângulos perfeitos quando eu literalmente arremesso meio pimento e duas cenouras para dentro da gaiola!), mas que pode não aguentar até eu voltar.

E eu não queria nada voltar de férias e descobrir que um bocadinho de mim já não existe.

Compreendo e aceito que a vida é feita de chegadas e partidas, mas bolas, custa tanto!

Todos os dias tenho olhado para a foto das minhas meninas e enviado muita energia positiva para estarem resmungonas e gorduchas quando eu voltar!

Làska

 

Priscilla

 

Escovinha

 

10 comentários

Comentar post