Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Desafio de escrita dos pássaros # 6 - O amor, uma cabana...e um frigorífico

18.10.19, Triptofano!

Hrrrf....Hrrrf....Hrrrf....Hrrrf....Hrrrf

Brrrrrrrrrrrmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm

Hrrrf....Hrrrf....Hrrrf....Hrrrf....Hrrrf

Brrrrrrrrrrrmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm

PPPHHHEEEEEEEEEERRRRRRRRRRRRRRRRRRTT

 

O ecrã do Nokia 3310 cinzento sujo iluminou-se num triste aviso de que não restava mais do que 10% de bateria. Jocilene alcançou o telemóvel, e num instante mandou uma mensagem a Ícaro.

Amo-te. Estou no lugar seguro. Aguardo que voltes. És as minhas asas que me levarão ao sol.

O ano era o de 3127.

Jocilene encontrava-se sozinha numa pequena cabana, entaipada de qualquer raio de luz ou de olhares curiosos, onde os únicos sons eram os da sua respiração rítmica e o zunido constante do mini-frigorífico abastecido até à exaustão de garrafas de Gatorade laranja escarlate e barrinhas energéticas da Prozis com sabor a chocolate-hortelã e pedaços de amêndoa caramelizada.

Os únicos até o telemóvel ter vibrado relembrando-lhe que em breve ficaria isolada do que restava do mundo.

Volta depressa. Preciso de ti. És a espada com a qual eu luto pela liberdade que ambos desejamos.

Depois de séculos de péssimos governantes, cada um mais demente que o outro, o planeta Terra tinha chegado a um ponto de não retorno, com os recursos naturais a tornarem-se inexistentes.

Numa decisão pateticamente desesperada, os líderes mundiais aceitaram um contacto de uma raça de alienígenas, os Ondasentrons, que pretendiam salvar o planeta da destruição iminente.

Mas na verdade eles apenas estavam interessados no Neotigason, um minério totalmente desprezado pelos terráqueos, mas que os alienígenas necessitavam para estabilizar as baterias de lítio das suas naves que lhes permitam fazer saltos nos buracos do espaço-tempo.

Eu sem ti, quem era eu sem ti, um Inverno sem sinais de Primavera - PRECISO-TE!

Em vez de salvar a Terra como prometido, os Ondansentrons destruíram ainda mais o planeta com uma mineração exaustiva, tendo no processo escravizado brutalmente tudo e todos, independentemente do grau de riqueza ou do número de followers no Instagram.

Jocilene fazia parte de um pequeno grupo de resistentes, que movendo-se nas sombras tentava fazer frente aos alienígenas. Foi no grupo que conheceu Ícaro, e bastou um segundo arrebatador para se apaixonar tresloucadamente.

Onde estás? Quero-te! Onde estás? QUERO-TE! ONDE ESTÁS? QUERO-TE!

Ícaro tinha ido numa missão com outros rebeldes para tentar ganhar controlo duma secção estratégica do planeta, e desde então não tinha dado mais nenhum sinal de vida, deixando Jocilene num limbo entre o desespero da saudade e a loucura da dúvida.

POR FAVOR DIZ-ME ALG....

O telemóvel morreu.

Usava aquele modelo antigo porque a tecnologia primitiva não era captada pelos alienígenas, mas agora tinha ficado isolada do mundo, na total escuridão da cabana apenas interrompida pela suave luz azul-metalizada que provinha do frigorífico.

tmp tmp tmp

Ouviu passos lá fora! Teria sido descoberta?

A glande do seu clitóris emergiu do prepúcio, tornando-se mais acessível ao toque, mas Jocilene não estava sexualmente excitada. Sempre que havia perigo o seu clitóris dava sinal daquela forma, era uma espécie de super-poder mutante que lhe tinha permitido sobreviver até ao momento.

Tacteou na penumbra o taco de golfe, a única arma que tinha conseguido trazer para o refúgio que pensava, ingenuamente, ser totalmente seguro!

A porta escancarou-se num pontapé e a luz banhou o interior da cabana!

PORRA JOCILENE!!! Outra vez este circo???? Quando é que vais começar a tomar a tua medicação como deve ser?

Foram as últimas palavras que saíram da boca escancarada do gerente da Decathlon enquanto o seu corpo pesado caía inerte no chão, vítima da tacada que Jocilene lhe desferiu na ânsia cega de lutar pela liberdade dos terráqueos.

50 comentários

Comentar post

Pág. 1/2