Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

À Descoberta do Descobertas

O restaurante de aplicação da Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril

21.01.22, Triptofano!

Parece que passou uma eternidade desde a última vez que fui descobrir um restaurante. Quem costuma seguir o blog sabe que eu além de ser pessoa de muito boa boca adoro descobrir sítios novos. Infelizmente com a pandemia esse hábito de ir a restaurantes e provar tudo e mais alguma coisa enquanto tiro 125 fotos de um pedaço de pão foi posto de lado. Os restaurantes fecharam, o meu medo de ficar doente aumentou, e acabei por aderir aos pedidos de entrega em casa. Mas digam o que disserem receber uma embalagem em casa de comida apetitosa não tem a mesma piada que nos vestirmos, sair de casa e ir degustar essa comida num ambiente diferente daquele que estamos habituados.

Esta semana regressei aos velhos hábitos, deixei a Dona Custódia na babysitter - também conhecida como minha Mãe - e rumei com o Cara-Metade em direcção ao Estoril à descoberta do Descobertas, o restaurante de aplicação da Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril.

Descobertas - O restaurante de aplicação da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa

Primeiro ponto positivo do Descobertas: um preço fixo muito apelativo! Por 15 euros temos direito a uma entrada, um prato principal, uma sobremesa e uma bebida, tudo feito e servido pelos alunos da escola.

Agora não se assustem, lá por serem os alunos a fazerem não significa que vão ser cobaias e acabar com algo de aspecto muito duvidoso no prato, afinal os formadores estão lá para garantir que corre tudo suavemente. Obviamente que o serviço não é tão profissional como em outros restaurantes, mas garanto-vos que a simpatia essa é extraordinária. Muito provavelmente porque ninguém quer levar nas orelhas por não ter sorrido para os clientes, mas o importante é que me senti muito bem recebido e acompanhado durante toda a refeição.

Descobertas - O restaurante de aplicação da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa

A música portuguesa que me chegava aos ouvidos denunciava que a inspiração daquele jantar eram os clássicos portugueses, algo que se reflectiu numa pequena simpatia enviada pelo Chef de cozinha - ou amuse-bouche caso queiramos ser gastronicamente eruditos - que constava de uma tartelete de farinheira à Brás. Foi devorada num instante, por um lado por ser boa, por outro por estar cheio de fome.

No Descobertas o menu permite que se escolha entre duas entradas e dois pratos principais. Como eu e o Cara-Metade não somos esquisitos, cada um de nós pediu uma das opções e depois dividimos, para provar o máximo de coisas diferentes.

Descobertas - O restaurante de aplicação da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa

Para pessoas com barrigas difíceis de aconchegar como a minha, a sopa da pedra é uma excelente opção, porque além de muito saborosa, cheia a transbordar de enchidos, é extremamente reconfortante. Obviamente que sorvi tudo até à última gota.

Os filetes de polvo esses estavam incrivelmente tenrinhos, sem réstias daquela elasticidade tipo pastilha que é tão desagradável. Confesso que por momentos achei que estava com uma pota à minha frente, mas lá está, quem sabe o que faz consegue transformar um ingrediente difícil numa pequena obra-prima. Os filetes eram acompanhados por puré e chips de batata-doce, que casaram maravilhosamente com o cefalópede.

Descobertas - O restaurante de aplicação da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa

A nível do prato principal tanto se podia enfiar o dente num belo bacalhau à transmontana, escoltado de perto por uma gloriosa fatia de presunto e por um leve puré de batata polvilhado com azeitona; como perder a vergonha e pegar gloriosamente com a mão um formidável pedaço de coelho frito à alentejana (eu bem estiquei logo a mão mas o Cara-Metade insistiu que usasse de forma elegante os talheres, o que obviamente teve um resultado tudo menos elegante), assistido de miúdos, batata frita em rodelas e dos espinafres mais pecaminosos que alguma vez comi. Eu nem sou homem de vibrar por aí além com espinafres, mas estes tinham um sabor tão amanteigado, tão aveludado na boca, que senti uma vontade sobrenatural de fazer amor com eles na minha cavidade estomacal. Espinafres à parte tanto o bacalhau como o coelho não desiludiram, deixando-me com um sorriso estampado no rosto.

Descobertas - O restaurante de aplicação da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa

Descobertas - O restaurante de aplicação da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa

Para terminar foi-nos servido um cheesecake de frutos do bosque, leve e volátil, porque evaporou-se do prato num instante. Um final de refeição a pontuar com distinção um restaurante que sendo de aplicação, tem tudo para competir com o peixe graúdo que anda por aí! E vocês, por onde andam a comer?

Descobertas - O restaurante de aplicação da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa

 

3 comentários

Comentar post