Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

O que é que aconteceu à Renée Zellweger?

27.05.19, Triptofano!

Este post é sobre a nova série da Netflix, What If, mas antes de me debruçar sobre ela tenho que obrigatoriamente fazer um minuto de reflexão acerca do que aconteceu com a actriz Renée Zellweger!

É verdade que a última vez que a vi foi no filme de 2004, o novo diário de Bridget Jones, onde ela estava fresca e fofa, e desde essa altura passaram-se 15 anos, mas nada me tinha preparado para isto.

O Novo Diário de Bridget Jones

What If - Netflix

Ok, não é que a moça esteja mal, mas nunca na vida diria que era a mesma pessoa.

Ela continua fresca e fofa, mas é como se tivesse passado de uma carcacinha estaladiça para um pão de Mafra...ah esperem, a Renee só tem 50 anos?? Um pão de Mafra recesso então!!!

Será que a moça enganou-se a comprar os cremes anti-idade? Viverá directamente em baixo do buraco do ozono? Passou quase vinte anos sem comer qualquer alimento contendo antioxidantes?

Bem, nós sabemos o que aconteceu, e espero que isto seja exemplo suficiente para todos os que estiverem a ponderar fazer operações plásticas pensarem 128 mil vezes antes de irem à faca!

Mas falando da série, What If é uma série de suspense com algumas reviravoltas interessantes mas sobretudo com movimentos demasiado previsíveis para ser considerada uma série fantástica.

Renée (que eu só descobri que era ela no fim do primeiro episódio quando deitei os olhos aos créditos) faz o papel de Anne Montgomery, uma investidora cheia de dinheiro que decide apostar na empresa de biotecnologia de Lisa Donovan (interpretada por Jane Levy), uma cientista com ar de quem nunca partiu um prato que descobriu uma forma de potenciar os tratamentos farmacológicos e salvar milhões de pessoas pelo mundo fora, deixando obviamente piursos os senhores da indústria farmacêutica.

What If começa com um interessante dilema moral que infelizmente acaba por perder a sua dimensão consoante a história se desenrola .

O que é que seriam capazes de sacrificar para terem sucesso?

Se alguém vos dissesse que aquele projecto, aquele cargo, aquele emprego de sonho que toda a vida ambicionaram poderia ser vosso, do que é que estariam dispostos a abrir mão?

Em What If, Renée exige uma noite com o marido de Lisa em troca de um investimento de 80 milhões de dólares, o que leva o espectador atento a pensar instantaneamente com o moço deve ter uma pila de Midas e a Renée vai aproveitar para transformar tudo em ouro!

E vocês, eram capazes de vender a vossa relação por algo que quisessem muito? E se essa coisa fosse algo não que vocês quisesse muito muito muito mas que permitisse salvar a vida de milhões?

O que era mais importante para vocês? A vossa bolha íntima sem dramas nem remorsos ou a possibilidade de mudarem para melhor a vida de uma quantidade incalculável de pessoas?

What If Netflix

 

 

5 Razões para os Portugueses não terem votado para o Parlamento Europeu

27.05.19, Triptofano!

Mais uma vez Portugal foi um dos países da Europa com maior percentagem de abstenção nas eleições para o Parlamento Europeu, mas se muitos dizem que é porque os portugueses não tem interesse na vida política ou porque acham que a Europa está lá longe e não tem qualquer impacto nas suas vidas eu venho revelar-vos as 5 verdadeiras razões para este massivo afastamento das urnas!

1 - Não saber o que vestir

Votar é um acto solene que todos deveriam respeitar, nem que fosse para agradecer a sorte de não se viver num daqueles países onde o único poder de escolha é se queremos levar as 100 chicotadas todas de uma vez ou em pequenas prestações sem juros de 10.

E os portugueses levam a sério o voto, por isso é que era muito mais fácil que quando enviamos aquela mensagem para saber qual o local onde nos temos de dirigir para colocar a cruzinha também dissessem qual o dress code.

É que uma pessoa fica naquela que não sabe o que há-de vestir.

Será que tem de ir formal, informal, casual chique, de gala? 

Levam-se as sabrinas ou um sapatinho com dois dedos de salto? Pode-se ir de calções ou é melhor a calça de bombazine? É adequado ir votar sem soutien, assim com os mamilos hirtos por causa da súbita descida de temperatura, ou a formalidade do voto obriga uma cueca da avó tão subida que até tapa a maminha atrevida?

Obviamente que uma pessoa não sabendo como deve ir vestida prefere ficar em casa, que é para não aparecer na televisão numa entrevista daquelas sondagens à boca da urna e ser humilhada nacionalmente.

2 - Recomendação Médica

Incrivelmente, apesar de sermos um país carregadinho de sol, todos os portugueses descobriram nos últimos anos que tem carência a nível dos valores de vitamina D.

Andámos todos estes anos da nossa história nacional a acharmos que éramos mais tristes e saudosos por causa do Fado e afinal é porque o raio da vitamina D anda pela hora da morte.

Ainda não percebi como é que a Cristina Ferreira não vende no seu programa um suplemento Hiper Mega Super Extra concentrado de vitamina D, para compensar as horas infindáveis que os seus espectadores passam em casa a olhar para a televisão sem apanhar um raiozinho de sol.

Por isso, este domingo como estava calor, o pessoal seguiu as recomendações médicas e foi todo para a praia sintetizar esta vitamina.

Afinal de que é que vale ter-se bons candidatos no Parlamento Europeu se depois uma pessoa anda deprimida por causa de carências vitamínicas?

3 - Pânico do Peditório dos Bombeiros

Não há coisa mais assustadora do que uma pessoa ir votar e ver lá ao longe os senhores dos bombeiros com uma sandes de presunto numa mão e um daqueles autocolantezinhos manhosos na outra.

Pior é quando descobrimos que eles trouxeram a artilharia pesada e a correr dum lado para o outro estão quatro ou cinco criancinhas fardadas a rigor a colar autocolantes no rabo do pessoal (pudera, não chegam ainda à zona da lapela) em troca de pedidos furiosos de moedas de dois euros.

Nos últimos anos deixei de usar as desculpas do costume como não trouxe a carteira, tenho falta de sensibilidade nos dedos por isso não consigo agarrar moedas ou sou cego e surdo peço imensa desculpa, para adoptar a técnica ninja.

Esta técnica consiste em colar-me a um incauto votante e quando ele é abordado por um dos bombeiros saltar de trás dele e correr o mais rapidamente possível até à mesa de voto, esgueirando-me fantasticamente dos olhares assassinos!

4 - Traumas de Infância

Há muito boa gente que não vai votar por causa dos locais escolhidos serem muitas vezes escolas.

E uma pessoa até queria ir por uma cruzinha num quadrado ao acaso, mas quando começa a aproximar-se da escola, tenha sido ou não a sua, uma data de memórias começam a surgir dos meandros do inconsciente e é logo ali um ataque de pânico.

Desde as lembranças daquela professora que teimava em chamar ao quadro sabendo perfeitamente que uma pessoa não fazia a mínima ideia de que matéria estavam a dar, passando pelas recordações dolorosas de todas as sandes que deixámos cair na caixa de areia e mesmo assim comíamos provocando uma ligeira exfoliação aos nossos dentes de leite, terminando na memória daquela colega que prometeu que podíamos brincar com o umbigo dela se lhe fizéssemos os trabalhos de casa durante um semestre e no fim vimos a descobrir que ela tem o umbigo para fora o que tira a piada toda à coisa.

5 - Medo de Roubo de Identidade

Esta será a razão mais válida delas todas e eu compreendo perfeitamente quem evite ir votar por ter medo que lhe roubem a identidade.

A verdade é que quando se chega à zona de voto estão três predadores pessoas a olharem para nós ao mesmo tempo que lambem os cantos dos lábios, porque já estão a imaginar que seremos nós que vamos pagar-lhes as próximas contas da MEO.

Depois a pessoa que se senta no centro, que é a cabecilha da operação, pega no nosso cartão de cidadão e lê o nome em voz alta para toda a gente ouvir, e os dois capangas que estão com ela começam logo a mexer em papéis (taditos a modernização ainda não chegou eles) a verificar os nossos rendimentos, contas bancárias, pontos do McDonald's que andamos a acumular para ter uma tarte de maçã grátis, de forma a perceber se vale a pena ou não roubarem-nos a identidade.

E nós ficamos ali a tremer como varas verdes, sem saber se um dia chegamos à caixa do correio e descobrimos que temos 6 mensalidades do Holmes Place em atraso ou pior, que nos registaram como revendedores da Avon!

 

Sabem de mais alguma razão para os Portugueses não terem votado para o Parlamento Europeu? Partilhem comigo!