Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Desculpem mas não resisti!

31.07.19, Triptofano!

Qual é o melhor dia p'ra casar
Sem sofrer nenhum desgosto
O trinta e um de Julho,
Porque depois entra Agosto.

 

Confesso-vos que tenho a secreta esperança que algures, vinda de alguma ruela de Santiago de Cuba, chegue-me aos ouvidos esta maravilhosa melodia do Quim Barreiros!

Por curiosidade, sabiam que eu e o Cara-Metade vamos fazer 5 anos de namoro em Cuba?

Se calhar devíamos aproveitar para casar, não é que seja muito difícil de entrar em outra altura, mas nunca se sabe certo? 

 

 

A minha desintoxicação virtual forçada!

30.07.19, Triptofano!

Eu sei que está na moda as pessoas fazerem desintoxicações virtuais, passarem X dias sem olhar para o telemóvel, desinstalarem tudo o que é aplicações e notificações, para poderem aproveitar a vida e conectarem-se com o que realmente interessa!

Isso é tudo muito bonito quando não se é forçado a perder o contacto com o virtual, como é o meu caso agora que estou aqui em Cuba!

Ah e tal Trip, mas afinal parece que tens Internet e tudo, não te podes queixar muito...

Pois minha gente, a verdade é que este é um dos primeiros de uma série de posts agendados, porque estive a pesquisar e em Cuba conseguir Internet é todo um drama digno de novela.

Primeiro, existe Internet no hotel, mas paga! 10 euros por hora, o que eu considero um verdadeiro assalto à mão armada!

A alternativa é sair à rua, comprar um cartão numa loja oficial ou numa banca de jornais que custa dois a três euros por hora, descobrir um local onde exista rede wi-fi, que normalmente é nos hotéis ou resorts ou praças centrais da cidade, inserir o código do cartão no telemóvel para poder conectar à rede wi-fi (sim o cartão não é para inserir no telemóvel, é mesmo só e apenas para desbloquear a rede) e no fim perceber que a ligação é tão lenta, mas tão lenta, que conseguir por uma foto no Instagram demora assim uma meia hora!

Por isso, com muita pena minha, a probabilidade de conseguir colocar fotos todo gostosão no resort a beber dois cocktails de uma vez só ou a engasgar-me com o fumo de um charuto maior que o meu antebraço é muito diminuta.

A única coisa que posso fazer, é pedir-vos encarecidamente que aguardem até ao meu regresso!

Isso ou que rezem com muita força para que haja uma revolução em Cuba e tudo o que é turista fofinho e simpático tenha direito a ter Internet super rápida sem pagar um centavo! 

 

Dom Black - Uma descoberta improvável

28.07.19, Triptofano!

Dom Black em 10 segundos: Descubra um dos melhores pastéis de bacalhau de Lisboa e surpreenda-se como ele combina bem com o molho de chili, apaixone-se perdidamente pelo pão de parmesão mas peça o seu hambúrguer médio a bem passado - é que tem porco!

Dom Black

Se me dissessem que ia encontrar um sério concorrente ao título de melhor pastel de bacalhau de Lisboa num restaurante especializado em hambúrgueres provavelmente iria revirar os olhos e dizer que tal era impossível.

Porém, com 32 anos de idade, já devia mais do que saber que nada é impossível e que o improvável muitas vezes concretiza-se numa descoberta extremamente deliciosa.

Foi no Dom Black, um restaurante que veio ocupar o antigo espaço da Farmácia de Manipulação do Conde Redondo, que me deparei com tamanha maravilha.

Dom Black

Nascida no Brasil, mais concretamente no Recife, a cadeia Dom Black, após seis bem sucedidos restaurantes no país irmão, escolheu Lisboa para abrir o seu novo espaço, convicta de que iria conquistar os portugueses (e a quantidade astronómica de turistas que nascem como cogumelos em cada esquina) com o sabor dos seus hambúrgueres, a cordialidade sorridente do seu atendimento e uma decoração simplesmente perfeita, cheia de pequenos detalhes que dão gozo em descobrir.

Dom BlackDom Black

Mas deixem-me falar mais do pastel de bacalhau que tanto me fascinou.

Sabem aqueles pastéis maçudos, que só sabem a batata e a óleo?

Esqueçam porque não é isso que vão encontrar aqui.

Com uma boa quantidade de bacalhau e bem arejados, uma textura crocante por fora a contrastar com um interior muito macio, estes pastéis quase que imploram para ser comidos.

E após o primeiro é impossível não comer um segundo e um terceiro e, basicamente, a travessa toda...

Mas e se eu vos dissesse que estes pastéis vêm servidos com molho de chili?

Muito provavelmente a Maria de Lourdes Modesto que vive dentro de vocês iria aparecer com uma colher de pau na mão revoltada devido a tamanho atentado contra a tradição gastronómica portuguesa.

É simplesmente fantástico minha gente!

Se é desafiador para os palatos mais tradicionais? Sem dúvida!

Se desvirtua a essência do pastel? Não, como que a complementa de uma forma inesperada.

Estão a ver aquele casal onde ela é uma tia de Cascais e ele é um gótico que cria morcegos na cave? Ninguém esperaria que resultasse, mas a verdade é que resulta maravilhosamente bem!Pastéis de Bacalhau do Dom Black

Então e os hambúrgueres, - perguntam vocês - também são maravilhosos?

Eu e o Cara-Metade experimentámos o Dom Black Premium, o cabeça de cartaz do restaurante, que pode vir servido em três tipos de pão: brioche, preto ou parmesão.

Se o pão de feijão preto era bom, o de parmesão era qualquer coisa de inolvidável, dando vontade de pedir mais quatro ou cinco fatias só para se ter o prazer de as sentir fundirem-se quase que ordinariamente com as nossas papilas gustativas.

Dom Black Premium com pão de feijão pretoDom Black Premium com pão de parmesão

O Dom Black Premium é uma combinação de um tomate coração de boi no ponto certo de colheita, doce e aromático, com uma alface iceberg bastante fresca e muito saborosa.

O bacon, ligeiramente grelhado, com muito aroma e sabor demonstra a utilização de produtos com muita qualidade.

No que toca à carne do hambúrguer, apesar de estar temperada, o seu sabor pouco se deixa perceber (o que me deixa a pensar na razão de tal escolha já que a sua ascendência é uma mistura de entrecôte com cachaço de porco levando-me também e igualmente a pensar na razão de se fazer um hambúrguer de tão nobre corte), acabando por não surpreender nem ser memorável.

As batatas fritas que acompanham o hambúrguer também podiam ser melhores, porque cada vez que se escolhe uma é como jogar à roleta russa, porque não se sabe se vai calhar uma apetecivelmente crocante, ou uma desapontantemente molenga.

Agora o que me chateou, o que honestamente me deixou com algum refluxo, o que fez com que ficasse desapontado com o Dom Black, foi quando perguntei inicialmente se a carne do hambúrguer era só de vaca.

Que sim responderam-me primeiramente.

Após voltar a perguntar disseram-me que afinal ela era confeccionada com pequenos de pedaços de bacon previamente cozinhados.

No fim de comer o hambúrguer, continuava com a pulga atrás da orelha e voltei a perguntar a outra pessoa.

Conclusão: o hambúrguer é feito com uma percentagem de cachaço de porco.

Caiu-me tudo naquele momento.

Não porque por motivos religiosos não pudesse comer porco (aí acho que ainda ficaria mais zangado) mas porque pedi o meu hambúrguer mal-passado (de referir que o ponto de confecção do hambúrguer não se encontrava homogéneo, com algumas partes mais cozinhadas e outras menos!).

E apesar de hoje em dia as condições fito-sanitárias serem cada vez mais exigentes, e o facto de não se comer carne de porco mal passada ser já algo mais cultural do que outra coisa, fiquei chateado.

Porque se soubesse que havia porco no hambúrguer tinha pedido outro ponto de carne e comido feliz da vida.

Assim comi feliz da vida mas no fim fiquei com o hambúrguer meio que a roer-me o estômago, quando na realidade sabia que eram os meus neurónios que estavam furiosamente a falar entre si.

Dom Black Premium

Para esquecer o triste incidente da carne-de-porco-que-não-havia-mas-afinal-já-havia pedi para sobremesa um souflé parfait de café.

Este semi-frio de café estava muito agradável, com uma textura suave e um sabor muito rico, embora remeta para uma preparação industrial e não tão caseira, algo que poderia trazer mais vantagem ao Dom Black.

Ter apenas cuidado é com os grãos de café presentes neste souflé, não quero que ninguém fique com nenhuma faceta dentária totalmente inutilizada! (sim, eu tenho um trauma com dentes e coisas rijas)

Souflé parfait de café do Dom Black

Se estão à procura de um pastel de bacalhau fabuloso o Dom Black é sem dúvida um local que tem de visitar.

O hambúrguer também não vos vai desiludir, apesar de não ser extraordinariamente memorável.

Agora pelo sim pelo não, peçam-no médio a bem passado!

Dom Black

 

Dom Black Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Dom Black - Uma descoberta improvável

28.07.19, Triptofano!

Dom Black em 10 segundos: Descubra um dos melhores pastéis de bacalhau de Lisboa e surpreenda-se como ele combina bem com o molho de chili, apaixone-se perdidamente pelo pão de parmesão mas peça o seu hambúrguer médio a bem passado - é que tem porco!

Dom Black

Se me dissessem que ia encontrar um sério concorrente ao título de melhor pastel de bacalhau de Lisboa num restaurante especializado em hambúrgueres provavelmente iria revirar os olhos e dizer que tal era impossível.

Porém, com 32 anos de idade, já devia mais do que saber que nada é impossível e que o improvável muitas vezes concretiza-se numa descoberta extremamente deliciosa.

Foi no Dom Black, um restaurante que veio ocupar o antigo espaço da Farmácia de Manipulação do Conde Redondo, que me deparei com tamanha maravilha.

Dom Black

Nascida no Brasil, mais concretamente no Recife, a cadeia Dom Black, após seis bem sucedidos restaurantes no país irmão, escolheu Lisboa para abrir o seu novo espaço, convicta de que iria conquistar os portugueses (e a quantidade astronómica de turistas que nascem como cogumelos em cada esquina) com o sabor dos seus hambúrgueres, a cordialidade sorridente do seu atendimento e uma decoração simplesmente perfeita, cheia de pequenos detalhes que dão gozo em descobrir.

Dom BlackDom Black

Mas deixem-me falar mais do pastel de bacalhau que tanto me fascinou.

Sabem aqueles pastéis maçudos, que só sabem a batata e a óleo?

Esqueçam porque não é isso que vão encontrar aqui.

Com uma boa quantidade de bacalhau e bem arejados, uma textura crocante por fora a contrastar com um interior muito macio, estes pastéis quase que imploram para ser comidos.

E após o primeiro é impossível não comer um segundo e um terceiro e, basicamente, a travessa toda...

Mas e se eu vos dissesse que estes pastéis vêm servidos com molho de chili?

Muito provavelmente a Maria de Lourdes Modesto que vive dentro de vocês iria aparecer com uma colher de pau na mão revoltada devido a tamanho atentado contra a tradição gastronómica portuguesa.

É simplesmente fantástico minha gente!

Se é desafiador para os palatos mais tradicionais? Sem dúvida!

Se desvirtua a essência do pastel? Não, como que a complementa de uma forma inesperada.

Estão a ver aquele casal onde ela é uma tia de Cascais e ele é um gótico que cria morcegos na cave? Ninguém esperaria que resultasse, mas a verdade é que resulta maravilhosamente bem!Pastéis de Bacalhau do Dom Black

Então e os hambúrgueres, - perguntam vocês - também são maravilhosos?

Eu e o Cara-Metade experimentámos o Dom Black Premium, o cabeça de cartaz do restaurante, que pode vir servido em três tipos de pão: brioche, preto ou parmesão.

Se o pão de feijão preto era bom, o de parmesão era qualquer coisa de inolvidável, dando vontade de pedir mais quatro ou cinco fatias só para se ter o prazer de as sentir fundirem-se quase que ordinariamente com as nossas papilas gustativas.

Dom Black Premium com pão de feijão pretoDom Black Premium com pão de parmesão

O Dom Black Premium é uma combinação de um tomate coração de boi no ponto certo de colheita, doce e aromático, com uma alface iceberg bastante fresca e muito saborosa.

O bacon, ligeiramente grelhado, com muito aroma e sabor demonstra a utilização de produtos com muita qualidade.

No que toca à carne do hambúrguer, apesar de estar temperada, o seu sabor pouco se deixa perceber (o que me deixa a pensar na razão de tal escolha já que a sua ascendência é uma mistura de entrecôte com cachaço de porco levando-me também e igualmente a pensar na razão de se fazer um hambúrguer de tão nobre corte), acabando por não surpreender nem ser memorável.

As batatas fritas que acompanham o hambúrguer também podiam ser melhores, porque cada vez que se escolhe uma é como jogar à roleta russa, porque não se sabe se vai calhar uma apetecivelmente crocante, ou uma desapontantemente molenga.

Agora o que me chateou, o que honestamente me deixou com algum refluxo, o que fez com que ficasse desapontado com o Dom Black, foi quando perguntei inicialmente se a carne do hambúrguer era só de vaca.

Que sim responderam-me primeiramente.

Após voltar a perguntar disseram-me que afinal ela era confeccionada com pequenos de pedaços de bacon previamente cozinhados.

No fim de comer o hambúrguer, continuava com a pulga atrás da orelha e voltei a perguntar a outra pessoa.

Conclusão: o hambúrguer é feito com uma percentagem de cachaço de porco.

Caiu-me tudo naquele momento.

Não porque por motivos religiosos não pudesse comer porco (aí acho que ainda ficaria mais zangado) mas porque pedi o meu hambúrguer mal-passado (de referir que o ponto de confecção do hambúrguer não se encontrava homogéneo, com algumas partes mais cozinhadas e outras menos!).

E apesar de hoje em dia as condições fito-sanitárias serem cada vez mais exigentes, e o facto de não se comer carne de porco mal passada ser já algo mais cultural do que outra coisa, fiquei chateado.

Porque se soubesse que havia porco no hambúrguer tinha pedido outro ponto de carne e comido feliz da vida.

Assim comi feliz da vida mas no fim fiquei com o hambúrguer meio que a roer-me o estômago, quando na realidade sabia que eram os meus neurónios que estavam furiosamente a falar entre si.

Dom Black Premium

Para esquecer o triste incidente da carne-de-porco-que-não-havia-mas-afinal-já-havia pedi para sobremesa um souflé parfait de café.

Este semi-frio de café estava muito agradável, com uma textura suave e um sabor muito rico, embora remeta para uma preparação industrial e não tão caseira, algo que poderia trazer mais vantagem ao Dom Black.

Ter apenas cuidado é com os grãos de café presentes neste souflé, não quero que ninguém fique com nenhuma faceta dentária totalmente inutilizada! (sim, eu tenho um trauma com dentes e coisas rijas)

Souflé parfait de café do Dom Black

Se estão à procura de um pastel de bacalhau fabuloso o Dom Black é sem dúvida um local que tem de visitar.

O hambúrguer também não vos vai desiludir, apesar de não ser extraordinariamente memorável.

Agora pelo sim pelo não, peçam-no médio a bem passado!

Dom Black

 

Dom Black Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Um restaurante onde tudo é Queimado!

26.07.19, Triptofano!

Queimado em 10 segundos: Descubra um restaurante repleto de técnica e criatividade onde tudo passa pela grelha, delicie-se com o BBQ de cogumelo ostra, sorria com as ovas de peixe que rebentam na língua e prepare-se para o orgasmo da sua vida quando pedir a sobremesa!

Restaurante Queimado Bairro Alto

E se eu vos dissesse que poderiam ter uma experiência gastronómica fascinante sendo que para tal apenas teriam que sacrificar o conforto do vosso rabo, acabando a refeição com ele ligeiramente dormente mas com um sorriso gigantesco no rosto?

Situado no Bairro Alto, o Queimado é um daqueles restaurantes pelo qual é tremendamente fácil uma pessoa apaixonar-se.

Quem passa na rua inevitavelmente tem o seu olhar atraído para dentro deste espaço, onde a decoração, a luz e a sonoridade conjugam-se tão perfeitamente criando uma onda de sedução que nos atinge qual tsunami.

A boa energia e o amor pela comida são palpáveis, contribuindo para um quase êxtase, só interrompido pelo facto de termos que sentar o nosso rabiosque numa placa de cortiça - tragam uma almofadinha de casa se não quiserem ficar com ele completamente quadrado no fim da noite!

Restaurante Queimado Bairro Alto

O Queimado é assim apelidado não porque trabalhe lá alguém com as mesmas aptidões culinárias que eu e que pegue fogo à casa dia sim dia sim, mas porque tudo o que é servido passa pela grelha a carvão, nem que seja para ser finalizado.

A ementa é pequena, foi concebida para partilhar, e pelo que pude perceber roda com frequência, o que faz com que se possa visitar o Queimado vezes e vezes sem conta e ter sempre algo novo para provar.

Mas o mais importante é que por detrás de um menu simples existe uma criatividade gigantesca e uma quantidade de técnica impressionante.

Restaurante Queimado Bairro Alto

Sejamos completamente honestos, o Queimado não é perfeito, necessita de afinar alguns pequenos detalhes, mas está ali quase quase quase a roçar o Nirvana gastronómico,

Eu sei que depois desta introdução gigantesca vocês devem estar em pulgas para saber o que eu enfiei para o bucho, mas primeiro vamos falar das bebidas.

Restaurante Queimado Bairro Alto

No Queimado a água não se paga. Podem beber a que quiserem que está incluída na conta do jantar.

É engraçado que não é algo que se veja muito habitualmente em Portugal, mas em França, por exemplo, é normal os restaurantes servirem um jarro de água potável para acompanhar a refeição.

Já que não ia gastar dinheiro em água aproveitei para pedir um cocktail, um Mister & Maestro, com Tequila Ocho Blanco, marmelada de toranja e chartreuse, este último a ser responsável pelos pontos flutuantes verde-limão.

Saboroso mas forte, as únicas dúvidas com que fiquei prendaram-se na apresentação do cocktail.

Se por um lado a sobriedade permitiu-me concentrar na bebida propriamente dita, por outro eu gosto daqueles cocktails cheios de mariquices com chapéus e frutas e fumo e coisas que tais! (não me julguem está bem?)

Restaurante Queimado Bairro Alto - Mister & Maestro

O Cara-Metade e eu pedimos 4 pratos para partilhar e foi a conta certa.

Não ficámos nem com fome nem mal dispostos de tanta comida (apesar de vocês já conhecerem as minhas capacidades como aspirador).

Agora o que vocês precisam realmente de saber é que se querem aproveitar ao máximo a vossa experiência no Queimado não podem estar preocupados com as aparências.

É prepararem esse dedo indicador para esfregar no prato e levar à boca para se deliciarem com todos os pequenos pedaços divinais de comida que vos puserem à frente.

Restaurante Queimado Bairro Alto

O Barbeque de cogumelo ostra é qualquer coisa de soberbo.

A cada dentada é libertado um sabor a fumo proveniente da estaladiça tortilha de milho que se conjuga divinamente com o picante proveniente do adobo de tres chiles (uma preparação picante onde se imergem alimentos crus), tornando este prato totalmente irresistível.

Como é que se vê que há técnica, e muita, vinda da cozinha? Pela maionese de cinzas de alho-francês e pelo daikon (um rabanete branco) cortado numa brunesa perfeita e irrepreensível.

Restaurante Queimado Bairro Alto - BBQ Cogumelos Ostra

O Seared onglet bife (onglet é um corte de carne não muito conhecido), com morango assado e folhas amargas é um desafio ao nosso palato, porque há tanta coisa estranha mas ao mesmo tão boa que as nossas conexões neuronais começam a vibrar feitas malucas.

A carne fala por si.

Não há temperos nem coisas que tais para esconder qualidades duvidosas. É boa carne, que sabe verdadeiramente a boa carne.

O morango assado é um revivalismo da minha infância onde a minha mãe fazia pasta de dentes caseira deste fruto que obviamente fazia com que eu passasse mais tempo a comer a pasta do que propriamente a lavar os dentes.

As folhas amargas descrevo-as como texturas estranhas que ficam a flutuar na cavidade bucal quais aliens deliciosos.

Tudo junto resulta num prato que funciona, mas que talvez precisasse só de uma pitada extra de qualquer outra coisa, nem eu sei bem o quê, para tornar este fogo-de-artifício de sabores numa verdadeira explosão pirotécnica digna de uma passagem de ano na Madeira.

Restaurante Queimado Bairro Alto - Seared onglet bifeRestaurante Queimado Bairro Alto - Seared onglet bife

Outra combinação vencedora foram as batatas assadas com crème fraîche fumado e ovas de peixe. É simplesmente impressionante como é que ingredientes tão simples combinados da forma correcta conseguem ser tão entusiasmantes,

Porém, apesar da delícia infantil que é sentir as ovas de peixe rebentarem na nossa língua, senti que as batatas podiam estar um bocadinho mais cozinhadas para atingirem o ponto, mas não foi isso que colocou em causa de maneira alguma a composição sensorial do prato.

Restaurante Queimado Bairro Alto - Batatas Assadas

Para terminar atacámos uma codorniz com glaze de damasco e arroz selvagem tufado.

Apesar de ser este prato que mais me trouxe a lembrança que estava num local onde o grelha a carvão é rainha e senhora, visto ser impossível não pensarmos imediatamente no sabor do frango do churrasco, era aquele dos que provei que tiraria do menu.

Ele estava óptimo, só que a codorniz é algo caro, é algo difícil de comer (se forem como eu que rói todos os ossinhos ficam uma boa hora e meia para acabar) e é algo que enche pouco, por isso não sei até que ponto faz sentido a sua presença na carta. 

Outro detalhe que tenho de referir é que o arroz selvagem tufado pode não ser a melhor coisa para quem tenha facetas dentárias está bem? (pronto, posso estar a exagerar um bocadinho, mas não quero que digam que eu não avisei!)

Restaurante Queimado Bairro Alto - Codorniz com glaze de damasco

Eu e o Cara-Metade podíamos ter terminado a nossa refeição por aqui, mas decidimos que queríamos experimentar uma sobremesa.

Escolhemos a mousse de chocolate negro com marshmallow, bolacha de amendoim e cereja macerada.

Não sei o que vos posso dizer acerca desta sobremesa. 

Sabem aquela história sobre os homens terem um período refractário entre cada orgasmo?

É mentira, é uma completa e indecente mentira perpetuada por anos e anos de falsa investigação científica.

Eu tive uns cinco ou seis orgasmos seguidos, eu rebolava de prazer a cada colherada que metia na boca, eu já não sentia sequer a parte inferior do meu corpo! (mas isso também podia dever-se ao raio da placa de cortiça onde eu estava sentado...)

Esta sobremesa não é boa! É um apocalipse. É uma bomba atómica. E vocês vão querer estar bem no centro do local de impacto, para a receberem com todo o seu esplendor.

Restaurante Queimado Bairro Alto - Mousse de chocolate negro com marshmallow, bolacha de amendoim e cereja maceradaRestaurante Queimado Bairro Alto - Mousse de chocolate negro com marshmallow, bolacha de amendoim e cereja macerada

Não há muito mais que eu possa dizer sobre o Queimado a não ser que merece uma visita o mais rápido possível!

Reservem para garantirem o vosso lugar e poderem comer sem pressas, mas acreditem em mim e levem mesmo uma almofadinha. Vão agradecer-me no fim!

Restaurante Queimado Bairro Alto

 

Queimado Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aviso à Tripulação

25.07.19, Triptofano!

Imaginem que na próxima semana existe um Golpe de Estado em Portugal e o nosso Presidente Marcelo é posto na rua com uma mão à frente e outra a segurar aqueles cinquenta e sete livros que ele lê por noite!

Imaginem também, que por voto popular, a pessoa escolhida para comandar o destino do país é nem mais nem menos do que a única, a maravilhosa, a fantástica, a diva, Ana Malhoa!

Agora o que é que vocês pensariam quando vissem que eu em vez de postar uma ode de agradecimento a tão maravilhosa criatura celestial, ao invés de apelar a todos os santos para ser eleito Relações Públicas Internacionais de tão maravilhoso governo para distribuir latigazos a torto e a direito e algum Colesterol de Amor aos Chefes de Estado que se portassem menos bem, continuasse a escrever calmamente sobre o novo creme anti-rugas da Lierac ou sobre o local onde quase ia morrendo engasgado com um osso de frango?

Teria eu enlouquecido? Finalmente percebido que o meu amor pela Ana Malhoa nunca seria retribuído?

Na realidade chama-se agendamento de posts, porque no próximo domingo a minha pessoa vai de férias durante duas semanas para Cuba! 

Depois de há dois anos ter sido obrigado a mudar de planos por causa de uma piquena inundação no país, eis que finalmente (a não ser que apareça um furacão vindo de um buraco qualquer) vou visitar esta ilha caribenha.

O grande problema de Cuba é que Internet assim aos pontapés é coisa que não há (bem Cuba tem outros problemas um bocadinho mais chatos mas adiante...), por isso estou já a prever que a minha capacidade de ligação ao mundo virtual vai ser ínfima.

Por isso é que vou deixar alguns posts agendados (que ainda não escrevi havendo a probabilidade de chegar a domingo e estar a escrever tudo à pressa no aeroporto) para vocês não morrerem de saudades de mim, sendo que se for possível também vou colocar algumas fotozitas no Instagram, para vocês suspirarem apaixonadamente pelo meu pneu.

Peço já desculpa é pelo facto da interacção aqui no blog ir diminuir drasticamente, mas prometo que bebo um cocktail por cada comentário que me deixarem aqui está bem? 

 

Já agora, quem é que já visitou Cuba? Truques e dicas que achem que eu precise de saber para ter uma viagem fantástica? 

 

A minha visita ao Oftalmologista

24.07.19, Triptofano!

Há 32 anos que vou ao mesmo oftalmologista, sendo que foi este médico que me operou ainda bebé a um quisto que tinha num olho.

De dois em dois, ou de três em três anos, lá vou eu para perceber se estou mais míope ou se me apareceu alguma coisa nova na vista (da última vez descobri que tinha astigmatismo).

O processo nunca muda.

Cumprimentar o senhor doutor que está sempre na mesma o que me faz desconfiar que ele anda a dar no botox ou a ingerir caixas e caixas daquele suplemento do Cogumelo do Tempo.

Enfiar a cara numa maquineta que faz um barulho tipo metralhadora em slow-motion enquanto olho para um barquito que vai ficando mais ou menos focado ao mesmo tempo que ouço a respiração pesada do senhor doutor, que nunca sei se é um sinal de que ele devia cortar no tabaco ou que descobriu que estou a um passo de ficar cego e depois só posso ver pornografia em braille.

No fim, sentar-me de frente para aquele famoso quadro com as letras de vários tamanhos e ir experimentando lentes para decidir com qual eu vejo melhor.

Um pequeno aparte antes de terminar a história, é engraçado como é que o nosso cérebro armazena informações.

Quando o médico estava a trocar-me as lentes a mão dele roçou na minha cara, e a minha rede neuronal reconheceu aquele toque como familiar, provavelmente de quando ele me operou quando era bebé.

Ou talvez eu esteja a tentar romantizar a coisa e devesse era tomar qualquer coisa que controlasse esta libido que eu tenho por homens mais velhos.

Mas voltando às lentes: a minha mãe sempre que eu lhe digo que vou ao oftalmologista inferniza-me para que eu demore o tempo que for preciso para compreender com qual lente vejo melhor.

Se for 1 minuto é 1 minuto, se forem 10 são 10.

Para não ter vergonha de pedir ao senhor doutor para pôr e tirar e pôr e tirar e pôr e tirar as vezes que forem necessárias! (no momento em que acabei de escrever esta frase compreendi o quão depravado ela pode soar...)

Decidi que iria acatar o conselho da senhora minha mãe e ia levar o meu tempo.

A primeira lente foi fácil, a diferença era enorme. A segunda também foi canja, porque aquele C do início afinal era um E.

Agora a terceira e a quarta é que foram mais complicadas porque não notava grandes diferenças. Resolvi focar-me na primeira letra da linha que era um H, mas que eu via com uma das pernas de cima desfocadas.

O estranho é que não havia lente que me fizesse ver melhor o raio do H.

As outras letras todas estavam nítidas, mas aquele H continuava com a perna desfocada.

Pedi umas dez vezes para o senhor doutor ir trocando as lentes para eu compreender com qual via melhor, e das dez vezes fiquei assim com a boca meio aberta, com um ar de dúvida estampado na cara, sem conseguir tomar uma decisão.

Quando finalmente o médico pergunta-me se eu estava com algum problema respondo-lhe que o problema é o H, que não consigo ver com nitidez uma das pernas!

Ah, não olhe para essa letra - responde-me ele - o quadro é antigo e uma das pernas já está desbotada....!

 

Pornografia é Traição?

23.07.19, Triptofano!

Estava eu muito sossegadito a navegar na Internet quando encontro um artigo sobre pornografia e traição.

Dizia o artigo que um homem que visse pornografia estava a trair a mulher, porque estava a desejar outra mulher que não a esposa.

E que o sexo representado na pornografia não é um espelho da realidade, ficando assim o homem insatisfeito pela banalidade do acto sexual matrimonial, levando a que a mulher se sentisse inferiorizada e fragilizada.

Obviamente que todo eu já era uma crise de urticária ainda não tinha chegado a meio do texto, porque em 2019 é inconcebível que alguém ache que só os homens é que vêem pornografia e as mulheres são seres amorfos sem desejo sexual que ficam a chorar pelos cantos.

O artigo finalizava com um belo "não cobiçarás a mulher alheia", o que me fez questionar se então é válido cobiçar-se o homem alheio ou se está tudo enfiado dentro do mesmo saco!

Apesar do machismo pulsante no texto, que decidi ignorar porque infelizmente há mentes que nasceram tortas e não se vão endireitar, fiquei a pensar se realmente ver pornografia pode ser considerado traição?

E não falo de quando um casal vê um filme pornográfico, refiro-me a quando estamos sozinhos na nossa intimidade e colocamos um vídeo com o intuito de nos estimularmos com o desconhecido (ou com o conhecido caso tenhamos algum vídeo favorito!).

Vivemos numa sociedade em que é somente politicamente correcto fantasiarmos monogamicamente? Admitir que se vê pornografia significa que não se está satisfeito sexualmente com o parceiro?

Ou, de forma moderada para não se tornar um vício incontrolável, a pornografia é uma forma segura de explorar a sexualidade?

Pornografia é traição? Sim ou não?

Qual é a vossa opinião sobre o assunto?

 

Boom, Boom, Ciao!

21.07.19, Triptofano!

Atenção, este post tem light spoilers, mas assim muito light, tipo aquelas saladas só com alface que uma pessoa fica toda desconsolada a comer mas pronto é a altura da praia e alguém nos disse que só podemos ir para o areal se não tivermos banhas por isso fazemos o sacrifício em vez de comermos um gelado daqueles cheios de caramelo e pintarolas e coisas que tais!

La Casa de Papel - Boom Boom Ciao

Estou chateado com a La Casa de Papel.

Acabei ontem de ver a terceira temporada já eram duas da manhã e fui dormir tão furibundo que vocês nem imaginam.

E eu explico-vos porquê.

Eu gostei de ver a primeira e a segunda temporada, mas não estava com grandes esperanças para esta terceira. Na realidade passaram-se meses em que eu nem sequer me lembrava que a La Casa de Papel tinha existido na minha vida.

Mas depois ela voltou. Tipo ex-namorado grudento, que acaba convosco e um ano depois aparece, todo fofinho e amoroso e cheio de promessas que as coisas vão ser melhores do que no passado.

E eu feito idiota dei-lhe uma oportunidade. E fiquei colado ao ecrã, sempre com um pé atrás para não me desiludir.

No início parecia a mesma história de sempre, as mesmas promessas de amor eterno, as mesmas tentativas de sedução, e eu a resistir estoicamente, a não querer entregar-me como no passado.

Mas quando eu achava que tinha a situação controlada, pimba, a La Casa de Papel surpreende, tira o fôlego, faz-nos apaixonar descontroladamente e mandar o bom senso para as urtigas, enquanto ficamos envolvidos de uma forma que não achávamos ser possível.

E quando estamos no apogeu, no auge, no quase nirvana do delírio, ACABA.

Acaba assim, sem uma explicação, sem uma mensagem de justificação, deixando-nos com o coração na boca e sem chão onde pousar os pés.

Aquele ex-namorado ao qual nos voltámos a entregar levou-nos a vestir a melhor roupa e a comprar um perfume novo só para nos deixar plantados numa qualquer mesa de restaurante a comer gressinos enquanto o nosso interior se despedaçava em mil bocados.

Não se faz minha gente. Não se faz.

A La Casa de Papel fez Boom Boom comigo e depois deu-me um Ciao.

Assim, sem mais nem menos.

Filha de uma grande égua....

 

P.S: Quem é a vossa personagem preferida na série?

A minha é sem dúvida nenhuma a Nairobi, sendo que a Lisboa, bem, acho que devia haver um abaixo-assinado de protesto porque deram o nome da nossa maravilhosa capital à personagem que só apetece dar um par de estalos na fuça por ser tão irritantezinha!

Os meus 4 Mandamentos de Beleza

19.07.19, Triptofano!

Quando alguém me pergunta sobre conselhos de beleza, seja homem ou mulher (que isto a beleza não tem género), é certo e sabido que leva com os meus 4 Mandamentos de Beleza.

Estes mandamentos são 4 hábitos que para mim todas as pessoas deviam adoptar, independentemente do tipo de pele que tenham ou de alguma condição específica que queiram "atacar".

Agora, se vocês me perguntarem se eu sigo estes 4 mandamentos, não vou mentir-vos com todos os dentes e dizer que sim, porque na verdade há alturas em que não os faço.

Ou porque me esqueço, ou porque estou com preguiça, ou porque não tenho tempo, ou porque estou com a neura e desleixo-me com a pele...enfim, poderia continuar com um sem número de desculpas para não ter os cuidados que tanto defendo. 

Mas já diz o ditado: façam o que eu digo e não olhem para o estado macilento em que eu tenho a minha pele por preferir ficar no sofá a comer batatas fritas, por isso sejam mais aplicados que eu e sigam os meu 4 Mandamentos de Beleza.

Os meus 4 mandamentos de beleza

Limpar, limpar, limpar....

Minha gente, limpem essas caras.

Vocês não comem num prato cheio de restos de lasanha do dia anterior pois não?

Então porque raio haveriam de colocar uma nova camada de creme em cima dos restos do creme da aplicação anterior?

Limpar prepara o vosso rosto para receber coisinhas boas além de tirar partículas de sujidade e de poluição e de milhentas outras coisas que vocês não querem ter na vossa cara mas com as quais não se chateiam muito porque não as conseguem ver a olho nu (mas se vos enfiassem um microscópio daqueles da NASA nos poros até tinham um enfarte).

Limpem com o que quiserem desde que limpem.

Com um gel se tiverem a pele oleosa, com um leite se ela for assim mais seca, usem uma água micelar e evitem a água da torneira caso tenham a pele extremamente reactiva, apostem naqueles gadgets todos futuristas para ficarem com a pele radiante, mas limpem!

E sobretudo se usarem maquilhagem não durmam com ela.

Eu sei que depois da festa onde beberam um bocadinho de vodka de morango a mais tudo o que vos menos interessa é retirar aquela base de alta cobertura.

Peguem num produto adequado (especialmente se forem desmaquilhar os olhos) e vão dormir com a pele limpa!

Acreditem que a vossa pele agradece.

Exfoliar uma vez por semana

Só precisam de escolher um dia por semana para fazerem uma limpeza mais profunda do vosso rosto através de uma boa e eficaz exfoliação. 

Livram-se de todas aquelas células mortas, retiram o excesso de sebo, ficam com um ar fresco, lindo e maravilhoso, além de que a pele fica muito mais receptiva para todos os cuidados que queiram usar durante os próximos 7 dias.

Como no caso da limpeza exfoliem como vos der na gana, desde que respeitem as particularidades da vossa pele.

Pingam gordura durante o dia? Façam uma máscara exfoliante com argila.

Querem livrar-se das manchas que vos apareceram depois daquela semana de férias sem protector na Comporta? Escolham uns ácidos bem potentes e sintam a pele a picar.

Possuem sensibilidade extrema? Encontrem um belo exfoliante enzimático e siga para bingo.

A vossa pele é maravilhosa e aguenta tudo e mais alguma coisa? Façam combinações de diferentes tipos de exfoliantes - o céu é verdadeiramente o limite!

Agora por favor, não usem é uma luva de crina de cavalo no rosto! Há limites para tudo, até para a exfoliação. (eu sei que disse que o céu era o limite, mas pronto vocês percebem...)

Tenham um novo amigo na vossa vida: o Retinol!

Toda a gente devia fazer retinol, sem qualquer excepção.

Bem, as pessoas abaixo dos 30 anos talvez não precisem, porque ainda tem uma renovação celular indecentemente satisfatória, mas a partir das três décadas de existência as células começam a renovar-se muito mais lentamente, sendo que precisam de um estímulo que vai ser na forma do retinol.

Já sabem que os benefícios deste produto são a longo prazo, sendo que há um período de adaptação de forma a evitarem acordar com a cara parecida com um bicho.

Mas se tiverem paciência e persistência vão ver que foi a melhor aposta da vossa vida.

As pessoas que não conseguem aguentar nem as doses mais baixas de retinol não precisam de começar a chorar desalmadamente.

No mercado já existem formas mais fracas de retinol e mesmo formulações com plantas retinol-like.

Claro que não são tão maravilhosas mas quem não tem cão caça com gato, e o importante é uma pessoa não cruzar os braços!

Usar protector solar todos os dias do ano!

Eu sei que não está sol, que o tempo está uma treta, que até cai um bocadinho de chuva,  mas usem protector solar sempre pessoal!

Todos os dias do ano, sem excepção, porque se conseguem vez um palmo à frente da cara é porque há luz, e se há luz existe radiação UVA que é a responsável por envelhecer a vossa bela cara.

O protector solar vai garantir que vão estar maravilhosos durante muito mais tempo, além de evitar que tenham outros problemas de pele um bocadinho mais chatos.

Já sabem que para mim quanto mais alto o SPF melhor, porque tendencialmente o factor de protecção UVA também vai ser maior, por isso, e não me chibatem pelo que vou dizer, mas prefiro que se não gostarem de colocar cremes na cara, que utilizem um protector solar com ácido hialurónico na formulação do que um creme todo XPTO com um factor de protecção de 20.

Ah, e se não gostam de protector solar porque ele fica meio gorduroso na vossa pele é porque não estão a comprar o correcto.

Hoje em dia há protectores para todos os tipos de peles,  sejam elas secas, mistas, acneicas, atópicas ou sensíveis. 

Tem é que escolher correctamente!

 

Agora digam-me de vossa justiça: dos meus 4 mandamentos quais são os que vocês cumprem religiosamente? Ou pelo menos assim de vez em quando...

Pág. 1/3