Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

16
Set18

Ruptura de Stock do Medicamento Sinemet : Informações e Alternativas


Atenção:

 

Toda a informação presente neste post não tem como objectivo substituir de forma alguma uma consulta com um médico neurologista.

 

A informação foi retirada de uma circular especial sobre o medicamento Sinemet enviada pelo CEDIME (Centro de Informação do Medicamento).

 

A minha intenção ao fazer esta partilha é tentar colmatar algum desconhecimento que possa existir acerca desta terapêutica e evitar que outras fontes menos fidedignas possam induzir em erros com complicações sérias.

 

Em momento algum a troca do medicamento Sinemet deve ser feita de forma auto-recreativa, será sempre o médico especialista a tomar essa decisão!

 

Peço encarecidamente para que todos aqueles que estejam a fazer terapêutica com este medicamento o favor de consultarem o seu médico especialista antes do término das embalagens de forma a poder-se atempadamente delinear uma estratégia terapêutica alternativa.

 

 

RUPTURA DE STOCK DE MEDICAMENTOS CONTENDO LEVODOPA + CARBIDOPA

 

A doença de Parkinson é a 2ª doença neurodegenerativa mais frequente, afectando cerca de 12,9 doentes por cada mil habitantes em Portugal.

 

É caracterizada por tremores em repouso, rigidez muscular, bradicinesia (lentidão de respostas físicas e psíquicas) e instabilidade postural e/ou de marcha, sendo que o tratamento da doença não consiste numa cura, mas no alívio ou atraso na progressão dos seus sintomas.

 

A terapêutica da doença é muito individualizada, com base na segurança e tolerabilidade do doente.

 

Doentes com doença de Parkinson avançada podem desenvolver flutuações motoras com perda do efeito da medicação antiparkinsónica antes da toma seguinte fazer efeito.

Deste modo, a avaliação médica e adequação da terapêutica é essencial uma vez que, com com a progressão da doença, existe uma necessidade de ajustar a medicação.

 

De uma forma geral os medicamentos comercializados em Portugal para a terapêutica da doença de Parkinson agrupam-se em diferentes grupos, de acordo com a forma de actuação, sendo os fármacos dopaminomiméticos (que mimetizam a dopamina) como a levodopa e os agonistas dopaminérgicos os mais eficazes e, por norma, muito utilizados.

 

A levodopa precisa de ser absorvida no tubo digestivo e transportada até ao cérebro para ser convertida em dopamina.

Para que este processo ocorra, sem que haja degradação da levodopa, é administrada em associação com benserazida ou carbidopa.

 

Os medicamentos contendo carbidopa + levodopa apenas são comercializados, nesta associação, por uma empresa que notificou a existência de ruptura de stock que afecta vários países.

 

Segundo o detentor destes AIMs (autorização de introdução no mercado) prevê-se que esta ruptura de stock se mantenha até ao primeiro trimestre de 2019.

 

De forma a mitigar o impacto da indisponibilidade deste medicamento para o tratamento da doença de parkinson e para que, caso o médico assim o decida, os doentes possam manter a terapêutica com levodopa e evitar escalar para outras alternativas o INFARMED divulgou orientações para os profissionais de saúde (as quais partilho aqui).

 

 

Terapêutica de Doentes com Parkinson - Alternativas ao Sinemet

 

Espero que esta informação seja útil.

 

Se necessitarem de saber detalhes sobre outros medicamentos esgotados podem deixar-me a vossa mensagem neste post.

Caso queiram saber mais sobre as diferenças entre medicamentos genéricos e de marca podem espreitar aqui!

 

8 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D