Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Isco, a Padaria da Massa Mãe

20.05.19, Triptofano!

Isco, a Padaria da Massa-Mãe

Levante a mão quem adora pão acompanhado de uma manteiguinha salgada maravilhosa a derreter-se de forma ligeiramente ordinária provocando ondas galopantes de saliva na cavidade bucal!

O pão está na moda, e mais importante que isso, as pessoas cada vez mais dão importância a um pão de qualidade, mesmo que seja ligeiramente mais caro. 

Já tinha ouvido falar da Isco, uma padaria artesanal em Alvalade, há algum tempo, e cada vez se tornava mais difícil ignorar a existência de um suposto pedaço de paraíso na Terra, sobretudo por causa dos gemidos orgásmicos de quem me relatava uma visita ao espaço para comprar pão.

A Isco destaca-se de muitas das outras padarias, também pelas vibrações suecas que influenciam desde a decoração até à oferta de pastelaria de padeiro, mas sobretudo pela utilização nos seus pães de isco, ou como é mais amplamente conhecido, massa-mãe.

Isco, a Padaria da Massa-MãeIsco, a Padaria da Massa-Mãe

Mas o que raio é o isco?

Acho que nada melhor que vos apresentar a definição descaradamente roubada por mim do blog Zine de Pão, cujo autor é um dos sócios da Isco.

Isco: Cultura de leveduras selvagens que é criada misturando farinha e água que é deixada a fermentar à temperatura ambiente durante alguns dias. Posteriormente, tem de ser alimentada (refrescada) regularmente para manter as leveduras vivas. No caso do padeiro caseiro, é normalmente mantida no frigorífico e refrescada uma vez por semana, sendo que nas padarias é comum ter o isco à temperatura ambiente e refrescá-lo duas a três vezes por dia. Em inglês corresponde ao termo sourdough starter ou simplesmente starter.

Isco, a Padaria da Massa-Mãe

E é este isco, esta massa-mãe, que vai fazer toda a diferença no produto final!

Comprei um pão de mistura e minha gente, tenho-vos a dizer que o tempo de semi-vida do bicho foi muito curto.

Isco, a Padaria da Massa-Mãe

O raio do pão é muito bom, com um toque ligeiramente ácido, tornando-se virtualmente impossível uma pessoa comer só um bocado.

O primeiro pedaço que enfiamos na boca é a nossa condenação, porque a qualidade é tão excepcional que o nosso organismo grita por mais um bocado, e mais um, e mais outro, e quando damos por ela já só restam migalhas.

Isco, a Padaria da Massa-Mãe

Isco, a Padaria da Massa-MãeMas não só de pão e bolos vive a Isco, também podem tomar um café de forma lânguida enquanto pensam em que tipo de pão vão ferrar o dente.

Agora se forem daquele tipo de pessoas extremamente exigentes com o café podem ficar desiludidos, não é que seja mau, mas falta-lhe ali algum corpo e alma, e especialmente uma bela espuminha e temperatura condicente.

Isco, a Padaria da Massa-Mãe

Outra oferta da Isco são os jantares onde podem encontrar pão com cenas, bacalhau com favas, cavala com pepino ou pombo com acelgas!

Se um dia calhar a experimentar um destes pratos contem com uma review aqui no blog! 

Isco, a Padaria da Massa-Mãe

Por isso se são amantes fervoroso de pão e os vossos sonhos são repletos de delícias fermentadas têm obrigatoriamente de vir conhecer o Isco.

Talvez tenham a mesma sorte que eu, e possam ver os maravilhosos pães a serem libertados das suas tão características formas e a receberem um hábil corte de uma mão experiente antes de ir para o forno.

E se por acaso experimentarem o pão de trigo-sarraceno digam-me o que acharam dele, é que fiquei praticamente a salivar quando lhe pus os olhos em cima, mas já tinha o outro no saco! 

Isco, a Padaria da Massa-Mãe

Isco, a Padaria da Massa-Mãe

Isco, a Padaria da Massa-Mãe

 

Isco Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Voltei ao Sopa no Pão

20.05.19, Triptofano!

Sopa no Pão

A razão pela qual estive tanto tempo longe do Sopa no Pão, um restaurante cuja especialidade são os pratos de todo o mundo servidos numa tigela de pão deliciosamente comestível, foi o facto de saber que a minha cara devia estar afixada numa qualquer lista de pessoas cuja entrada está proibida, tudo pelo simples facto de eu ter certamente ter dado prejuízo à casa na minha última visita!

Sopa no Pão

 

Quando soube que o Sopa no Pão tinha aberto um novo espaço na Avenida 5 de Outubro fiquei com sentimentos contraditórios.

Por um lado queria mesmo muito muito muito ir visitar o espaço, por outro estava cheio de medo que a comida não fosse tão boa, ou que o atendimento fosse pouco simpático, ou que tivesse uma overdose de pão e caísse para o lado.

Por isso, contrariando os meus instintos mais primitivos, acabei por escolher visitar o local para um um simples jantar e deixar o all-you-can-eat-até-o-diafragma-estar-ao-nível-da-garganta para outra altura!

Pessoal, vocês já sabem que eu dou tanta importância ao atendimento como à comida, e de nada vale termos as mais maravilhosas iguarias à nossa frente se temos alguém que nos serve quase a rosnar para nós.

Mas o Sopa no Pão conseguiu superar as minhas expectativas, fazendo-me sentir quase como se estivesse na sala de minha casa.

E vocês também sabem que eu não sou de nomes, mas desta vez é impossível não referir.

A colaboradora Inês, que me atendeu de uma forma perfeita, é das pessoas mais profissionalmente simpáticas e com melhor capacidade para envolver uma pessoa na atmosfera gastronómica com que eu tive o prazer de me cruzar nos últimos tempos.

Se todos os restaurantes tivessem uma pessoa como ela, a restauração em Portugal era das melhores do mundo. 

Se os patrões da Inês lerem isto (e não, ela não me subornou para escrever esta pequena ode à sua pessoa) por favor agarrem esta preciosidade com unhas e dentes, porque são estas pessoas que elevam um negócio, são estas pessoas que são a verdadeira alma de um local!

Sopa no Pão

Mas falemos de comida.

E antes de discutir os pratos em si tenho um apelo a fazer.

Pessoas que vão ao Sopa no Pão (e que eu vi com os meus olhos) e não comem a tigela de pão - TENHAM VERGONHA!

Não se façam de finos, ou de magros, ou de lá o que quer que seja que estejam a tentar ser.

A melhor parte da refeição é comer o pão com molhanga à dentada, até não restar uma única migalha.

Sujaram-se? Lavam a roupa em casa! Ficaram com os dedos besuntados? Chupam-nos deliciosamente que é para que isso que a boca serve! Estão deprimidos porque comeram hidratos de carbono e vão engordar? Esqueçam isso e peçam uma sobremesa.

Sopa no Pão

Para a minha refeição eu pedi uma Okroshka com um pequeno twist, já que tradicionalmente este prato russo serve-se frio, mas aqui foi-me servida deliciosamente morna e enriquecida com os sabores do pepino, do skyr, do ovo cozido, do frango e do bacon e com um maravilhoso apontamento de funcho!

Devido às particularidades deste prato ou se ama ou se odeia a Okroshka, e eu fiquei completamente apaixonado por ela.

Sopa no Pão

O Cara-Metade queria um caril de manga, mas infelizmente já não havia e acabou por optar por um extraordinário Khoresht-eh, um caril de frango, caju e sumac (uma especiaria do Médio Oriente conhecida em Portugal como sumagre) proveniente da região da Pérsia!

Sopa no Pão

Mas para verem o nível de simpatia que existe no Sopa no Pão, quando lhe trouxeram o caril de frango veio juntamente uma tacinha com uma irresistivelmente deliciosa pasta de manga caseira, que teoricamente era para juntar ao caril mas que nós comemos à dedada.

Poucas coisas não são feitas na cozinha do Sopa no Pão e isso explica a qualidade dos seus produtos.

Mas mesmo o pão de sementes, que foi a escolha de ambos como fiel depositário da Okroshka e do Khoresht-eh, que por razões logísticas tem de vir de fora, é extraordinariamente bom!

Obviamente que eu podia dizer que tudo era rosas e cantos celestiais no Sopa no Pão, mas vocês sabem que eu tento ser o mais sincero possível, e a verdade é que há coisas ainda a melhorar.

Apesar do pão encher e do caldo ser riquíssimo em sabores, gostaria de ter visto mais quantidade de proteína, especialmente no caril de frango, de forma a engrandecer a experiência.

No campo das sobremesas, também há espaços para melhorias.

As quantidades são bastante reconfortantes, há muita variedade por onde escolher, mas senti que poderiam ser ainda mais apetecíveis se fossem um bocadinho de nada menos doces.

Escolhemos a mousse de chocolate e a mousse de limão, sendo que esta última beneficiaria dum toque bem mais ácido e duma decoração no minuto com os pedaços de coco, porque de outra forma elas acabam por ficar molengas e perder aquele crocante tão apetecível.

Sopa no Pão

Sopa no Pão

Mas não foi por causa de nenhum destes detalhes que as mousses não foram devoradas até à última partícula e que a minha imagem do Sopa no Pão ficou beliscada.

Acredito que há sempre espaço para evoluir num restaurante, mas apesar dos detalhes que precisam de ser afinados, o Sopa no Pão já ganhou o meu coração pela comida reconfortante, pelo atendimento espectacular e pelos sabores internacionais que saltitam na nossa cavidade bucal.

Só dou graças ao divino de não trabalhar perto deste local, porque de outra forma ao fim de um mês já devia estar 20 kgs mais gordo.

Por isso minha gente, visitem o Sopa no Pão, conheçam a Inês, digam-me se as sobremesas já estão ligeiramente menos doces mas mais importante que tudo, lambuzem-se até à ultima migalha com a fantástica tigela de pão! 

 

Sopa no Pão - Avenida 5 de Outubro Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato