Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

30
Out18

Há esperança!


Quem me conhece sabe que eu sou um rapaz cheio de virtudes e talentos, mas infelizmente um dom com o qual eu não nasci foi o do canto.

 

Eu gosto de cantar e reconheço que até tenho aquela star quality, mas pronto, sou tipo a Madonna mas com menos lugares de estacionamento e menos fãs no Instagram, ou seja alguém com carisma e presença de palco mas cujas capacidades vocais causam otites médias a quem estiver a menos de dois metros de mim.

 

Só que o impensável aconteceu neste último domingo, quando regressava da casa da minha mãe.

 

Comecei a cantar um tema que me veio à cabeça e percebi logo que algo de diferente se passava, especialmente porque o Cara-Metade travou a fundo e ficou a olhar para mim.

 

Tive a percepção que a minha voz tinha saído de uma forma diferente, tinha sofrido uma metamorfose na minha garganta e sido expelida com musicalidade, algo que eu nunca pensara ser possível.

 

A mesma cara de espanto apresentava o Cara-Metade, que me afirmou a pés juntos ser a primeira vez em quatro anos que ouvia sair algo de dentro de mim que tivesse o mínimo de afinação, que estivesse dentro do tom, que não fosse parecido com os balidos de um bando de cabras.

 

Senti a esperança inundar o meu corpo.

 

Mais de três décadas a pensar que nunca seria uma estrela da canção e afinal o talento sempre esteve dentro de mim, ali escondido algures entre o baço e o pâncreas, mas o importante é que ele existia.

 

Imaginei-me logo a concorrer ao The Voice, a virar todas as cadeiras dos jurados, a fazer o Mickael Carreira suplicar para ficar na equipa dele enquanto o olhava com desdém.

 

Fantasiei com uma tour internacional, com discos vendidos, quiçá com uma colaboração com essa diva da música portuguesa que responde pelo nome de Maria Leal.

 

Eu e a Maria Leal, a lançar o novo hit de Inverno, com uma mensagem profunda acerca do frio que chegou e como os nossos narizes estão constantemente a sofrer de ataques de rinorreia.

 

Aquele era o meu momento, aquela era a minha hora, o meu destino estava finalmente à minha mercê, tinha descoberto a verdadeira razão da minha existência.

 

Com um sorriso no rosto e na alma voltei a atacar a canção e...................................parecia que tinha engolido um tubo de escape ou coisa do género.

 

Bem dizem que a fama é efémera, mas no meu caso acabou mesmo antes de começar, já que por mais que eu tentasse, colocando a boca de lado, respirando pela barriga, subindo cinco oitavas, não havia forma de voltar a conseguir emitir uma nota afinada.

 

Mas por mais que o meu sonho de ser a nova sensação da música ligeira portuguesa se tenha esfumado no ar, fica a lembrança para todo o sempre daquele momento em que eu cantei como um profissional!

 

Já agora, tem curiosidade em saber qual foi o tema que revelou todo o potencial dentro de mim?

 

Se sim, basta carregarem no link abaixo!

 

Carrega aqui se tiveres mesmo muita curiosidade em saber qual foi a canção que saiu de forma harmoniosa da minha boca, mas atenção, se estiveres no trabalho ou num convívio de família não me responsabilizo por eventuais constrangimentos que possam acontecer!!!

17 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D