Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

De onde surgiu a ideia que as vacinas causavam autismo?

30.04.19, Triptofano!

O mais recente surto de sarampo nos Estados Unidos da América vem relembrar o quão importante são as vacinas e que todos devem ser vacinados de forma a podermos erradicar o máximo número de doenças possíveis.

 

Não faz sentido em pleno 2019 haver mortes por sarampo (ter em conta que o vírus do sarampo é altamente contagioso e pode causar cegueira, surdez, danos cerebrais e mesmo a morte) simplesmente por desinformação das pessoas, que acham que as vacinas desencadeiam tudo e mais alguma coisa, desde autismo até ao desenvolvimento de relações poli-amorosas com peças de mobiliário do IKEA.

 

De onde surgiu a ideia que as vacinas causavam autismo?

 

Antes que venha alguém para aqui com aquele tipo de comentário de que o corpo é meu e eu faço o que eu quiser com ele, não se esqueçam que estamos a falar de uma questão de saúde pública. 

 

Se as únicas pessoas que sofressem com vírus e bactérias chatas fossem as que não tivessem sido vacinadas por decisão delas (não estou a falar das crianças que não tem culpa e são arrastadas pelas loucuras dos pais) então tudo bem, sem qualquer stress.

 

Só que caso ficassem doentes não podiam desenvolver o Síndroma Noiva do Daesh, ou seja, o Serviço Nacional de Saúde também não iria ter que ser chamado a arcar monetariamente com os custos da irresponsabilidade destas pessoas.

 

Se quisessem ser tratadas então seria mais que justo que tivessem de pagar a totalidade dos custos do seu bolso!

 

O problema é que 10% dos casos confirmados no actual surto de sarampo nos Estados Unidos ocorreram em pessoas que haviam recebido uma ou duas doses da vacina, o que mostra que, como qualquer outra vacina, a imunização contra o sarampo não é 100% eficaz.

 

Por isso é que é tão importante a chamada imunização em massa, ou imunidade de grupo, que é uma forma de protecção indirecta que previne contaminações em pessoas muito jovens ou debilitadas para serem vacinadas, ou naquelas que mesmo estando vacinadas podem correr o risco de desenvolver a doença.

 

Como é que se consegue esta imunização em massa?

 

Com 95% da população a receber a pica no braço ou no rabiosque, conforme a preferência do cliente!

 

Agora toda a gente já ouviu ou leu alguma "notícia" sobre a alegada relação entre o autismo e a vacina contra o sarampo, a parotidite epidémica e a rubéola (VASPR).

 

Como é que este mito se desenvolveu e continua a galopar qual cavalo desenfreado pelas redes sociais fora?

 

1998 - É publicado na conceituada revista The Lancet um artigo da autoria de Andrew Wakefield e colegas, descrevendo os casos de 12 crianças britânicas com doença intestinal e autismo.

Na interpretação destes casos, era sugerida uma relação com a VASPR, que tinha sido administrada a todas as crianças.

Embora as fragilidades do estudo fossem apontadas desde logo, o artigo recebeu significativa atenção mediática e gerou um movimento anti-vacinação, não apenas no Reino Unido mas internacionalmente.

Estudos epidemiológicos realizados na década seguinte não encontraram qualquer relação entre a VASPR e o autismo.

 

2004 - A investigação do jornalista britânico Brian Deer relevou que Wakefield tinha falsificado dados clínicos e apontou falta de ética no tratamento das crianças e conflitos de interesse deste médico e investigador.

Ainda em 2004, a maioria dos 12 co-autores de Wakefield retratou-se pela interpretação avançada no artigo.

 

2010 - Em Fevereiro, os editores da The Lancet retratam-se do artigo nos anais da revista.

Em Maio, na sequência de um dos inquéritos mais longos da sua história, o organismo regulador da profissão médica no Reino Unido (General Medical Council) considera provada a acusação de má prática grave contra Wakefield e aplica-lhe a pena de expulsão.

 

 

Por isso minha gente, as vacinas não causam autismo como não causam o desenvolvimento de neurónios extra (que muita gente bem precisava desde que funcionassem em condições) nem de nenhum braço suplente a sair das costas.

 

A única coisa que as vacinas fazem é proteger as pessoas de doenças que já deviam estar erradicadas há muito tempo, por isso não se deixem levar pela desinformação que circula por aí e tomem a decisão mais acertada.

 

Vacinem-se, por vocês e por todos os outros! 

 

 

Noivas do Daesh ou Cidadãs Europeias?

29.04.19, Triptofano!

Noivas do Daesh ou Cidadãs Europeias?

 

Com o sonho destruído, pelo menos por agora, de criar um califado que fosse a porta para a conquista mundial e para o extermínio de todos aqueles que não aceitassem seguir as leis de uma corrente islamita ultra-radical, os membros europeus do Daesh tentam agora regressar aos países dos quais possuem cidadania.

 

Entre estes membros contam-se, embora numa percentagem baixa, mulheres normalmente acompanhadas de crianças, muitas vezes já nascidas na Síria ou no Iraque!

 

A pergunta que se impõe é: Quem são estas mulheres?

 

Vítimas ou vilãs? 

 

Agiram de livre vontade ou foram coagidas a deixar os seus países rumo a um futuro incerto?

 

São noivas do Daesh ou cidadãs europeias? É possível ter ambas as regalias ou a primeira anula a segunda?

 

Qual é que é a decisão que a Europa deve tomar, Portugal incluído, relativamente a estas mulheres que agora pedem ajuda para fugir das condições extremamente miseráveis que se encontram?

 

Deveremos nós dar a outra face e ajudar quem muitas vezes jurou cortar as cabeças aos infiéis?

 

Fará sentido a Europa negar-se muitas vezes a receber refugiados que atravessam a morte em barcos de borracha para depois ir buscar potenciais terroristas ao outro lado do mundo?

 

Estarão estas mulheres verdadeiramente arrependidas ou esta tentativa de voltar a "casa" é apenas uma estratégia de sobrevivência?

 

Pessoalmente acredito que todas as acções tem consequências, e que devemos ter a capacidade de arcar com as responsabilidades dos nosso actos.

 

A minha única dúvida é se todos merecem ou não uma segunda oportunidade - afinal em Portugal a pena de morte já foi abolida há mais de 40 anos atrás!

Adeus Pele Cansada! : Filorga C-Recover

27.04.19, Triptofano!

Quando falamos de pele cansada a primeira coisa que me vem à cabeça é vitamina C.

 

Só que o problema é que eu tenho uma relação de amor-ódio com este princípio activo.

 

É que não é só dizer que um produto tem vitamina C e vivemos felizes e contentes para todo o sempre, há todo um mundo de detalhes que se devem ter em conta.

 

Desde a estabilidade do produto (se calhar já vos aconteceu comprarem um creme com esta vitamina que passado pouco tempo tornou-se suspeitamente amarelado), até à capacidade de absorção pela pele, passando pela concentração ideal e a melhor altura do dia para usar, tudo isto tem de ser bem analisado.

 

Prometo que em breve farei um post a dissecar esta questão, mas preparem-se porque vai ser coisa longa.

 

Entretanto, falo-vos de um produto que nunca usei mas que uma colega de trabalho vendia noutra farmácia e contou-me que causava a loucura entre os clientes.

 

 

Adeus Pele Cansada! : Filorga C-Recover

 

O C-Recover da Filorga é uma cura de 21 dias (supostamente o tempo de renovação celular) especialmente formulada para quem está com a tez baça, acizentada e envelhecida.

 

Pessoas fumadoras, que façam muito solário ou que estejam sujeitas a ambientes poluídos ou a stress permanente são as candidatas ideias para este produto, mas qualquer pessoa que queira um boost de jovialidade pode usá-lo.

 

A grande vantagem do C-Recover da Filorga é que conseguiram colocar vitamina C numa concentração de 8% mas sem perder estabilidade e consequentemente actividade.

 

Isto porque a vitamina encontra-se em pó, numa embalagem impermeável ao ar e à luz, e nós é que vamos fazer a preparação do produto, como se fossemos uns alquimistas da juventude.

 

A partir do momento em que preparamos temos 7 dias para usar o C-Recover, depois disso já não vale a pena porque a vitamina C já se finou.

 

Também deve-se guardar a bela da vitamina num local fresco, idealmente no frigorífico, de forma a mantermos intactas todas as suas propriedades.

 

A vitamina C, sendo um poderoso antioxidante, combate os radicais livres e o stress oxidativo, potencia a produção de colagénio e estimula a luminosidade natural da pele. 

 

O C-Recover, para potenciar o efeito da vitamina C, possui ainda um trio de polissacáridos que garante hidratação imediata e prolongada da pele e o complexo patenteado Filorga, NCTF vectorizado, que possui uma maravilhosa acção anti-envelhecimento.

 

Agora minha gente, vamos falar da coisa mais importante sobre este produto, que é como usar sem que nos caia a pele.

 

Primeiro que tudo, o C-Recover é constituído por três frascos para um tratamento de 21 dias.

 

Mas não é para fazer ciclos de 21 dias todos seguidos, porque o resultado vai passar de espectacular a catastrófico, porque demasiada vitamina C pode começar a causar irritação e sensibilidade na pele e acreditem que não querem isso.

 

O preferível é fazerem assim 4 vezes por ano no máximo, nas mudanças de estação, que normalmente é quando a nossa pele precisa de mais ajuda.

 

Depois, ignorem o facto de no próprio site da Filorga dizerem que o produto é para ser usado de manhã. 

 

Coloquem-no somente à noite, depois da limpeza da pele e antes dos outros cuidados, e tenham atenção para no dia a seguir colocarem um bom protector solar antes de se exporem ao sol (mesmo em dias encobertos).

 

E quando eu falo de um bom protector é mesmo um bom protector, porque vitamina C e luz solar nem sempre são a melhor combinação.

 

Escrevo isto não é para ficarem assustados ou a pensar que vão ficar com um buraco na pele, mas a verdade é que a vitamina C é fantástica mas precisa de ter muitos cuidados para não fazer mais mal do que bem!

 

Por aí, já usaram algum produto com esta vitamina? Deram-se bem? Tiveram algum problema? Contem-me tudo! 

Em Ponto Maria: No chão ou na cama?

26.04.19, Triptofano!

Primeiro que tudo tenho que pedir desculpa pelo facto do Em Ponto Maria desta semana sair a uma sexta-feira e não à quinta como habitual, mas o feriado é dia para fazer pesquisa sobre temas quentes e não para os escrever se é que me entendem!! (mas quem é que eu estou a tentar enganar, com o Cara-Metade em Itália fique foi horas agarrado ao Netflix)

 

O tema desta semana é sobre qual o melhor local para praticar o acto sexual: o chão ou a cama!?

 

No início de uma relação, quando as testosteronas e progesteronas e estrogénios desta vida estão em alta, qualquer local é bom para consumar o acto.

 

Na realidade, quanto mais fora do comum for mais adrenalina provoca e torna-se tudo mais excitante e prazenteiro. (seja nas escadas do prédio, na casa-de-banho do centro comercial ou no banco de trás do carro)

 

Agora quando a relação amadurece as coisas também mudam ligeiramente e passam a existir outras prioridades, entre elas o conforto.

 

Vou-vos dar um exemplo concreto.

 

Nestas últimas férias que eu e o Cara-Metade fizemos à Tailândia, ficámos num resort magnífico.

 

O nosso quarto era maravilhoso e a casa-de-banho essa então era um espanto.

 

Imaginem assim um open space, todo em tons de madeira, com azulejos no chão e flores no lavatório, do mesmo tamanho que o meu apartamento em Lisboa.

 

Influenciado por todas as séries e filmes que passam na televisão (é tudo mentira pessoal!!!) disse ao Cara-Metade que tínhamos de tomar um banho sensual e depois fazer o amor no chão daquela casa-de-banho, porque coisa mais exótica que essa não haveria. (sei que não é assim tão exótico mas vocês compreendem-me certo?)

 

Ora eis uma lista de tudo aquilo que correu mal nesta minha ideia peregrina.

 

Primeiro, conseguir chegar ao chão propriamente dito.

 

Podem achar que não é complicado mas a partir de uma certa idade há todo um processo para nos levantamos da cama quanto mais para nos deitarmos no chão.

 

Tem que ser tudo muito devagarinho porque de outra forma corre-se o risco de dar um mau jeito às costas e depois nem para cima nem para baixo.

 

Segundo, lidar com a temperatura do chão.

 

Não há nada mais erótico do que estarem aos beijos apaixonados e de repente soltarem um grito por causa do frio da tijoleira que vos congelou o vosso rabo.

 

E não adianta molharem o chão com água a ferver, incompreensivelmente este vai estar sempre frio.

 

Terceiro, as dores.

 

O chão já por si é desconfortável, agora imaginem ter de levar com o osso de alguém espetado na vossa anca.

 

Ou pressionarem com os vossos movimentos sensuais a barriga da outra pessoa e quase fazerem-na vomitar.

 

Claro que há posições em que o contacto corporal é mais diminuto, mas vai haver sempre alguém que vai ficar com os joelhos assados de tanta fricção.

 

E se é para ficar com os joelhos em sangue mais vale que seja por se ter ido a Fátima agradecer o facto de finalmente poderem desinstalar o Tinder e encerrarem oficialmente a época da caça!

 

Por fim, a cópula no chão leva a uma diminuição comprovada das capacidades intelectuais.

 

Imaginem que vocês estão lá na casa-de-banho da Tailândia e a outra pessoa queixa-se que está tudo muito seco.

 

Irónico o facto de encontrarem-se num local cheio de água mas o que realmente importa está seco!

 

Então vocês num acesso de genialidade (not) vão buscar uma daquelas amostras de gel de banho para resolverem a situação.

 

Ok, é verdade que os vossos genitais vão ficar a cheirar maravilhosamente, um misto de nenúfar azul com bergamota, mas arde pessoal, arde muito, e a partir desse momento não há tesão que resista.

 

Por isso vão por mim e optem pela cama, fofinha, cheia de almofadas, com uma garrafinha de água para se hidratarem e um quadro com uma mensagem motivacional para conseguirem aguentar aqueles vinte segundos extra!!!

 

Mas digam-me de vossa justiça, a cama é o vosso local favorito ou apesar de todos os incómodos o chão tem um poder atractivo irresistível?

 

Em Ponto Maria Oficial.jpg

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com a dESarrumada tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

 

Adeus Pele Cansada!: Jowaé Máscara Mineral Clarificante

25.04.19, Triptofano!

No momento em que recebi na farmácia a Jowaé, uma marca que une o melhor que a França e a Coreia do Sul possuem, fiquei de olho na máscara mineral clarificante, que prometia libertar a minha pele das impurezas, tornando-a mais lisa e sublimada, ao mesmo tempo que a deixava mais clarificada e sem o tom acinzentado de zombie que ela costuma ter, de forma a ficar com uma tez mais uniforme e resplandecente.

 

Adeus Pele Cansada!: Jowaé Máscara Mineral Clarificante

 

As substâncias activas prometiam: luminofenois antioxidantes, chá branco, perlite mineral microesfoliante e extrato de bagas de espinheiro.

O facto de ser um produto isento de parabenos, fenoxientanol, óleo mineral, silicones (voláteis), componentes de origem animal (excluindo produtos apícolas) e corantes sintéticos, aliciou-me.

Quando li que era apropriado para todos os tipos de peles, mesmo as mais sensíveis, fiquei convencido.

 

A máscara mineral clarificante é supostamente fácil de usar. Supostamente!

 

Foi concebida para ser aplicada duas vezes por semana numa camada fina.

 

A textura bálsamo transparente meio espessa que colocamos no rosto tem então que ser activada através de massagem, durante mais ou menos um minuto, sendo que por artes mágicas transforma-se numa mousse branca, subtil e quente.

 

Depois é só deixar actuar durante 30 segundos e retirar-se de seguida com água abundante, tendo sempre o cuidado de evitar o contorno dos olhos. 

 

Minha gente, eu não posso dizer que o produto não seja bom, mas por alguma razão não funcionou comigo.

 

Eu até fui ver o vídeo oficial para ver se não estava a fazer nenhuma asneira, se não tinha que ter a pele húmida ou se devia estar a entoar algum cântico em coreano, mas não, fiz tudo bem e simplesmente não resultou. (mas vá, confesso que não estava tão feliz e entusiasmado como a senhora do vídeo, talvez isso tenha feito alguma diferença)

 

 

Eu esfreguei a pele. Esfreguei durante muito tempo mesmo, bem mais do que um minuto. Eu esfreguei tanto a testa, as bochechas, o queixo, que já me doíam os músculos dos braços! Eu fiz mais exercício naqueles 4 minutos do que costumo fazer a semana toda.

 

E nem uma mousse branca, por mais subtil que fosse.

 

Calor realmente sentia na cara, mas não sei se era do produto ou do facto de estar a esfregar com tanta energia que mais um bocado pegava fogo a mim mesmo.

 

Nada, nadinha, nadicha comparado com a imagem.

 

Se realmente apertasse a pele entre os meus dedos conseguia ver um bocadinho da mousse, mas teoricamente ela é subtil, não invisível certo?

 

Conclusão, quando decidi retirar o produto estava com a pele bem vermelha e desconfortável.

 

Não sei se afinal ele tinha-se activado durante a massagem e como deixei bem mais que 30 segundos acabou por me causar irritação.

 

Não fiquei um monstro, mas foi desconfortável e não aconselho a quem tenha peles realmente sensíveis!

Talvez o problema seja meu, se calhar preciso de esfregar a cara ainda com mais força até ficar com os dedos em sangue, mas honestamente esta máscara mineral clarificante da Jowaé tinha tudo para dar certo e acabou por ser uma grande desilusão!

 

Alguém desse lado já usou este produto?

 

Sou eu que sou um verdadeiro nabo ou realmente a máscara promete mais do que cumpre?

 

Adenda: Voltei a utilizar a máscara mineral clarificante da Jowaé para ter a certeza que não estava a ser injusto com o produto!

 

Pedi a uma testemunha para visualizar todo o processo de forma a não ser rotulado como maluco.

 

Desta vez fez espuma mas porque coloquei uma quantidade astronómica de produto, camada sobre camada, e mesmo assim foi uma quantidade muito pequena.

 

Não senti calor nenhum mas quando passei por água descobri para minha infelicidade que estava com a pele extremamente vermelha e irritada, além de ter ficado com uma valente dor de cabeça. (se calhar devia ter esfregado com menos força!)

 

Conclusão, esta máscara não é definitivamente para a minha cara!

Influencer = Fake?

25.04.19, Triptofano!

Quando alguém pergunta-me se eu tenho ambições em fazer dinheiro com o blog sou tremendamente honesto - sim, tenho, mas sei que realisticamente é muito difícil!

 

Primeiro que tudo, existe imensa gente neste mundo do virtual, a maior parte deles com mais experiência e mais estaleca do que eu alguma vez terei.

 

Em segundo, o facto de ser homem parece que coloca-me em desvantagem, porque pelo que tenho observado o universo dos influencers é maioritariamente constituído por mulheres, pelo menos no que toca aos temas pelos quais eu me interesso.

 

Em terceiro, apesar do virtual ser um canal fantástico de divulgação de tudo e mais alguma coisa, muitas marcas consideram que quem cria conteúdos digitais não merece ser pago dignamente!

 

Se for para comprar espaço publicitário numa revista, aí tudo bem, abrem os cordões à bolsa, mas se for para investir em quem tem um blog ou um canal de Youtube, aí já é o fim do mundo em cuecas.

 

Por fim, apesar de ter visitantes recorrentes pelos quais eu sou muito grato e a quem peço desde já imensa desculpa se por vezes não dou a atenção que merecem, tenho a noção que são um número pequeno (mas bom caraças, vocês são os melhores de todos!!!!) para este espaço ter algum impacto no mundo virtual.

 

Agora o que eu quero que saibam, o que quero que fique aqui escrito para todo o sempre, é que eu não quero nem ambiciono ser um Influencer, quero sim ser um Informador.

 

Isto porque muitas vezes questiono-me se para se ser um influencer não tem que se ser fake

 

Passo a explicar: muitas vezes vejo lançamentos de produtos cosméticos, e quando vou ver as reviews de quem foi assistir tudo é maravilhoso, tudo é fantástico, tudo é excepcional.

 

E eu pergunto-me, será que estas pessoas estão a ser verdadeiras ou simplesmente estão a falar bem porque lhes deram um saco cheio de amostras e um pequeno-almoço servido em pratos de plástico?

 

A mesma coisa com os restaurantes.

 

O mundo dos foodies é relativamente pequeno, e é fácil perceber quando houve um espaço de restauração que convidou pessoas para o visitarem, porque toda a gente começa a falar desse espaço.

 

E não há mal nenhum em as pessoas serem convidadas, mas acho que deve haver honestidade.

 

Não é por alguém ter oferecido um jantar à borla que aquele restaurante passa a ser o melhor da cidade quando na verdade não o é.

 

Se é bom é bom, se não é bom deve-se criticar construtivamente de forma a que as coisas possam evoluir.

 

Por isso é quando leio no perfil de alguém que essa pessoa denomina-se como um influenciador todos os meus pêlos ficam em pé.

 

Porque não consigo deixar de pensar que se essa pessoa for paga por uma marca mesmo que não goste do produto ou que ache que ele não tem qualidade vai dar-lhe visibilidade positiva na mesma!

 

Talvez isto seja um defeito profissional meu, porque enquanto farmacêutico a minha função é informar as pessoas das opções que existem no mercado e das quais, no meu ponto de vista, eu considero mais vantajosas para cada situação.

 

Não vendo só por vender.

 

Na realidade já deixei de fazer vendas porque não achava que certo produto fosse o indicado para uma pessoa mesmo ela querendo-o. E já vendi coisas que não queria porque a pessoa bateu o pé e aí tenho de respeitar a vontade do cliente (estou a falar de produtos de venda livre claro!)

 

Quando falo de um produto de cosmética no blog digo a minha verdade acerca dele - a minha verdade porque o que é bom para mim pode não ser para os outros e vice-versa.

 

Infelizmente, não tenho capacidade para testar em mim todos, mas se digo que algo é bom é porque o experimentei, ou conheço alguém que usou e adorou, ou porque toda a informação relativamente ao produto dá-me garantias que estou diante de algo com qualidade.

 

O meu objectivo final quando dou a conhecer algo não é influenciar ninguém a comprar A ou B, a ir comer a C ou D.

 

O que eu pretendo é informar, é dar a capacidade de alguém escolher de uma forma mais consciente e menos impulsiva.

 

Acho que o pior que poderia acontecer era um dia perder o respeito de alguém que me seguisse só porque tinha recebido alguns euros para promover algo em que eu não acreditasse.

 

Gostava sim de um dia fazer dinheiro com este blog, mas não quero ser nem um fake nem um prostituto virtual!

Adeus Pele Cansada! : Martiderm Flash

24.04.19, Triptofano!

Não sou pai nem tal está nos meus planos para os próximos 20 anos, mas tenho todo o respeito por aqueles que são progenitores de uma, duas ou na loucura total, três ou mais crias.

 

Se eu já chego estafado a casa, a pensar quando é que é fim-de-semana mesmo que seja apenas segunda-feira, e não tenho a responsabilidade de cuidar da sobrevivência de nenhum filho, não consigo sequer imaginar como é que a minha vida seria com uma criancinha amorosa agarrada às minhas pernas e a chamar pelo meu nome a cada 10 segundos.

 

Provavelmente teria que recorrer a um serviço de adopção, de forma a que alguma família caridosa pudesse adoptar-me e tratar de mim de forma a eu poder por sua vez tratar da prol.

 

É a pensar em todos os pais deste mundo que dormem pouco e andam sempre destruídos que dou-vos a conhecer (no caso de ainda não conhecerem claro) um pequeno pedaço de céu na terra: as ampolas Flash da Martiderm!

Adeus Pele Cansada! : Martiderm Flash

Estas ampolas são para usar pontualmente quando precisamos desesperadamente de ter um aspecto deslumbrante e na realidade assemelhamos-nos mais a uma lula que deu à costa após uma travessia transcontinental.

 

Imaginem que precisam de ir a um casamento, ou mais realisticamente, que vão a um primeiro encontro marcado através do Tinder, e necessitam de um boost de luminosidade para ficarem com um ar menos fatigado, ao mesmo tempo que hidratam a pele e alisam as rugas: ampola Martiderm Flash para cima!

 

Adequada para todos os tipos de pele, as ampolas Flash actuam instantaneamente, eliminando os sinais de fadiga e stress, além de hidratarem e reafirmarem, graças à sua composição em ácido hialurónico e silício.

 

O ácido hialurónico hidrata, reduz as rugas e melhora a textura da pele, enquanto que o silício hidrata, dá flexibilidade à pele e melhora a absorção do ácido hialurónico!

 

A utilização da ampola não é muito complicada, mas sejamos honestos, também não é a coisa mais fácil do mundo, por isso é que para não haver dúvidas deixo um vídeo explicativo de todo o processo!

 

Como podem reparar apenas é usada metade da ampola numa aplicação, sendo que o resto pode-se guardar para outro momento de "aflição", o que confere uma maior rentabilidade ao produto.

 

 

Agora se vocês são daquelas pessoas que odeiam ampolas, que as partem sempre da forma errada ou que quando dão por ela já entornaram metade do conteúdo no chão, não desesperem.

 

A Martiderm lançou o Flash Serum, que é exactamente a mesma coisa que a ampola mas num formato muito mais prático.

 

Assim, sempre que precisarem de terem uma pele mais luminosa basta darem uma ou duas bombadas para a mão deste sérum, espalharem-no através de uma boa massagem no rosto, pescoço e decote e tchanã, pele suave, luminosa e com um efeito lifting imediato!

 

Adeus Pele Cansada! : Martiderm Flash

 

Agora não se esqueçam, este é um produto para ser usado de forma pontual! 

 

O importante é terem outros cuidados de uso diário que cuidem das necessidades da vossa pele de forma a poderem ter um aspecto o mais saudável possível. 

Mudar a vibração: Uma música pela manhã

24.04.19, Triptofano!

Ultimamente tenho andado à procura de formas de mudar a minha vibração interior de forma a conseguir atrair boas energias para a minha vida.

 

A minha dor de dentes que se traduziu num cansaço anormal da minha pessoa juntamente com resquícios da minha dor de costas que afectou o normal funcionamento da minha perna esquerda não tem facilitado o processo, e é fácil uma pessoa rapidamente começar a pensar que a vida é toda uma porcaria e que quem nasce com mau fado tarde ou nunca o mudará.

 

Porém, continuo todos os dias ao acordar a visualizar aquilo que quero - um dia bom, sem aborrecimentos e de preferência com poucas dores.

 

Mas hoje resolvi juntar mais um elemento que certamente vai-me ajudar a vibrar de uma forma ainda mais positiva, e é algo extremamente simples e que todos podemos fazer.

 

Consiste simplesmente em ouvir logo pela manhã uma música que nos desperte e que nos traga boas energias e um sorriso do tamanho do mundo ao rosto.

 

Pode ser do género musical que bem entenderem, mas tem de passar boas energias, nada de escolher aquela música melancólica que vocês adoram mas que é mais adequada para chorar baba e ranho enquanto se come um balde de gelado refastelado no sofá do que propriamente para enfrentar o mundo de cabeça bem erguida.

 

Fechem-se na casa-de-banho para terem a vossa privacidade, coloquem fones se tiverem vizinhos muito chatos que reclamam por causa do barulho e atirem-se para uma coreografia sensual caso a música o peça - mas tenham cuidado e não façam um gesto mais emocional que vos leve a bater com a mão no lavatório, posso-vos dizer por experiência própria que dói e não é pouco.

 

Hoje escolhi para início desta nova etapa vibracional o Bom Dia, Amor da Carminho!

 

E vocês, qual é a música que vos ajuda a enfrentar o dia com um sorriso? 

 

 

Adeus Pele Cansada! : Sesderma Sensyses Cleanser Lightening

23.04.19, Triptofano!

Repitam comigo: aplicar um creme sobre uma pele não correctamente limpa é a mesma coisa que servir comida em cima de um prato que foi lavado só com água!

Ámen!

 

Todos nós temos uma batalha na vida, e uma das minhas é garantir que por cada bom creme que alguém compre vá também um bom produto de limpeza a acompanhar.

 

Não vale a pena comprar o melhor dos cremes se depois a nossa pele não está preparada para o receber - muitas vezes prefiro que comprem um produto de limpeza em condições e que realmente o usem do que estarem a gastar dinheiro em vão num creme. (pronto não é em vão que alguma coisa há-de fazer mas não é a mesma coisa do que aplicar numa cara perfeitamente limpa!)

 

Na batalha contra a pele cansada tenho um aliado maravilhoso chamado Sensyses Cleanser Lightening, uma água de limpeza clareadora da Sesderma perfeita para quem tem a pele baça e sem luminosidade ou com manchas escuras.

 

Sesderma Sensyses Cleanser Lightening

 

A Sensyses Cleanser funciona da mesma forma que uma água micelar mas tem a particularidade de ser uma água de limpeza isenta de detergentes.

 

Isto é possível através da utilização de lipossomas vazios (adoro o facto destas águas terem lipossomas porque a minha tese de mestrado que fiz na Grécia era sobre estes bichinhos fantásticos) que têm uma parte com afinidade pela água e outra com afinidade pela gordura.

 

Quando em contacto com a pele, os lipossomas qual Pokebola abrem-se para encapsular as impurezas deixando a pele limpa e radiante e sem qualquer vestígio de detergente.

 

Na composição desta pequena maravilha podem encontrar, além dos lipossomas vazios, pantenol, lipossomas de vitamina C, azeloglicina, extracto de alcaçúz e um complexo de activos despigmentantes, que vão conferir vitalidade à pele ao mesmo tempo que lhe conferem um tom mais uniforme.

 

Pode ser utilizado por qualquer tipo de pele, a partir dos 12 anos, e de preferência de manhã e à noite, usando-se para isso um algodão e passando pela zona do rosto e pescoço até que ele saia sem vestígios de sujidade.

 

O sistema de pump-reverse deste produto é extremamente prático, porque além de poupar tempo também impede que gastemos produto em demasia, esguichando quantidades industriais para o algodão/espelho/lavatório/chão da casa-de-banho!

 

Para finalizar, este Sensyses Cleanser Lightening da Sesderma é formulado sem parabenos, álcool ou sabão, tornando-o um pequeno raio de luz com a capacidade de iluminar muitos rostos sombrios!

É possível reverter a Diabetes tipo II !

23.04.19, Triptofano!

Quem costuma ler-me regularmente já percebeu que eu sou um farmacêutico que fica revoltado muito facilmente, sobretudo quando apanho utentes com crenças que não correspondem totalmente à verdade.

 

É possível reverter a Diabetes tipo II !

 

 

Uma delas é a ideia de que Diabetes tipo II é para sempre, para o resto da vida, e que não há nada a fazer além de tomar uma mão cheia de comprimidos todos os dias e suspirar com tristeza por aqueles bolos carregadinhos de açúcar que vamos ter de retirar da nossa alimentação! (quer dizer, que devíamos tirar da alimentação porque a maior parte dos diabéticos está-se a marimbar para regimes alimentares mas isso é outra história..)

 

A verdade é que a Diabetes tipo II não precisa de ser para a vida toda e é possível reverter a situação!

 

Claro que é mais fácil se o diagnóstico for recente e a pessoa ainda não tiver necessidade de administrar insulina, mas já lá vamos.

 

Primeiro que tudo o diagnóstico da diabetes não se consegue através de uma picada no dedo feita na farmácia.

 

O teste é fiável sim senhor mas apenas serve para dar algumas luzes sobre como estão os nossos níveis de açúcar.

 

Obviamente que se o resultado for 500 é provável que as coisas não estejam bem paradas, mas ter um 130 numa picada ocasional não chega para dizer que somos diabéticos. 

 

Perfeito perfeito era recorrer-se ao doseamento da hemoglobina glicada (A1C) que permite avaliar a média da glicemia nos últimos 2-3 meses, sendo que, idealmente, o seu valor deve ser inferior a 7%.

 

Quando uma pessoa é diagnosticada com Diabetes tipo II significa que o seu organismo tornou-se resistente aos feitos da insulina ou não produz insulina suficiente para manter dentro da normalidade os níveis de glicose (vulgarmente conhecida como açúcar) no sangue. (a glicose que devia entrar para dentro das células acaba por acumular-se no sangue muito por culpa da insulina que não consegue abrir as portas das células de forma a que a glicose entre!)

 

Agora é possível reverter esta situação.

 

Ter em atenção que a diabetes não tem cura mas há forma de se conseguir viver durante anos e anos com níveis normais de açúcar na corrente sanguínea sem que para isso seja preciso tomar medicação!

 

O segredo?

 

Exercício físico e alterações dos hábitos alimentares.

 

Pode parecer chocante pedir a alguém que se levante do sofá e que mude a forma como se alimenta (já quase fui agredido quando sugeri que talvez comer cinco papo secos ao pequeno-almoço pudesse não ser a melhor ideia...) mas a verdade é que resulta.

 

Estudos mostram que uma dieta baixa em calorias permite, além de perder peso, controlar sem o auxílio de fármacos os níveis de glicose na corrente sanguínea, sendo que os resultados são melhores quanto mais cedo uma pessoa se mentaliza que não vai haver nenhum milagre e tem mesmo que fazer algo por ela!

 

Só que uma dieta baixa em calorias não é algo que se consiga fazer do pé para a mão nem recomendo que alguém tente adoptar uma sem um acompanhamento médico adequado. 

 

Agora com a ajuda de um médico e um nutricionista, com bastante força de vontade e com muito exercício físico à mistura, é possível reverter a Diabetes tipo II durante bastante tempo. 

Pág. 1/5