Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Introspecção

15.07.20, Triptofano!

Sabem aquelas alturas que quanto mais pensam e tentam chegar a uma conclusão mais baralhados ficam? Pois bem, assim fui eu nas últimas duas semanas.

Não vim cá ao blog e passei muito, bastante, demasiado talvez, tempo a pensar sobre a minha pessoa enquanto individuo singular e enquanto membro da comunidade.

Durante esse intervalo de tempo o blog fez três anos de vida e eu comecei a questionar verdadeiramente se tinha feito algum progresso enquanto ser humano desde o início desta jornada virtual. O que realmente tinha trazido de bom para a comunidade e principalmente de bom para a minha pessoa. Porque para podermos dar temos de estar em paz com aquilo que somos.

Compreendi, ou melhor, aceitei, que existem muitas características da minha personalidade que são incomodativas, que cheiram mal, que estão a meio da caminho de ter bolor e ir para o lixo. E que tenho sistematicamente varrido para debaixo do tapete durante a última década e meia. E que de nada vale colocar relevo nas boas características se não trabalhar arduamente para atenuar as más.

Por isso é que durante a próxima semana, em paralelo com um regresso mais leve e descontraído à escrita, vou mergulhar de cabeça nas características que me apodrecem. Sem ter medo de ser olhado de lado, de ser julgado ou receber comentários depreciativos.

A vida é demasiado curta para estarmos sistematicamente a tentar colocar uma capa à volta das nossas fragilidades e deixar que as mesmas nos corram até à exaustão. Se for para dar o corpo às balas, que seja sem colete!

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Triptofano!

    16.07.20

    Tens toda a razão!  Defendo que a perfeição imposta pela sociedade, seja comportamental ou mesmo em termos de aspecto é uma grande trampa, que só foi criada para nos fazer cada vez ficar mais insatisfeitos e deprimidos, fazendo com que nos esqueça-mos que a coisa que nos torna incríveis é sermos nós e não outra pessoa qualquer.
    Agora a minha introspecção deve-se a tudo aquilo que está enraizado na minha pessoa e que me prende qual âncora, que não me deixa ir mais longe, que me corta as pernas, que me tira o sono, que me faz ir para o fundo em vez de ir para cima.
    Haverá sempre dias bons, dias maus, dias para gritar, dias para sorrir, mas há traços da minha personalidade que sei que terei que cada vez mais lutar contra eles, porque só ofuscam o meu verdadeiro brilho.
    Um beijinho
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.