Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Ainda sobre a minha experiência de Destralhar

30.01.20, Triptofano!
Como vocês sabem, no domingo passado eu destralhei e sobrevivi, mas houve uma pequena coisa que eu não vos contei porque estava à espera de saber como é que o meu organismo ia reagir. Digamos então que quando eu estava afincadamente a mandar coisas para o lixo (e a chorar babo e ranho nos entretantos) descobri um saco com prendas do Natal de 2018, que eu tinha guardado muito bem guardadinho com (...)

Destralhei e Sobrevivi

27.01.20, Triptofano!
Aqui a minha pessoa, como já escrevi anteriormente no blog, tem um pequeno (assim pequeníssimo quase inexistente) problema com mandar coisas fora. Um prego enferrujado encontrado no chão em 1999? Guardo porque nunca se sabe quando é que pode ser preciso pregar um quadro e apanhar tétano ao mesmo tempo! Uma factura do supermercado de 2003 quase já sem tinta? Guardo porque sabe-se lá se aqueles Doritos que eu comprei no Feira Nova (quem é que ainda se lembra deste supermercado?) não (...)

A razão de não conseguir deitar coisas fora!

10.04.19, Triptofano!
Sei que andamos numa fase em que toda a gente está empenhada em ter o mínimo de coisas materiais de forma a supostamente ter também o mínimo de ruído que afecte a harmonia da sua vida.   Há quem passe por destralhamentos gigantes, revirando a casa de uma ponta à outra, deitando fora o que já não presta e doando aquilo que ainda possa ser de utilidade a terceiros.   Existe quem tenha optado pelo estilo minimalista nas suas casas, que basicamente assemelha-se a um cenário (...)

Missão Destralhar

07.11.17, Triptofano!
Tenho encontrado aqui na blogesfera vários blogs onde se fala do conceito de destralhar, de forma a ter-se uma vida mais simples e harmoniosa.   Confesso que sempre que leio um post sobre o assunto fico cheio de vontade de colocar em prática o destralhanço mas, pouco tempo depois, fico assoberbado por uma ansiedade só de pensar em deitar as coisas fora que me paralisa.   Sabem aqueles programas de televisão onde as pessoas acumulam sacos e saquinhos até ao tecto sendo depois (...)