Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Foi isto que descobri quando recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa

20.03.19, Triptofano!

Descubram: Porque é que devolvi a minha Bimby TM6!!!

Neste passado domingo recebi uma agente Bimby, super simpática e profissional, que me fez uma demonstração da nova Bimby TM6 acabadinha de chegar, sendo que preço desta nova Bimby é de 1275 euros.

A carcaça da Bimby TM6 é exactamente igual à da TM5 - na realidade uma observação mais cuidada permite ver que a zona onde se colocavam as chaves de receitas ou o cook-key agora está ocultada por uma tampa, o que me leva a crer que a TM5 voltou para a fábrica e sofreu apenas algumas recauchutagens.

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa

O visor é realmente maior, e não deve demorar até que seja possível colocar a Bimby a dar o Panda e os Caricas de forma a que a criançada largue o nosso telemóvel da mão.

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa

Em termos de acessórios a varoma e a borboleta não sofrem nenhuma alteração.

A espátula sim torna-se mais maleável, sendo que agora talvez seja possível efectivamente usá-la, já que nunca a achei funcional por aí além.

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa : Espátula da Bimby

O cesto agora vem com uma tampa, o copo de medida sofreu algumas alterações permitindo medir 50 e 100 ml além de que foi desenvolvido de forma a ficar preso na tampa e a não saltar em direcção ao tecto quando triturávamos um alimento assim um bocado mais para o rijo.

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa - Cesto com Tampa

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa - Copo de Medida

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa - Copo de Medida

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa - Copo de Medida

Um novo utensílio é a rede, que permite diminuir drasticamente a possibilidade de uma queimadura resultante de salpicos.

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa - Rede

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa - Rede

O copo da Bimby TM5, apesar de encaixar na TM6 não deve ser usado na mesma, visto que supostamente não está preparado para suportar as temperaturas mais altas que a TM6 agora atinge.

Se é verdade ou um simples golpe de marketing é algo que não posso dizer com certeza.

Quando ligamos a Bimby a grande novidade é que ela vai directamente para a página do Cookidoo, onde podemos procurar receitas tanto do portal português como de qualquer um dos portais internacionais, sendo que apenas precisamos de ajustar o filtro de pesquisa.

Talvez seja eu que seja um pouco nabo mas senti que estes novos menus da TM6 não são tão intuitivos, mas como em tudo é uma questão de prática.

A TM6 tem novas funções, algumas delas que honestamente acho que não servem para grande coisa, como o triturar e a chaleira, visto que era possível fazer o mesmo usando o método manual.

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa

As grandes inovações são o método de slow-cooking, o sous-vide e o método de fermentação através do uso da varoma.

O controlo de temperatura de 1 grau em 1 grau só é possível na função de sous-vide, que na realidade precisaria era de um controlo de meio em meio grau, mas pronto, talvez num futuro próximo.

Tenham atenção que se quiserem utilizar esta função devem começar a pensar em investir numa máquina de vácuo, porque de outra forma não me parece que seja possível!

A velocidade máxima, ao contrário do que tinha dito neste post, continua a ser de 10 e não de 10.5.

E não, a Bimby não ficou miraculosamente mais silenciosa, pelo menos eu considero que se o barulho reduziu não foi de uma forma drástica - por isso triturar grão seco às quatro da manhã se viverem num prédio pode não ser a melhor ideia.

Entusiasmados por poderem cozinhar a 160ºC?

A verdade é que a Bimby agora atinge essa temperatura, mas ela só é desbloqueada em receitas guiadas, por isso se quiserem fazer uma receita no modo manual vão ter de se contentar com os 120ºC da praxe.

Na demonstração fiz caramelos de forma a experimentar as capacidades da Bimby em atingir esta temperatura mais elevada, e a verdade é que o resultado foi óptimo!

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa - Caramelos

Lembram-se daquelas receitas automáticas maravilhosas que nunca usávamos?

Pois bem, elas agora desapareceram visto que muito honestamente ninguém lhes ligava nenhuma.

Há agora também uma função de pré-lavagem, onde é preciso adicionar vinagre mas que tem como resultado um copo fantasticamente limpo, mesmo depois de fazer caramelo!

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa

A Bimby também vem com um novo livro, só que agora o download pela Internet vai ser impossível.

O livro vem com as imagens e os ingredientes, mas as quantidades e métodos de preparação só podem ser encontrados quando se acede ao Cookidoo, por isso a pirataria de receitas bimbásticas tem os dias contados.

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa - Livro Faz o que te Apetece

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa - Livro Faz o que te Apetece

As novas TM6 só estarão disponíveis para entrega em Maio, no entanto há uma campanha para todos os clientes pioneiros que estejam em pulgas para ter esta nova máquina.

Até dia 8 de Abril, quem adquirir a Bimby TM6 recebe um voucher de 200 euros para comprar acessórios até final de Junho, o que dá muito jeito para por exemplo obter um segundo copo.

Se vale a pena mudar da TM5 para a TM6?

Bem isso é uma decisão que cabe a cada um tomar, mas sem dúvida que a TM6 não vem trazer uma revolução como a TM5 trouxe relativamente à TM31.

Para mim esta nova Bimby é uma mais valia para quem realmente gosta de cozinhar e está sempre à procura de formas alternativas de confeccionar alimentos.

Agora quem já tem uma TM5 e usa-a apenas para fazer sopas talvez não valha a pena o investimento.

A não ser que esteja confiante que um dia vai conseguir ver a Cristina Ferreira a entrevistar o Presidente da República no ecrã da máquina!

 

Receitas Fantásticas Que Não Podem Perder:

Receita de Folhado de Robalo

Bolo de Banana em Frasco

Receitas da Bimby para Impressionar Amigos

 

Somos tão frágeis quanto a força de um espirro

20.03.19, Triptofano!

No sábado à noite espirrei.

 

Um espirro normal como tantos outros.

 

Só que mal espirrei senti algo nas minhas costas a estalar.

 

Nesse preciso momento soube que as coisas não iam correr bem.

 

Tenho uma hérnia algures entre uma das vértebras lombares desde os 18 anos.

 

Quando consultei o médico após as primeiras queixas ele disse-me que enquanto conseguisse ter uma qualidade de vida razoável não aconselhava a operação - se as dores se tornassem insuportáveis aí sim teria de ir à faca.

 

Durante 14 anos fui contornando a situação, volta e meia com uma crise que me deixava em pânico só com a ideia de me sentar num carro, no comboio, na sanita, porque não sabia se seria capaz de me voltar a levantar.

 

A medicação certa combinada com medidas não farmacológicas permitiu-me ir lidando com a situação sem perder grande qualidade de vida.

 

Quando espirrei no sábado estava convicto que seria mais uma destas situações.

 

Comecei logo a atacar com tudo o que tinha por casa, faixas de calor, anti-inflamatórios, relaxantes musculares, analgésicos.

 

No domingo a situação parecia estar controlada, fiz a minha vida normal e ainda consegui ir jantar, apesar de com algumas dores.

 

Na segunda-feira de manhã não conseguia andar.

 

Levantar-me e atravessar o corredor para ir à casa-de-banho tornou-se uma tarefa que não consegui realizar em menos de dez minutos, com constantes facadas no nervo ciático que me obrigavam a agarrar ao que estivesse mais perto para não cair redondo no chão.

 

Dobrar-me para calçar e atar uns sapatos era uma tarefa para além de impossível.

 

Como felizmente estava de folga fiquei o dia todo na cama, sem posição que me trouxesse algum repouso, sem vontade para fazer nada, nem para escrever no blog, nem para viajar pelo Instagram, simplesmente a olhar para o vazio e a tentar dormir de forma a abstrair-me da dor.

 

Pensei que quando acordasse na terça-feira estaria melhor, já conseguiria ir trabalhar, cumprir as minhas funções laborais, com mais ou menos dificuldade.

 

Quando me levantei da cama percebi que o meu corpo pensava totalmente o contrário.

 

Bastou dois passos para perceber que nunca na vida conseguiria chegar ao trabalho quando mais permanecer oito horas de pé nele.

 

Vi-me obrigado a faltar.

 

A passar mais um dia deitado na cama, a enfiar medicamentos para o estômago na esperança de sentir algum alívio.

 

Podia ter utilizado todo este tempo livre para escrever tudo aquilo que tenho em atraso, para responder a comentários, para por as leituras em dia, mas só conseguia pensar em como um simples espirro conseguiu mudar a minha vida tão drasticamente.

 

Passamos tanto tempo a achar que somos imortais, que nada nos deita abaixo, que temos tempo para tudo.

 

Usamos as nossas forças em lutas mesquinhas, preocupados com problemas que são tudo menos importantes em vez de nos esforçarmos em desenvolver soluções para o bem geral.

 

Achamos que temos o mundo na palma da nossa mão para depois, de um momento para o outro, ficarmos com uma mão cheia de nada.

 

Tenho a perfeita consciência que estas epifanias sobre a fragilidade da vida são transitórias, quando estiver a 100% provavelmente vou voltar a pensar que sou invencível, que tenho todo o tempo do mundo, que as coisas mais importantes são os mexericos em vez de me focar em algo que possa mudar o mundo nem que seja de uma pessoa para melhor.

 

Mas hoje, que decidi ir trabalhar mesmo com as limitações e as dores e o medo que este nervo trilhado me dá, decidi que vou focar-me em fazer aquilo que eu quero em vez de aquilo que os outros esperam de mim.

 

Em reflectir sobre quem quero que continue na minha vida e em quem quero investir.

 

Compreender de uma vez por todas que a felicidade é aquilo que nos enche o coração, mesmo que não nos encha tanto a carteira como gostaríamos.

 

Somos tão frágeis quando a força de um espirro, mas podemos desenvolver um espírito que suporte a força de mil furacões.