Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Recomecei a Ler

Pelo menos uma hora por dia!

13.11.19, Triptofano!

Se eu dissesse que não lia no meu dia-a-dia estaria a mentir com quantos dentes tenho na boca, porque na realidade é uma actividade que eu faço!

Desde os artigos científicos para poder fazer aconselhamentos mais rigorosos e credíveis na farmácia (apesar de 88% das pessoas preferir ser iludida por anúncios televisivos do que fazer escolhas conscientes com base em informação rigorosa), passando pelas gigantescas bulas dos medicamentos (ainda ontem estive que estar a ler com um utente a bula de um antiagregante plaquetário para ele ficar descansado sobre a inexistência de plástico cancerígeno no medicamento) e acabando nos maravilhosos blogs aqui da comunidade, a verdade é que até sou uma pessoa que lê bastante.

Mas sentia que fazia-me falta ler um livro físico, ler uma história que não envolvesse cápsulas de gelatina ou tempos de semi-vida, e apesar de aqui nos blogs encontrarem-se criações literárias maravilhosas ( um exemplo disso é este maravilhoso exercício criativo da Bii Yue ), eu sabia que precisava de algo mais.

O clique para recomeçar a ler, algo que quando era mais novo fazia de uma forma caoticamente compulsiva, não foi espoletado por nenhum acontecimento específico.

Não se deveu à minha mãe ter começado a ler, nem sequer a algum melodrama que tivesse tido com as redes sociais, simplesmente senti que era altura para o fazer.

A minha resolução literária passa por todos os dias ler uma hora, que se vai dividir basicamente em trinta minutos de leitura no comboio e trinta minutos antes de ir dormir (o que até agora tenho conseguido fazer sem ficar a roncar compulsivamente).

O livro que escolhi para começar esta nova aventura literária foi o Danças e Contradanças da Joanne Harris, um livro que descaradamente surripiei de casa de uma amiga, porque além de estar decidido em voltar a ler também quero gastar o mínimo possível com este novo hábito, tanto pela saúde da minha carteira, como pelo facto de hoje em dia cada vez fazer menos sentido este consumismo desenfreado.

Se tenho a possibilidade de pedir emprestado ou requisitar numa biblioteca, porque é que hei-de comprar apenas para acumular numa estante a ganhar pó?

O Danças e Contradanças é um bom livro para começar este novo período literário, porque é constituído por contos com um tamanho ideal, não demasiado longos que possam aborrecer, e não demasiado curtos que impeçam que o leitor estabeleça uma empatia com as personagens!

E vocês, andam a ler ou é uma realidade da qual por agora estão afastados?

Recomecei a Ler com o Danças e Contradanças da Joanne Harris