Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Blogar e o Estado de Espírito

26.10.18, Triptofano!

Tenho uma profunda admiração por quem consegue manter um blog sempre no mesmo registo independentemente do que se passa na sua vida pessoal.

 

Acaba por ser um pouco como quando vamos trabalhar e escudamos os nossos sentimentos por detrás de uma cara profissional; há quem nos blogs consiga separar a vida virtual da vida real do dia-a-dia.

 

Eu infelizmente não tenho essa capacidade, por mais que tente analisar racionalmente as minhas emoções não consigo evitar que elas se expressem através da minha escrita.

 

Se estiver alegre o meu texto vai ser mais brilhante e optimista, se estiver triste as palavras vão ser mais pesadas e melancólicas, se estiver zangado é possível ver pequenas faíscas entre parágrafos.

 

E isto não teria problema nenhum se apenas escrevesse sobre o meu estado de espírito, desabafos, partilhas intimas.

 

Mas vejo todos estes meus sentimentos a entranharem-se nos meus textos independentemente daquilo que esteja a escrever.

 

Uma review a um restaurante, a um novo creme, a um local onde fui de férias, qualquer que seja o assunto sobre o qual vá blogar não consigo que a minha escrita não seja influenciada pelo que estou a sentir no momento.

 

Não significa que por estar zangado um bom restaurante passe a ser mau, simplesmente a forma como expresso as minhas ideias é mais bruta, áspera, sibilante.

 

E vocês, quando blogam conseguem separar-se em duas personas?

 

Aquela que sente e vive no dia-a-dia e aquela mais automatizada que se expressa através do tamborilar ritmado nas teclas do computador?

 

Quais são os truques que usam para que os vossos sentimentos não interfiram em posts que se querem mais neutros e objectivos?

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Triptofano!

    26.10.18

    Mas não achas que quem te segue também tem direito em ler as tuas cagadas em três actos? De perceber que todos temos dias bons, maus, maravilhosos, de merda? Não escrever não acaba por ser não existir? Beijinhos
  • Imagem de perfil

    Quarentona

    26.10.18

    Claro que sim! E acredita que quando me sinto entusiasmada com algo, escrevo e nota-se, quando me sinto enraivecida também, o meu blog é pessoal e é natural que lá esteja espelhado o meu estado de espírito, julgo até que sou bastante genuína e espontânea, a questão é quando não me sinto nem feliz, nem triste, nem raivosa, quando me sinto apática a vontade de escrever fica igual. É nessas alturas que questiono o final da minha caminhada virtual, o que vale é que depois passa :D
  • Comentar:

    CorretorMais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.