Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Triptofano o Proprietário

30.10.20, Triptofano!

Meus paradigmas salutogénicos do coração, o vosso Triptofano é oficialmente proprietário de uma habitação!

Eu e o Cara-Metade decidimos dar o próximo passo na nossa relação e endividar-mos-nos até aos 70 anos, com a aquisição de um belo imóvel, do qual já fizemos a escritura e tudo e tudo e tudo.

Ok, na realidade não fomos bem nós que decidimos dar o próximo passo na relação, foi-nos mais imposto, mas eu conto-vos tudo.

Como talvez saibam, há seis anos que vivo em Benfica, numa casa arrendada, pequenita e cheia de bichos da prata que me deixam a careca em pé, quando subitamente o proprietário disse que ia terminar o contrato e vender a casa. 

Ora a casa está a precisar de obras, precisava de umas áreas mais generosas, especialmente na cozinha porque quando eu e o Cara-Metade estamos lá dentro ao mesmo tempo é um verdadeiro festival de surra de bunda, mas dada a localização e o preço que nos estavam a pedir para a comprar era um bom negócio.

Só que surprise surprise, a palavra hoje em dia conta zero, porque dois dias depois de ter ficado tudo apalavrado por telefone o proprietário fofinho mandou um e-mail a dizer que tinha pensado melhor e que afinal queria vender a casa por mais 50 mil euros, certamente pensando que a minha taxa de flitração glomerular a nível do rim era fantástica e eu conseguiria um preço maravilhoso no mercado negro.

Como nem eu nem o Cara-Metade somos detentores de pai ou mãe-trocínios por aí além, tivemos de desistir do sonho de viver no centro de Lisboa e começar a procurar na periferia. E antes que me digam que há imensas casas boas e baratas no centro de Lisboa informo-vos que casei com um verdadeiro agente imobiliário, porque sempre que eu ia a um site e encontrava o que achava eu ser a casa dos meus sonhos o Cara-Metade dizia logo: está há 5 anos no mercado ou fica num bairro social ou há uma mina de urânio empobrecido na cave e vamos desenvolver um cacto no rabo.

É com orgulho que vos posso dizer que depois de muita procura, de muito suor e de muito esforço, - 99% do qual foi do Cara-Metade porque se fosse eu a resolver as coisas provavelmente iria comprar uma tenda pipoca da Quechua e viver para debaixo da ponte - aqui o vosso amigo Triptofano é detentor de um palácio de 80 metros quadrados em Queluz, com lareira, elevador, arrecadação e um lugar de estacionamento tão apertado que o Cara-Metade já quase que fez um modelo à escala real da garagem para perceber como é que lá enfia o carro.

Neste momento estamos a fazer obras de conforto na nossa casa nova, que basicamente consistiu em mandar metade dela abaixo, e a transformá-la totalmente para ficar aconchegante. Único problema: temos de sair de Benfica até ao final do mês de Novembro, por isso até lá a casa nova vai ter de estar pronta e tudo o que está na casa velha tem que ser empacotado e transferido.

Vou ali só tomar um calmantezinho e já volto está bem?

 

10 comentários

Comentar post