Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

27
Dez17

Encontra alguém que não tenha máquina de lavar loiça


Durante anos e anos vivi sem máquina de lavar loiça. Mas durante esse tempo era detentor de algo mais formidável - uma mãe!

 

Quando finalmente foi expulso de casa e passei a viver com o cara-metade, também nós não tinhamos máquina. E eu tive de arregaçar as mangas e atacar com toda a força a gordura incrustrada dos tachos.

 

Rapidamente comprámos uma máquina de lavar loiça. Basicamente o cara-metade fartou-se de ter de voltar a lavar toda a loiça que eu aldrabava lavava!

 

Quem de momento não possui máquina de lavar louça é a Mi, que me entregou um texto esperançoso de um futuro melhor. 

 

~

 

"Eu tenho um sonho, um sonho desde pequenina.

 

Mais do que um desejo é uma carência. Tem-me atormentado ao longo da vida e felizmente houve alguém com sensibilidade para me ouvir e divulgar a minha história, que talvez possa ser também a tua. 

 

Cada vez que finda uma refeição, cada vez que se junta a família, cada vez….

 

Sinto pânico, paraliso, como se o universo não quisesse que eu me movesse. É uma sensação incrivelmente angustiante! (Tens a certeza que queres continuar a ler?)


Depois vem a negação/aceitação, o momento em que percebo que tem mesmo de ser.

Mas, ainda assim, continuo a recusar-me a ceder, a entregar a vitória, a render-me à vontade dos outros.

 

Então procuro fugir ao meu destino, ignorando-o, amaldiçoando-o e, depois de um berro (ou dois ou três ou quatro), rendo-me ao suplício porque as minhas armas são débeis e a superioridade dos grandes oprime os pequenos.


Levanto-me de armadura em punho, preparo o arame farpado e a poção desengordurante e vou-me a eles: aos dentes afiados, aos discos voadores, aos amputados de fábrica, …, a todos os monstros da sujidade que aparecem de todos os lados.

 

Esfrego, raspo, expurgo, uns resistem outros despedaçam-se. Quando acabo não sinto as minhas mãos, os meus braços, inteiramente todo o meu ser, caio esfalfada no sofá. (É normal que te comovas. Obrigada por começares a compreender a minha dor.)


Não acaba por aqui! O problema é muito mais sério, envolve muitos outros fatores.

 

Não tenho tido tempo para as atividades mais básicas de um jovem como para ver a novela, ir ao Facebook, pois não sei se a Maria e o Manel já foram pais ou se a Lurdes já publicou as fotos da sua viagem a Londres e pior (!) se o Joaquinzinho curtiu a minha foto.

 

Como se isto já não bastasse, só há pouco tempo consegui acabar de ler um livro que ando a ler, afincadamente, há vários meses e é melhor ficar por aqui… (Nem pintar as unhas consigo e quando acontece não dura mais de dois minutos.)


O que mais me custa é saber que existe solução para o meu problema e não poder recorrer a ela. (Eu sei, é chocante!) Isto tudo por culpa de quem, de quem? Quem? Mas quem será?!

 

Dos governantes, claro, de quem mais poderia ser!

 

Se eles reduzissem a minha conta da água e da luz ajudavam-me a concretizar este meu sonho, e que Grande sonho. Esta IVA que só sabe chatear e aumentar, francamente! (Por acaso não tens o número dela?)


- JÁ VOU! Já vou, Pai, lavar a loiça.


Se aos menos tivesse máquina de lavar a loiça…


(Adeus e até um dia.)"

 

 

 

Muito obrigado Mi por teres participado neste desafio com um desafabo tão profundo. Não se esqueçam de visitar o surpreendente blog da Mi (que escreve em conjunto com a Jé) aqui, e se tiverem curiosidade em lerem as restantes histórias é só ir aqui!

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D