Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

01
Out18

Como manter a cor do cabelo!


Quando eu era novo, assim com uns treze ou catorze anos, fiquei fixado na ideia de que gostava de pintar o cabelo.

 

Mas não era de rosa, nem azul, nem com um padrão leopardo. O que eu queria era assim um preto com reflexos azuis, algo mais a tender para o Médio Oriente.

 

A minha mãe disse-me que sim tudo bem, que até me ajudava se quisesse, e foi remédio santo.

Como era um capricho de adolescente e como não fui contrariado, rapidamente o esqueci e o meu cabelo permaneceu na cor normal.

 

Quase uma década depois, já com mais que idade para ter juízo, a ideia voltou a instalar-se no meu cerebelo.

 

Para mais, tinha fácil acesso a boas tintas para o cabelo que vendia na farmácia, por isso entre o pensar e o fazer foi uma distância muito curta.

 

Já não era fascinado pelo preto azulado, por isso a cor que escolhi foi um castanho com reflexos acobreados, algo diferente mas não demasiado escandaloso.

 

A pessoa que me ajudou a fazer a coloração foi a minha mãe, a minha querida mãe, que tantos anos depois ainda pondero se devo ou não processar por negligência educacional.

 

É que uma pessoa espera que a mãe seja a voz da razão, seja aquela pessoa que nos afinfe duas bolachadas quando trazemos uma ideia idiota para casa, não aquela que nos encoraja e ainda nos ajuda a fazer um extreme make-over.

 

A única explicação que eu consigo arranjar para o facto da minha progenitora, pessoa sempre pautada pela ponderação, ter embarcado em tamanha aventura, prende-se a um uso excessivo de aguardente.

 

Na altura, a minha pobre mãe sofria de inflamação das gengivas, e a forma que ela tinha de aliviar o incómodo era com bochechos de aguardente.

 

Provavelmente houve algumas vezes em que ela se esqueceu de cuspir o que levou à ingestão de uma elevada quantidade de álcool que lhe toldou o raciocínio e o bom-senso.

 

Quando vi o resultado final da coloração não fiquei muito impressionado, a diferença era mínima.

 

Só um par de semanas depois, ao voltar de umas férias maioritariamente ao ar livre, é que descobri que a parte de cima da minha cabeça estava a pender para o laranja, já que o sol tinha feito desbotar a cor. O sol e as lavagens frequentes do couro cabeludo.

 

Agora imaginemos que eu queria te mantido a minha cor mas continuar a lavar o cabelo todos os dias! Que produto poderia ter usado?

 

O Pré-Champô Phytomillesime Color Locker da Phyto teria sido a minha salvação.

Phytomillesime Color Locker

 

Este Pré-Champô é ideal para cabelos pintados e com madeixas, de forma a evitar que os loiros fiquem amarelados, os ruivos alaranjados (mais ou menos como no meu caso) e os pretos e castanhos com tons avermelhados.

 

Basicamente o que ele faz é fechar a cutícula da fibra capilar, restaurando o escudo protector da mesma, prevenindo que a cor seja eliminada pela lavagem, deixando-a sossegadita no córtex do cabelo.

 

Como uma textura gel em óleo (não sei que mais texturas esta gente vai inventar no futuro) ultra-leve, o Color Locker aplica-se em cabelo seco, da raiz até às pontas, uma secção de cabelo de cada vez.

Espera-se um a dois minutinhos e depois, sem enxaguar, utiliza-se o champô da vossa preferência, mas idealmente que também seja para cabelo pintado.

 

O Color Locker pode ser usado até 3 vezes por semana.

Para quem precise de lavar o cabelo todos os dias a minha sugestão é dar-lhe forte no champô seco com cor da Klorane, produto que falarei brevemente noutro post.

 

Na composição desta pequena maravilha podemos encontrar a manteiga de argão, que nutre e dá força e suporte aos cabelos; o extracto de hibisco (que é fenomenal para baixar a tensão), que hidrata e dá suavidade; o extracto de maçã Red Love®, que preserva a cor e protege a fibra capilar; as flores de macieira e extractos de frutos, que gentilmente fecham a cutícula do cabelo e dão um boost de brilho.

 

Se ainda não estão rendidos fiquem a saber que o Color Locker é Free de tudo, Free de Parabenos, Sulfatos, Silicones, Glúten (não vá alguém engolir um bocadinho do produto sem querer), Óleos Minerais, talco, etc, etc, etc, e mais importante que tudo, Crueldade! 

 

Phytomillesime Color Locker

 

A imagem acima mostra uma experiência que fizeram para demonstrar a capacidade do Color Locker em reter a cor.

 

As garrafas contém a água resultante da lavagem de um cabelo pintado (como é que eles conseguiram que a água não fosse pelo cano abaixo esta sim é a pergunta fulcral!!!), sendo que na imagem de cima usou-se o Color Locker e um champô da mesma gama, enquanto que na imagem de baixo utilizou-se um outro champô para cabelos pintados.

 

Os resultados são visíveis.

 

Enquanto que com o Color Locker a água da lavagem apresenta muito pouca coloração, resultante dos pigmentos da tinta do cabelo, com o champô da outra marca parece que se a pessoa estava a tentar camuflar alguns brancos eles ficaram todos à mostra logo na primeira lavagem!

 

Alguém já experimentou este produto e queira dizer de sua justiça? 

 

 

7 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D