Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

O Leitor Decide - Victan

15.12.19, Triptofano!
O Leitor Decide - Qual a Decisão de Lúcia: a) Vai espreitar para descobrir quem bate à porta - 8 votos b) Silenciosamente fecha-se na casa-de-banho - 1 voto Quem estava a bater parecia não querer anunciar a sua chegada mas sim quase deitar a porta abaixo para entrar. Lúcia estava pálida e mesmo sem dar conta tinha sustido a respiração. Durante um momento ponderou a hipótese de se trancar (...)

Desafio dos Pássaros #14 - Kyanós

13.12.19, Triptofano!
Tossiu compulsivamente enquanto apagava furiosamente mais um cigarro no cinzeiro. O médico já o tinha avisado que devia parar de fumar, porque a sua saúde tinha-se degradado bastante nos últimos tempos, apesar de ter apenas cinquenta e poucos anos. Além da tosse havia uma dor de cabeça persistente que o acompanhava e uma sensação de estar sempre enjoado. Até a pele estava diferente, mais húmida e avermelhada. Se não soubesse que tal era impossível ainda consideraria a (...)

O Leitor Decide - Campral

08.12.19, Triptofano!
O Leitor Decide - Qual a Decisão de Ana: a) Atira-se em direcção às ondas - 4 Votos   b) Dá meia volta e regressa ao carro - 10 Votos   Gaivotas em terra tempestade no mar, mas a verdadeira tempestade vivia dentro dela. Ana não queria morrer, queria simplesmente viver de outra forma, mas as únicas opções de que dispunha era esperar pela morte ou ir ao seu encontro. Respirou fundo (...)

O Leitor Decide - Anastrozol

01.12.19, Triptofano!
Respirou fundo! Aquela era a segunda praia do mundo com maior nível de iodo, e a verdade é que o cheiro que lhe inundava as narinas era totalmente diferente do cheiro de qualquer outra praia que já tivesse conhecido. Talvez fosse por isso que, sempre que necessitara no passado de tomar uma decisão complicada, aquele fosse o local escolhido para reflectir profundamente no próximo passo a dar. Naquele preciso momento estava perante uma decisão que nunca imaginara ter de tomar, e dar um (...)

Ama-te (uma carta ao meu Eu futuro)

18.04.18, Triptofano!
As letras rabiscadas dirigidas ao meu Eu futuro olham-me atravessadas de escárnio, por pedir a alguém que seja capaz de conjugar um verbo que eu sucessivamente teimo em falhar.   Ridículo é o facto de ter a plena consciência que o presente é um perene limbo entre o passado e o futuro; o momento do agora não é sequer um espaço delineado entre dois pontos, é uma fracção de milésima de segundo que separa o que já foi daquilo que vai ser.   O presente não é mais que um (...)

Um amor. Duas muralhas.

09.04.18, Triptofano!
Considerar o amor como uma dicotomia seria amputar a amplitude do sentimento, catalogando-o numa escala de branco ou preto, desprezando todos os tons intermédios de cinzento.   O amor é plurifacetado, sendo que a sua vertente mais cruel é a unilateralidade da emoção.   Gonçalo era a mais honesta representação desta forma de amor, semi-encostado contra o zumbido metálico do antigo frigorífico, enquanto as mãos puídas apoiadas no tampo da mesa esperavam a meia de leite e a (...)

Cheguei e...

02.04.18, Triptofano!
Cheguei e... encontrei o apartamento submerso num profundo silêncio.   Não encontrei réstias dos gritos delicados dela enquanto corria pelas divisões da casa, do barulho metálico que emanava do televisor sempre sintonizado num canal de notícias estrangeiro, nem sequer do tamborilar nervoso dos dedos dele no tampo da mesa enquanto comia sucessivos longos cigarros que lhe pendiam do lábio frouxo.   Já passava há muito da hora de jantar.   Fechei a porta atrás de mim com um (...)

Morre com memórias não com sonhos

27.03.18, Triptofano!
O sonho é a coisa mais destrutiva do Universo. Com um potencial de devastação maior que um terramoto, que um meteorito, que uma bomba de hidrogénio ou que um míssil intercontinental. Não existem campanhas políticas, referendos, manifestações ou discursos de personalidades públicas que possam levar à cessação do acto de sonhar. É algo incontrolável, e a falta de controlo é por si só algo muito perigoso. Os sonhos cada vez estão maiores, mais complexos, mais exigentes. (...)

Não Tão Amarelo, Vicente

03.10.17, Triptofano!
Olhou com perplexidade para o seu lado esquerdo. Três quartos e meio de existência separavam-na novamente daquele homem. Ele observava cegamente o quadro que tinha na sua frente, não deixando transparecer nenhum sinal de reconhecimento em relação ao frágil transtornado corpo daquela mulher que via num segundo todas as suas defesas a serem estilhaçadas e remetidas a uma vaga miragem de poeira etérea.   Sílvia concentrou-se na abstracção da nulidade do pensamento de forma a (...)