Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Restaurante O Beco | Alfama

21.11.19, Triptofano!

O Beco em 10 segundos: Descubram um restaurante onde a comida portuguesa é rainha e senhora, deliciem-se com um dos melhores pica-paus da cidade, estejam preparados para um extremamente reconfortante bacalhau com natas e no fim provem a "inofensiva" aguardente de medronho!

Restaurante O Beco | Alfama

Caso apanhem um Uber ou similar para visitarem O Beco, situado em Alfama, não se admirem que o vosso motorista vos deixe a dois minutinhos a pé do espaço, porque o restaurante fica literalmente num beco, e não há carro que lá consiga entrar. Obviamente que podem ter a sorte de encontrar uma UberMoto, mas aí tenham cuidado com uma possível transmissão de piolhagem via capacete!

O Beco enquanto restaurante caminha a passos largos para o centenário, mas foi há pouco mais de um ano que, graças a uma nova gerência, se reinventou em termos de qualidade e arte de bem servir, mantendo no entanto o respeito pelo receituário tradicional português.

Restaurante O Beco | Alfama

A comida neste restaurante é descomplicada, sem artifícios nem passos de magia para enganar os nossos sentidos, numa nudez sensorial que leva tudo a jogo sem máscaras ou ocultações. É uma comida complexamente simples, banal em termos de nome mas nada trivial no que toca ao paladar.

Posso dizer-vos que os pratos do O Beco chegam a ser arrogantemente bons, porque também é assim que são apresentados - sem falsas modéstias nem pedidos de desculpa pela qualidade dos ingredientes, e às vezes esta confiança no produto pode ser confundida com um toque de caganice! (posso escrever caganice num texto sobre comida? bem o blog é meu por isso posso escrever o que eu quiser certo?)

Mas o que é aqui o Triptofano enfiou para o bucho?

Tudo começou com umas azeitonas, um pãozinho regional e uma broa de milho que estavam uma categoria,  mas foi o queijo curado de ovelha de Sousel, bem aveludado, praticamente a derreter-se na boca, que criou pequenas arritmias linguais.

Restaurante O Beco | Alfama

Restaurante O Beco | Alfama

Restaurante O Beco | Alfama

A seguir vieram uns pastéis de bacalhau crocantes por fora e super fofos por dentro, com um recheio de bacalhau bastante adequado, não sendo daqueles pastéis que possuem 99.9% batata e resíduos vestigiais do peixe. 

Estavam bem fritos, não vinham a escorrer gordura, por isso foi uma verdadeira felicidade enfiar os bichos à boca, sem ter medo de ficar com um sabor de óleo agarrado ao céu da boca!

Restaurante O Beco | Alfama

Os peixinhos da horta não desiludiram nem um bocadinho!

Feitos com feijão chicote e com um polme que era uma mistura de farinha de trigo e de milho, estes peixinhos além da saborosos estavam bastante crocantes, em parte devido a uma distribuição homogénea do polme pelo feijão! Ou seja, não era aquele tipo de peixinho que numa zona está completamente despido e noutra tem vinte sete camadas de farinha como se fosse emigrar para a Islândia.

Restaurante O Beco | Alfama

Sabem quando vos servem um pica-pau e a única coisa que salva o prato é o molho porque a carne está mais seca que a sola de um sapato?

No Beco não precisam de ter essa preocupação, porque além do molho ser incrivelmente suculento dando muita vontade de molhar lá o pãozinho (ou ir lá directamente com a língua que isto uma pessoa não precisa de estar sempre a fingir que é fina), o corte de novilho usado é super tenro, com um ponto de carne bem conseguido sem estragar o produto, o que se traduz numa carne húmida e que não se consegue evitar devorar num micro-segundo.

Restaurante O Beco | Alfama

Restaurante O Beco | Alfama

Para finalizar os petiscos vieram umas Gambas à Guilho, cuja designação correcta seria Gambas ao Alhinho já que o nome é oriundo da expresssão Al Ajillo, que só pecaram pelo excesso de pedras de sal que não derreteram levando a que a fosse necessário varrê-las de cima das gambas.

Tudo o resto porém estava fantástico, deste o calibre extraordinário das gambas (falo do tamanho das bichas), passando pela incrível textura, e acabando no sabor, sendo que estavam bem acoentradas e com uma acidez correcta.

Restaurante O Beco | Alfama

Para prato principal veio uma dose de Bacalhau com Natas bastante generosa que é para valentes, especialmente se já tiverem enfardado uma data de entradas.

Este bacalhau é feito com bechamel o que torna muito mais pesado mas proporcionalmente muito mais reconfortante, especialmente se lá fora estiverem a cair alguns gordos pingos de chuva. O queijo gratinado que cobre o prato é simplesmente divinal, assim de fazer escorrer um fiozinho de baba maroto, e o bacalhau em si é saboroso, sendo que é possível enquanto se come encontrar lascas do peixe o que revela a qualidade da matéria-prima utilizada.

Para acompanhar este prato de Bacalhau com Natas veio uma saladinha mista, para ajudar a aligeirar a coisa.

A salada estava boa mas só torci um bocadinho o nariz ao ver a quantidade gigantesca de azeite com que ela vinha, que era mais que suficiente para o meu pedaço de alface fazer mergulho em apneia e apurar-se para os Jogos Olímpicos.

Restaurante O Beco | Alfama

Restaurante O Beco | Alfama

Além do bacalhau veio um prato de iscas, e iscas ou são boas ou não são, e aqui são realmente boas!

Apresentadas da maneira tradicional com cebola e batata à racha (batata cortada ao meio pelo comprimento), estas iscas foram comidas sem dó nem piedade. De valor também era o molho, porque todos nós sabemos que a verdadeira felicidade de um prato é uma molhanga que dê vontade de enfiar lá o dedo (e a mão....e o braço todo...).

Restaurante O Beco | Alfama

Estava cheio, não posso dizer que não estava cheio, mas está cientificamente provado que existe um estômago secundário destinado somente e apenas a acomodar a sobremesa, por isso foi com alegria que ataquei a saborosa mousse de chocolate caseira.

Apesar de não me ter feito delirar nem desmaiar de emoção, esta mousse de chocolate traz um truque na manga, que é o facto de ser servida no prato à colherada, criando logo todo uma outra envolvência e transportando-nos para aquele imaginário da casa da avó que pega no tabuleiro e pimba, arremessa-nos uma colher bem cheia de delícia de chocolate no prato.

Restaurante O Beco | Alfama

Terminei a refeição com um pequeno copo de digestivo, um copinho minúsculo de aguardente de medronho, que era tão microscópico que não percebi como é que já estava a ficar alegre depois de o ter bebido.

Vale muito a pena provar esta aguardente porque é suave quando se ingere mas depois é como se tivéssemos lambido um boião de Vicks, com toda a zona dos seios perinasais a expandir-se, o que é simplesmente óptimo para quem possa sofrer de sinusite!

Restaurante O Beco | Alfama

Se estão à procura de comida tradicional portuguesa feita com mestria e talento, se querem ter uma refeição em que vos sirvam ingredientes de qualidade ou se precisam de um local para enviarem aquele amigo estrangeiro que vos disse que comeu uma maravilhosa e "típica" Paella no centro da cidade, então O Beco é uma óptima opção, em que dificilmente sairão desiludidos!

Restaurante O Beco | Alfama

Restaurante O Beco Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

4 comentários

Comentar post