Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

31
Mai18

Há regras que não foram feitas para ser quebradas


Morreu uma girafa no Zoo de Lisboa.

 

Morreu uma girafa por causa da estupidez humana. Por causa da falta de capacidade mental para compreender que as regras existem por alguma razão. Morreu porque alguém achou que tinha o direito de quebrar as regras apenas para seu contentamento pessoal.

 

Mas não é só no Zoo de Lisboa, onde constantemente as pessoas alimentam os animais apesar de todas as proibições, que a chico espertice do ser humano se revela.

 

É na condução, com as passagens de traços contínuos e sinais vermelhos, é nos impostos, quando se declara menos do que na realidade se tem, é na farmácia, ao querer comprar antibióticos sem receita médica e inventando uma história sem pés nem cabeça.

 

Se no caso dos impostos o lesado é o país, na farmácia quem sofre é a saúde pública e na condução está em risco a vida da própria pessoa e dos outros condutores ou peões. 

 

Só que ninguém se lembra das possíveis consequências das suas acções.

 

O que importa é o próprio umbigo e ter aquela sensação que se passou a perna ao sistema. Como se o sistema tivesse sido criado apenas e só para chatear uma pessoa - afinal viver num estado anárquico deveria ser muito melhor para todos.

 

Morreu uma girafa no Zoo de Lisboa porque alguém achou que não fazia mal quebrar as regras.

 

Só que fez muito mal.

 

E agora, dá para voltar atrás?

 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D