Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Prioridades...

06.04.19, Triptofano!

Na zona onde trabalho, infelizmente, existem muitas pessoas que necessitam de apoios económicos externos, visto que as suas fontes de rendimento são insuficientes face às despesas do dia-a-dia.

 

Uma grande ajuda para estas pessoas é o cartão do Programa abem: Rede Solidária do Medicamento, que permite que as pessoas possam adquirir a maior parte dos medicamentos que lhes é prescrita a custo zero.

 

Devo já dizer que não sou apologista que as pessoas que possuem mais necessidades económicas tenham que viver de forma miserável.

 

Não acho que tenham de apregoar a sua pobreza andando rotas e esburacadas, todas desgrenhadas e a cheirar mal.

 

Como também não me choca que quem tenha um cartão abem possa dar-se ao luxo de ir tomar um café enquanto conversa com os vizinhos.

 

A saúde mental é algo precioso e certos rituais permitem que o ser humano conserve a sua harmonia cerebral, sem que isso deva ser criticado e olhado de lado.

 

Agora o que eu não compreendo são certos vícios que as pessoas insistem em manter apesar de admitirem que muitas vezes não tem dinheiro para comer durante o mês inteiro.

 

O tabaco é um desses vícios, mas o que me deixa fora de mim são as raspadinhas.

 

Ainda hoje atendi uma senhora, que quis levar todos os medicamentos da sua receita porque não pagava nada visto ter o cartão abem - outra coisa que me tira do sério, esse acumular de medicação só porque não se paga; depois se lhe mudarem a terapêutica vai tudo para o lixo mas como foi grátis que se dane - e quando tira as receitas de uma pasta caiem em cima do balcão três raspadinhas de cinco euros.

 

E é isto que eu não percebo!

 

Em vez de pouparem o dinheiro ou investirem em coisas que possam melhorar a sua qualidade de vida há pessoas que preferem esbanjar os euros que lhe sobram, graças ao apoio de outros, em porcarias sem jeito nenhum.

 

Se eu precisasse que uma instituição me apoiasse para poder comprar os medicamentos eu teria vergonha em sequer pensar em gastar o dinheiro em raspadinhas, mas talvez sejam as minhas prioridades que estão trocadas...

Recomendações Alimentares na Insuficiência Cardíaca

06.04.19, Triptofano!

Uma das coisas que mais pena me dá no meu trabalho enquanto farmacêutico é a falta de tempo para conseguir passar toda a informação que gostaria e acho necessária aos meus utentes.

 

Por exemplo, chegaram agora à farmácia uns livrinhos com recomendações alimentares na insuficiência cardíaca que foram elaboradas numa parceria entre a Novartis e as Farmácias Holon, que contém informações extremamente interessantes e que certamente muitas pessoas desconhecem, mas é impossível num atendimento eu conseguir falar sobre tudo (além de que a pessoa ia lembrar-se de 5%) e o número de livrinhos que nos foram entregues não chegam nem por sombras para todos os utentes que poderiam usufruir deles!

 

Por isso resolvi transcrever a informação aqui para o blog, de forma a estar ao dispor de todos - espero que nem as Farmácias Holon nem a Novartis se zanguem com este meu plágio, mas acho que primeiro que tudo vem o livre acesso à educação para a saúde! 

 

A Insuficiência Cardíaca caracteriza-se pela existência de uma falha na função ou na estrutura do coração, comprometendo a sua capacidade de bombear o sangue de modo a satisfazer as necessidades de oxigénio e de nutrientes do organismo. O controlo dos factores de risco passa, por exemplo, por controlar a pressão arterial, o colesterol e/ou a glicemia. Uma dieta adequada é essencial. O controlo da ingestão de sal é particularmente relevante porque o seu consumo está associado a uma maior retenção de líquidos e, como tal, a uma maior sobrecarga para o coração.

 

Recomendações Alimentares na Insuficiência Cardíaca

 

Aporte Hídrico

 

A ingestão de líquidos não deve ser superior a 2 litros por dia, incluindo já a água que está naturalmente presente nos alimentos que consumimos diariamente (por exemplo na sopa, frutas, hortícolas, leite, iogurtes, gelados, gelatinas, entre outros). Em casos específicos, poderá ser necessário aconselhar uma ingestão mais restrita de líquidos, mas esta deverá ser indicada pelo médico assistente.

 

Sugestões para controlar o aporte hídrico diário:

  • Utilize copos cuja medida é conhecida;
  • Especifique a quantidade de água diária necessária para tomar os medicamentos;
  • Evite o consumo de líquidos sem valor nutricional ou prejudiciais à saúde, como refrigerantes e bebidas alcoólicas;
  • Prefira comer as frutas ao invés de beber os sumos, e limite o consumo de abacaxi, melão, melancia e laranja;
  • Prefira refeições sólidas às sopas;
  • Em períodos de calor, chupe pedras de gelo devagar ou tome pequenas quantidade de água aromatizada com folhas de hortelã;
  • Pese-se diariamente ao acordar e sem roupas. Mudanças significativas no peso (ex: 1,5 kg) podem ser sinal de retenção de líquidos.

 

Modere o consumo de sal

O consumo máximo recomendado de sal é de 1,5 a 3 gramas por dia, isto é o equivalente a uma colher de chá de sal por dia, dividida por todas as refeições do dia.

 

Assim, evite a ingestão de:

  • Alimentos enlatados, em conserva e/ou processados, como as refeições que se vendem pré-cozinhadas, congeladas e em restaurantes de fast-food;
  • Molhos (soja, ketchup, para salada, etc);
  • Produtos de charcutaria
  • Cereais de pequeno-almoço;
  • Bolachas, biscoitos e produtos de pastelaria salgados.

 

Outras sugestões:

  • Procure versões com baixo teor de sal, ou sem sal, dos seus produtos preferidos;
  • Substitua o sal por ervas aromáticas (salsa, coentros, alecrim, louro, orégãos, cebolinho, tomilho) e especiarias (pimenta, açafrão, gengibre, cominhos, noz moscada, canela).

 

Esteja atento aos rótulos dos alimentos! Leia os rótulos e opte por comprar os alimentos com baixo teor de sal. Considera-se baixo teor de sal se este for igual ou inferior a 0,3 gramas por 100 gramas de produto. Atenção, pois o termos «sal» pode surgir no rótulo dos alimentos com outras designações, tais como: teor de sódio, NaCl (cloreto de sódio), Na (símbolo químico do sódio), glutamato monossódico, bicarbonato de sódio, bissulfato de sódio, fosfato dissódico, hidróxido de sódio e propionato de sódio.

 

Ingestão de Potássio

  • Coma até 3 peças de fruta por dia;
  • Coma até 2 por porções de hortícolas por dia;
  • Limite a ingestão de alimentos ricos em potássio.

 

Evite a ingestão de bebidas alcoólicas e cafeína, presente no café, chá preto, chá verde e alguns refrigerantes.

 

Limite a ingestão de produtos ricos em:

 

Gordura Saturada (carnes gordas e lacticínios gordos e meio-gordos);

 

Gordura Trans (produtos industrializados, margarinas, folhados, tostas, produtos de pastelaria e batatas fritas);

 

Açúcar (produtos açucarados, incluindo os que têm sacarose, glucose, frutose, maltose, mel, xaropes).

 

Aumente a ingestão de :

 

Vitaminas Lipossolúveis e Ómega-3

  • Nozes, sementes de linhaça;
  • Peixe, preferencialmente, salmão, sarda, arenque, sardinha, cavala fresca, atum, truta e dourada;
  • Tofu, soja e ovos

 

Alimentos Ricos em Cálcio e Vitamina D

  • Lacticínios magros, tais como leite magro, iogurte magro e queijos magros;
  • Tofu;
  • Hortícolas, tais como, espinafres e brócolos;
  • Frutas ricas em cálcio, tais como manga, laranja, kiwi, pêra, uva, ameixa seca e amora preta.

 

Alimentos Ricos em Magnésio

  • Frutos secos, tais como, castanha do Brasil, amêndoa, amendoim e caju;
  • Sementes, tais como, sementes de abóbora e de linhaça.

 

E ainda...

  • Faça, no mínimo, 5 a 6 refeições diárias com pouco volume, evitando estar mais de 3 horas sem comer;
  • Coma devagar e mastigue os alimentos para facilitar a sua digestão.
  • Consulte o seu Nutricionista Holon (para isto basta verem qual é a farmácia Holon mais perto da vossa residência) para o ajudar a manter um peso adequado.

 

Tabelas com teores de Potássio, Sódio, Fósforo e Água nas Frutas e nos Hortícolas

 

Tabelas com teores de Potássio, Sódio, Fósforo e Água nas Frutas e nos Hortícolas

Tabelas com teores de Potássio, Sódio, Fósforo e Água nas Frutas e nos Hortícolas

 

(Se alguém tiver dificuldade em ver as tabelas mande-me o seu e-mail que eu envio-lhe o formato digitalizado!)