Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

04
Dez18

Brunch do Restaurante A Fazenda


A minha refeição preferida é sem dúvida o brunch, aquele cruzamento de pequeno-almoço com almoço, onde tanto comemos coisas saudáveis cheias de anti-oxidantes tão características da primeira refeição do dia como lambuzamos quantidades industriais de gorduras saborosas que nos fazem ficar com uma sonolência boa tão própria da hora do almoço.

 

Lembram-se do restaurante onde quase tive um orgasmo depois de comer um chévre panado?

 

Pois bem, voltei lá para experimentar o brunch porque, pasmem a vossa alma, é um brunch com a possibilidade de refill!

 

E nem sequer precisam de se levantar da vossa cadeira para ir buscar mais comida - basta pedirem a um dos simpáticos colaboradores que num instante aparece na vossa mesa uma nova quantidade do item que tanto gostaram e querem voltar a comer.

 

O único problema do brunch com refill é o mesmo que acontece nos restaurantes de fast-food com reenchimento de bebida grátis.

 

Nós se calhar nem estávamos assim com tanta sede mas se podemos voltar a atestar o nosso copo de graça então obviamente que no fim da refeição vamos acabar por ter bebido dois litros e meio de refrigerante.

 

Por isso preparem os vossos estômagos para conseguirem acomodar todas as delícias que vos vão chegar à mesa.

 

O brunch do A Fazenda é muitíssimo bem composto, eu honestamente fiquei uns bons cinco minutos a olhar para tudo sem saber o que deveria começar a atacar, até que percebo que o Cara-Metade já vai na terceira ou quarta iguaria.

 

Brunch Restaurante A Fazenda

Pouco tempo depois de ter tirado esta foto chegaram os ovos mexidos mas o Cara-Metade lançou-me um olhar de fome que me impediu de voltar a fazer nova sessão fotográfica!

 

E aqui confesso-vos uma coisa, eu sou aquela pessoa ligeiramente ansiosa com pouca capacidade de decisão mas que quando vai comer fora com alguém gosta de provar as coisas em simultâneo, para poder trocar umas palavras sobre os sabores, as texturas...

 

Mas o Cara-Metade não, é vê-lo colocar a terceira e comer tudo num ápice.

 

É que se ainda fosse de forma silenciosa, mas ele não se coíbe de fazer apontamentos sobre quão boas estão as salsichas ou fazer um gemido de prazer devido à frescura dos ovos.

 

E eu que ainda nem sequer peguei nos talheres fico extremamente ansioso porque também quero saber o quão boas estão as salsichas e soltar gemidos devido aos ovos o que leva a que enfie tudo na boca ao mesmo tempo e fique assim meio que embuchado e quase que a necessitar que alguém me venha fazer a manobra de Heimlich.

 

Mas falemos menos de mim e mais da comida.

 

Sumo de laranja natural, feito com laranjas verdadeiras e não um concentrado qualquer vindo de uma garrafa industrial. Um cappuccino delicioso. Croissants e pão fresquinho. Fruta laminada por alguém com 1000x mais perícia que a minha pessoa, que se fosse eu a tentar deixar a fruta toda bem cortadinha chegava à mesa assim numa polpa. Ovos mexidos fantásticos. Um trio de manteigas de suspirar por mais. Salsichas e tiras de bacon tão boas que eram impossíveis de parar de comer, fazendo o colesterol entupir assim meia dúzia de veias. Uma salada rica e muito bem condimentada. E o iogurte, minha gente, o iogurte ao qual devem adicionar o doce e o muesli é qualquer coisa de vos fazer lamber a tigela sem quererem saber se está alguém a olhar para vocês!

 

Brunch Restaurante A Fazenda

Brunch Restaurante A Fazenda

Brunch Restaurante A Fazenda

Brunch Restaurante A Fazenda

Brunch Restaurante A Fazenda

Brunch Restaurante A Fazenda

 

Acabei o brunch completamente cheio, a rebolar, sem espaço para mais nada....até que me lembrei que o Cara-Metade não tinha provado o chévre panado.

 

Por isso pedi, fora do brunch, que me trouxessem aquela delícia do céu, aquele manjar dos deuses, aquele pedaço de salvação para as nossas papilas gustativas.

 

E estava tão bom, mas tão bom, que mais uma vez tive de segurar a minha vontade de o esfregar todo na minha cara.

 

Brunch Restaurante A Fazenda

 

Findado o chévre ainda veio uma bela taça de banoffee, que para a sobremesa uma pessoa arranja sempre espaço, mas com um toque de irreverência; uns belíssimos frutos vermelhos no topo que criavam uma acidez que se conjugava interessantemente com a doçura e cremosidade da banana.

 

Brunch Restaurante A Fazenda

 

 

Já experimentaram o brunch do A Fazenda?

 

Se ainda não do que é que estão à espera?

 

Vistam o vosso fato de treino, comecem a fazer alongamentos ao estômago e preparem-se para devorar quantidades industriais de fantástica comida!

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D