Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Socorro, como é que faço para o meu cabelo crescer mais rápido?

12.02.20, Triptofano!

Há uns dias, uma utente maravilhosa da minha farmácia mandou-me um SOS via Instagram por causa do cabelo dela, já que o tinha cortado bastante e agora queria que ele crescesse o mais rápido possível, e queria saber se eu tinha algum suplemento que a pudesse ajudar!

Normalmente as pessoas pedem-me ajuda para o cabelo deixar de cair e não para ele crescer mais rápido, mas como eu adoro um bom desafio lancei-me numa investigação e agora partilho convosco o que descobri.

É possível acelerarmos o crescimento do nosso cabelo?

Primeiro que tudo quero que saibam que não existem milagres, ou seja não vão acordar de um dia para o outro com uma juba a arrastar pelo chão.

Em média, o cabelo de uma pessoa cresce por mês 1.25 centímetros, o que ao fim de um ano são 15 centímetros. O crescimento do cabelo ocorre durante a fase da anagénese, que é quando o folículo dá tudo por tudo e faz o nosso cabelo crescer forte e maravilhoso, sendo que esta fase dura entre 5 a 7 anos. Depois segue-se a fase de catagénese, que é um período de pausa onde o cabelo está quietinho e fofinho sem fazer nada, e por fim vem a telogénese, que é quando o cabelo cai.

Com a idade, a fase da anagénese fica mais curta, e é isso que faz com que uma mulher a partir dos 50 anos não consiga tão facilmente fazer crescer o seu cabelo em comprimento como quando era nova!

Socorro, como é que faço para o meu cabelo crescer mais rápido?

Por isso o nosso objectivo é fazer o nosso cabelo dar tudo por tudo na fase da anagénese e impedir que ele se parta para ficar o mais comprido possível!

Se fizerem uma rápida pesquisa na Internet vão descobrir centenas de técnicas para o vosso cabelo não se partir, desde a terem cuidado com os elásticos que usam para prender o cabelo até irem para o meio de um campo de milho de rabo à mostra absorverem a luz do luar, mas o que falta é informação fidedigna sobre se há alguma coisa que se possa fazer para o cabelo crescer mais rápido, e é nisso que eu me vou focar.

Mas antes de passar para essa parte tenho de partilhar convosco algo que descobri que pode estar a partir os nossos cabelos inocentes todas as noites - a nossa almofada!

Já tinha lido que a fricção que fazemos diariamente nos tecidos das nossas almofadas pode causar-nos rugas, mas parece que também pode danificar os nossos cabelos! A solução? Passar uma semana a pão e água e comprar umas fronhas de seda, que são as mais amigas do nosso cabelo e da nossa cara, além de serem fantásticas ao toque!

Nota: A maravilhosa utente que me pediu ajuda para o cabelo crescer mais rápido e com quem eu partilhei primeiramente este texto informou-me que existem à venda umas fronhas de seda boas e baratas na Lookfantastic. Também se encontram fronhas de seda na Zara mas segundo ela o toque do produto não é de todo igual ao da verdadeira seda, por isso provavelmente trata-se de uma mistura de materiais!

Primeiro passo para o cabelo crescer mais rápido - Não entupir até às orelhas o folículo do cabelo!

Se o nosso folículo estiver cheio de porcaria vai ser muito mais difícil o nosso cabelo conseguir crescer de forma saudável, e tendo em conta que a fase de anagénese não dura para sempre toda a ajuda que pudermos dar à pobre fibra capilar é bem vinda.

Sujidade, poluição, excesso de sebo e resíduos de produtos podem entupir os nossos folículos, por isso uma vez por semana é boa ideia usar um champô destoxificante ou um exfoliante do couro cabeludo. Existem muitas opções no mercado, e aqui vai ser um bocadinho ao gosto do freguês, mas como exemplo deixo o Klorane Champô Detox com Menta Aquática ou o Vichy Micro Peel Champô Exfoliante.

Socorro, como é que faço para o meu cabelo crescer mais rápido?

Socorro, como é que faço para o meu cabelo crescer mais rápido?

 

Objectivo: Estimular ao máximo a actividade do folículo capilar!

Se o vosso folículo estiver como eu estou depois do almoço no trabalho então garanto-vos que o vosso cabelo vai crescer no máximo 1 mm por mês, por isso é que é tão importante dar toda a energia possível e mais alguma ao nosso folículo para que ele seja considerado empregado do mês.

Uma das técnicas mais comuns é usar um champô com uma boa concentração de cafeína, e aqui o quero que tenham atenção é que o marketing é uma coisa do demónio. Já devem ter reparado que há champô de cafeína para homem e champô de cafeína para mulher, e provavelmente o de mulher até é mais caro! Na verdade os produtos são exactamente iguais, às vezes os de homem até podem ter uma concentração um bocadinho maior, e a diferença passa apenas pelo cheiro ou textura do produto. Por exemplo, eu costumo recomendar com bons resultados o Alpecin Champô de Cafeína.

Socorro, como é que faço para o meu cabelo crescer mais rápido?

Outro método para energizarem o vosso folículo é fazendo massagens no couro cabelo.

A massagem no couro cabeludo além de activar o folículo capilar e estimular a circulação sanguínea, tem a vantagem de ser uma técnica anti-stress, e todos nós sabemos que quanto mais stress tivermos menos as coisas funcionam bem no nosso corpo. 

Esta massagem deve ser feita da frente para trás, com movimentos circulares com as pontas dos dedos ou através de pequenas beliscadelas, de uma forma firma mas gentil (nada de arrancarem metade da cabeça minha gente).

Obviamente que ela pode ser feita em qualquer altura, sentadinhos no sofá ou antes de adormecerem, mas há duas formas de potenciarem a massagem.

A primeira é através do método de inversão, que não deve ser feito caso tenham acabado de tomar o pequeno-almoço porque o resultado não vai ser bonito. Este método basicamente consiste em ficarmos de cabeça para baixo (a cabeça tem de estar abaixo do nível do coração) e massajarmos o couro cabeludo durante 5 minutos.

A segunda técnica, que é a minha favorita e dá menos voltas ao estômago, é através do uso de óleos essenciais, que tem propriedades estimulantes da micro-circulação.

Se quiserem fazer apenas uma coisa para o vosso cabelo crescer mais rápido então é usar óleos essenciais juntamente com a técnica da massagem.

Socorro, como é que faço para o meu cabelo crescer mais rápido?

Há centenas de óleos essenciais no mercado, mas se me pedirem a minha opinião o que eu gosto mais é o Phytopolléine da Phyto. Este produto reequilibra qualquer tipo de couro cabeludo, auxilia na sua limpeza, além de ter as já referidas propriedades estimulantes do folículo.

Utiliza-se duas vezes por semana, sendo que deve-se deixar actuar pelo menos meia hora antes da lavagem. Idealmente, o melhor seria ficar com ele a noite toda e lavar apenas no dia a seguir, mas o problema é que o cheiro deste produto é muito concentrado. Vocês nem precisam de o abrir para sentir logo o aroma a óleos essenciais, por isso nem toda a gente o consegue aguentar durante uma noite inteira (agora garanto-vos que se estiverem congestionados e dormirem com ele acordam sem sinal de ranhoca).

Socorro, como é que faço para o meu cabelo crescer mais rápido?

Se não quiserem experimentar o Phytopolléine outra recomendação que vos posso dar é o Complexe 5 da René Furterer. Infelizmente, como não trabalho com a gama, não vos posso dar feedback relativamente ao cheiro, mas em termos de efeitos a nível do folículo será muito semelhante.

Socorro, como é que faço para o meu cabelo crescer mais rápido?

Agora já sabem, o principal é fazerem uma boa massagem sem pressas para usufruírem de todos os benefícios, tanto para o corpo como para a mente!

Mas Trip, o meu couro cabeludo já é oleoso, não vai ficar pior se usar óleos essenciais?

Eu sei que quando uma pessoa ouve a palavra óleo pensa logo em despejar um litro de óleo Fula no couro cabeludo, mas os óleos essenciais têm a grande vantagem de penetrarem na pele deixando muito pouco resíduo à superfície, resíduo esse que com o banho é eliminado.

Não só não se precisam de preocupar com a questão de poderem ficar com o couro cabeludo mais oleoso, como os óleos essenciais são uma grande ajuda para quem por exemplo possui cabelo seco e couro cabeludo oleoso e nunca sabe que produto há-de usar.

Os melhores óleos essenciais para quem quer combater a oleosidade são os que tem propriedades adstringentes (para reduzir a produção de sebo), anti-fúngicas, anti-sépticas e calmantes, como os de limão, eucalipto, camomila, lavanda, alecrim e cedro, sendo que estes últimos três também estimulam o crescimento do cabelo.

Agora tenham só atenção com os óleos essenciais que compram. Se for um daqueles produtos maravilhosos com 1% de óleos e 99% de silicones e coisas que tais talvez o resultado não seja o melhor, por isso é preferível investirem um bocadinho mais mas comprarem algo que seja realmente eficaz.

E tomar vitaminas para o cabelo crescer rápido rápido, é o mais importante não é?

Agarrem-se às vossas cadeiras com esta informação chocante mas a verdade é que tomar vitaminas não é o mais importante. O mais importante é ter uma dieta equilibrada e ingerir alimentos nutricionalmente interessantes.

O problema é que nos dias de hoje uma pessoa anda sempre a correr de um lado para o outro, alimenta-se mal e tem carradas de stress, o que resulta num crescimento muito mais lento do cabelo, já que este é um processo muito exigente a nível nutricional, e o organismo acaba por canalizar as vitaminas e minerais para os outros órgãos e deixa o cabelo em último lugar.

A minha sugestão como farmacêutico é sempre que possível abrandarem o vosso ritmo de vida, meditarem e enfiarem para dentro de vocês muita fruta e muitos legumes e outras coisinhas boas. Quando tal não for possível ou suficiente, então aí sim, optar pela suplementação vitamínica.

Socorro, como é que faço para o meu cabelo crescer mais rápido?

Que vitaminas é que devo comprar? Existe tanta escolha no mercado que nem sei para onde me virar!

Acreditem que pesquisei muito sobre este tema, li e voltei a ler artigos e depoimentos de dermatologistas, e a conclusão a que cheguei é que não existe nenhuma substância que actue directamente no crescimento mais rápido do cabelo. Existem sim várias que actuam indirectamente, ao mesmo tempo que previnem a queda e tornam o cabelo mais bonito e resistente, por isso um bom suplemento deve ter essencialmente biotina e ómega-3, além de que é obrigatório adoptar um regime alimentar com bastante proteína e beber muita água.

A proteína é importante porque os nossos fios de cabelo são constituídos na sua maioria por proteínas, e se houver uma deficiência nesta substância então as coisas não vão funcionar como queremos. Um ovo cozido extra por dia ou mais uma mão cheia de frutos secos faz a diferença.

Beber água é aquela base, porque o nosso corpo é maioritariamente água, e a desidratação pode levar a que o cabelo pare de crescer além de que um fio de cabelo seco tem tendência a quebrar mais facilmente.

O ómega-3 é extremamente importante devido às propriedades anti-inflamatórias que previnem a inflamação do folículo capilar, inflamação esta que é uma causa comum para a queda do cabelo. Além disso o ómega-3 também protege as células do nosso corpo e ajuda na saúde do couro cabeludo, sendo por isso importante no crescimento saudável do cabelo. Na alimentação já sabem que é nos peixes mais gordos, como no salmão e na sardinha, que podem encontrar esta substância.

A biotina é uma espécie de construtora civil do cabelo. O crescimento do cabelo começa a partir da raiz do folículo, que é constituída por blocos de proteínas que vão-se montando para fazer o cabelo crescer. Ora além da proteína (se não houver proteína obviamente que não vão existir blocos de proteínas) é essencial existir um boa concentração de biotina no organismo, porque é ela que vai ajudar a montar os blocos.

Alimentos ricos em biotina são os frutos secos, os peixes gordos, o abacate e os ovos, especialmente as gemas.

Outra dica importante em termos de alimentação é para não cortarem, pelo menos totalmente, com os vossos hidratos de carbono. Eu sei que há muita dieta popular por aí onde uma pessoa emagrece 10 quilos numa semana só a comer alface, mas o cabelo para crescer precisa de energia, e onde é que o corpo vai buscar essa energia? Aos hidratos de carbono!

Então e as outras substâncias todas dos suplementos, não servem para nada?

As outras substâncias que estão presentes nos suplementos vão ajudar obviamente, mas muitas delas só irão fazer verdadeira diferença se houver alguma carência no vosso organismo.

Vejamos o caso do ferro, muitas pessoas perguntam-me se é importante um suplemento para o cabelo ter ferro. E a verdade é que só é importante se tiverem falta de ferro no organismo (e aí essa falta pode fazer com que o cabelo não ultrapasse um certo comprimento), de outra forma não vai trazer grande vantagem.

Mulheres que tenham períodos muito longos e abundantes, que tenham tendência para anemia ou estejam sempre cansadas são boas candidatas para fazer suplementos com ferro, apesar de nestes casos o mais importante será fazer uma visita ao médico para perceber se é necessário tomar algo mais forte. As outras basta suplementarem com boa comida - carne vermelha, beterraba e vegetais com folhas verdes escuras são óptimas fontes deste mineral.

Fumar e beber álcool prejudica o crescimento da cabelo?

A resposta é sim, mas por razões indirectas. Fumar e beber álcool em excesso diminui os níveis de vitamina C no corpo. Se não houver suficiente vitamina C no corpo existe menos absorção do ferro a nível do intestino, e uma deficiência de ferro faz com que o crescimento do cabelo fique comprometido.

 Ok, mas então e se eu quiser uma marca concreta de suplemento, qual é que me recomendas Trip?

Como vos disse, para mim o essencial é biotina e ómega-3, e o suplemento que eu encontrei com estas duas substâncias é o Phytophanère da Phyto, que possui mais uma data de coisinhas boas na composição. Não achem estranho que não vejam biotina no rótulo, porque ela aqui é apresentada com a designação de vitamina B8.

Agora uma dica de amigo, caso optem por este suplemento procurem a embalagem promocional com dois frasquinhos, que vos dá para 4 meses de tratamento.

Socorro, como é que faço para o meu cabelo crescer mais rápido?

Se acharem mesmo que o que precisam é de um suplemento com Ferro então existe por exemplo o Hairlox, que possui ferro e biotina, mas não tem ómega-3.

Socorro, como é que faço para o meu cabelo crescer mais rápido?

 

O que é que acharam deste post? Ficaram esclarecidos ou ainda existe alguma dúvida em que vos possa ser útil? Conhecem alguma técnica fabulosa que eu não tenha abordado para o cabelo crescer de forma extremamente rápida? Partilhem tudo comigo nos comentários. 

 

É possível ter um corpo perfeito?

10.02.20, Triptofano!

Não, não é possível ter um corpo perfeito!

Por mais artigos que possam ler, influenciadores que possam seguir ou reportagens que possam ver, não é possível ter um corpo perfeito! Ou melhor, é possível ter um corpo perfeito mas não da forma como nos querem vender essa utopia corporal.

Mas deixem-me começar pelo início para perceberem o raciocínio aqui da minha pessoa e não acharem que eu andei a comer qualquer coisa passada da validade que me tenha dado a volta ao miolo.

Na farmácia onde trabalho, uma marca de cosmética pela qual tenho muito apreço, lançou uma campanha promocional para os seus produtos de corpo, com descontos e ofertas. Até aqui tudo bem, não fosse o cartaz promocional ter escrito em letras garrafais CORPO PERFEITO.

Mal algum haveria não fosse as imagens a acompanhar o texto serem de produtos anti-estrias, anti-celulite, anti-pele-seca, anti-amor-próprio e por aí adiante. Ou seja, indirectamente (ou muito directamente na minha opinião), a mensagem que se está a passar é que se uma pessoa não tiver um corpinho livre de estrias, ou peles flácidas, ou bocadinhos de casca de laranja então é melhor vestir uma burka e não sair de casa.

É que minha gente, se o Coronavírus infectasse as pessoas que segundo a publicidade desta marca não possuem corpos perfeitos, acho que o mundo virava um autêntico deserto.

O que eu quero que entendam é que não sou contra este tipo de produtos. Não sou contra as pessoas quererem exterminar a celulite, ou terem uma barriga mais firme, ou mesmo lutarem contra aquelas rugas chatas que aparecem por estarmos sempre a franzir o sobrolho. Sou contra sim vender-se a ideia de que um corpo perfeito é um corpo sem marcas de guerra.

Um corpo perfeito não é um corpo sem manchas. Um corpo perfeito não é um corpo sem cicatrizes. Um corpo perfeito não é um corpo com um índice mínimo de massa gorda. Um corpo perfeito não é um corpo carregadinho de photoshop porque é mais visualmente apetecível.

Um corpo perfeito é um corpo onde possamos ser felizes, mas felizes de verdade, uma felicidade que vem de dentro, uma felicidade sem construções sociais, sem tentativas de agradar a desconhecidos, sem querer ter um aspecto só porque alguém disse que era esse o aspecto que deveríamos ter.

Não é possível ter o corpo perfeito que constantemente nos vendem nas revistas, nos anúncios do Instagram, nas publicidades da televisão, nos filmes dos cinemas, porque esse conceito é simplesmente isso, um conceito que serve apenas para nos fazer sentir mal com a beleza intrínseca do nosso corpo e perdermos anos da nossa vida e centenas de euros a tentar encontrar o Santo Graal.

Eu sei que muitos devem estar a ler este texto e a pensar, ah isto é conversa de gajo barrigudo que não tem vontade de ir para o ginásio e agora quer dar uma de peace and love!

Se calhar até é, mas vejam as fotos seguintes que já representaram conceitos de corpo perfeito e pensem se a beleza não é um conceito totalmente subjectivo.

No fim de contas, a quem é que estão a tentar agradar?

É possível ter um corpo perfeito?

É possível ter um corpo perfeito?

É possível ter um corpo perfeito?

É possível ter um corpo perfeito?

Desafio de Escrita dos Pássaros #2.2 - Cytotec

07.02.20, Triptofano!

Esmeraldina não confiava em médicos.

Tinha sido por causa de um médico que perdera a sua mãe, a mãe que tanto lhe fizera falta durante a inocência da juventude, a mãe cuja ausência a obrigou a tornar-se mulher muito antes do tempo.

Ela não tinha sequer 30 anos quando lhe disseram que tinha o útero descaído, e que a melhor opção seria remover tudo. Útero, trompas, ovários, e tudo o mais que se pudesse encontrar pelo caminho.

A mãe de Esmeraldina confiava em médicos, confiava tão cegamente que não pensou em pedir uma segunda opinião, confiava tão cegamente que deixou que a abrissem para tirar o mais precioso que tinha dentro dela: a capacidade de gerar nova vida. E foi quando lhe tiraram essa capacidade que ela encontrou a morte.

Uma compressa esquecida. Uma infecção generalizada. Uma morte galopante causada por um médico que na ânsia de ganhar dinheiro tinha inventado uma doença que não existia. 

Esmeraldina não sabia disso, mas não precisava de o saber para não confiar em médicos.

Fez a sua vida sem nunca chegar perto de um centro de saúde ou de um hospital. Encontrou os seus remédios nas ervanárias, nas conversas com as vizinhas, nas folhas desbotadas de um livro da biblioteca itinerante.

A filha teve-a numa parteira, entre gritos, toalhas frias e contracções. Pensou que morria nesse dia mas a força que trazia dentro era maior do que ela, e depois de horas de sofrimento trouxe uma menina ao mundo.

Uma menina que amou e cuidou sem remédios nem vacinas, apenas com o conhecimento que os anos lhe tinham trazido.

Uma menina que agora estava deitada na cama da parteira, sofrendo entre gritos, toalha frias e contracções. 

Esmeraldina não estava preocupada. Tinha aprendido a confiar naquela parteira, nas mãos hábeis que sabiam tirar a vida de um corpo. 

A filha já tinha tomado os comprimidos há mais de quatro horas, não deveria demorar muito até todo o processo ter terminado.

Bastaram apenas mais alguns minutos, breves para ela, eternos para a filha, para que a parteira subtraísse das vísceras um feto avermelhado que rapidamente colocou dentro de um grande saco preto do lixo.

O aborto tinha sido um sucesso.

Esmeraldina olhou com um misto de ternura e desdém para a filha que gemia baixinho de dores - de corpo e de alma - na cama da parteira.

Com 14 anos já deveria ser adulta o suficiente para perceber que não se deve confiar em médicos, muito menos abrir as pernas para eles ao som da primeira promessa de amor eterno.

O Leitor Decide - Biotina

06.02.20, Triptofano!

Originalmente este post tinha sido publicado no dia 2 de Fevereiro de 2019, de forma a ficar escondido para só quem decifrasse o enigma Uma volta completa ao sol na direcção oposta dos ponteiros do relógio o conseguisse encontrar. 

De forma a que mais pessoas possam escolher como é que a história de Lúcia se vai desenrolar coloco-o agora na ordem cronológica correcta!

*

"Ela não morreu, por isso agora tens de morrer tu! - sibilou o homem com os olhos injectados de sangue, apertando cada vez com mais força o pescoço dela.

Era o fim, não ia conseguir fugir, a não ser que....."

 

O Leitor Decide: Qual a decisão de Lúcia:

a) Finge que desmaiou para o homem a largar e depois tentar fugir

b) Tenta procurar na mala algo para usar como arma

c) Bate com os pés no vidro do carro na tentativa de chamar a atenção de alguém

d) Oferece o livro ao homem em troca de a deixar ir embora

 

Pensem bem na decisão que vão tomar, discutam entre vocês o que acham que é mais viável numa situação destas e deixem a vossa escolha nos comentários! Apenas uma das opções irá permitir que a história continue de forma favorável para Lúcia!

 

O Leitor Decide

 

 

Devemos deixar as crianças usar livremente o telemóvel?

05.02.20, Triptofano!

Já não é a primeira vez que, na farmácia onde trabalho, uma mãe pergunta-me qual a minha opinião sobre dar para as mãos de uma criança com dois ou três anos um telemóvel para ela se entreter.

Ora se no início eu ainda dava a minha opinião honesta, aprendi que as pessoas não querem sinceridade mas sim um afago na consciência, para que possam ir para casa com um sorriso no rosto e sem aquele peso na alma de que podem estar a ser maus pais, já que sempre que eu iniciava o meu discurso anti-telemóveis a resposta que eu ouvia era:

Mas o senhor tem filhos? Pois bem me parecia que não, se tivesse não falava assim!

Agora sempre que me fazem essa pergunta faço um sorriso tipo esfinge e esquivo-me da questão, porque já vou a caminho dos quarenta e não me posso dar ao luxo de criar stress oxidativo extra na minha vida.

Sim, sou contra os telemóveis em crianças pequenas, mas não significa que ache que quem disponibilize essa tecnologia aos seus filhos seja um mau pai. Na verdade não acredito que na generalidade existam maus pais, há sim pessoas que vão tentando fazer o melhor que podem e sabem na árdua tarefa de educar uma criança.

Se calhar eu, se me visse com duas criancinhas do demónio a correr e aos saltos pela casa, talvez também lhes desse um telemóvel para as mãos para elas sossegarem durante dez minutos que fosse. Ou isso ou punha-lhes umas gotinhas de Rivotril no leite...

Devemos deixar as crianças usar livremente o telemóvel?

Porque é eu sou contra as crianças usarem telemóveis?

Primeiro, a luz azul dos pequenos ecrãs é nociva para os olhos, tanto de miúdos como de graúdos, havendo a possibilidade de a longo prazo se desenvolver degeneração macular, uma doença da retina que no pior dos casos pode levar à cegueira. 

Tendo em conta que os olhos das crianças são estruturas muito mais imaturas e sensíveis, é fácil de perceber que a luz vai ter mais impactos negativos neles.

Acredito piamente que, daqui a cinquenta anos, venha-se a descobrir que houve um aumento gigantesco de doenças oculares relacionadas com o uso dos ecrãs em tenra idade, e nessa altura talvez se comece a perceber que ter um miúdo cinco a seis horas por dia agarrado a um telemóvel não é de todo benéfico.

Agora o que me complica com os nervos é quando atendo pais que querem comprar óculos de sol para proteger os olhos da criança das radiações solares, mas depois não se lembram de os proteger da luz azul dos telemóveis e tablets e afins.

Em segundo, as crianças precisam de interagir com os seus cuidadores e com outras crianças.

É muito bonito dizermos que estamos numa era de tecnologia, e que agora as crianças quase que nascem com um computador agarrado às costas, mas bolas, nós precisamos de criar seres sociáveis com a noção da realidade que os engloba, não pequenos seres vivos presos numa bolha virtual que vão acabar a viver 24 horas por dia fechados num quarto, a comer batatas fritas e pizzas de pacote, enquanto teclam freneticamente um código algorítmico qualquer e gritam desesperados quais morcegos míopes se um dos progenitores abre as cortinas para deixar entrar alguma réstia de luz solar.

Por fim, os conteúdos que as crianças consomem nem sempre são os melhores. 

Claro que aqueles desenhos animados com músicas horríveis que nos ficam na cabeça durante semanas e nos fazem apetecer cortar os pulsos não são assim muito preocupantes, apesar de eu achar que há coisas melhores no Youtube, como as músicas dos Babies Go (façam uma pesquisa e depois agradeçam-me), mas e o que dizer acerca dos vídeos dos influenciadores que os miúdos devoram e por quem são completamente obcecados?

É que se para a criança trata-se apenas de um vídeo giro com um miúdo ou uma miúda a falar sobre o novo brinquedo que comprou ou sobre os super mega ténis da moda que lhe chegaram a casa via correio, todos nós deveríamos saber que isto não é apenas entretenimento, mas sim publicidade descarada que fomenta o espírito consumista do nosso rebento.

Ou vão-me dizer que nunca tiveram um filho aos gritos histéricos a dizer que também quer uma coisa qualquer que viu um dos seus ídolos virtuais a usar?

Hoje em dia a publicidade já não ataca os pais directamente mas sim de uma forma muito mais inteligente que é através das crianças, que são naturalmente muito mais susceptíveis às estratégias de marketing.

Devemos deixar as crianças usar livremente o telemóvel?

Não sou pai e sei que a minha opinião vale o que vale, mas acredito piamente que me sentiria no fim do dia mais em paz comigo mesmo se tivesse um filho que me cagasse a casa toda com um slime comprado na loja dos trezentos em vez de ter ficado num canto com os olhos pregados no telemóvel!

A Quarentena devia ser obrigatória em Portugal?

03.02.20, Triptofano!

Chegaram ontem a Lisboa os 18 portugueses e as duas cidadãs brasileiras que foram retiradas da cidade de Wuhan na China devido à infecção por Coronavírus.

O aparato da comunicação social foi tanto que por momentos duvidei se quem vinha naquele avião não seria a equipa de futebol portuguesa após ganhar o Mundial, mas não, tratam-se de 20 pessoas que o Estado de Portugal repatriou e que agora vão ficar em quarentena durante 14 dias.

Claro que houve logo quem mandasse a sua posta de pescada a dizer que o Estado não devia ter gasto dinheiro a ir buscar aquelas pessoas (basicamente elas que se desenrascassem já que se armaram em espertas e foram para a China que toda a gente sabe que é país que nunca se visita não é?) e que agora é que íamos todos ficar infectados com Coronavírus e ia ser uma catástrofe nacional.

Pessoalmente continuo a defender que a melhor forma de nos prevenirmos do Coronavírus é estarmos informados, não entrarmos em histeria e lavar as mãos várias vezes ao dia, mas não posso deixar de pensar se Portugal está preparado em termos legais para enfrentar uma epidemia?!

A quarentena devia ser obrigatória em Portugal?

A Quarentena devia ser obrigatória em Portugal?

De momento, no nosso país, o internamento compulsivo é um procedimento legal de internamento apenas para portadores de doença psíquica grave, que só poderá ser determinado quando for a única forma de sujeição do paciente a tratamento clínico-psiquiátrico, dentro de um estabelecimento de saúde.

Ou seja, só se eu andar por aí a desfilar nu na Avenida da Liberdade e a dizer que o Sporting vai ser campeão este ano é que posso ser internado contra a minha vontade e posto de quarentena até recuperar o meu bom senso (e atenção que aqui a minha pessoa é do Sporting só para verem como é que a coisa está complicada).

Se por acaso eu vier de um país remoto carregadinho de Ébola ou Varíola, legalmente não me podem obrigar a ficar de quarentena e eu posso andar contente e alegre a espirrar mesmo em cima da cara das pessoas nos transportes públicos.

Claro que podem informar-me que se eu andar a contagiar meio mundo o mais provável é ser acusado do crime de propagação de doença contagiosa, crime que está previsto no Código Penal.

O crime de propagação de doença contagiosa pode ser praticado de forma dolosa ou negligente, por acção ou omissão, através da própria transmissão da doença de uma pessoa para outra por contacto directo ou por outras formas como a contaminação de água ou alimentos.

E acredito que foi por causa disto que todas as pessoas que vieram repatriadas da China para Portugal aceitaram ficar em quarentena, para evitarem terem problemas com a justiça por andarem a espalhar Coronavírus sabendo à partida que poderiam estar infectadas.

Mas volto a colocar a pergunta, deveria o Estado Português alterar a lei e obrigar a um internamento compulsivo em casos de doenças infectocontagiosas?

A Quarentena devia ser obrigatória em Portugal?

É certo que o Coronavírus não é a infecção mais perigosa que o mundo já enfrentou, mas todas as pessoas que ficarem doentes vão representar uma sobre-carga para o SNS, ocupando camas e usando recursos que poderiam ser alocados a outros utentes, além de que se o vírus for contraído por pessoas laboralmente activas, isso também vai trazer um impacto financeiro negativo ao Estado, por isso é do seu maior interesse limitar a propagação da doença.

Não vamos todos morrer por causa do Corona, mas este vírus tem que nos fazer pensar no futuro.

Se por acaso um dia chegar a Portugal uma bactéria ou um vírus ou outro organismo celular qualquer que seja muito mais agressivo e mortal, estamos nós preparados para o conter?

Ou vamos contar com o bom senso e com o medo das pessoas de serem presas (se realmente forem, visto que um processo destes nunca seria simples) para voluntariamente ficarem de quarentena e zelarem pela sua segurança e dos outros?

O Leitor Decide - Atropa Beladona

02.02.20, Triptofano!

O Leitor Decide: Qual a Decisão de Lúcia?

a) Finge que desmaiou para o homem a largar e depois tentar fugir - 5 Votos

b) Tenta procurar na mala algo para usar como arma - 3 Votos

c) Bate com os pés no vidro do carro na tentativa de chamar a atenção de alguém - 4 Votos

d) Oferece o livro ao homem em troca de a deixar ir embora - 1 Voto

O Leitor Decide

 

"Ela não morreu, por isso agora tens de morrer tu! - sibilou o homem com os olhos injectados de sangue, apertando cada vez com mais força o pescoço dela.

Era o fim, não ia conseguir fugir, a não ser que....."

...fingisse que desmaiava para o homem a largar.

Nessa altura, quando ele estivesse desprevenido, tentaria fugir para fora daquele carro e correr o mais depressa possível para uma zona em segurança.

Lúcia colocou o plano em prática, deixando cair a cabeça para trás e fechando os olhos de forma vagarosa, como se toda a energia do seu corpo a tivesse abandonado.

Só que o homem continuava a apertar o seu pescoço, cada vez com mais força, como se ele quisesse assegurar-se de que ela estava efectivamente morta.

Lúcia já não aguentava mais, os seus pulmões gritavam desesperadamente por ar e o homem continuava com as mãos à volta do seu pescoço. Tentou ao máximo manter a farsa, o ar sereno e sem vida, mas os instintos do corpo foram mais fortes e esbugalhou olhos e boca, enquanto que as mãos tentavam desesperadamente agarrar um pedaço de oxigénio.

Espertinha, achas mesmo que ia cair nessa? - riu-se o homem sarcasticamente, antes de lhe pegar pelos cabelos e bater com a cabeça no vidro do carro, fazendo Lúcia perder automaticamente os sentidos.

*

Acordou estremunhada com uma dor horrível na cabeça. Uma pasta de sangue cobria-lhe os cabelos e o cheiro metálico fez-lhe ter um arranque de vómito. Onde é que estaria?

Os olhos ainda não se tinham acostumado à escuridão por isso voltou a bater com a cabeça quando se tentou sentar. Mas que local seria aquele?

O deslizar das rodas e o barulho do motor rapidamente deram-lhe a resposta: tinha sido presa no porta-bagagens do carro.

O veículo inclinou-se para subir algo, projectando o corpo de Lúcia contra uma das paredes do porta-bagagens, como se fosse uma boneca de trapos.

O motor desligou-se. Ouviu uma porta a abrir e a fechar-se com estrondo. Risos. Será que a vinham buscar? 

Pum Pum Pum

Três sonoras pancadas ressoaram mesmo por cima da sua cabeça.

Querida, é só para te desejar uma boa viagem - a voz era a do motorista.

O porta-bagagens não se abriu, mas ao invés o som de uma maquinaria pesada invadiu o espaço.

Lúcia não precisou de muito para perceber aterrorizada o que tinha acontecido. Estava num ferro-velho e o carro ia ser triturado. Bastaram breves segundos para o seu corpo transformar-se numa mescla de ossos e tendões com partes metálicas.

FIM

 

Não ficaram satisfeitos com o fim da história? Acham que Lúcia devia ter tomado outra decisão? Podem escolher um caminho diferente, mas para isso precisam de encontrar a página correcta da história que está escondida algures aqui no blog, mas dou-vos uma pista.

Uma volta completa ao sol na direcção oposta dos ponteiros do relógio

Não deixem a Lúcia morrer desta forma, ela precisa de vocês!

Nota: O enigma já deixou de estar válido por isso para continuarem a acompanhar a história basta irem aqui!

 

Se só agora se juntaram à história leiam os episódios anteriores: AnastrozolCampralVictan, Haldol e Modafinil.

Pág. 2/2