Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Osmosis: E se a pessoa que amamos não for a nossa alma gémea?

04.04.19, Triptofano!

Esta foi uma das perguntas que me ficou a pairar na cabeça depois de ter visto de rajada os oito episódios da série francesa Osmosis, criada por Audrey Fouché para a Netflix.

 

A história passa-se em Paris, num futuro não muito distante, onde a sociedade está incontrolavelmente desesperada à procura do verdadeiro amor, apesar de contraditoriamente a dependência tecnológica e a aditividade do sexo virtual terem atingido picos estratosféricos.

 

Por causa desta necessidade fisiológica do ser humana de encontrar um amor biológico, na sua forma mais pura e sem limites, é desenvolvida a tecnologia Osmosis, um implante sob a forma de um comprimido que ao ser ingerido liberta nano-robots que se instalam no cérebro do hospedeiro.

 

É a partir das conexões neuronais e dos impulsos eléctricos por elas criadas que os robots conseguem decifrar os verdadeiros desejos de uma pessoa.

 

Depois, através de uma pesquisa exaustiva pela pegada digital é encontrada a alma gémea, sem a necessidade de horas perdidas em apps de relacionamentos ou de múltiplos encontros falhados - não há como errar, a cara da alma gémea aparece gravada na nossa mente e é essa pessoa que (supostamente) nos irá fazer feliz para sempre.

 

Se esta tecnologia um dia realmente chegar ao mercado será que iria ser procurada por aqueles que já estão numa relação com alguém que amam?

 

Será que preferíamos viver para sempre na dúvida se aquela pessoa é realmente a nossa alma gémea ou teríamos a curiosidade de saber se o nossa outra metade é alguém que nunca vimos, ou mesmo alguém do nosso passado?

 

E se descobrirmos que quem amamos não é quem nos completa na perfeição?

 

Deixaríamos uma relação feliz pela ambição de um nível de felicidade superior?

 

Pessoalmente acho que a tecnologia pode ser perigosa quando começa a tomar decisões por nós.

 

Quando um implante, por mais sofisticado que seja, diz-me que a pessoa que eu verdadeiramente quero é X em detrimento de Y ou Z, o meu livre arbítrio, por mais inexistente que ele já possa ser, desaparece por completo.

 

Além de que a nossa alma gémea pode ser a pessoa que nós queremos e não a pessoa que nós precisamos, e talvez tenhamos de encontrar a pessoa que precisamos para poder evoluir enquanto seres humanos e não a pessoa que queremos apenas para continuar a alimentar um ego narcisístico.

 

O que é que vocês fariam?

 

Se tivessem a oportunidade de descobrir quem era a vossa alma gémea eram capazes de o fazer?

 

Ou acham que certas coisas devem ser mantidas na ignorância?

 

Osmosis Netflix

 

 

Em Ponto Maria: Skid

04.04.19, Triptofano!

Vamos ser honestos, quantos de nós é que nunca chegaram ao fim do dia e descobriram uma marca de cocó nas cuecas?

 

Melhor, quantos de nós é que não estiveram em pânico por terem ido para um encontro romântico depois do trabalho sem terem tido oportunidade de verificar se as cuecas estavam impecavelmente limpas?

 

É que todos sabemos que muitas vezes os encontros românticos desenvolvem-se em acção sexual, e o nosso par tirar-nos as cuecas e descobrir uma mancha castanha pode ser muita coisa, mas na maior parte das vezes não é sexualmente excitante.

 

Claro que podemos sempre usar o velho esquema de fazer o bem-bom puxando só o essencial para baixo evitando tirar calças e cuecas, assim da mesma forma como quando uma pessoa não tira a camisola porque enfardou um almoço de feijão e está mais inchada que um balão de ar quente, mas convenhamos que a ausência total de roupa confere uma maior liberdade para a prática sexual.

 

O Skid basicamente são essas horripilantes manchas de cocó que aparecem na nossa roupa interior (ou muitas vezes no pijama) devido a um contacto prolongado com o nosso rabiosque.

 

Muitas vezes não é um problema de falta de higiene, a pessoa até pode esfregar o cu com metade de um rolo de papel higiénico que parece que há sempre um bocadinho de cocó que fica ali agarrado ao nosso único pêlo anal e depois pinta-nos a cueca.

 

Mas e se eu vos disser que há uma forma de rentabilizarem essas vossas manchas castanhas? Que talvez terem um cu borrado possa ser uma vantagem económica?

 

Apresento-vos o maravilhoso mundo da venda das cuecas em segunda mão.

 

Aparentemente existe todo um mercado especializado em venda de cuecas usadas, ou seja, há pessoas que deliram com a perspectiva de terem na sua posse roupa interior de totais desconhecidos, pagando bom dinheiro para isso.

 

E como em qualquer serviço existe o pacote base e a versão premium.

 

O base consiste na compra da cueca usada, normal, sem grandes adornos, com um bocadinho de cheiro a virilha mas nada de especial.

 

A versão premium é para aqueles coleccionadores que querem cuecas com detalhes específicos.

 

Que tenham sido usadas durante uma maratona. Com marcas do período. Usadas por alguém com incontinência urinárias. Ou mesmo com skid, ou seja, marcas de cocó.

 

Por isso se vocês constantemente estiverem a cagar a vossa roupa interior não desesperem, entrem nas profundezas da Internet e descubram alguém que esteja interessado em adquirir as vossas cuecas borradas.

 

Até podem fazer assim um pack promocional, compra cinco e paga quatro, porque hoje em dia a concorrência é feroz e se vocês querem ser bem sucedidos tem de ter um óptimo plano de marketing.

 

Não se esqueçam que apesar de estarmos a falar de cocó devemos ter a máxima higiene, por isso é amoroso se quando enviarem a vossa roupa interior ela for embalada em vácuo.

 

Além de não empestar o pacote e causar náuseas ao carteiro vai ajudar a manter a frescura das vossas marcas castanhas.

 

Mas que preço é que devem vocês cobrar pelo serviço?

 

Em vez de mandarem um número para o ar calculem o valor que as cuecas vos custaram, adicionem o valor da taxa de envio e depois desse valor total adicionem uns 10 a 20%, que será a vossa margem de lucro.

 

Podem chegar aos 30% caso tenham um cliente que vos peça para cagar as cuecas durante três dias seguidos, porque aí tem de entrar em linha de conta que a probabilidade de arranjarem um fungo nas pregas anais é grande e podem necessitar de adquirir um pomada de clotrimazol que será um custo extra.

 

Em termos de pagamento se for para um cliente nacional podem sempre usar o MB WAY, mas aconselho-vos a utilizarem um número profissional e não o vosso pessoal.

 

Se for para o estrangeiro fujam do PayPal, ele tem uma política muito rígida contra este tipo de prestação de serviços e podem acabar com a vossa conta congelada.

 

Um dos métodos mais usados é o pagamento através de cartões oferta da Amazon, mas convém que o vosso cliente não envie nenhuma nota a agradecer o cheiro a bergamota e a feijão frade das vossas cuecas, porque a Amazon se descobre o que vocês andam a fazer também não vai ficar feliz da vida.

 

Por isso já sabem, se o Skid era um tormento para vocês agora podem começar a vê-lo como uma bênção intestinal.

 

É bem verdade que o cocó de uns é a fantasia de outros! 

 

Em Ponto Maria Oficial.jpg

 

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com a dESarrumada tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

 

Werq the World - Um Espectáculo de Temperatura Controlada

04.04.19, Triptofano!

Nesta última terça-feira veio finalmente a Portugal o espectáculo Werq the World, que conta com a participação de  algumas das Drag Queens mais icónicas do programa RuPaul Drag Race, sendo que o Teatro Tivoli BBVA esgotou a sua capacidade tantos eram os fãs do show.

 

Werq the World 2019 Lisboa

 

Eu podia vir para aqui dizer que tinha sido épico, que tinha sido fantástico, que tinha feito uma gotinha de xixi nas cuecas de tão emocionante que tudo fora, mas isso seria mentir descaradamente.

 

Diverti-me imenso, passei um óptimo bocado, cantei, dancei, mas tudo de uma forma muito moderada.

 

Eu que estava à espera de um espectáculo de por as veias a ferver deparei-me com algo de temperatura demasiado controlada, por vezes assim quase que a fugir para o frio, relevando um nível de amadorismo que não contava.

 

Talvez o problema tenham sido as expectativas, porque no programa de televisão tudo parece muito mais glamouroso e cheio de energia, graças à magia da edição digital, e ao vivo a maior parte das performances eram insossas, faltando-lhes um bom bocado de sal, e eu estava à espera de uma explosão de sabor que acabei por não receber.

 

Surpreendentemente o Cara-Metade gostou mais do que estava à espera, já que foi arrastado para o espectáculo sem sequer saber o nome das Drag Queens, e como as expectativas dele eram nulas acabou por não as ver defraudadas.

 

Não consigo deixar de pensar que o Werq the World é um sucesso apenas e somente por causa do factor WOW do RuPaul Drag Race e pelo facto de um terço das pessoas que estavam a assistir gritar compulsivamente como se tivesse encontrado uma nota de quinhentos euros no bolso das calças sempre que uma das Drags movia uma perna.

 

Elas não precisavam fazer muito, bastava aparecerem com um ar de quem vai dar cabo daquela porcaria toda que um grupo desinformado de fãs começava a massacrar as suas cordas vocais e os ouvidos alheios, não conseguindo perceber sequer que elas não estavam a dar cabo daquela porcaria toda.

 

Werq the World 2019 Lisboa

 

Mas vamos por partes.

 

A história do Werq the World é sobre uma força maligna que vai colocar o universo em perigo, por isso as Drag Queens são chamadas, quais super-heroínas, para a combaterem.

 

A força do mal nunca é revelada, pode ser um meteorito, pode ser um dinossauro em jejum intermitente, pode até ser um aumento do IRS apesar de honestamente nenhuma das Drags ter ar de TOC.

 

A partir daí a linha condutora perde-se.

 

Podia haver uma história com lutas de lip syncs e revelações e algum teatro mas não.

 

No fim pareceu-me que o universo tinha sido salvo, mas sem certezas absolutas.

 

As actuações de algumas das Drags foram surpreendentemente amadoras.

 

Se estivéssemos a falar de alguém que se estivesse estreado há uma semana no Finalmente, uma pessoa até compreendia, mas quando falamos de performers que já não são novos na coisa e teoricamente são os melhores dos melhores então questionamos se a fama permite já um relax demasiado evidente.

 

Lip Syncs que a meio da música deixaram de existir, marcações em palco demasiado em cima dos bailarinos quase que se atropelando uns aos outros, muita atrapalhação e descoordenação nos passos de dança, e até uma Queen que ao tentar fazer um movimento mais arriscado enquanto montada num gigantesco pénis de metal ia-se esbardalhando toda no chão.

 

Werq the World 2019 Lisboa

 

Se esta tivesse sido uma das últimas performances da tour eu até percebia, podia ser o cansaço acumulado, mas bolas, Lisboa foi a segunda cidade a receber o espectáculo depois de Madrid.

 

Outra coisa que eu não gostei foi da hiper sexualização apresentada.

 

E quando falo de hiper sexualização refiro-me a quando há uma Drag Queen que basicamente está perdida ali no meio daquilo tudo e para salvar a situação agarra as mamas.

 

O público delira.

 

Depois agarra a virilha.

 

O público volta a delirar.

 

Depois dá uma palmada no rabo.

 

O público delira mais um bocadinho.

 

Passado mais um bocado agarra novamente as mamas.

 

E aí a maior parte das pessoas já desligou.

 

Basicamente é como ver um filme pornográfico no PornHub.

 

A pessoa durante os primeiros minutos está ali toda entusiasmada a comer a cena com os olhos, mas quando atinge o orgasmo tem que se desligar o vídeo, porque fica estranho ver um bando de pessoas a fornicar freneticamente se nós já nos satisfizemos.

 

Mas para mim houve duas Queens que fizeram um trabalho formidável.

 

Primeiro Asia O'Hara, que no papel de anfitriã conseguiu conectar-se com a audiência, contar boas piadas e criar uma dinâmica que o espectáculo desesperadamente precisava.

 

Aos meus olhos esta foi a redenção de Asia, depois do chocante genocídio de borboletas que apresentou na semi-final da Season 10 e fez arrepiar pelos piores motivos todos os folículos pilosos do meu corpo.

 

Depois Aquaria, a vencedora da Season 10, que demonstrou um nível de profissionalismo irrepreensível, uma actuação cheia de energia e movimentos que fizeram o público delirar.

 

Se todas as actuações tivessem sido assim teria estado perante um espectáculo de Drag do mais alto nível, só que não foram.

 

Werq the World 2019 Lisboa

 

Incrivelmente os momentos que mais impacto causaram foram proporcionados pela audiência.

 

A competição entre elementos do público chamados a palco para ver quem conseguia transformar-se na melhor Drag e arrasar com a concorrência ou a ovação em pé que uma mãe recebeu depois de ter sido elogiada por Asia O'Hara relativamente ao amor incondicional que os pais devem ter pelos filhos mesmo quando estes são diferentes da norma ficaram na memória de todos.

 

Werq the World 2019 Lisboa

 

Apesar deste balde de água morna nas minhas expectativas para o Werq the World o meu entusiasmo relativamente ao RuPaul Drag Race não diminuiu.

 

Porém cheira-me que da próxima vez que as Queens vierem a Portugal vou poupar o dinheiro do bilhete e usá-lo para pagar a minha subscrição do Netflix!

 

Werq the World 2019 Lisboa