Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

12
Dez17

O filme que me fez chorar em 2017


Para ser franco não é uma tarefa muito complicada fazer-me chorar, na realidade rio-me tão facilmente como fico com a lágrima no canto do olho.
 
Não é rara a vez que, quando estou no comboio, começo a divagar nos meus pensamentos e crio mentalmente as minhas próprias histórias melodramáticas que me fazem ficar com os olhos todos vermelhos e o nariz a pingar. Certamente que é por causa disto que nunca ninguém se senta nos bancos ao pé de mim - antes ainda suspeitava que podia estar relacionado com o meu odor corporal, mas depois de múltiplas perguntas aos colegas de trabalho convenci-me que as minhas glândulas sudoríparas não me andavam a pregar partidas de mau gosto.
 
O filme é de 2014, mas só este ano é que tive a oportunidade de ver a delícia que é A Família Bélier.
 
 

"Todos os elementos da família Bélier sofrem de surdez, excepto Paula, a filha adolescente. Desde pequena que se habituou a ser porta-voz de cada um deles, fazendo a ponte de comunicação com o resto do mundo. A vida deles é simples e feliz. Graças à ajuda de Paula, a sua surdez nunca foi incapacitante. Mas tudo muda quando o professor de música de Paula descobre o seu enorme talento para cantar e a incita a participar num prestigiado concurso em Paris (França). Para uma adolescente comum, tudo seria relativamente simples mas, para Paula, esta decisão implica deixar a família entregue a si mesma. Sentindo-se dividida entre aquilo que considera ser o seu dever e o que deseja para si, Paula tem de tomar a difícil decisão de se manter por perto o resto da vida ou caminhar em direcção aos seus sonhos…" em Cinecartaz.

 
 
É um filme suave, engraçado, com muitos momentos repletos de piada, mas com uma carga emocional poderosíssima, que se revela no seu todo aquando a actuação musical de Paula.
 
E foi neste momento, em que Paula canta Je Vole, que abri as torneiras e comecei a chorar compulsivamente. Eu e o cara-metade, que sentadinho no sofá ao pé de mim também ficou todo fungoso, apesar de dizer que não, que eram as alergias ao pêlo das porquinhas (aldrabão este rapaz!).
 
Se ainda não tiverem visto o filme então recomendo que não vejam o vídeo a seguir, para não corromperem o momento. Mas se forem assim muito curiosos, pronto, deleitem-se com esta pequena maravilha.
 
 

 

14 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D