Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Fui ao Sprunch do Iberostar Lisboa e podia ter morrido

Uma história real mas ligeiramente dramatizada como é o meu estilo

18.09.19, Triptofano!

Luz (Iberostar Hotel) em 10 segundos: Aproveitem o Sprunch e depois de descansarem no circuito Spa ataquem um dos melhores Brunches da cidade, percam-se de amores com a compota de morango e a tábua de queijos e enchidos, deleitem-se com uns maravilhosos ovos Benedict mas guardem espaço para o irresistível brownie.

Sprunch Iberostar Lisboa

Minha gente, eu estive quase, mas quase a bater as botas, não por uma, mas por duas vezes, e tudo aconteceu quando fui ao Sprunch do Iberostar Lisboa.

Eu sei que é uma revelação dramática, eu compreendo que estejam com lágrimas nos olhos de felicidade por eu ter conseguido escapar porque sem mim a blogosfera não era a mesma coisa, eu entendo que é inadmissível ainda não ter recebido um contacto do Programa da Cristina para ir contar a minha história, mas o importante agora é vocês perceberem o que raio é um Sprunch!

O Sprunch é basicamente um conceito que une a experiência do Spa com a do Brunch, o que se traduz numas belas horas de relaxamento no Iberostar Selection Lisboa, um hotel de cinco estrelas situado na Rua Castilho.

Sprunch Iberostar Lisboa

Antes de contar as minhas experiências de quase morte, deixem-me dizer que o Iberostar é o hotel de sonho de qualquer pessoa. Lindo, perfumado, com funcionários tão simpáticos mas tão simpáticos que uma pessoa fica na dúvida se eles são de carne e osso ou robots programados para sorrir o tempo todo.

Sabem aquele momento em que estão para se ir embora, frescos e airosos,  e a pessoa que vos recebeu no início e perguntou se queriam tomar o brunch no interior ou no exterior, recorda-se do vosso nome?

São esses pequenos detalhes que tornam a experiência única e inigualável, porque o cliente sente-se especial e não apenas mais uma ovelha no meio do rebanho. Agora que os funcionários devem tomar um suplemento para a memória fantástico isso devem, porque se fosse eu cinco segundos depois já não me lembraria do nome de ninguém.

Sprunch Iberostar Lisboa

No Sprunch do Iberostar há a possibilidade de fazerem o circuito de Spa antes ou depois do Brunch, sendo que eu recomendo que o façam antes a não ser que queiram ser culpados pela conspurcação de alguma das zonas, se é que me entendem.

Sprunch Iberostar Lisboa

O circuito de Spa tem a duração aproximada de hora e meia, sendo que podem usufruir da sauna, do banho turco, de dois duches Vichy, sendo que um é bitérmico (com água quente e fria) e outro é sensorial (que é a mesma coisa que dizer que levam com água fria no lombo que até gritam), e de uma piscina interior (com a qual fiquei fascinado por ser uma gigantesca cuba de inox) onde há jactos de água a vir de todas as direcções fazendo com que uma pessoa se sinta com uma batata dentro de um cesto de fritura.

Sprunch Iberostar Lisboa

 

Também existe uma área de repouso, com frutos secos (e uma pinça para os tirarem, que isto é um hotel de classe ok?), águas aromatizadas, fruta e chás, e podem ter acesso à piscina exterior do hotel, sendo que a única  restrição é que não podem usar as espreguiçadeiras.

Esta condicionante deve-se ao facto da piscina não ter dimensões muito grandes e normalmente estar carregada de hóspedes que estão a sensualizar sabe-se lá para quem!

Sprunch Iberostar Lisboa

Sprunch Iberostar Lisboa

A minha primeira experiência de quase morte foi neste circuito, mais particularmente na sauna.

Depois de ter saído do banho turco e ter passado pelo banho vichy sensorial, que me fez gritar como uma adolescente ao ver uma daquelas bandas de rapazes desgrenhados, decidi enfiar-me na sauna.

Na sauna existe uma ampulheta (vira-me ao contrário...os fãs da Ana Malhoa vão perceber a referência) que marca 15 minutos, o tempo máximo que se pode estar a destilar em segurança.

Ora eu sentei-me com a minha toalhinha e comecei a pensar na vida, enquanto eliminava activamente toxinas por tudo quanto era poro. A certa altura eu já só pensava que aqueles eram os 15 minutos mais longos da minha vida, porque todo eu já estava a arder, mas o raio da ampulheta continuava com areia, o que significava que ainda faltava tempo para terminar o meu suplício.

Quando já estava quase a cair para o lado decidi levantar-me e ir ver de perto o medidor de tempo analógico, porque para quem possa não saber a minha pessoa é extremamente míope, por isso só conseguia ver a sombra da areia.

Conclusão: a ampulheta estava entupida e eu já devia estar à meia hora na sauna, sendo que mais um bocadinho e virava uma fatia de bacon desidratado.

Sprunch Iberostar Lisboa

A minha segunda experiência de quase morte foi quando, depois de ter terminado o circuito de Spa, fui tomar o Brunch.

E aqui ia morrendo porque era tanta comida, mas tanta comida em quantidades tão gigantescas que eu senti que podia ter um ataque fulminante e cair redondo no chão a qualquer instante, isto porque obviamente comi tudo qual vaca com quatro estômagos.

O Brunch do Iberostar Lisboa é servido no restaurante Luz, o restaurante do hotel, e começa com uma flute de espumante, relembrando-nos que aqui somos especiais e que a nossa presença é desejada, sendo que ao longo da refeição os empregados, sempre extremamente simpáticos, vão-nos perguntando se nos queremos embebedar um bocadinho mais.

Sprunch Iberostar Lisboa

Além do espumante, para beber existem bebidas quentes, como café ou cappuccino, mas também sumo de laranja, sumos detox e chá gelado, tudo extremamente saboroso e servido sem limitações. No início ainda pensei que só pudesse beber um sumo ou um chá, mas rapidamente fui posto à vontade para beber a quantidade que quisesse sem qualquer custo adicional.

Sprunch Iberostar Lisboa

Sprunch Iberostar Lisboa

Para começar o brunch, que é sem dúvida um dos melhores da cidade, foi servido um cesto de pão variado, um pequeno cesto de pastelaria, tostas e compotas caseiras, e uma tábua de queijos e enchidos polvilhada com frutos secos.

Estava tudo brutalmente excepcional, mas o que eu mais adorei foi a compota caseira de morango (a de maçã e de pêssego também estavam boas mas a de morango era sem dúvida a melhor) em cima da crocante e deliciosa tosta, com as maravilhosas fatias de cecina, uma carne desidratada muito similar ao presunto, mas com a particularidade de ser feita a partir da vaca.

Sprunch do Iberostar Hotel

Sprunch do Iberostar Hotel

Sprunch do Iberostar Hotel

Sprunch do Iberostar Hotel

Sprunch do Iberostar Hotel

Nesta altura já estava a rebolar, mas segui valentemente para uma tosta de abacate com cebola frita caseira (eu se pensava que a cebola frita do IKEA era boa quando provei esta percebi que andei anos da minha vida enganado) e tomate cereja, tudo assente numa belíssima fatia de pão torrado.

Confesso que às vezes me faltam o vocabulário adequado para conseguir exprimir o que sinto por certas maravilhas gastronómicas com que me deparo, e este é um desses casos, porque dizer simplesmente que esta tosta estava boa é um atentado à sua ímpar qualidade, quando na realidade ela estava extremamente fascinantemente maravilhosamente boa!

Sprunch do Iberostar Hotel

Depois da tosta ataquei a salada de agrião com queijo de cabra, pêra rocha, tomate seco e nozes, que me arrancou um par de lágrimas de felicidade. 

Pela descrição não parece nada de extravagante, é apenas mais uma salada com uns toppings todos xpto, mas a verdade é que existe magia na simplicidade quando ela é bem feita. E esta salada estava tão bem feita, numa harmonia tal, que foi-me impossível deixar um resto que fosse no prato.

Sprunch do Iberostar Hotel

Estava eu ainda com os lábios a vibrar devido à acidez da salada e já me ia preparando para ficar com a boca em chamas, mas de uma forma controlada e requintada, não num exagero que impede uma pessoa de degustar mais o que quer que seja.

O prato responsável por incendiar as minhas papilas gustativas foi um tártaro de salmão e manga, com kimuchi (a variação japonesa do coreano kimchi) e ovas de tobico, vulgarmente conhecido como peixe voador.

Mais uma vez, tudo era perfeito nesta combinação. Desde a acidez da manga, à frescura do salmão, passando pelo picante do kimuchi e terminando na deliciosa sensação textural providenciada pelas ovas de tobico, era como se estivéssemos perante uma orquestra sinfónica tocando uma maravilhosa melodia de uma daqueles compositores que já morreram há mais anos do que a Cher é viva.

Sprunch do Iberostar Hotel

E o Brunch podia ter ficado por aqui, mas não ficou, porque havia a opção de escolher uns ovos, entre Benedict, mexidos, estrelados ou omelete.

Tanto eu como o Cara-Metade somos loucos por ovos Benedict, especialmente se o molho holandês for bem feito, mas infelizmente já tivemos a nossa dose de más experiências, por isso ficámos na dúvida se deveríamos ou não pedir este prato.

Como até ali tudo tinha corrido divinamente bem decidimos arriscar a nossa sorte, e foi a melhor decisão que podíamos ter tomado.

Os ovos Benedict do Luz são sem dúvida alguma dos melhores ovos Benedict que eu alguma vez comi. Cozinhados na perfeição, cheios de sabor, com a gema a rebentar e a espalhar-se gulosamente pelo prato, e com um molho holandês que só apetecia espalhar pela cara toda num esgar de contemplação.

A única coisa que falhou, a única que não permitiu dar 10 em 10 a estes ovos, foi o facto de ter faltado num dos meus english muffins o já clássico fiambre. A verdade é que estava tão deleitado que só percebi isso já ia a meio, e quando comuniquei a pequena falha perguntaram-me logo naquele momento se eu queria mais dois para compensar, mas já estava tão cheio, mas tão cheio e satisfeito, que não conseguia sequer enfiar mais uma garfada na boca.

Sprunch do Iberostar Hotel

E foi por não conseguir enfiar sequer mais uma garfada na boca que ia morrendo, porque decidi ir contra o meu corpo e engolir custasse o que custasse o maravilhoso brownie de chocolate com caramelo salgado e gelado de baunilha que repousava numa cama de coco ralado.

É que o brownie podia ser pequeno, podia caber na cova de um dente, mas era verdadeiramente gigantesco, sendo que o seu sabor era directamente proporcional ao seu tamanho. Senti quase o meu diafragma a saltar-me pela boca fora, mas se fosse hoje voltava a colocar na boca aquele pedaço de céu sem pensar duas vezes.

Sprunch do Iberostar Hotel

Se querem relaxar do stress do dia-a-dia e desligar a vossa mente o Sprunch do Iberostar Lisboa é a melhor coisa que podem oferecer a vocês mesmos! Tenham apenas atenção com a ampulheta da sauna e ponham o telemóvel em marcação rápida para o 112 quando forem atacar o brunch! - não quero que deixem de ler os meus posts num futuro próximo! 

 

Luz - Iberostar Hotel Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

3 comentários

Comentar post