Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Qual o pH mais indicado para um produto de higiene íntima?

11.04.19, Triptofano!

O pH mais indicado para um produto de higiene íntima deve ser uma das questões que mais dúvidas suscita tanto aos clientes como aos próprios profissionais de farmácia, tudo porque cada laboratório defende com unhas e dentes os seus produtos e dá as explicações que mais lhes interessa.

 

Qual o pH mais indicado para um produto de higiene íntima?

 

Na verdade existe um consenso, que é que produtos com pH inferior a 3 ou superior a 9 não são recomendados, mas a partir daí tudo é possível.

 

Existem os que defendem que em casos de maior susceptibilidade a infecção deve-se usar um pH bastante ácido, aqueles que dizem que o pH vaginal é diferente do pH da zona externa, e como o produto não é para usar por dentro mas por fora o melhor é um pH ligeiramente alcalino que tem a vantagem de prevenir alguma infecção fúngica, e depois há os que não dizem nada e nem sequer referem qual é o pH do seu produto.

 

Pessoalmente eu sigo as indicações da Sociedade Portuguesa de Ginecologia, porque se há alguém que percebe de zonas íntimas são eles.

 

E a Sociedade Portuguesa de Ginecologia diz que preferencialmente devem ser usados produtos apropriados para a higiene ano-genital que sejam hipoalergénicos, com adstringência suave e pH ácido, variando entre 4,2 a 5,6.

 

Por isso este é o pH que devem procurar no vosso produto de higiene íntima, nem mais baixo, nem mais alto.

 

Existem produtos com um pH de 8 que são fantásticos quando existe uma candidíase, ou seja, um infecção fúngica, porque os fungos não gostam de ambientes com pH alto.

 

No entanto estes produtos são para ser usados pontualmente em combinação com outro tipo de terapêutica, seja ela local ou oral, e não para serem feitos de forma diária.

 

Utilizar sempre um produto com pH alcalino pode destruir a camada superficial lipídica da pele, levando a uma secura excessiva, o que se denomina «efeito sabão».

 

Aquelas senhoras que adoram o sabão de glicerina e que o usam desde 1947 fiquem também a saber que não é a melhor escolha!

 

Além do problema da alcalinidade, pelo seu excessivo conteúdo em glicerina estes sabões podem absorver água em excesso para fora da pele, causando potencialmente mais secura e irritação cutâneas. 

 

Outro grande problema dos produtos com pH demasiado alto é que tornam as condições da região hostis à multiplicação dos lactobacilos.

 

E acho que ninguém quer ter uma vagina que seja um deserto destas bactérias boas que contribuem para o normal equilíbrio da flora vaginal.

 

Uma vagina sem lactobacilos é uma vagina muito mais propensa a ter infecções por outro micro-organismos muitas vezes nada simpáticos!

 

Assim resumindo e completando, deve-se escolher um produto de limpeza íntima com pH entre os 4.2 e os 5.6, preferindo-se sempre as formulações líquidas, já que as sólidas além de normalmente serem mais alcalinas são mais abrasivas, por isso esqueçam lá o velhinho sabão azul e branco.

 

A limpeza da zona íntima pode ser feita entre uma a três vezes por dia, dependendo de diversas variáveis, mas não deve ser superior a períodos de tempo de 2 a 3 minutos, para evitar uma secagem excessiva da zona.

 

As limpezas vaginais internas, muito na moda antigamente, estão completamente desaconselhadas, a não ser que sejam prescritas pelo médico.

 

A limpeza deve ser feita sempre de frente para trás, evitando assim que se puxem bactérias do ânus para junto da zona uro-vaginal, uma das principais razões para o aparecimento de infecções urinárias nas mulheres, especialmente em crianças (os homens não tem tanto este problema porque o tracto urinário é mais comprido e as bactérias não tem tanta facilidade em chegar a locais onde possam fazer danos!).

 

Também importante é depois da limpeza fazer uma correcta hidratação, algo que a maior parte das pessoas negligencia.

 

Especialmente após a menopausa, em que a pele se encontra mais seca, devem ser recomendadas fórmulas não oleosas, de base aquosa, e com um pH compatível, as quais devem ser aplicadas apenas nas regiões de pele.

 

Apesar de quando falamos de higiene íntima pensarmos automaticamente em vaginas, a maior parte das coisas que aqui foram faladas também se aplicam a todos os pénis deste mundo! 

 

Vocês tinham a noção do quão importante era usar um pH correcto para a vossa higiene íntima?

 

Costumam usar um produto específico ou o gel de banho dá para tudo? E se usam um produto só para a zona íntima, já tiveram a curiosidade de ver qual é o pH dele?

 

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.