Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Ingrid Goes West : #Vidas (Im)perfeitas

12.05.20, Triptofano!

Ingrid Goes West, ou #Vidas (Im)perfeitas em português, é um filme estadunidense de 2017 que agora chega à Netflix.

Ingrid Goes West : #Vidas (Im)perfeitas

Existem duas coisas logo de partida que precisam de saber: a primeira é que Ingrid Goes West não é uma comédia, nem negra nem de outra cor qualquer, mas sim um drama; a segunda é que Aubrey Plaza faz um papelaço de se lhe tirar o chapéu.

Ingrid Thorburn, a personagem que Aubrey Plaza dá vida no filme, é uma sociopata com traços psicótico-esquizofrénicos que vive para as redes sociais, o que faz com que desenvolva relações interpessoais tudo menos saudáveis, já que são obsessivas, manipuladas, ilusivas e com uma quantidade assustadora de stalking à mistura.

Na verdade, #Vidas (Im)perfeitas é daqueles filmes que se vê com um misto de vergonha alheia, ranger dos dentes e desconforto no estômago, levando-nos a pensar o quão vulneráveis estamos quando nos tornamos acessíveis através de um Instagram, de um Facebook ou mesmo de um blog.

Para grande parte das pessoas, a personagem de Ingrid é simplesmente uma mescla de loucura com desespero por atenção e uma auto-estima totalmente destruída algures no seu percurso, que nos faz deambular entre sentimentos de incredulidade, medo e pena.

Aqueles que infelizmente em alguma altura da sua vida já sofreram de stalking, irão ver Ingrid Goes West de uma forma ainda mais pesada, porque se em certas alturas o filme parece absurdo, a verdade é que quem persegue e assedia é capaz de fazer tudo e mais um bocado.

Quem persegue e assedia entranha-se, manipula, faz-se de vítima, vira o bico ao prego, mostra uma cara no geral mas possui outra bastante diferente no particular, começa de mansinho à espera de uma abertura para fincar as garras. São pessoas perigosas, para os outros e para elas próprias.

Ingrid Goes West serve para reflectir sobre o quão facilmente podemos vender uma ilusão mesmo quando nunca tivemos a nossa própria realidade, e se o fim a meu ver desaponta, todo o resto do filme merece os minutos que lhe dedicarmos.

Podem encontrar  a banda sonora de Ingrid Goes West no Spotify!

11 comentários

Comentar post