Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Os alimentos com carvão activado são seguros?

29.05.19, Triptofano!

Hoje em dia a moda é enfiar carvão activado em tudo o que é alimento.

Ele são limonadas pretas, pizzas com massa preta, gelados pretos, tudo em prol de aumentar as vendas suscitadas pela curiosidade e pela oportunidade de obter uma foto fantástica para o Instagram.

Mas será que os alimentos com carvão activado são seguros?

Os alimentos com carvão activado são seguros?

Não vou dizer que se comerem um gelado preto ou uma limonada escurecida com carvão que vão cair imediatamente para o lado, mas a verdade é que não são seguros, nem a curto nem a longo prazo.

O carvão vegetal activado teve as suas capacidades de desintoxicação do organismo reconhecidas há muito tempo, sendo que essas propriedades ajudaram-no a ser catapultado pela fama, mas são também elas que o podem tornar perigoso.

O carvão vegetal é como uma esponja gigantesca cheia de poros, que tem a capacidade de adsorver, ou seja de fixar à sua superfície, tudo o que for indesejável que se encontre no sistema digestivo, tais como gases, aditivos alimentares, resíduos de pesticidas ou fertilizantes, metais pesados, solventes orgânicos, bactérias tóxicas do peixe ou do marisco, entre outras coisas chatas.

O problema é que o carvão não consegue fazer a distinção entre as coisas que são más e que não fazem falta no nosso organismo das coisas boas e maravilhosas que nós precisamos!

Ou seja, nutrientes e medicamentos também são captados, sendo que em vez de ser absorvidos pelo organismo acabam expelidos nas fezes.

Por isso é que quando eu recomendo carvão vegetal, para tratar uma diarreia ou um excesso de ar a nível intestinal, dou sempre a indicação que ele deve ser feito com duas horas de distância de alimentos ou outros medicamentos.

Por isso, alimentos com carvão activado não fazem o mínimo sentido, porque em vez de estarmos a absorver todos os nutrientes e vitaminas daqueles alimentos estamos a mandá-los directamente pela sanita, envoltos numas fezes maravilhosamente (ou não) escuras.

A ingestão diária destes alimentos pode chegar a causar até problemas de má-nutrição!

A combinação carvão activado/medicamentos também não é muito feliz.

Imaginem que tomam a vossa pílula todos os dias com uma limonada preta! Ou o vosso comprimido para a tensão! Ou o vosso medicamento para a epilepsia!

O carvão ao adsorver os medicamentos vai fazer com que eles tenham zero efeito, o que obviamente não é o que se quer!

Por isso se quiserem usar carvão activado para desintoxicar o corpo façam-no sempre fora das refeições e das tomas dos outros medicamentos.

Se são daquelas pessoas que não vivem sem fotos lindas e maravilhosas e irreverentes no feed do vosso Instagram, experimentem juntar tinta de choco.

Pode não saber tão bem, mas fica preto na mesma para a foto!

 

Como diminuir os níveis de ácido úrico?

29.05.19, Triptofano!

Apesar de ter ficado bastante contente com os resultados das minhas análises, os valores de ácido úrico deixaram-me ligeiramente preocupado por estarem quase no limite do aceitável.

Por causa disso decidi investigar um bocadinho mais sobre o que é isto do ácido úrico, que impacto é que ele tem na nossa vida e como podemos controlar os seus valores! 

Como diminuir os níveis de ácido úrico?

O ácido úrico é formado a partir da degradação das purinas, e não, não estou a falar daquela marca de alimentos para animais, mas sim de umas bases nitrogenadas todas XPTO que existem no nosso organismo e que têm funções vitais como a produção do ADN.

O problema é que as purinas também existem em certos alimentos, e se nós enfiarmos para o bandulho muitas delas vamos acabar por aumentar a produção de ácido úrico.

Ora quando há um aumento da produção do ácido úrico ou uma diminuição da eliminação deste pela urina (o que acontece frequentemente a quem toma certos medicamentos como os diuréticos tiazídicos) este vai acumular-se no nosso corpo formando cristais semelhantes a agulhas (e não são cristais Swarovski minha gente), que se depositam nas articulações, inflamando-as!

Esta inflamação das articulações, extremamente dolorosa, chama-se de Gota, sendo que é caracterizada por uma dor súbita e intensa, que normalmente ataca em primeiro a articulação do dedo grande do pé.

Uma crise de gota, que é caracterizada por inchaço, vermelhidão, dor e calor, tem tratamento, mas se este não for realizado de uma forma correcta as crises podem prolongar-se por dias ou até semanas, tornando-se cada vez mais frequentes.

Quanto mais frequentes forem as crises mais as articulações são agredidas, podendo resultar em deformações, especialmente ao nível das mãos, pés, cotovelos e joelhos.

Os cristais de ácido úrico podem também acumular-se no aparelho urinário e formar, em vez de um diamante que dava tanto jeito ao pessoal, a maravilhosa e extremamente dolorosa pedra nos rins!

Então o que é que uma pessoa pode fazer para diminuir os valores de ácido úrico no sangue e prevenir uma crise de gota?

Primeiro que tudo evitar alimentos ricos em purinas.

Existe uma lista bastante extensa de alimentos que se devem evitar (não é preciso banir, basta diminuir a frequência com que os ingerimos) mas os mais falados são o marisco, as vísceras, as carnes de animais jovens e os enchidos.

Um bom conselho é inicialmente cozer a carne em água fria, de forma a aumentar a libertação das purinas!

Depois reduzir a ingestão de bebidas alcoólicas, em particular da cerveja, e compensar com a ingestão de 2 litros de água diários.

A ingestão de leite e de produtos lácteos magros ajudam também a reduzir os valores de ácido úrico, já que certas proteínas presentes nestes alimentos promovem a sua excreção através da urina!

Por fim, aquilo que todos deveríamos fazer, que é ter uma alimentação equilibrada e manter um peso adequado, além de praticar actividade física, mas sempre com o cuidado de não forçar excessivamente as articulações que podem já estar agredidas!

Uma última dica, caso queiram experimentar regularizar os vossos valores com um produto natural antes de começarem com os químicos, experimentem fazer diariamente um chá de urtiga-branca (Lamium album) ou tomar cápsulas desta planta!

Mas atenção, tem que ser mesmo de urtiga-branca, pois é a sua composição única em flavonóides e antioxidantes naturais, além de algumas substâncias diuréticas, que lhe concede a capacidade de regularizar os níveis de ácido úrico!

Como diminuir os níveis de ácido úrico - Urtiga branca