Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

29
Dez18

Bandersnatch: O filme interactivo de Black Mirror


Lembram-se daqueles livros muito antigos da Verbo onde nós éramos o herói e tínhamos que escolher qual o caminho a tomar na aventura?

 

Se queríamos lutar com o monstro íamos para a página 88, se preferíssemos usar da diplomacia saltávamos para a 240.

 

Agora peguem nesse conceito e transportem-no das páginas de um livro para um ecrã de uma televisão ou de um smartphone: o resultado é Bandersnatch.

 

Em Bandersnatch, o filme interactivo da série Black Mirror, temos 10 segundos para tomar decisões pelo protagonista, e consoante as nossas escolhas a história irá desenrolar-se de uma ou outra forma.

 

Pessoalmente fiquei rendido ao conceito.

 

O facto de podermos sentir que fazemos parte da história envolver-nos de uma forma sem precedentes.

 

Nos dias de hoje onde a maior parte das pessoas já não se concentra apenas numa tarefa - quantos de nós não temos um olho num filme e outro nas notificações do telemóvel? - Bandersnatch suga-nos todos os centímetros cúbicos de atenção.

 

A história é sobre um jovem programador que transforma um livro de escolhas, como os da Verbo, num jogo de computador.

 

Ou seja, estamos a escolher o destino de alguém que está a criar uma realidade alternativa de escolhas.

 

O tema da história não é inocente. 

 

A certa altura questionamos-nos se tal como nós controlamos uma personagem ficcional se não seremos também nós personagens ficcionais de um filme interactivo de outros seres.

 

E se realmente vivemos ou não em múltiplas realidades paralelas onde as nossas escolhas são diametralmente opostas mas em que certa altura todas se cruzam e se reiniciam num círculo infinito em que estamos irremediavelmente presos.

 

Bandersnatch é sobre doença mental, teorias da conspiração, livre arbítrio ou a ilusão dele, mas sobretudo sobre as consequências geradas pelas nossas decisões, e como um simples Sim ou um Não pode criar um impacto gigantesco no nosso futuro.

 

Só que ao contrário da vida real em Bandersnatch podemos voltar atrás, explorar possibilidades, descobrir fins alternativos, perceber o que aconteceria se tivéssemos reagido de forma diferente.

 

Ou talvez também o possamos fazer nesta nossa realidade.

 

Só temos que atravessar o espelho, mas com cuidado, porque nem sempre estamos preparados para ver o nosso reflexo.

 

Bandersnatch - Black Mirror

9 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D