Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Tinder, a Primitivização Tecnológica

08.07.19, Triptofano!

Uma amiga minha, queixando-se do facto dos homens adorarem-na no primeiro encontro mas depois fugirem a sete pés quando lhes vinha o ténue cheiro de compromisso, fez-me a pergunta de um milhão de euros:

O que é que se passa na cabeça dos homens?

Na realidade, a questão deveria ser o que é que se passa na cabeça das pessoas em geral, homens e mulheres, porque nunca houve tanta facilidade em encontrar pessoas mas ao mesmo tempo nunca foi tão difícil encontrar aquela pessoa!

O facto de cada vez haver mais escolha fez com que vivêssemos numa espécie de aplicação da Zomato para relacionamentos, onde adoramos dar classificação uns aos outros mas estamos sempre à espera de encontrar um restaurante melhor que nos deixe de queixo caído.

Afinal porque é que havemos de jurar amor eterno à pizzaria da esquina se a qualquer momento podemos ter vontade de experimentar o novo espaço de sushi que abriu a cinco minutos de nós?

A falta de noção de nós próprios e a tendência assustadora para toda a gente achar que é especial também não ajuda quando se procura um relacionamento.

Não é que eu não defenda que todos nós somos especiais à nossa maneira, mas há uma diferença entre acharmos que somos a última bolacha do pacote e termos a real percepção das nossas qualidades e defeitos.

Obviamente que não devemos cair no extremo oposto, onde achamos que não somos merecedores de muito e acabamos por atrair pessoas que vão-nos dar ainda menos.

Uma noção de quem somos enquanto pessoas e do que estamos dispostos a dar e a aceitar numa relação é meio passo andado para encontrarmos a pessoa "certa".

Mas falemos então dos homens! Porque é que os homens parecem fugir mais dos relacionamentos que as mulheres?

Tinder, a Primitivização Emocional

Na minha opinião, as mulheres tem tendência a ligar-se mais por causa dum instinto maternal e de família, enquanto que os homens dispersam-se mais facilmente devido a um instinto primitivo de espalhar os genes o máximo possível de forma a conseguir vantagem de domínio de espécie.

Enquanto seres humanos achamos que somos extremamente evoluídos por ter telefones e aviões e coisas que tais, mas muitas das nossas reacções além de instintivas são primitivas.

Vejamos o Tinder.

Apesar de eu ser apologista desta plataforma já que hoje em dia as pessoas andam tão desligadas do mundo real que acaba por ser uma forma válida de conhecer pessoas, o Tinder não é mais do que a transposição da nossa primitividade para os tempos modernos.

Se antigamente escolhíamos o parceiro com as melhores características físicas por uma questão de maior probabilidade de sucesso na perpetuação da espécie, hoje em dia isso já não faz sentido.

Porém, continuamos a fazer escolhas para um hipotético futuro baseadas em parâmetros que não são verdadeiramente relevantes, a não ser que tenhamos como projecto de vida estar na Guest List do Lux!

Somos muito menos evoluídos do que pensamos, desenvolvemos tecnologia que glorifica a nossa primitividade emocional mas depois achamos que somos seres iluminados que vivemos numa realidade cósmica diferente porque tudo o que queríamos era criar uma ligação energética real (com alguém bonito, musculado e preferencialmente rico), mas só encontramos quem nos queira comer o pito.

Minha gente, o problema não são os outros. Somos todos nós!

22 comentários

Comentar post

Pág. 1/2