Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Socorro! Estou com corrimento vaginal!

05.08.20, Triptofano!
Apesar do corrimento vaginal ser um fenómeno natural e necessário - assegura a eliminação de células mortas e outros resíduos - e da sua cor e espessura modificarem-se ao longo do ciclo menstrual, nem todas as mudanças são naturais, podendo ser sinais de uma infecção vaginal!
 

Socorro! Estou com corrimento vaginal!

Vaginose Bacteriana: Um corrimento acinzentado ou branco, com um cheiro desagradável e característico a "peixe", ardor e vermelhidão local são os sintomas mais frequentes e ligeiros. Trata-se com gel vaginal de venda livre ou, em casos mais severos, com antibióticos prescritos pelo médico.

Candidíase Vulvovaginal: Um corrimento semelhante a requeijão, ardor e comichão na vagina e dor durante o acto sexual são as manifestações mais frequentes. A gravidez, a diabetes, a menstruação e a utilização de alguns antibióticos podem facilitar o aparecimento desta infecção. Se for necessário utilizar antifúngicos de aplicação local ter em conta que estes podem danificar preservativos e diafragmas, fazendo-os perder a sua eficácia, aconselhando-se assim a utilização de métodos contraceptivos adicionais durante o tratamento.
 
Tricomoníase: Caracteriza-se por um corrimento amarelo-esverdeado espumoso com um odor desagradável e comichão. Trata-se com antibióticos prescritos pelo médico. A tricomoníase é uma doença sexualmente transmissível, sendo por isso necessário tratar o homem e a mulher, além de usar preservativo nas relações sexuais enquanto houver infecção.
 
Caso não tenha a certeza de qual é a infecção vaginal que sofre, nas Farmácias já existem à venda testes que permitem distinguir entre vaginose e candidíase. A tricomaníase, por ser uma DST, deve ser acompanhada preferencialmente por uma médico ginecologista.
 
Fonte: iSaúde Farmácias Portuguesas
Artigo publicado originalmente no grupo de FB, Fique em Casa! Pergunte ao Farmacêutico!