Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

10
Jul18

10 Coisas que eu espero conseguir fazer neste Verão


Primeiro que tudo, quando é que alguém vai processar a Maria Leal? É que aquela canção dela sobre o Verão ter chegado acho que espantou o dito cujo, que isto está um frio aqui para os meus lados que nem imaginam.

 

Muito Obrigado Filipe e Muito Obrigado Alfa por me terem desafiado a responder a esta tag de Verão. Espero que as minhas respostas não vos desiludam!

 

Regras da Tag:

 

  • Agradecer a quem o nomeou, fazendo uma ligação para o blogue em questão;
  • Fazer uma lista de dez coisas que gostaria de fazer - e que sejam exequíveis - este Verão!
  • Nomear cinco bloggers para fazer o mesmo.

 

Dez coisas que eu espero conseguir fazer este Verão

 

1- Passar uma noite inteira a ouvir a canção do Toy - Coração não tem idade

 

Vou beijar,vou dançar

Vou hum hum até me cansar 

Toda a noite, toda a noite

Vou beijar, vou cantar

Vou hum hum até me cansar 

Toda a noite, toda a noite

 

2 - Dar-lhe forte na Bimby e fazer muitos gelados e granizados (especialmente um de limão com vodka que estou mortinho para experimentar)

 

3 - Dar paz à Bimby durante um dia e comprar um litro de gelado no supermercado e enfardá-lo todo enquanto vejo um reality show qualquer na televisão

 

4 - Não acordar sistematicamente às quatro da manhã em modo zombie e com os olhos cheios de remelas porque a ranhosa de uma melga decidiu que não me ia deixar dormir. É que se ela quer picar que pique, mas que não faça um cagaçal de todo o tamanho a anunciar que o vai fazer.

 

5 - Estourar 20 euros numa quermesse de uma terrinha qualquer, na esperança que me saia uma rifa premiada e possa passar a ser o orgulhoso detentor de um pato de cerâmica, um must have de decoração de qualquer casa que se preze.

 

6 - Fazer um cartaz a dizer Ana Malhoa Sobes-me a Temperatura, colocar na janela de casa e tocar à campainha do vizinho do terceiro andar que é pivot na CMTV. Finalmente vou ser reconhecido como fã número 1 da Diva Portuguesa.

 

7 - Ir à praia e não apanhar um escaldão. Sou aquele tipo de pessoa que passa do branco para o vermelho, não havendo tom intermédio, mesmo gastando uma embalagem de protector solar por dia. Equaciono seriamente a hipótese de ir de burka apanhar banhos de sol.

 

8 - Nadar nuzinho no oceano. Se ainda não o fizeram não percam mais tempo. É uma sensação espectacular.

 

9 - Melhorar a minha média semanal de relações sexuais, que isto anda assim um bocadinho para o fraco. Se me apetece o cara-metade está cansado, se apetece ao cara-metade eu estou a dormir, ou de barriga cheia, ou a escrever no blog ou já tomei banho e não vou voltar para lá tão cedo. Pode ser que isto com as hormonas do Verão vá lá!

 

10 - Sobreviver. O cara-metade vai 15 dias para a Hungria num projecto internacional e eu vou ficar sozinho com as porcas. Se porventura virem neste blog um apelo desesperado contra a desnutrição já sabem que sou eu que estou a passar fome, por isso todos os tupperwares com comidinha caseira serão bem vindos!

 

 

E agora os nomeados para responder a esta tag

Terminatora

Leandro

Charneca em Flor

a dESarrumada

Genny

 

 

14
Jun18

Fechado dentro de um Túmulo Egípcio


Minha gente, se tiverem que fazer um Escape Game na vossa vida venham por favor a Benfica fazer O Sarcófago dos Mission to Escape.

 

Se são viciados neste tipo de jogos, como eu, então tem mesmo que vir a Benfica (e depois se quiserem podem aproveitar para me convidar a tomar um cafezinho na Evian ou em qualquer pastelaria da zona).

 

Se são viciados neste tipo de jogos e adoram o Antigo Egipto, então não sei o que é que ainda estão a fazer a ler este post em vez de estarem a tocar furiosamente à campainha dos senhores do Mission to Escape.

 

Todo o jogo está fabulosamente bem pensado, a decoração do espaço é incrível, os enigmas fazem sentido e são muito inteligentes, o Game Master é simpatiquíssimo e não se chateia se começarem a dizer palavrões por causa do stress, e uma hora passa em cinco minutos, tal é a descarga de adrenalina que recebem, sempre na ânsia de conseguirem fugir do túmulo.

 

Contem com muita areia, paus e mais paus, pragas, vasos canopos, toneladas de hieróglifos e aranhas (de plástico, vá não se assustem...)

 

Agora com muita pena minha tenho de vos dizer que não consegui sair a tempo.

 

Por um minuto, um malvado minuto, eu e o cara-metade ficámos presos para a eternidade junto da simpática múmia que habitava o túmulo. Eu que tinha conseguido sair com sucesso de todos os Escapes até agora, vou ter de viver com o fracasso da derrota (momento melodramático...)

 

Alguns detalhes interessantes sobre o Escape, que podem ser lidos sem problema já que não contém spoilers!

 

  • Continuo uma pessoa ligeiramente stressada. Era ver-me a correr de um lado para o outro, com papéis numa mão, paus na outra, com o cérebro já completamente a entrar em curto-circuito.
  • Não gritei com o cara-metade nem uma única vez. Uma vitória para o nosso relacionamento, já que a capacidade de comunicação é algo imprescindível num casal, e eu pensei que passados cinco minutos estivéssemos a atirar cadeiras à cabeça um do outro.
  • Em certa parte do jogo encontra-se uma ampulheta. E de quem é que eu me lembrei? Da maravilhosa Ana Malhoa claro!
  • Quando o tempo estava quase a acabar se houvesse um objecto afiado tinha cortado a mão até fazer sangue. E não, não é que me quisesse auto-mutilar, mas o desespero para sair é tanto que uma pessoa tem as ideias mais disparatadas de sempre.
  • Foi preciso ter tomates, mas quando chegámos a casa o cara-metade confessou ser em parte o culpado por não termos conseguido sair a tempo do túmulo. Só vos posso dizer que o Single Ladies da Beyonce vai ser uma música que eu nunca mais vou conseguir ouvir na vida.

 

Perdi é verdade, mas diverti-me tanto nesta actividade que não imaginam. Por isso deixem-se de dúvidas e venham passar uma óptima hora com O Sarcófago. E não se esqueçam que esta semana é a Escape Game Week, por isso podem beneficiar de um desconto extremamente simpático.

 

Mission to Escape Benfica

 

16
Abr18

Colocarão químicos na música?


Por mais que o queiramos negar, é um facto que a indústria alimentar adicionar substâncias a certos alimentos de forma a torná-los mais saborosos e viciantes.

 

É por essa razão que muitas vezes sonhamos com um pacote de batatas fritas e deixamos um rasto gigantesco de baba na almofada, quando poderíamos muito bem passar a nossa noite a fantasiar com cenouras ou maçãs pink lady.

 

Agora o que eu desconhecia por completo é que já era possível colocar químicos na música.

 

Porque só vejo esta explicação para que de cada vez que sai uma música nova da Ana Malhoa eu ficar completamente viciado nela.

 

É que quando eu a ouço pela primeira vez penso, ah não, desta vez nem estou a gostar tanto da música, mas basta ela chegar ao fim para algo no meu cérebro ser activado e quando dou por ela já estou na audição número 280 e começo a ter flashs do videoclip quando estou a usar o bidé.

 

Se a teoria da conspiração do uso de químicos em canções não vos cativa, então só pode ser a teoria número 2:  a utilização de uma frequência em pano de fundo que só certas pessoas conseguem ouvir, mais ou menos como aqueles apitos para os cães!

 

Essa frequência estimula o complexo hipotálamo-hipófise e cria uma adição em pessoas com um quociente de inteligência acima da média (como o meu), que foram escolhidas a dedo de forma a poderem difundir a mensagem da Ana Malhoa e daqui uma década serem os seus fiéis súbditos quando ela for coroada rainha da nova Ordem Mundial.

 

A propagação da palavra não se fará através da distribuição de panfletos calientes mas sim de flash mobs individuais no comboio, onde a minha pessoa sacará tarântulas da mala e as arremessará para cima dos outros inocentes frequentadores deste meio de transporte, enquanto entre espasmos epilépticos grita Viúva Negra!

 

De forma a tirarem as vossas próprias conclusões, acerca deste possível esquema malévolo da indústria musical, deixo-vos o nosso videoclip da Ana, Viúva Negra!

 

E se alguém também estiver a ser controlado por ela, deixe mensagem nos comentários, que eu sei de um sítio baratinho para se comprar tarântulas!

 

 

 

08
Mar18

Este Post é (quase) todo sobre a Ana Malhoa!


Estou atrasado na resposta aos desafios virtuais aqui da blogosfera, mas isso já não é novidade nenhuma, visto que eu estou constantemente atrasado para alguma coisa.

 

Na realidade, já ponderei muito seriamente em mudar o nome do blog de Triptofano, para Melodramas de um Atrasado, pelo menos haveria uma diminuição do número de pessoas que se queixam de não conseguirem pronunciar o nome aqui do espaço sem terem de enrolar a língua toda.

 

O tema da passada sexta-feira para o Desafio das 52 semanas é Pessoas que eu gostaria de conhecer/ter conhecido.

 

E eu aqui vou ser muito honesto, eu prefiro ler sobre a vida de pessoas inspiradoras do que as conhecer em carne e osso. Porque nós criamos uma projecção de uma pessoa que às vezes não corresponde totalmente à verdade, e depois a desilusão é grande.

 

Imaginem que eu agora ia jantar com o Gandhi, primeiro tinha que ser numa altura que ele não estivesse em greve de fome, senão eu ia sentir-me mal a comer meio kg de batatas e o senhor a olhar para mim com ar reprovador.

Depois provavelmente ia haver necessidade de intérprete a não ser que eu quisesse ficar a olhar para ele com um sorriso parvo durante todo o jantar, e por fim, de que é que nós íamos falar?

Será que ele começava logo a desbobinar a história da vida dele? Acharia eu que ele era um convencido? Ficaria chateado por não poder eu dissertar sobre as minhas unhas que me dão cabo constantemente das meias? Seria possível fazer perguntas mais ordinárias como se fossemos best friends sem o ofender?

 

Por isso é que eu prefiro manter a distância das pessoas que me fascinam.

 

Tirando obviamente o caso da Ana Malhoa, que eu ando mortinho, mas mortinho mesmo para a conhecer ao vivo. Já sei que quando isso acontecer, além da selfie que eu tenho de tirar com a moça, o resto da experiência vai ser pautado por mim com um ar de imbecil e um sorriso de semi-atrasado mental a pensar em algo inteligente para dizer, e a acabar apenas por balbuciar um "o meu universo és tu" que nem sequer é uma música dela.

 

Eu sei que tive a oportunidade de lhe demonstrar todo o meu amor no Coliseu, quando fui ao concerto épico que ela realizou, e que um dia irei aqui relatar, mas fiquei com medo, fiquei com pavor que ela olhasse para mim e que não me considerasse digno, e ela que passou tantas vezes ao pé de mim, e eu cheio de inveja das pessoas que iam tirar fotos com ela - que muito honestamente tinham ar de nem serem metade dos admiradores que eu sou!

 

O cara-metade bem me disse, vai lá dar-lhe dois beijinhos. Mas a Ana estava suada, e eu não queria que ela se sentisse desconfortável comigo a aproximar-me dela assim toda hidratada pela água que saía dos seus poros.

Foi esta a desculpa esfarrapada que dei ao cara-metade, mas no fundo eu queria era pegar na cara húmida dela e esfregá-la pelo meu corpo todo e estar mês e meio sem tomar banho. E acabei por não interagir com ela. Dei o meu melhor no concerto, vibrei ao máximo, mostrei que há pessoas com cursos universitários de 5 anos que vivem por esta artista tropical urbana.

 

Este post poderia ficar por aqui, e não era assim nada de muito novo toda esta minha declaração de amor à Ana, mas existe outro desafio em que estou ligeiramente atrasado, que é o Question Day!

 

Há uma questão do NewBorn que é sobre a Ana. E a pergunta é a seguinte:

 

Ora bem, como grande admirador da Ana Malhoa se ela quisesse ter uma aventura sexual contigo, incluído sexo oral a ela, o que farias???

 

Primeiro que tudo, se a Ana Malhoa quisesse ter uma aventura sexual comigo eu acho que desmaiava só pela honra de ela considerar a minha pessoa para tal intimidade.

 

Só que pronto, eu nem andar de mãos dadas com uma rapariga na rua consigo sem me sentir altamente constrangido, parece que é errado, fico logo com eczema, eu nasci gay, sou gay e a não ser que descubram um comprimido para deixar de ser gay e me o enfiem pela garganta abaixo, vou morrer gay.

Por isso, só imaginar ter de tirar a roupa à frente da Ana Malhoa faz-me ficar cheio de suores frios, acho que mais depressa voltava a conduzir do que me despia para ela.

 

É que depois ia tirar a roupa de forma descontraída? De forma sensual? Dançando e rebolando de forma a provocar a moça? E quando ficasse nu ia fazer o quê? Olhava intensamente para ela e dizia-lhe para abusar de mim? Atacava a parte de cima? A parte de baixo? Dizia para irmos fazer agachamentos a ver se a transpiração me excitava um bocadinho?

 

Não Ana, desculpa do coração, adoro-te mas truca truca contigo eu não consigo, talvez te lambesse a axila, mas nada mais, tenho a certeza absoluta que todas as tuas partes intimas devem cheirar a uma mescla de jasmim e rebuçado de mentol, mas mesmo assim não é suficiente para eu me chafurdar lá.

 

 

MAS

 

Recuso-me a que fiquem a pensar que eu não seria capaz de ter uma aventura sexual com a mulher que mais venero neste universo, por isso, apesar de qualquer prática sexual mais tradicional estar fora dos meus limites, eu era capaz de fazer uma coisa com a Ana.

 

Levar Porrada!

 

 

Completamente despido de olhos vendados.

 

 

A Ana chegava e utilizava os cordões dos meus sapatos para atar os meus pulsos atrás das costas, estando depois a outra ponta do cordão atada à base do meu pénis. Assim se tentasse mover os braços automaticamente iria puxar o meu pénis causando-me uma sensação agri-doce de dor.

 

Colocava-me no chão de quatro, totalmente à mercê dela. Ligava a música, de preferência o Dame un Besito, e ao som da batida chicoteava as minhas nádegas nuas com um cinto de cabedal. E só parava quando elas estivessem completamente vermelhas, a ponto de quase sangrarem. Depois esfregava uma pomada de aloé vera enriquecida com vitamina A para regenerar o rabo do seu submisso escravo de pancada.

 

E no fim, mesmo antes de se ir embora, lançava um Rááááúuuuu animalesco enquanto me pregava um estalo gigantesco na cara, deixando-me estendido no soalho, com um sorriso rasgado no rosto e uma belíssima erecção!

01
Fev18

O primeiro mês do ano já se foi!


20862466_Khpfp.jpeg

Imagem roubada sem vergonha nenhuma do blog da Fátima!

 

 

E assim num piscar de olhos Janeiro já se passou. Não consigo perceber como é que o tempo passa tão depressa, se existe alguma fuga de tempo não detectada por onde ele escorre, mas a verdade é que já estamos em Fevereiro, que ainda por cima é o mês mais curto do ano.

 

Por isso vamos lá ver em que pé é que estão os meus desafios para 2018!

 

  1. Inscrever-me na Natação - Feito! O meu primeiro objectivo cumprido. Inscrevi-me e agora é só começar a ir regularmente. Hoje é o primeiro dia em que posso ir e já tenho o saco de ginásio (quase) preparado!
  2. Perder 10kg até ao final do ano - Perdi 2kg até agora. No entanto creio não ser o suficiente para conseguir enfiar-me dentro das calças a tempo para o baptizado deste sábado.
  3. Adoptar um cão - Já vimos muitos cãezinhos, já tivemos desilusões, mas eu e o cara-metade ainda não desistimos de encontrar um amigo para a vida.
  4. Ler 24 livros até ao final do ano - Vou no segundo. Mas não sei o que está a acontecer este livro está a demorar, eu leio e volto a ler e parece que nunca saio do sítio. Nesta próxima semana tenho de o terminar!
  5. Escolher uma instituição para fazer voluntariado regularmente - Ainda nem sequer pensei como deve ser nesta situação, a ver se em Fevereiro me debruço sobre ela.
  6. Ir de férias à Patagónia com a senhora minha mãe e o cara-metade - Tendo em conta as minhas finanças acho que este ano vamos ficar pela Costa da Caparica!
  7. Saltar de para-quedas - Já tenho muitos interessados em participarem na loucura mas data até agora ainda não há.
  8. Fazer um novo piercing - Este objectivo esteve quase quase a ser cumprido. A Bad Bones estava à procura de vítimas para piercings (totalmente grátis!) mas os locais que eles ofereciam era septo nasal e lábios, locais que não me interessam particularmente. Tenho de fazer uma votação sobre a zona anatómica onde devo fazer o meu novo furinho.
  9. Voltar a conduzir - Já se formou um grupo de incentivo à minha pessoa, mas por agora ainda não tenho a coragem necessária para me sentar ao volante de qualquer viatura.
  10. Correr uma meia-maratona - Se a natação correr bem, quando ganhar mais resistência, lá para Março começo a treinar para a meia-maratona (acho que meio ano é tempo suficiente para conseguir correr os kms todos sem cair para o lado!)
  11. Ir a um restaurante com estrela Michelin - Estive a ver alguns preços na Internet e chorei. Não haverá ninguém que queira fazer um patrocínio a este pobre blog? Eu juro que faço uma crítica toda simpática 
  12. Tirar uma selfie com a Ana Malhoa - A Ana Malhoa sabe que eu existo? Esta é a minha pergunta número um! Apelo a todos os bloggers do Sapo a fazerem uma campanha de sensibilização perante a Ana Malhoa para ela saber que eu, Triptofano, adoro-a de morte e estou aqui a suspirar por uma selfie com ela!

 

E o vosso Janeiro como é que foi?

30
Jan18

A minha verdadeira vocação profissional


O meu pai, antes de se reformar, pertencia à Polícia de Segurança Pública, trabalho ao qual se dedicou de corpo e alma durante muitas décadas.

 

Foi um trabalho árduo, que lhe custou centenas de horas de sono a fazer gratificados de forma a poder trazer algum rendimento extra para casa. Com o passar dos anos foi subindo na carreira hierárquica, sempre por mérito próprio e graças a um empenho incrível nos estudos, o que lhe permitiu ter um final de carreira mais tranquila.

 

Nem ele nem a minha mãe nunca me incentivaram a seguir a carreira policial. Que era um trabalho desgastante, que eu poderia ter boas condições de vida noutra profissão de menos risco, e por isso acabei por seguir a área das ciências.

 

Mas hoje compreendo que eles já sabiam era do rabeta do filho que tinham em casa e estavam a ver se me conseguiam proteger das tentações. Esta iluminação veio após ver o videoclip da Valesca Popozuda - Viado, que me mostrou que estou no caminho errado.

 

Pessoal, por favor vejam o vídeo, tirem o som se não quiserem ouvir o voz da Valesca, mas atentem nos detalhes desta mini produção cinematográfica para perceberem melhor do que eu falo.

 

 

 

A minha verdadeira vocação profissional é ser polícia, pelo menos polícia no Brasil. Porque de acordo com o videoclip da Popozuda só há vantagens em seguir esta carreira.

 

Primeiro a Valesca deve receber um ordenado upa-upa. Porque ela acaba por conciliar dois trabalhos num só, ela faz trabalho de policial na rua e é guarda-prisional, o que no fim do mês deve-lhe permitir comprar muitas roupitas sensuais.

Agora como é que a prisão funciona quando ela tem de ir fazer a ronda pela cidade? Pois isso é uma questão para ser abordada noutra altura.

 

Depois, é visível que a moça obteve uma formação rigorosíssima por parte das forças de segurança brasileiras - onde é que já viram cá em Portugal alguém a fazer uma detenção de um perigoso criminoso e ao mesmo tempo, de forma hábil, despir o sacana quase integralmente de forma a perceber se ele não tem nenhuma arma oculta? Não é para todos!

 

Além disso, poderia haver alguma reticência por parte da V. em fazer a inspecção nos balneários, já que é do senso comum que os prisioneiros gostam de enfiar telemóveis e pacotes de doritos nas extremidades mais recônditas, e apenas um profissional empenhado é que se aventura por túneis sem luz em prol do bem comum (todos nós sabemos que os doritos podem esquartejar uma garganta com aquelas pontas afiadas, e depois como é que era?).

 

Muito se fala na inclusão dos prisioneiros na sociedade, e sabemos que infelizmente muitos saem da prisão sem grandes esperanças de reintegração.

 

Mas não é o que o videoclip mostra.

Valesca Popozuda, além de dar o corpo às balas, percebe que há mais na vida do que o trabalho, por isso nas horas de pausa, em vez de ir para o Tinder ou para o Badoo, aposta na vertente social.

 

E faz shows (de referir que eu ficava mais sensual que ela naquela roupita mas pronto) onde dá oportunidade a meia dúzia de reclusos de treinarem os seus passos de dança, de forma a reforçarem as suas competências que podem usar lá fora. Quando forem libertados, estes homens suados de esforço, podem emigrar para Portugal e virem rebolar a pélvis para entreter a multidão enquanto a Rebeca encanta com os seus dotes musicais. Se forem muito bons, mas muito bons mesmo, poderão um dia até estar num palco com a Ana Malhoa - mas isso já é um sonho um pouco mais difícil de concretizar.

 

Quem não tiver pé para dançar, pode integrar o grupo de percussão do presídio, e afinfar no tambor e similares, de forma a poder empregar-se em qualquer fanfarra desse mundo fora.

Infelizmente a minha experiência com a percussão não foi tão interessante como a que é exibida no vídeo musical, o que de alguma forma me tranquiliza, já que não tenho salário para pagar os estragos que faria por martelar com demasiada força devido à excitação que o meio ambiente me provocaria.

 

No entanto, nem tudo é perfeito para a Valesca e eu sei que ela certamente sofre por não ter meios para ajudar os pobres dos reclusos.

 

Primeiro, há certamente uma carência de hidratos de carbono naquele estabelecimento. É impensável que todos os jovens encarcerados estejam magrinhos e musculados por sua própria vontade, o que me faz pensar que eles não sabem o que é uma batata para lá de mês e meio. Ao invés devem ser alimentados com batidos hiper-proteicos o que lhes vai dar cabo dos rins antes de chegaram aos 40.

 

Não é também normal que, entre toda a população residente apenas um ou dois tenham camisolas para vestir. Será que os fundos federais não chegam para tapar os abdominais dos jovens? Ou estaremos perante uma vaga de calor tão arrasadora que a única solução é estar o mais despido possível?

 

Por isso eu aqui lanço um apelo.

 

Vamos organizar-nos em grupos de voluntários. Não há necessidade de termos de ir trabalhar para lá permanentemente (nem pensem em roubar-me a vaga ouviram?), mas podemos fazer uma recolha de fundos para conseguirmos comprar camisolas para levar aos moços.

Ou no caso do problema ser o calor levamos arcas de campismo cheias de cubos de gelo, que poderemos derreter lentamente nos peitorais escaldados daqueles pobres indivíduos esquecidos pela sociedade.

 

Tudo em prol dos direitos humanos!

26
Jan18

Desafio das 52 semanas - Semana 4


20822269_WYkWp.jpeg

 

Semana 4 - As minhas citações preferidas são: 

 

 

"Tenho um batalhão de fãs
Um fã clube de inimigas
O batalhão é uma multidão
Fu** !
Os outros são formigas"

Ana Malhoa - Futura 

 

 

"...o amor é uma 
doença da qual ninguém quer livrar-se.

Quem foi atacado por ela não 
procura restabelecer-se,

e quem sofre não deseja ser curado."

Paulo Coelho - Zahir

 

f3af4ff9ddfb942e405c82cbe904b886.jpg

 

 

Anne Welles: Neely, you know it's bad to take liquor with those pills.

Neely O'Hara: They work faster.

Jacqueline Susann - O Vale das Bonecas

 

 

"Falando sério
Eu não queria ter você por um programa
E apenas ser mais um na sua cama
Por uma noite apenas e nada mais"

Roberto Carlos - Falando Sério

 

 

Gilda: I can never get a zipper to close.

Maybe that stands for something, what do you think?

Rita Hayworth - Gilda 

 

 

Muller: " Meister Eckhardt is about to return the Nephilim race to it's former glory. For our part in that triumph. He will grant us immortality"

Lara: "If I had a coconut for everytime some lunatic said something like that"

Lara Croft - Tomb Raider, The Angel of Darkness

 

 

25
Jan18

Tag 25 Perguntas Aleatórias


Já há algum tempo que tinha sido desafiado para responder a uma Tag pela Hipster Chique, e como é uma Tag de 25 perguntas aleatórias (apesar da menina Hipster só ter 24 no seu blog, tive de andar a pesquisar qual seria a 25ª) acho que é a altura perfeita para publicar as minhas respostas, já que ontem lancei a rubrica Question Day, onde podem colocar-me as vossas perguntas mais ou menos aleatórias.

 

Por isso aqui ficam 25 pedaços de informação sobre mim que podem ser importantes de saber caso um dia calhe irmos a um daqueles programas de televisão onde temos que mostrar que sabemos tudo sobre outra pessoa!

 

 

Tag 25 Perguntas Aleatórias

 

 

1. Sais de Casa sem?       

Cuecas. Isto apenas porque de vez em quando levo vestidos os jockstrap que o cara-metade me ofereceu nos anos. Mas estou sempre com medo que haja um problema com o cinto das calças, e quando der por ela estou a apanhar a brisa no rabiosque!                                                                   

 

2. Alguma marca de maquilhagem preferida?

A vantagem de ser homem é que ninguém espera que coloquemos quilos de betume só para parecermos mais bonitos, quando na realidade já somos bastante atraentes mas a sociedade coloca-nos uma pressão idiota em cima. No entanto já experimentei BB creams da farmácia, e tenho a dizer que ficar com a cara de um tom e o pescoço do outro não é realmente a minha praia.

 

3. Flor/planta preferidos?

As que consigam aguentar o maior tempo possível as minhas variações de rega - ou dou água todos os dias, ou só o faço de duas em duas semanas. As sardinheiras costumam ser plantas bastante resistentes por isso sou fã delas.

 

4. Loja de roupa favorita?

Qualquer uma onde esteja a Fátima Bento de forma a eu poder assistir a uma magnifica libertação de gás tóxico. Ainda não tive a oportunidade mas podia bem ser uma das minhas 12 resoluções para 2018!

 

5. Saltos ou baixos?

Presumo que esta questão seja sobre beijar homens, ou seja, se preferimos andar aos saltos para chegar à boca do moço, ou se gostamos deles mais rasteirinhos mesmo que isso implique ficar com uma corcunda. A minha resposta politicamente correcta é que deitados as diferenças de altura não se notam nada - experiência própria!

 

6. Cor favorita?

Esta pergunta deu cabo de mim. Acreditam que por alguma razão desconhecida não consegui entrar no site do e-factura e para fazer a recuperação da senha tive de responder a uma pergunta de segurança. E qual era a questão? A minha cor favorita. Ao que parece na altura do registo a minha preferência em termos de coloração não é a mesma que a de hoje em dia, e como a minha memória é extremamente fraca tive de andar a experimentar todas as cores do arco-íris até conseguir acertar.

 

7. Bebida preferida?

Qualquer uma que não tenha sido alterada com uma droga da violação. Quando fui a Nova Iorque com a Rachel fomos a um bar onde havia karaoke, e nós como pessoas queridas que somos, guardamos lugar para uma jovem visto que o pai dela que tinha chegado primeiro pediu-nos esse favor. Porque é que não foi ele a guardar o lugar não sei nem me perguntem. O importante da história foi que ele para nos agradecer a amabilidade nos ofereceu uma cerveja - e eu todo feliz da vida por poupar uns dólares começo a bebe-la até que a Rachel diz muito séria que a bebida pode estar drogada. Ora eu honestamente não acreditava que tal pudesse ser possível, eu sei que a gente na altura até era bastante jeitosa, mas será que o homem ia conseguir arrastar dois corpos com ele para uma cave escura? Por via das dúvidas despejámos a bebida na sanita, para grande tristeza minha!

 

8. Hidratante favorito?

É o meu favorito e o da cara-metade, por isso gasta-se muito mais depressa do que qualquer outro creme que esteja cá em casa. Falo do Hydro Boost da Neutrogena (Neutrogena querida se estiveres a ler isto eu dou-te a minha morada para me mandares alguns grátis!).

 

9. Pretendes casar?

Esta pergunta é desnecessária. Acho que todos sabem a minha resposta, até já falei sobre isso na mini-entrevista que dei à equipa do Blogs Sapo. Sim, pretendo casar, mas só se a Ana Malhoa puder ir cantar na festa.

 

10. Irritaste facilmente?

Depende, se tiver comido hidratos de carbono ando mais compostinho da vida, se não tiver minha nossa, saiam-me da frente. Há dias do mês que também ando mais irritadiço, presumo que sofra de uma espécie de período masculino mas sem as toneladas de sangue a sair-me pelos genitais. Normalmente quem leva mais com o meu mau-humor é o cara-metade, desculpa meu amor, sabes que te amo mesmo quando digo baboseiras.

 

11. Róis as unhas?

Quando era novo roía imenso as unhas, depois a minha mãe obrigou-me a colocar aparelho nos dentes, já que segundo ela o meu dente torto ia-me impedir de casar com quem quer que fosse, e perdi a superfície de contacto necessária para cortar as unhas à dentada, o que me fez largar o vício.

 

12. Já desmaiaste?

Além de ter ficado meio em coma alcoólico um par de vezes quando era mais novo, desmaiei uma vez no Uganda. Foi no meu primeiro dia de trabalho de campo, não sabia o que me esperava e feito idiota comi um pequeno-almoço muito ligeiro. Conclusão, eram duas da tarde, ainda não tinha almoçado, estava numa cabana cheia de gente a falar, a assistir à limpeza de uma ferida de uma criança que chorava compulsivamente porque lhe estavam a retirar toda a pele morta do braço, com um calor insuportável, e de repente - quebra de açúcar. Começo a balançar para a frente, para trás, até que alguém me agarra mesmo a tempo antes de bater com os cornos no chão e precisar eu de primeiros-socorros.

 

13. Onde estavas há 3 horas?

A sonhar na minha cama, deitadinho num canto já que o cara-metade usurpa todo o espaço do nosso leito conjugal. Um dos meus maiores arrependimento, como muitos já sabem, foi não ter comprado uma cama maior. Ultimamente tenho tido sonhos recorrentes, onde estou na faculdade e vou ter um exame de uma cadeira que nunca sequer fui às aulas. Nem preciso de vos explicar o meu alívio quando acordo e percebo que afinal a faculdade já acabou há muitos anos.

Ah, e as minhas marcas alienígenas nas costas voltaram!

 

14. Estás apaixonado?

Pela Ampulheta da Ana Malhoa. E pelo cara-metade também (é melhor não me esquecer dele caso não queira ir dormir para a casa dos meus pais nas próximas duas semanas!).

 

15. Qual foi a última vez que foste ao shopping?

Ontem. Fui ao Vasco da Gama fazer compras e basicamente não comprei nada do que queria e fiquei apaixonado por uma data de coisas que não preciso. Cada vez mais estou convencido que para mim as compras pela Internet são a melhor solução.

 

16. Assististe algum filme nos últimos 5 dias? Qual?

Um facto engraçado sobre mim é que eu tenho uma muito pobre capacidade de organização temporal na minha cabeça. Ou seja, o que aconteceu ontem eu posso achar que se passou à um ano atrás e vice-versa. Por isso se eu fosse a tribunal e me fizessem aquelas perguntas do tipo, Onde estava no dia 13 de Fevereiro de 2009?, eu estava totalmente lixado, porque não ia saber responder. Assim sendo não me lembro se assisti a algum filme, mas posso garantir que andei a ver a série The Good Place, e tenho gostado!

 

17. Como estás vestido agora?

Quem fez esta pergunta deve ter algum fetiche voyeur ou coisa parecida, mas como eu não sou pessoa de estragar a alegria alheia aqui vai uma foto de como eu estou vestido.

InstagramCapture_34995c03-3779-4eb8-ab1a-d2b0f41e1

 

 

18. Qual foi o último alimento que comeste?

Ontem à noite fui a uma formação onde houve um jogo em que basicamente tínhamos de descobrir qual era o alimento com qualidade e qual era a cópia barata. Por isso entre azeite, fiambre, trufas, caranguejo e chocolate um desses foi o último alimento que enfiei para o bandulho! Ah esperem - eu ainda fui jantar depois, por isso esqueçam, não faço ideia, foi buffet, e vocês sabem como eu sou nos buffets!

 

19. Qual é o teu animal favorito?

Quando era mais novo o meu animal favorito era sem dúvida nenhuma o gato. Hoje em dia, amo de paixão as porquinhas-da-índia, especialmente as minhas três porcas que me levam à falência só em vegetais.

 

20. Como seriam as tuas férias de sonho?

1 - Ana Malhoa a fazer de guia turística

2 - Ana Malhoa a fazer shows de entretenimento à noite

3 - Ana Malhoa a fazer serviço de acordar

4 - Fazer uma volta ao mundo, sem estar a controlar a conta bancária, com os pontos número 1, 2 e 3 incluídos.

5 - Casar-me no fim da volta ao mundo e aproveitar o embalo e ter a Ana Malhoa a actuar no casamento.

Coisa fácil certo?

 

21. Quais são os planos para hoje à noite?

Snifar cocaína e fazer uma orgia de sexo seria um plano interessante, mas como a minha vida é mais pacata basicamente tenciono adormecer no sofá e discutir com o cara-metade sobre de quem é a vez de colocar comida nas meninas (as meninas são as porquinhas entenda-se!).

 

22. O que estás a ouvir agora?

A chuva. Mas se estivesse sol estava a ouvir o barulho que o gato-da-sorte que a avó do cara-metade nos ofereceu faz com a patinha a chamar a boa sorte.

Adoro o gato, mas o meu objectivo é ter um igual ao que a senhora do restaurante de sushi possui.

 

gato.jpg

O meu gato-da-sorte

 

WP_20180118_20_57_39_Pro (2).jpg

 O gato-da-sorte da senhora do restaurante de sushi

 

23. Coleccionas alguma coisa?

Sou um bocadinho acumulador, por isso na realidade colecciono de tudo, apesar das pessoas constantemente dizerem-me que enfiar em sacos dentro do armário não é bem a definição de coleccionador.

Quando era mais novo coleccionava rapazes com quem tinha curtido - mas isso é algo que não vou partilhar convosco porque tenho uma reputação a manter, certo?

 

24. Comes fastfood?

One night stands contam como fastfood? 

Bem, hoje em dia é raro comer a chamada comida de plástico, afinal tenho um Chef de cozinha em casa, seria tonto não aproveitar os dotes culinários dele, mas assim uma vez por mês ainda vou enfardar um hambúrguer e muitas batatinhas fritas salgadas, que são a minha perdição.

 

 25. Perfume favorito.

Sem dúvida alguma Bvlgari - AQVA pour Homme. No entanto gosto de quase todos os perfumes, mas em mim, porque se há coisa que eu odeio é estar num local qualquer e quase morrer intoxicado devido ao facto de alguma alminha ter entornado meio frasco em cima dela. Pior é quando são os clientes, o cheiro é tão forte mas tão forte que eu nem me consigo concentrar no que eles estão a pedir.

 

 

Para dar continuidade a esta Tag, nomeio a Marquesa de Marvila e o Sérgio Ambrósio, que de certeza vão estar à altura destas magníficas perguntas!

 

20850397_zSIBQ.png

 Já votaram na próxima história? Basta carregarem na imagem!

27
Nov17

Ampulheta


Quem me visita aqui neste cantinho sabe que os últimos tempos tem sido bastante complicados para mim.

 

No entanto, o universo decidiu repor algum do equilíbrio cósmico e encher-me de felicidade ao presentear-me com algo vindo da coisa que eu mais adoro no mundo.

 

Desculpem Mãe e Pai, perdoa-me Cara-Metade, Macaco José não me abandones, pacote de batatas fritas de presunto ainda gosto de ti, mas a Ana Malhoa está em primeiro lugar, destacada e sem competição.

 

A Diva, com letra grande como ela merece, lançou um videoclip do seu novo single, Ampulheta, e todo ele é sensualidade, elegância, beleza, criatividade, e tudo e tudo e tudo.

 

Já ouvi a música umas cinquenta vezes, domino a coreografia da forma que os meus dois pés esquerdos o permitem, o cara-metade já teve que ir buscar uns tampões para não ouvir a minha voz melodiosa a acompanhar o refrão, e todo eu agora sou pensamento da minha pessoa a envergar um véu rendado enquanto rebolo pelo chão, a levar com areias nas trombas, carregado de apliques dourados no corpo, enquanto penso que devia ter levado para a fantasia os óculos porque não consigo perceber se o cavalo está perigosamente perto de mim e míope que sou nem dá ver a gotinha de suor a escorrer pelos corpos musculados dos bailarinos.

 

Podia prolongar-me infinitamente sobre a obra prima que é este novo videoclip da Ana mas prefiro que vocês o vejam e tirem as vossas próprias conclusões.

 

 

 

18
Out17

Paredes de Papel


Não sei se sou o único que se queixa deste problema mas, desde que passei a viver no centro de Lisboa que, existem dias em que acredito piamente que estou a viver dentro duma resma de folhas A4 e não numa casa com paredes de cimento.

 

De manhã é extremamente incómodo ser retirado dos braços de Morfeu pelo toque do despertador, olhar para o telemóvel e descobrir que ainda faltam 45 minutos para a nossa hora de acordar. Afinal a músiquinha irritante vem dos vizinhos do lado. 

 

Dos vizinhos da frente chega-me o medo crónico de ter uma inundação na casa-de-banho. Caso tenha conseguido voltar a adormecer depois de ter dançado involuntariamente ao som do 4 Minutes da Madonna (Madonna se me estás a ler não compres casa em Benfica, a não ser que coloques lã rocha em tudo o que é parede vais dar em doida num instante) rapidamente sou desperto porque começo a ouvir o barulho incessante de água vindo dos lavabos. Penso logo que o autoclismo rebentou ou coisa do género e quando vou averiguar percebo que são as alminhas que partilham paredes comigo a tomar banho. Mal por mal são indivíduos lavadinhos.

 

Mas o pior, o pior minha gente, que me faz despertar todos os instintos homicidas que vivem dentro de mim, são os vizinhos de cima. Não é pelo facto de haver duas crianças que parece que estão constantemente a destruir a casa em mil pedaços. São crianças e eu tenho que compreender. O que me leva ao ponta da loucura é a mãe dos cachopos, que todos os dias, por volta das 6:45, entra no quarto dos petizes e grita um BOOOOOM DIIIIIIIA! que me faz saltar um batimento cardíaco. Mas será que ela acha que as crianças acordam felizes com uma berraria destas? Ainda não terá percebido que o facto deles começarem a chorar copiosamente instantes depois não se deve ao facto de terem de sair do quentinho dos lençóis mas sim à voz racha orelhas que ela possui?

 

Mas a culpa é minha, a culpa é toda minha. Porque eu fiz com que os anteriores vizinhos de cima se fossem embora.

 

Os antigos inquilinos do apartamento de cima eram tranquilos, tinham uma criança fim de semana sim fim de semana não, quase não se dava por eles durante o dia. Mas todas as noites, às duas da manhã, eu acordava estremunhado. Primeiro pensava que estava a acontecer um crime no prédio. Depois percebi que a vizinha de cima era berrona. Muito berrona se é que me entendem. O chiar da cama não me incomoda sou honesto. O berranço se fosse assim à meia-noite, que a pessoa ainda está acordada também não. Mas às duas da manhã? Quando a pessoa já está ferradinha a babar a pensar num mil folhas com cobertura de chocolate?

 

Ainda por cima era uma estranho caso de monosexo, visto que só ela gritava, o senhor estava bem caladinho a fazer o seu trabalho. Ou será que dormiam em quartos separados e ela usava um vibrador? É que isso explicaria porque é que a certas alturas deixava de gritar e começava a rir-se descontroladamente. Se calhar o aparelho tinha resvalado para um sítio onde em vez de proporcionar arrepios de prazer fizesse apenas cócegas.

 

Perguntam vocês, o que é que eu tive a ver com o abandono do apartamento por parte dos vizinhos?

 

Não me orgulho, mas uma noite, extremamente cansado, ao ouvir novamente a sinfonia monofónica de gritos sexuais, saquei do meu telemóvel, coloquei uma música da Ana Malhoa no volume máximo e encostei-o ao tecto.

 

Foi remédio Santo. Ao que parece o casal copulador não gostava de ficar Turbinado!

 

 

 

O LEITOR DECIDE.png

 

Já votaram na próxima história? Basta carregarem na imagem acima! 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D