Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

João XIII

21.11.17, Triptofano!

Olá a todos,

 

O Cara Metade volta, como sabem, de quando em vez e cá está ele de novo! 😊

 

Apesar destas últimas semanas terem sido de nos deitar ao tapete, ao ponto de qualquer plano a dois depois do trabalho resulta numa competição para ver quem adormece primeiro (também vos acontece?), algumas das minhas ocupações são absolutamente recompensadoras.

 

Uma delas, a que vos vou contar hoje, aconteceu com a João XIII – Associação de Apoio e Serviços a Pessoas carenciadas que recentemente mudou a sua atividade de apoio aos sem-abrigo e a outras situações de vulnerabilidade social para um edifício da Junta de Freguesia de São Vicente, lá para os lados do Panteão (está na moda aquela zona!).

 

Esta associação, que conta desde há alguns anos a esta parte com o trabalho de muitos voluntários para assegurar a sua missão, está na linha da frente da ajuda a muitas pessoas (e a crescer) que procuram um banho quente, uma refeição digna e uma conversa.

 

Foi na segunda parte em que me envolvi. Convidado para o projeto, abracei a causa e vamos embora. A preparação consistiu numa sopa, prato principal e sobremesa (e ainda pão quentinho para acompanhar!) e por muitas vezes senti que estar ali era dos poucos lugares onde poderia aceder a uma recompensa imediata.

 

Apesar do meu agnosticismo, os “Deus vos ajude” e os “Que nunca nada vos falte!” que fomos ouvindo serviram de alento para o coração.

 

Cozinhar é, sobretudo, proporcionar alegria sobre a forma de comida. Por isso digo que gostava de ser o Chef da felicidade, dos amigos, da alegria e da partilha. 

 

E para vocês?

 

O que significa a comida? A que causas sociais se unem ou uniram?

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Triptofano!

    28.11.17

    Nunca li a Bíblia por isso não conheço essa passagem, porém tenho que fortemente discordar dela.
    O que bem fazemos faz parte de nós, e tal deve ser apregoado aos sete ventos, de forma a que mais pessoas descubram que existe trabalho para fazer, que existe pessoas a quem ajudar, animais para adoptar e por aí fora. Fazer e manter para si pode ser visto como um acto de humildade, mas no fim acaba por não ajudar a causa a que nos dedicamos. Estamos na era da tecnologia, cada vez é mais fácil partilhar mensagens, por isso porque não a utilizar para difundir coisas que valham a pena e não mensagens de ódio ou de fanatismo?
    Agora não devemos misturar as coisas, uma coisa é difundirmos o nosso trabalho, outra totalmente diferente é querermos passar a imagem de os bonzinhos e salvadores do mundo. Por exemplo, uma coisa é dizermos que contribuímos para o banco contra a fome, outra é dizer que demos duzentos euros em alimentos para a mesma instituição. O que importa é ajudar, não precisar de detalhar à exaustão essa ajuda só para alimentar um sentimento de falsa superioridade!

    E sim, o grande problema de muitas profissões hoje em dia, como os professores, é que não se souberam valorizar e a modéstia valeu-lhes o baixo reconhecimento que tem hoje em dia.
    Porque é que os médicos continuam a ser tão bem vistos?
    Porque é que os professores antes estavam no topo da pirâmide e agora não? Quem não dá a conhecer o que faz é como se nunca o tivesse feito.
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.