Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

The Sacrifice: Porto Exit Games

Victum Vestri Vereor Huic Venatus Obsideo

31.12.19, Triptofano!

Já é tradição sempre que venho de visita ao Porto fazer um escape game, e desta vez o escolhido foi o The Sacrifice da Porto Exit Games.

Apesar de eu e da minha maravilhosa equipa, que a partir deste dia será conhecida como Os Bufadores, termos escapado com minuto e meio de sobra, foi um jogo complicado no qual precisámos de mais ajudas daquelas que gostaríamos, e onde a minha pessoa não conseguiu cumprir nenhuma das promessas que tenha feito a si mesmo relativamente a este tipo de jogo.

A primeira foi a de me manter calmo. Eu juro que tento manter a calma, olhar para as coisas com paciência, não gritar com ninguém, não stressar com o tempo....mas não consigo. Basicamente toda a gente está tranquila e focada e eu estou aos guinchos para usarem a porcaria da chave na gaveta porque já só temos 10 minutos e temos de conseguir sair a tempo. Confesso que acredito piamente que são os meus incentivos gritados num comprimento de onda capaz de provocar otites a canídeos que aceleram os meus colegas e nos fazem sair a tempo, mas eles não são da mesma opinião.

A segunda foi de tentar não me matar, que é uma coisa que não é suposto acontecer num escape game mas que eu aparentemente não consigo evitar devido à conjugação do stress com o facto de ser descoordenado de nascença. Desta vez foi no momento da fuga: era eu o último a sair quando lancei-me numa queda artística para o chão quase dando com os dentes numa mesa (mas o que interessa foi que consegui sair a tempo).

Deixem-me partilhar convosco a sinopse do The Sacrifice para perceberem melhor que tipo de escape estamos a falar!

The Sacrifice: Porto Exit Games

"Tu e os teus amigos estão a passear na Praça Guilherme Gomes Fernandes e ouvem uma menina chorar desesperadamente no edifício nr 53.

Quando ouvem gritos decidem subir para a ajudar (porque chamar a polícia já está fora de moda. O que uma pessoa quer é enfiar-se na casa de outra para ainda ser acusada de invasão de propriedade...). A casa está assombrada com o espírito da pequena Emily von Verder. Erica von Verder, sua mãe, montou uma série de armadilhas e magia negra para conseguir reencarnar o espírito da sua Emily num novo corpo. A única forma de conseguirem escapar vivos é sacrificarem um dos vossos amigos para dar vida à pequena Emily (e aqui o que eu aconselho é fazerem equipa com alguém que não gostem para se verem livres dessa pessoa).

Conseguirão decidir quem sacrificar ou morrerão todos quando Erica largar toda a sua fúria sobre vocês?"

O The Sacrifice é um jogo mais ritualista, onde vão precisar de ter em atenção as instruções em vez de cada um ir tipo barata tonta fazer experimentações.

O fantástico é que este escape, que precisa no mínimo de 4 pessoas para ser jogado, é mesmo para ser feito em equipa. Isto é, se houver uma pessoa que lhe apetecer ficar na casa-de-banho o jogo todo não vão conseguir chegar ao final. Além da comunicação o The Sacrifice exige cooperação.

Outro ponto positivo são os cadeados, ou aloquetes como são chamados aqui no Porto, que são muito variados, desde com números, letras e até mesmo direcções.

Relativamente ao sacrifício, é mesmo preciso sacrificar alguém, homem ou mulher, que isto hoje em dia os espíritos são muito menos exigentes.

No nosso caso, eu fui o sacrificado, não porque a minha equipa se quisesse ver livre de mim, mas porque havia tão pouco tempo de sobra que em vez de estarmos a discutir quem dava o peito às balas eu resolvi ir em frente.

Não foi fácil porque enquanto os outros fugiam eu fiquei preso, tentando libertar-me das forças malignas e estava a ver que não conseguia. Tive de dizer uma data de palavras em latim e evocar toda a minha energia do terceiro olho para me salvar, mas o importante é que consegui!!!

Se estiverem na zona do Porto e quiserem passar uma hora extremamente divertida, o The Sacrifice é uma aposta ganha. Além de que ainda podem ver-se livres de alguém que não gostam, o que convenhamos, é ouro sobre azul!

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.