Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Avocado House Lisbon: Um restaurante onde tudo leva abacate

28.08.19, Triptofano!

Avocado House Lisbon: Descubra um restaurante onde o abacate é rei e senhor, desde a decoração até à sua presença nos pratos, não deixe de provar os ovos Boat to Norway, delicie-se com a panqueca com manteiga de amendoim e ganache, mas faça figas para ter sorte com quem o atende!

Avocado House Lisbon

Há coisas que por mais que eu tente que não consigo compreender na minha pessoa.

Durante o último ano revirei pronunciadamente os olhos sempre que via no menu de um restaurante algo com abacate, em especial as tostas super mega hiper saudáveis que prometiam que a nossa vida nunca mais ia ser a mesma.

Eu até gosto do fruto, mas quando toda a gente começa a fazer a mesma coisa usando os mesmos ingredientes não consigo evitar ficar com um bocadinho de azia.

Agora expliquem-me qual foi o curto circuito cerebral que eu tive, para neste último fim-de-semana ter decidido ir almoçar ao Avocado House Lisbon, um restaurante na zona da Madragoa, onde tudo (ou sendo preciso 95% das coisas) leva abacate!!! 

É impossível não reconhecer o local onde está o Avocado House, já que há um abacate gigante na parte de fora a sinalizar onde podemos ir consumir quantidades industriais do fruto.

Avocado House Lisbon

Quando se entra é inevitável ficar imediatamente com um sorriso na cara.

O ambiente é giríssimo, com uma decoração muito engraçada e uma energia fantástica, que nos deixa automaticamente confortáveis e com o pensamento de que se calhar fomos injustos para o pobre do abacate durante estes anos todos.

Avocado House Lisbon

Além do espaço interior existe uma pequena esplanada dominada por um mural de um abacate e onde em cada mesa está a semente de um abacate a ganhar raízes.

Avocado House Lisbon

É verdade que pode parecer ligeiramente esquizofrénica esta obsessão abacateira, onde desde o menu até ao cartão de visita tudo são representações do fruto comestível, mas no fim é isso que acaba por dar identidade ao espaço e a fazer com que certamente não o esqueçamos tão cedo.

Isso e os detalhes deliciosamente humorísticos, como os sinais da casa-da-banho com abacates ou uma porta destinada apenas ao staff ou à Angelina Jolie, essa deusa que tudo pode! (devia ser a Ana Malhoa mas pronto...)

Avocado House Lisbon

Avocado House Lisbon

A minha visita ao Avocado House podia ter sido maravilhosa, fantástica, incrível, e tudo e tudo e tudo, não tivesse sido o atendimento que deixou-me com uma sensação azeda na cavidade bucal.

Quando cheguei, eu e o Cara-Metade, fomos atendidos por uma senhora extremamente simpática e afável, um verdadeiro raio de sol daqueles quentinhos que nos coloca um sorriso na cara.

O problema foi que a partir do momento em que nos sentámos quem começou a atender-nos foi um jovem que não é que fosse antipático, mas basicamente visivelmente achava-se demasiado cool para trabalhar ali!

Senti-me não como um cliente, mas como quase um caso de caridade que sua excelência deu-se ao trabalho de atender.

Atenção que eu não sou apologista de que os empregados de um restaurante tenham de ser bajuladores ou de fazer massagens aos pés, mas espera-se algum nível mínimo de cordialidade e simpatia, porque um mau serviço destrói a melhor das refeições.

Avocado House Lisbon

É verdade que o problema até podia ser meu, que não tinha empatizado com o moço, mas observando curiosamente a interacção dele com os outros clientes percebi que não era o caso.

Houve uma pessoa que pediu para lhe trocarem o prato porque não tinha pedido aquilo, ao que o rapaz secamente responde que não tinha sido isso que tinha percebido (fofinho..).

Quando veio a minha conta para a mesa, percebi que havia um erro. Pedi-lhe o favor de rectificar ao qual ele me responde um: tá bem, vou ver isso!

Nem desculpe, nem meio desculpe. Naquele momento senti-me verdadeiramente um campónio a pedir a sua Majestade o favor de não mandar-me para a guilhotina por ter gamado meia dúzia de cenouras.

Avocado House Lisbon

Uma coisa que me deixou curioso quando estava a almoçar no Avocado House foram uns livrinhos que estavam em algumas mesas.

Na minha inocência pensei que fossem livros de colorir ou assim, mas só quando cheguei a casa e investiguei no Instagram é que descobri que o livro é uma excelente, louvável, de aplaudir de pé, iniciativa de inclusão para pessoas com deficiência.

Aparentemente, alguns dos empregados são surdos (ou com dificuldades auditivas) e o livro com imagens serve para uma comunicação mais eficiente entre o cliente e o empregado.

Avocado House Lisbon - Imagem Retirada do Instagram

Obviamente que quando descobri esta particularidade do Avocado House senti-me mal, porque talvez o empregado pouco empático fosse surdo, e coitadinho afinal tinha que ter pena dele em vez de estar a reclamar.

Mal acabei de pensar nisto senti-me ainda pior, porque o que eu estava a fazer era uma discriminação positiva! Por achar que alguém tinha uma deficiência auditiva (porque nem sei se realmente tinha ou não) estava já a desculpar algo que não está relacionado com a deficiência.

Vamos clarificar as coisas, ser deficiente é complicado nesta sociedade em que vivemos. Nem todas as empresas se preocupam em criar métodos inclusivos para inserir estas pessoas no mercado de trabalho. Mas uma pessoa por ser deficiente não se torna uma coitadinha. Nem se deve desculpar tudo e mais alguma coisa.

Se o moço não compreendesse o meu pedido, obviamente que eu não poderia ficar chateado com isso e arranjaria uma forma alternativa de comunicar. Agora não posso nem devo desculpar alguém que precisa urgentemente de um extreme make-over em termos de atitude.

Avocado House Lisbon - Imagem Retirada do Instagram

Pronto, depois de já ter libertado tudo o que tinha aqui dentro do peito relativamente ao atendimento no Avocado House, deixem-me falar sobre a comida.

Eu e o Cara-Metade decidimos dividir uns ovos, um hambúrguer e uma panqueca.

Os ovos escalfados, apelidados de Boat to Norway, vinham acompanhados com salmão fumado, queijo artesanal, uma salada de gaspacho e obviamente de abacate.

Se quiserem uma recomendação do que pedir numa visita ao Avocado House é sem dúvida alguma este Boat to Norway. A combinação do incrivelmente fantástico salmão fumado com o abacate é de morrer, ir ao céu, ressuscitar e voltar a morrer.

Não me importava nem um bocadinho de comer este prato todos os dias da semana, que com os seus apontamentos de queijo artesanal e regado no momento com sumo de limão é verdadeiramente uma dádiva celestial.

O único apontamento menos positivo que tenho a fazer é que no menu este barco nórdico era supostamente acompanhado por um mix de rebentos, mas quando chegou à mesa nem vê-los...(talvez tivessem sido comidos durante a viagem por algum mamífero de águas geladas...)

Avocado House Lisbon

Relativamente ao hambúrguer, escolhemos o Mei Wei (que significa delicioso em mandarim), composto por um hambúrguer de vaca de 150 g, maionese de picante, pickles de cebola roxa e couve pak-choi, acompanhado por uns fantásticos chips de batata doce e uma salada de gaspacho temperada com um soberbo molho de mostarda Dijon, criação pessoal do Chef!

Existe a possibilidade do hambúrguer ser servido num pão de espinafres e caril ou no abacate (vindo ele carregadinho de sementes de sésamo), sendo que já que era para a desgraça pedimos para vir no abacate.

Visualmente é bonito, mas fica já o aviso que comer um hambúrguer no abacate é virtualmente impossível, por isso vão ter de usar os talheres.

O hambúrguer em si não era mau, mas também não deslumbrou em termos gastronómicos.

Apesar de individualmente haver elementos bons como os pickes de cebola roxa ou a maionese de picante que era incrivelmente saborosa, o conjunto estranhamente não funcionava, sendo que a couve pak-choi não acrescentava muito e acabava por se perder.

Resumindo, bons elementos individuais mas que juntos cantam desafinados, criando um hambúrguer 令人失望 (desapontante em chinês simplificado segundo o tradutor do Google).

Avocado House Lisbon

Para finalizar a refeição atacámos a Yummy Avo, uma panqueca com manteiga de amendoim, abacate, banana, nozes, sementes de abóbora e ganache de chocolate, que estava mesmo muito muito boa!

A panqueca estava fofa, leve, cheia de sabor, sendo que a combinação da banana com a manteiga de amendoim e a ganache de chocolate pontuada pela sensorialidade crocante dos frutos secos e das sementes criou uma verdadeira onda orgásmica a nível do palato.

Sabem que para mim a comida tem tudo a ver com os orgasmos que ela nos consegue provocar, e esta panqueca foi sexual-gastronomicamente eficaz, deixando-me com um grande sorriso estampado no rosto.

Avocado House Lisbon

Em termos de bebida, decidi escolher um cocktail para dar um ar assim de mais classe à minha pessoa de pé descalço, sendo que optei pelo AvoGang, que leva gin Bombay Sapphire, xarope de abacate, sumo de lima e puré de abacate, sendo servido com um caroço do fruto.

Este AvoGang foi para mim uma boa surpresa, porque apesar de ser forte o suficiente para se sentir o álcool do Gin, deixa um fim de boca muito suave e agradável, que dá vontade de beber mais e mais.

Avocado House Lisbon

Avocado House Lisbon

Não podia deixar de referir que, no fim da refeição, juntamente com a conta, dão-vos uma semente de abacate para poderem germinar em vossa casa e quem sabe poderem um dia ter os vossos próprios frutos!

Avocado House Lisbon

Se sonham todos os dias com abacates e não podem viver sem este fruto então o Avocado House Lisbon é o local certo para vocês! Se gostam só assim um bocadinho não deixem de visitar na mesma, as opções gastronómicas valem a pena, mesmo que possam ter um bocadinho de menos sorte com o atendimento!

Avocado House Lisbon

 

Avocado House Lisbon Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

3 comentários

Comentar post