Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Conservação do Leite Materno

14.02.19, Triptofano!

Se há tema que eu ainda não domino na perfeição enquanto farmacêutico é o dos cuidados do bebé e da mamã.

 

Primeiro porque sou homem, e normalmente os homens ficam sempre mais atrapalhados quando é para falar de fraldas e bombas tira-leite e cintas de gravidez e coisas que tais.

 

Segundo por ainda não ser pai.

 

É verdade que sou um pai para as minhas porcas-da-índia e para o Macaco José, mas pronto, digamos que não é exactamente a mesma coisa.

 

Por isso é que quando na farmácia recebi um guia prático de intervenção farmacêutica sobre cuidados bebé e mamã enviado pela ANF (Associação Nacional de Farmácias) tendo a coordenação e conteúdos técnico-científicos ficado a cargo do CEDIME (Centro de Documentação e Informação de Medicamentos) e do DSF (Departamento de Serviços Farmacêuticos) todo eu rejubilei de alegria.

 

Finalmente tinha uma fonte credível de informação que poderia usar para aconselhar melhor os meus utentes.

 

E a primeira coisa que eu fui estudar foi as formas de conservar o leite materno, porque incrivelmente há muitas mães que por problemas de saúde (a toma de uma antibiótico, de uma pílula do dia seguinte, etc...) tem de suspender o aleitamento, e quando fazem a transição para o leite de fórmula torna-se mais complicado o bebé voltar a pegar na mama.

 

Por isso é que eu aconselho sempre às mães a ter algum stock de leite materno conservado para uma emergência, só que já reparei também que existe um desconhecimento enorme sobre as formas seguras de conservação.

 

Por isso vou pegar na informação sobre a ANF e disponibilizá-la aqui, e ao longo deste mês irei partilhar convosco mais alguns tópicos que ache que sejam relevantes!

Tudo em nome de uma boa educação para a saúde! 

 

Conservação segura do leite materno em casa

 

Conservação segura do leite materno em casa

 

A conservação do leite materno no frigorífico ou no congelador deve ser sempre feito em recipientes próprios.

 

Os sacos de conservação, onde deve-se apontar a data e a hora da extracção do leite, podem ser usados para curtos períodos de tempo (até 72 horas no frigorífico).

 

Para períodos de tempo mais alargados devem-se utilizar recipientes de plástico rígido ou vidro que contenham tampa.

 

No caso de haver necessidade de transportar o leite deve ser utilizado um seco térmico e o gelo deve ser renovado a cada 24 horas, protegendo-se sempre o leite do contacto directo com o gelo.

 

O Leite Recém-Extraído (Fresco) aguenta à temperatura ambiente ( se inferior a 25º C) um tempo máximo de entre 6 a 8 horas.

 

O Leite Refrigerado aguenta no máximo 8 dias se colocado no fundo da última prateleira, junto à gaveta dos legumes do frigorífico, onde a temperatura está entre os 0 e os 4ºC.

 

Se for colocado no fundo da primeira prateleira do frigorífico, onde a temperatura está entre os 4 e os 10ºC, o leite aguenta entre 3 a 5 dias, sendo que se a temperatura for superior a 5ºC após o terceiro dia o leite deve ser consumido nas 6 horas seguintes.

 

O tempo máximo de conservação do Leite Congelado varia consoante o congelador.

 

Se for um congelador que estiver dentro do frigorífico o tempo máximo são duas semanas.

 

Se tiverem um frigorífico combinado, independentemente das características do mesmo, no congelador o leite vai aguentar entre 3 a 6 meses.

 

Se optarem por colocar numa arca congeladora, onde a temperatura encontra-se  a -19ºC ou ainda mais baixa, o leite aguente mais de 6 meses, não havendo um limite de validade estipulado para o seu consumo seguro. (mas também não convém ficar lá a ocupar espaço durante 5 anos...)

 

No que toca à Descongelação do Leite, se for feita fora do frigorífico o leite deve ser consumido de imediato, se for dentro a conservação do mesmo é garantida num intervalo entre 12 a 24 horas.

 

5 comentários

Comentar post