Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Brunch in Downtown

31.03.19, Triptofano!

Brunch in Downtown em 10 segundos: Descubra um brunch bastante completo por um preço extraordinariamente baixo, vicie-se no sumo de laranja, perca a cabeça com as simples mas deliciosas salsichas cocktail e não tenha vergonha de perguntar o que é que pode vir mais da cozinha, o dono é de uma simpatia ímpar!

 

Brunch in Downtown

 

Nesta passada sexta-feira lancei um apelo no Instagram para me ajudarem a descobrir um local onde brunchar no fim-de-semana, com a única condição que teria de ser um sítio onde uma pessoa saísse de lá praticamente a rebolar.

 

Apesar de ter recebido várias sugestões, que anotei com carinho para um próxima oportunidade, acabei por escolher o Brunch in Downtown, que foi recomendado pela m-M, mulher que aparentemente está sempre em cima das novidades da zona de Lisboa.

 

Situado na zona da Baixa, quando cheguei ao Brunch in Downtown entrei e poucos segundos depois voltei a sair.

 

Não é que me tivesse assustado com algo, simplesmente achei que estava no local errado.

 

Passo a explicar, o Brunch in Downtown fica basicamente no hall de entrada do The 8 - Downtown Suites, um espaço de acomodação hoteleira, e quando eu entrei pensei que as pessoas que estavam a comer todas felizes pertenciam ao hotel e se eu me fosse sentar descaradamente entre elas ainda era corrido com um pau ou coisa que tal.

 

Brunch in Downtown

 

Quando saí é que reparei na placa a dizer Brunch in Downtown - virada para a montra... - e percebi que o The 8 e o Brunch in Downtown convivem em perfeita simbiose no mesmo espaço físico.

 

Brunch in Downtown

 

O valor do brunch é ridículo de tão barato que é - 12 euros por pessoa - um verdadeiro achado em Lisboa, mas não se sintam enganados ou desapontados quando virem a modesta mesa comum repleta de queijinhos deliciosos, peças de charcutaria, fantásticos croissants ou aqueles bolos recheados com chocolate que são para além de bons mas cujo nome nunca descobri - há mais coisas com que se podem lambuzar!

 

Brunch in Downtown

Brunch in Downtown

 

Poucos instantes após ter-me sentado voou para a mesa um prato com um espectacular salmão fumado, outro com um belíssimo presunto e um terceiro com um carpaccio de abacaxi regado com mel e polvilhado com pimenta preta, que não perderia se tivesse sido ligeiramente menos condimentado mas que estava mesmo assim de fazer lamber os dedos (e todas as outras zonas para onde o mel pudesse eventualmente escorrer).

 

Brunch in Downtown

 

Brunch in Downtown

 

Uma das melhores surpresas do brunch foi a tigela com as salsichas cocktail num molho de mostarda e natas.

 

É maravilhoso como é que uma coisa tão simples consegue transmitir uma sensação de prazer quase orgásmica à nossa cavidade bucal, e é aqui que se vê que muitas vezes a grandiosidade encerra-se nas pequenas coisas.

 

Brunch in Downtown

 

Também divinal era o sumo de laranja.

 

Opá, tenho-vos de confessar que só eu devo ter bebido um jarro inteiro de tão bom que o raio do sumo era.

 

Não sei se misturarão algum pó mágico à bebida mas que ela é completamente viciante ninguém pode negar!

 

Existem outras coisas que é possível escolher no Brunch in Downtown, o problema foi que essas opções não me foram comunicadas em momento algum da minha refeição, basicamente tive de andar a ver o que é que era servido nas outras mesas para perceber se tinha direito a mais algum extra.

 

Podem pedir iogurte grego (com frutas ou se preferirem simples para depois adicionarem toppings disponíveis na mesa comum), panquecas feitas com banana e decoradas com morango, que apesar de estarem boas podiam ser melhoradas se a massa estivesse mais fofa e um bocadinho de nada menos viscosa, e ovos da forma que quiserem, sendo que eu pedi uma omelete com queijo, que foi a coisa que menos gostei no brunch, já que a consistência dela era estranha, mas honestamente não consegui compreender o que é que pode ter corrido mal durante o processo de confecção.

 

Brunch in Downtown

Brunch in Downtown

Brunch in Downtown

 

Houve outros dois apontamentos que acho que devem ser melhorados de forma a que a experiência no Brunch in Downtown se aproxime da perfeição.

 

Primeiro, quando fui juntar leite no meu café reparei que ele tinha azedado, porque nem sequer se misturava com o café.

 

São coisas que podem acontecer, o erro foi imediatamente reparado, não tentaram atirar-me areia para os olhos e gostei bastante da atitude profissional como tudo foi resolvido.

 

No entanto, há agora que reflectir porque é que isto aconteceu.

 

Foi algo pontual? É o termo que está estragado e não conserva a temperatura de forma correcta? Deve ser o leite trocado de X em X tempo mesmo que não seja consumido para evitar este tipo de constrangimento?

 

Em segundo, um preciosismo, mas fiquei com pena que a rúcula que vinha a acompanhar o maravilhoso salmão fumado estivesse tão murcha e sem graça.

 

Em vez de a colocarem a repousar por debaixo do salmão será muito mais apelativo se a puserem por cima no momento de a servirem.

 

É apenas um detalhe mas são as pequenas coisas que fazem a diferença.

 

Brunch in Downtown

 

O atendimento no Brunch in Downtown é extremamente simpático, e vê-se que há uma tentativa de fazer cada cliente sentir-se único, com pequenos detalhes como acompanhando-o à porta e havendo sempre um sorriso rasgado e uma genuína vontade de agradar.

 

O único senão é que pelo que percebi este brunch era algo desconhecido, havendo um número razoável de clientes diários que tornava o nível de interacção muito mais familiar, mas, a partir do momento em que ele é catapultado para a fama por uma notícia a apregoar a qualidade económica da sua refeição (deve ter sido na CMTV só pode) há um boom gigantesco de clientes que ninguém estava à espera, sendo que alguma da qualidade intimista do atendimento desaparece, porque por muito que se queira é impossível manter o mesmo nível de quando se tem nove clientes para quando se passa a ter noventa e não há um aumento significativo do staff.

 

Algo que também me deixou confuso foi ao falar com o simpatiquíssimo dono ele confessar-me que gostava de manter as coisas a um nível mais familiar, mas logo de seguida dizer-me que não se importava de abrir uma esplanada e um segundo piso (eu sei que era bom mas ainda não nos conseguimos clonar de forma a chegar a todo o lado...)

 

Brunch in Downtown

 

O brunch do Brunch in Downtown vale muito a pena conhecer, pela sua qualidade, pela simpatia do atendimento e pelo preço.

 

Mas é um daqueles locais que fico mesmo com pena de não ter descoberto quando ainda não andava na boca de toda a gente.

 

Há segredos que são mais saborosos quando continuam a ser segredos!

 

Brunch In Downtown Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Triptofano: O Detective

31.03.19, Triptofano!

Oficina da Carne (Benfica) em 10 segundos: Descubra um local para amantes de carne com doses bastante generosas, delicie-se com um perfeito chuletón, evite a limonada sabonete e se quiser tirar uma foto faça-o de forma despercebida, aparentemente é proibido!

 

Oficina da Carne - Benfica

 

Se um dia substituírem todos os farmacêuticos deste país por máquinas de venda automática já tenho um plano B, que consiste em enveredar no mundo da investigação privada.

 

A descoberta das minhas capacidades como detective privado ocorreu quando visitei a Oficina da Carne, no Centro Comercial Fonte Nova em Benfica, a irmã mais nova do espaço de restauração com o mesmo nome situado no Mercado da Romeira em Almada.

 

Eu podia ter investigado o porquê de terem colocado uma praça de restauração mesmo ao pé do Fitness Hut, fazendo as pessoas balofas como eu sentirem-se mal por estarem a entupir as veias com colesterol enquanto meia dúzia de indivíduos armados em saudáveis estão a suar em bica ao som de uma música remixada do Toy.

 

Podia ter indagado a razão pela qual a limonada que serviram ter um sabor a sabonete cruzado com Super Pop de limão, que talvez fosse devido a uma nova moda na industria das bebidas, onde além de hidratarem também nos fazem uma limpeza ao estômago.

 

Havia também a possibilidade de me debruçar sobre o incrível optimismo quando nos servem um belo naco de carne e a faca que vem a acompanhar não é sequer de serra (havia sempre a hipótese da carne ser tão suave que se desfazia ao toque, mas não foi o caso), ou da tentativa de dar um toque chique à refeição colocando a comida dentro duns pratos todos bonitos mas que em cima do tabuleiro deslizam mais que uma enguia ensaboada.

 

Mas o que eu investiguei a fundo foi o porquê de não poder tirar fotos ao espaço da Oficina da Carne.

 

Quando me informaram que não o podia fazer já eu tinha tirado meia dúzia, mas obviamente que perguntei se era por alguma questão de direitos de imagem das pessoas que lá trabalhavam.

 

Que não, eram regras do Centro Comercial e não podiam adiantar-me mais nada sobre o assunto.

 

O interessante é que no regulamento interno do Centro Comercial não há nenhuma menção sobre a proibição de tirar fotos, por isso talvez o que a Oficina da Carne não quer que se documente fotograficamente é a belíssima carne que tem exposta em cima duma tábua de madeira.

 

Oficina da Carne - Benfica

 

Pronto, provavelmente não é por causa disto e eu sou um péssimo detective privado, mas de qualquer das formas um pedaço de carne não devia permanecer em cima duma tábua de madeira a libertar os seus sucos, porque mesmo que seja limpa a madeira é porosa e há sempre a possibilidade de permanecerem bactérias que podem causar contaminação.

 

No que toca à refeição propriamente dita, tirando a limonada sabonete e a carne que podia estar um bocadinho de nada ligeiramente mais macia, tudo o resto é satisfatório.

 

As doses são muito bem servidas, as batatas fritas são viciantes e as carnes que foram servidas - um belo naco de entrecôte, uma vazia maturada e um chuletón - não desapontaram.

 

O chuletón, apesar do tamanho não ser compatível com um tabuleiro de praça de restauração, estava ao ponto e perfeito de sal.

 

A mesma coisa relativamente às peças maturadas e ao naco de entrecôte que estavam igualmente deliciosas, a pecar um pouco pela falta de tenrura.

Oficina da Carne - Benfica

 

Oficina da Carne - Benfica

 

Oficina da Carne - Benfica

 

A Oficina da Carne tem potencial para ser um óptimo local para todos os meat-lovers de Benfica e redondezas.

 

Basta terem mais atenção aos detalhes dos tabuleiros e dos talheres, trocarem a limonada sabonete por uma melhor (mas deixem estar a cerveja vermelha fresca Malquerida que é simplesmente fantástica) e colocarem a carne em exposição numas tábuas que sejam mais HACCP-friendly.

 

Oficina da Carne - Benfica - Malquerida

 

Quando tudo isso acontecer chamem-me que eu vou a correr e prometo que nem me vou importar com a proibição de tirar fotos!

 

Oficina da Carne Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Em Ponto Maria: Morangos

28.03.19, Triptofano!

Apesar do tema de hoje ser sobre morangos primeiramente vou expor um problema que deverá afligir mais de metade da população mundial : cheiros desagradáveis durante o sexo anal!

 

Sejamos honestos, seria maravilhoso se o nosso rabiosque tivesse um sistema de lavagem tipo aquele dos carros instalado internamente, mas não tem por isso sempre que uma pessoa vai iniciar a prática anal reza a todos os santos para que a feijoada que comeu no dia anterior ainda não tenha descido.

 

Claro que há sempre a possibilidade de fazer a limpeza com antecedência, a tão falada chuca, mas isso só é fazível caso uma pessoa esteja a planear ir para o ataque e abanar o rabo a toda a alminha que passe.

 

Quando não há esta preparação, quando o acto sexual apanha-nos desprevenidos, é sempre um jogo de sorte ou azar.

 

Pessoalmente das piores coisas que pode acontecer é a pessoa estar muito bem no entra-quase-sai-entra-quase-sai e sem querer sai mesmo e vem um cheiro ligeiramente desagradável que se nos cola às paredes nasais.

 

Não importa o quão excitados estamos, não interessa se nos concentramos com todas as células do nosso corpo, quando o cheiro a cocó chega às narinas é impossível abstrairmos-nos dele.

 

Por isso é que a minha pessoa decidiu comprar umas bolas brasileiras, que basicamente são umas bolinhas cheias de lubrificante que com o calor do corpo desfazem-se e libertam o seu conteúdo.

 

Há umas que dão sensação de calor, outras de frio e umas com cheiro, fantásticas para encobrir possíveis odores desagradáveis.

 

Comprei umas com aroma a morango porque as de morango e champanhe estavam esgotadas e digo-vos nunca um morango cheirou tão bem.

 

Bolas Brasileiras com aroma a MorangoBolas Brasileiras com aroma a Morango

 

Depois de introduzida analmente a bolinha rebenta passado poucos minutos, se bem que a penetração faz com que o processo seja muito mais rápido.

 

O resultado é uma lubrificação fantástica e um cheiro de fazer a cabeça andar à roda.

 

Acreditem quando digo que o vosso cu vai-se transformar num autêntico ambientador!!

 

E a piloca ao sair vem também com um delicioso aroma, como se por milagre tivéssemos introduzido uma pila e retirado um Calippo de morango.

 

Estas bolas podem também ser usadas no sexo vaginal ou simplesmente fazer com que elas rebentem em contacto com o calor do corpo para uma massagem bem gostosa.

 

Para todos aqueles que achavam que não gostavam de fruta estas bolinhas com aroma a morango vem mostrar o contrário!

 

E vocês, já tiveram a vossa dose de fruta diária? ❤️

 

Bolas Brasileiras com aroma a Morango

em ponto maria.jpg

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com a dESarrumada tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

O Estranho Portal do Tempo do Musaxi

27.03.19, Triptofano!

Musaxi em 10 segundos: Encontre um restaurante all you can eat a um preço acessível, surpreenda-se com algumas combinações extremamente improváveis, experimente a secção chinesa e o Teppanyaki, mas não espere uma experiência gastronómica que o leve aos céus!

 

Musaxi

Há uns dias deu-me uma vontade louca de comer sushi.

 

Aquele tipo de desejo que uma pessoa não consegue adiar e só de pensar numa peça de sashimi começa a salivar mais do que o cão do Pavlov quando ouvia a campainha.

 

O problema é que apetecia-me ir experimentar um sushi novo mas não podia ser muito caro e tinha que ser all you can eat, ou em português, enfardar até cair para o lado.

 

Depois de muita volta ao miolo lembrei-me de mandar mensagem à minha super simpática vizinha m-M, que num nano-segundo disse-me que deveria visitar o Musaxi, um restaurante de sushi em Telheiras que apesar de não ser espectacular cumpria com o que prometia.

 

E a verdade é que o Musaxi cumpre com o que promete, mas aviso já que se são amantes incondicionais de sushi com padrões extremamente altos então moderem as vossas expectativas.

 

Musaxi

 

O sushi é bom, é fresco e tem variedade, mas o nível de execução, a apresentação e o factor Wow são assim medianos, mas nada que impeça uma pessoa de comer até quase cair para o lado (a única coisa que não gostei neste restaurante foi o tamanho do prato de tão pequeno que era, talvez pensem que isso demove as pessoas de se levantarem e reabastecer, pois a mim não!)

 

Musaxi

 

Existem peças com uma criatividade duvidosamente na barreira entre o óptimo e o ai-minha-nossa-senhora-que-é-isto, como as peças com cebola frita, ou o arroz tingido com sumo de beterraba, ou uma novidade para mim mas que me conquistou, o sushi enrolado em amêndoa, que é a versão dos mares da típica galinha com amêndoa que encontramos num restaurante chinês.

 

Musaxi

 

Os temakis que havia eram de tamanho normal (digo isto porque num outro restaurante do género já encontrei micro-temakis) mas precisavam de ser banhados em molho de soja, porque o interior era muito seco.

 

Musaxi

 

Grande vantagem do Musaxi: ter uma secção de comida chinesa e uma Teppanyaki, a tradicional chapa quente onde se pode cozinhar carne, camarão, salmão ou vegetais, o que é óptimo para aquele amigo chato que embirra que não gosta de sushi e assim já tem alguma coisa para comer!

 

Musaxi

Musaxi

 

A secção de comida chinesa era simples mas agradável e a Teppanyaki só pecava por servir os alimentos ligeiramente demasiado salgados para o meu gosto pessoal, o que revelava um excesso de uso de molho de soja.

 

MusaxiMusaxi

 

No Musaxi a sobremesa também está incluída, sendo que a oferta passa basicamente por fruta, que se por alguma razão acharem que é demasiado saudável para vocês sempre podem besuntar com um topping de chocolate, tal como eu fiz.

 

Musaxi

 

Agora porque é que eu digo no título deste post que há um estranho portal do tempo no Musaxi?

 

É que enquanto eu estava a jantar descansadamente encontrei dois, leram bem, DOIS, ex-namorados.

 

Pessoas que eu não via há mais de seis ou sete anos apareceram ali de repente, fazendo a minha digestão parar durante alguns minutos.

 

Por um lado fiquei contente de os ver, porque o tempo foi cruel para eles e enquanto eu estou aqui fresco e fofo e super sensual (apesar de manco) eles estão muito acabadotes.

 

Certamente que estavam a roer-se por dentro por terem-me posto os patins, mas tal como a Kelly Key dizia, Baba baby, baby, baba, baba , baby, baba, olha o que perdeu!!!

 

Por outro é sempre incrivelmente estranho quando fazemos contacto visual com alguém que fez parte da nossa vida mas que agora já não nos diz absolutamente nada.

 

É aquele tipo de desconhecido que por acaso conhecemos.

 

E uma pessoa fica assim naquela do cumprimenta, não cumprimenta, faz um aceno com a cabeça ou rodopia tipo diva e finge que não está nem aí para o moço?

 

E o que é que se diz nestes casos?

 

Olá, já não te via há tanto tempo, lembras-te de mim, sim sou aquele que deste 18 pinocadas no espaço de três semanas e meia...?

 

Musaxi

 

O Musaxi é um bom restaurante para quem quiser pagar pouco, comer muito e não tenha grandes exigências a nível do sushi.

 

Mas estejam preparados para eventuais encontros de primeiro grau!

 

Musaxi Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Lierac: Sébologie Máscara Purificante Desincrustante

26.03.19, Triptofano!

Vocês sabem que eu sou moço que adora amostras, que não há coisa melhor neste mundo do que experimentar produtos sem ter que os comprar, porque depois se uma pessoa não gosta fica com um mono em casa além de sem menos uns bons euros na carteira.

 

Por isso quando chegaram à farmácia umas amostras da máscara purificante desincrustante da game Sébologie da Lierac eu abarbatei logo uma.

 

Lierac: Sébologie Máscara Purificante Desincrustante

 

Apesar de ter sorte e não ter muitas imperfeições nem muita oleosidade na minha pele, como ela é assim a atirar para o misto achei que era boa ideia experimentar esta máscara, de forma a dar um boost de purificação ao meu rosto.

 

O produto é composto por gluconato de zinco, que tem um efeito matificante controlando o brilho, diminuindo também o tamanho dos poros graças ao seu efeito adstringente; por ácido salícilico que tem uma acção purificante, sendo que as suas propriedades antibacterianas e queratolíticas são vantajosas para quem possuir algumas borbulhas ou marcas residuais; por argilas verdes e brancas que desincrustam os poros e absorvem o sebo e por polissacarídeos reidratantes, que vão conferir água à pele.

 

Em termos de aplicação basta uma vez por semana, podendo ir às duas em casos de oleosidade extrema, sendo que deve ser aplicado na pele seca, evitando o contorno dos olhos, e deixar actuar durante dez minutos.

 

Por favor não façam como eu que fica a aguardar este tempo sentado na sanita a ver o Instagram, é que quando uma pessoa dá conta já passaram vinte minutos e a probabilidade de ficarmos sem metade da cara aumenta exponencialmente.

 

Depois dos 10 minutos humedece-se o rosto, procede-se à exfoliação com movimentos circulares e depois enxagua-se com água, por isso a minha sugestão é fazerem a máscara antes de tomarem banho, para depois ser mais fácil a tarefa de a retirarem!

 

 

A minha opinião acerca do produto!

 

Lierac: Sébologie Máscara Purificante Desincrustante

 

Pessoalmente eu gostei, não me deixou nenhuma sensação de desconforto na pele, nem vermelhidão ou qualquer outro tipo de irritação.

 

A verdade é que a pele fica mais luminosa e com um aspecto saudável, sendo que realmente sentimos que demos um banho purificante ao rosto.

 

O que mais me agradou foi que os pontos pretos do meu nariz pareceram diminuir depois da aplicação do produto, e acredito que fazendo semanalmente os resultados serão ainda melhores.

 

A marca afirma que a textura creme do produto é ultra-absorvente e que forma uma película ultra-fresca na aplicação.

 

Bem, o produto é cosmeticamente agradável, mas contem com algo espesso que algum tempo depois de espalhado na vossa cara vai ficar ligeiramente sólido sendo que vão sentir a pele assim meio a repuxar mas nada de preocupante, sendo que a parte do ultra-fresco é questionável.

 

Em termos do  perfume suave e fresco, com notas do pêssego aveludado, da uva e da madeira marítima, só posso dizer que realmente cheira bem, mas também ainda não encontrei nenhum produto da Lierac que tivesse um odor desagradável!

 

Por isso se tiverem uma pele oleosa com algumas imperfeições  e quiserem um cuidado complementar para vos conferir uma pele com um aspecto ainda mais saudável esta máscara purificante desincrustante é uma boa aposta!

 

Já alguém experimentou o produto? O que é que tem a dizer sobre ele?

Quem realmente importa é quem se importa connosco!

25.03.19, Triptofano!

Apesar deste blog ser um blog pessoal ainda há coisas que não me sinto totalmente à vontade em partilhar, porque quando o faço é impossível não sentir um desconforto a percorrer-me todos os milímetros da minha pele.

 

Uma dessas coisas é sem dúvida as minhas fraquezas, não tanto de espírito mas físicas.

 

Há mais de uma semana que um espirro espoletou uma crise de ciática que me deixou completamente de rastos, com dores insuportáveis e vontade de nada fazer, simplesmente existir com o mínimo de movimento para ter algum descanso.

 

Fiquei dois dias em casa mas depois a teimosia de espírito foi maior e fui trabalhar.

 

Além de trabalhar voltei a nadar apesar das dores, mas sempre com a esperança que o exercício físico fortalecesse a minha musculatura e permitisse uma recuperação mais rápida.

 

Neste domingo que passou fiz a viagem Lisboa-Guarda-Lisboa, por causa do aniversário da avó do Cara-Metade, que celebrou o seu nonagésimo primeiro ano de vida, e nada me deu mais alegria do que ver o sorriso estampado na cara de tão bela senhora, apesar da viagem ter sido uma das piores que me lembro, porque qualquer posição em que me colocava causava dores.

 

Sei que muitos estão a pensar que fui um irresponsável, que devia ter parado, mas apesar de ter uma deficiência recuso-me a ser rotulado como deficiente.

 

Posso andar mais devagar, posso demorar dez minutos a sair da cama, mas não vou deixar de viver a vida por algo que insiste em limitar-me.

 

Pode parecer que escrevo este texto para terem pena de mim, mas na realidade ele é um agradecimento do fundo do meu coração.

 

Primeiro ao Cara-Metade.

 

Ao homem que me ajudou a levantar quando eu não conseguia, que me calçou as meias e atou os ténis quando o meu corpo gritava de dor quando me tentava dobrar.

 

Ao homem que caminhou lentamente ao meu lado para evitar que eu caísse, que me abraçou com força para eu poder tossir com algum sossego, porque até este simples acto, esta banalidade que é a tosse metia-me medo devido às dores que me provocava.

 

Hoje em dia vivemos muito com base nas aparências, nas aplicações de fast food humanas, nos programas onde queremos encontrar a pessoa perfeita que cumpra todas os nossos requisitos muitas vezes irrealisticos.

 

Mas no fim o que importa é termos alguém que se importe connosco, alguém que nos ajude na doença e celebre connosco a saúde, alguém que partilhe a abundância mas divida sem mágoas a escassez.

 

Mais que um corpo, que uma imagem, que um estereotipo de pessoa, o importante é termos alguém que possamos saber que está lá para nós quando precisarmos!

 

Agradeço também aos meus amigos.

 

Aqueles que mandaram mensagens a perguntar como estava.

 

Os que se ofereceram para deixar os trabalhos para me levarem ao hospital.

 

Os que quiserem trazer-me comida para evitar que eu ficasse esmifrado de fome por não chegar ao frigorífico.

 

A todos aqueles que ao saberem que estava mal se preocuparam com o mais genuíno amor.

 

São estas pessoas que devemos acarinhar, que devemos manter por perto, que devemos querer ter na nossa vida.

 

Quem realmente importa é quem realmente se importa connosco!

Sunissime: Protector Solar para o contorno dos olhos

22.03.19, Triptofano!

Quando a encomenda chegou à farmácia nem podia acreditar.

 

Tive de me beliscar duas ou três vezes para me certificar de que era verdade e não estava a ter nenhum delírio provocado por um qualquer croissant fora do prazo comprado no café do lado.

 

Finalmente há um protector solar para o contorno dos olhos disponível em farmácia, sendo que já não preciso de mandar os meus utentes ir comprar coisas a outras loja de cosmética ou mandar vir da Internet.

 

A Lierac lançou para o mercado a nova gama de solares chamada de Sunissime, onde está englobado um cuidado protector para o contorno dos olhos com activos anti-envelhecimento e um FPS 50.

 

Lierac Sunissime

 

Mas antes de falar especificamente deste contorno dos olhos, deixem-me fazer um refresh sobre a temática da protecção solar e dos problemas que podem advir de uma exposição prolongada e inadequada ao sol.

 

Os raios Ultravioleta (UVB/UVA) representam apenas 5% do espectro solar, sendo que os outros 95% são compostos pela Luz Visível e pelos Infravermelhos.

 

Apesar dos raios UV serem os principais responsáveis pelo fotoenvelhecimento cutâneo, a Luv Visível e os Infravermelhos ao penetrarem nas camadas mais profundas da pele vão intensificar ainda mais este fenómeno, sendo por isso vital protegermos a nossa pele da sua acção nefasta.

 

A penetração dos raios solares na pele leva a uma produção excessiva de radicais livres, que são criaturas muito pouco simpáticas que levam a uma alteração dos melanócitos que começam a produzir excessivamente melanina e a depositá-la de forma irregular na superfície da pele, o que origina as tão odiadas manchas.

 

As fibras de elastina e colágenio também sofrem alterações estruturais devido às radiações, dando origem a uma pele mais relaxada, menos firme e com mais rugas.

 

A solução poderia passar por nos barrarmos com protectores solares minerais, de forma a não passar nem um bocadinho de radiação, mas em quantidades controladas os raios solares são uma fonte de energia que quando transmitida às células activa o seu metabolismo, optimizando a qualidade da pele, ficando esta mais radiante e com um aspecto saudável.

 

Sunissime da Lierac, tendo em conta este pau de dois bicos que é protegermos-nos dos malefícios da radiação, mas não deixarmos de usufruir das suas vantagens, combina a protecção solar, protegendo do espectro global, com os cuidados anti-envelhecimento, energizando a pele.

 

Por um lado temos uma protecção da pele e uma prevenção dos sinais do fotoenvelhecimento:

 

  •  Um sistema patenteado UVA/UVB, que por não possuir octocrileno é adequado até para as peles mais sensíveis
  • Um escudo anti luz azul visível, devido à capacidade da melanina fraccionada absorver esta luz de alta energia, diminuindo o número de radicais livres
  • Um poder antioxidante superior graças aos extractos flavonóides vegetais extraídos da centonódia (também chamada erva das galinhas mas é um nome muito menos chique) que protege dos Infravermelhos

 

Por outro  temos uma energização celular para uma melhor qualidade da pele, tudo graças à protaurina.

 

Após exposição solar existe a formação de radicais livres chatos - a protaurina, essa criatura vinda dos céus, tem a habilidade de se ligar aos radicais e transformar-se em taurina, um aminoácido natural que protege as mitocôndrias, que são as nossas fontes de energia celular.

 

A taurina vai estimular a renovação celular, aumentar a hidratação da pele, reforçar a barreira cutânea, fazer com que a pele reflicta melhor a luz, além de que torna o bronzeado sublimado. (trabalhadora esta taurina...)

 

Outros dois componentes activos complementares que estão presentes na gama Sunissime são o ácido hialurónico, reconhecido pelas suas propriedades alisadoras, preenchedoras e hidratantes; e um péptido activador de bronzeado, com a capacidade de estimular a síntese de melanina natural para um bronzeado mais intenso e uniforme.

 

Em termos de aromas contem com uma fragrância irresistível a água de coco, bergamota e flor de jasmim.

 

Mas e o contorno dos olhos?

Como é que se usa?

O que é que tem?

Vale mesmo a pena?

 

Lierac Sunissime - Contorno de Olhos com protecção solar

Lierac Sunissime - Contorno de Olhos com protecção solar

 

Honestamente acho que este é um daqueles cuidados em que se deve mesmo apostar.

 

A zona do contorno dos olhos é tão sensível que todos nós deveríamos usar protecção solar, já que é a área que mais precocemente mostra sinais de envelhecimento.

 

Então quem possui olheiras escuras devia obrigatoriamente usar um protector solar para o contorno ocular.

 
Formulado com um sistema de filtros UVA/UVB 100% minerais (nos outros produtos da gama os filtros não são minerais), este protector que vem no formato de um stick, oferece uma  protecção solar de amplo espectro (UVA, UVB, luz visível, infravermelhos), sendo que o ácido hialurónico na sua composição hidrata e suaviza a pele frágil ao redor do contorno de olhos, enquanto que o óleo de abacate, rico em ómegas 3 e 9, contribui para suavizar, nutrir e reparar a pele!
 
O bom deste produto é que também pode ser utilizado como um corretor com cor para camuflar as zonas de sombra do contorno de olhos, alguma mancha de pigmentação ou até marcas residuais, mesmo que se encontrem nas pálpebras!
 
A utilização não podia ser mais fácil!
 
Aplicar no contorno de olhos antes de cada exposição solar e massajar para uniformizar a textura na pele.
 
Já sabem, em caso de exposição directa deve-se renovar a aplicação a cada 2 horas. 
 
Quem é que já usou este produto?
 
Algum feedback que queiram partilhar?
 

Em Ponto Maria: Lubrificantes

21.03.19, Triptofano!

Existe um mundo de lubrificantes para explorar, e a verdade é que este post podia ser uma dissertação sobre como um dia na farmácia um delegado fez um lub tasting para nos dar a conhecer os novos sabores disponíveis.

 

Apesar de ter ficado fã do sabor de morango, e de todos sabermos quais as vantagens do consumo diário de uma dose de fruta, decidi que este post iria incidir sobre um tema menos explorado, o Fisting.

 

O Fisting é uma prática sexual que consiste em enfiar um punho dentro da vagina ou do ânus do parceiro.

 

Se a prática punho-vagina não é tão chocante, porque afinal a vagina é extremamente flexível assemelhando-se àquela camisola de gola justa por onde nós miraculosamente conseguimos enfiar a cabeça embora acreditássemos que tal nunca fosse possível, a introdução de um punho num ânus requer cuidados redobrados.

 

É preciso estar muito menos tenso,  sendo que é possível recorrer ao uso de poppers de forma a ter um esfíncter mais relaxado; devem-se usar luvas, especialmente as de nitrilo viradas ao contrário de forma a obter-se uma superfície mais lisa com a qual se possa trabalhar, e mais importante que tudo, ter o lubrificante correcto.

 

Doses industriais de cuspo ou uma barra de manteiga com sal dos Açores não são opções para quando o objectivo é dilatar de tal forma o ânus para que possa acomodar um punho sem causar danos internos.

 

O melhor lubrificante para o fisting anal - não sendo aconselhado para o fisting vaginal - é o J-Lube, que foi desenvolvido inicialmente para uso veterinário.

 

J-Lube Fisting Anal

 

O J-Lube é um pó concentrado que misturado com água pode ficar com consistências diferentes, desde praticamente sólido a bastante fluido - basicamente como os espessantes que se utilizam em casos de dificuldade de deglutição, apesar de não aconselhar ninguém a ingeri-lo.

 

Outra grande vantagem do J-Lube é que é extremamente barato, sendo que se tiverem em casa alguns recipientes vazios podem ter uma boa quantidade de lubrificante pronto a usar com consistências diferentes.

 

O facto de ser compatível com preservativos também é um ponto positivo.

 

É verdade que em termos de fisting o objectivo é usarem luvas e não preservativos nas mãos, de forma a evitarem alguma infecção bacteriana causada por unhacas mal higienizadas, mas caso não tenham um punho amigo e queiram introduzir um dildo com um tamanho mais avantajado então aconselho a utilização do preservativo, tanto por uma questão de higiene como por questões de segurança, especialmente se o dildo não for vosso e não souberem se ele foi desinfectado da forma mais correcta.

 

Apesar do fisting ainda ser um tema tabu o mais importante é perceber que em termos de prazer sexual, desde que seja dentro da legalidade, não há certos nem errados.

 

O que excita uns pode não excitar outras, mas não há que existir vergonhas por obtermos prazer com práticas menos normativas.

 

O mais importante é obtermos a nossa gratificação sexual de uma forma segura e informada, para não termos que ir parar às urgências do hospital com um punho entalado no nosso rabo - acreditem que não deve haver nenhuma história plausível que justifique como é que ele foi lá parar sem vocês terem dado conta!

em ponto maria.jpg

"A coisa andou a cozinhar e eis que atingimos o ponto!!! Quinta-feira quente. Quentinha. A escaldar! A Maria chegou para tornar este dia banal da semana no dia mais ansiado por vós. Conjuntamente com a dESarrumada tivemos a ideia de lançar uma rubrica semanal que vai abordar temas da actualidade que são completamente aleatórios e imprescindíveis ao mesmo tempo. Fiquem por aí e percam-se nos nossos devaneios."

Recebi uma demonstração da Bimby TM6 em Casa

20.03.19, Triptofano!

Neste passado domingo recebi uma agente Bimby, super simpática e profissional, que me mostrou a nova Bimby TM6 acabadinha de chegar.

 

A carcaça da Bimby TM6 é exactamente igual à da TM5 - na realidade uma observação mais cuidada permite ver que a zona onde se colocavam as chaves de receitas ou o cook-key agora está ocultada por uma tampa, o que me leva a crer que a TM5 voltou para a fábrica e sofreu apenas algumas recauchutagens.

 

Bimby TM6

 

O visor é realmente maior, e não deve demorar até que seja possível colocar a Bimby a dar o Panda e os Caricas de forma a que a criançada largue o nosso telemóvel da mão.

 

Bimby TM6

 

Em termos de acessórios a varoma e a borboleta não sofrem nenhuma alteração.

 

A espátula sim torna-se mais maleável, sendo que agora talvez seja possível efectivamente usá-la, já que nunca a achei funcional por aí além.

 

Bimby TM6 - Espátula

 

O cesto agora vem com uma tampa, o copo de medida sofreu algumas alterações permitindo medir 50 e 100 ml além de que foi desenvolvido de forma a ficar preso na tampa e a não saltar em direcção ao tecto quando triturávamos um alimento assim um bocado mais para o rijo.

 

Bimby TM6 - Cesto com Tampa

Bimby TM6 - Copo de Medida

 

Bimby TM6 - Copo de Medida

Bimby TM6 - Copo de Medida

 

Um novo utensílio é a rede, que permite diminuir drasticamente a possibilidade de uma queimadura resultante de salpicos.

 

Bimby TM6 - Rede

 

Bimby TM6 - Rede

 

O copo da Bimby TM5, apesar de encaixar na TM6 não deve ser usado na mesma, visto que supostamente não está preparado para suportar as temperaturas mais altas que a TM6 agora atinge.

 

Se é verdade ou um simples golpe de marketing é algo que não posso dizer com certeza.

 

Quando ligamos a Bimby a grande novidade é que ela vai directamente para a página do Cookidoo, onde podemos procurar receitas tanto do portal português como de qualquer um dos portais internacionais, sendo que apenas precisamos de ajustar o filtro de pesquisa.

 

Talvez seja eu que seja um pouco nabo mas senti que estes novos menus da TM6 não são tão intuitivos, mas como em tudo é uma questão de prática.

 

A TM6 tem novas funções, algumas delas que honestamente acho que não servem para grande coisa, como o triturar e a chaleira, visto que era possível fazer o mesmo usando o método manual.

 

Bimby TM6

 

As grandes inovações são o método de slow-cooking, o sous-vide e o método de fermentação através do uso da varoma.

 

O controlo de temperatura de 1 grau em 1 grau só é possível na função de sous-vide, que na realidade precisaria era de um controlo de meio em meio grau, mas pronto, talvez num futuro próximo.

 

Tenham atenção que se quiserem utilizar esta função devem começar a pensar em investir numa máquina de vácuo, porque de outra forma não me parece que seja possível!

 

A velocidade máxima, ao contrário do que tinha dito neste post, continua a ser de 10 e não de 10.5.

 

E não, a Bimby não ficou miraculosamente mais silenciosa, pelo menos eu considero que se o barulho reduziu não foi de uma forma drástica - por isso triturar grão seco às quatro da manhã se viverem num prédio pode não ser a melhor ideia.

 

Entusiasmados por poderem cozinhar a 160ºC?

 

A verdade é que a Bimby agora atinge essa temperatura, mas ela só é desbloqueada em receitas guiadas, por isso se quiserem fazer uma receita no modo manual vão ter de se contentar com os 120ºC da praxe.

 

Na demonstração fiz caramelos de forma a experimentar as capacidades da Bimby em atingir esta temperatura mais elevada, e a verdade é que o resultado foi óptimo!

 

Bimby TM6 - Caramelos

 

Lembram-se daquelas receitas automáticas maravilhosas que nunca usávamos?

 

Pois bem, elas agora desapareceram visto que muito honestamente ninguém lhes ligava nenhuma.

 

Há agora também uma função de pré-lavagem, onde é preciso adicionar vinagre mas que tem como resultado um copo fantasticamente limpo, mesmo depois de fazer caramelo!

 

Bimby TM6

 

A Bimby também vem com um novo livro, só que agora o download pela Internet vai ser impossível.

 

O livro vem com as imagens e os ingredientes, mas as quantidades e métodos de preparação só podem ser encontrados quando se acede ao Cookidoo, por isso a pirataria de receitas bimbásticas tem os dias contados.

 

Bimby TM6 - Livro Faz o que te apetece

 

Bimby TM6 - Livro Faz o que te apetece

 

As novas TM6 só estarão disponíveis para entrega em Maio, no entanto há uma campanha para todos os clientes pioneiros que estejam em pulgas para ter esta nova máquina.

 

Até dia 8 de Abril, quem adquirir a Bimby TM6 recebe um voucher de 200 euros para comprar acessórios até final de Junho, o que dá muito jeito para por exemplo obter um segundo copo.

 

Se vale a pena mudar da TM5 para a TM6?

 

Bem isso é uma decisão que cabe a cada um tomar, mas sem dúvida que a TM6 não vem trazer uma revolução como a TM5 trouxe relativamente à TM31.

 

Para mim esta nova Bimby é uma mais valia para quem realmente gosta de cozinhar e está sempre à procura de formas alternativas de confeccionar alimentos.

 

Agora quem já tem uma TM5 e usa-a apenas para fazer sopas talvez não valha a pena o investimento.

 

A não ser que esteja confiante que um dia vai conseguir ver a Cristina Ferreira a entrevistar o Presidente da República no ecrã da máquina!

 

Somos tão frágeis quanto a força de um espirro

20.03.19, Triptofano!

No sábado à noite espirrei.

 

Um espirro normal como tantos outros.

 

Só que mal espirrei senti algo nas minhas costas a estalar.

 

Nesse preciso momento soube que as coisas não iam correr bem.

 

Tenho uma hérnia algures entre uma das vértebras lombares desde os 18 anos.

 

Quando consultei o médico após as primeiras queixas ele disse-me que enquanto conseguisse ter uma qualidade de vida razoável não aconselhava a operação - se as dores se tornassem insuportáveis aí sim teria de ir à faca.

 

Durante 14 anos fui contornando a situação, volta e meia com uma crise que me deixava em pânico só com a ideia de me sentar num carro, no comboio, na sanita, porque não sabia se seria capaz de me voltar a levantar.

 

A medicação certa combinada com medidas não farmacológicas permitiu-me ir lidando com a situação sem perder grande qualidade de vida.

 

Quando espirrei no sábado estava convicto que seria mais uma destas situações.

 

Comecei logo a atacar com tudo o que tinha por casa, faixas de calor, anti-inflamatórios, relaxantes musculares, analgésicos.

 

No domingo a situação parecia estar controlada, fiz a minha vida normal e ainda consegui ir jantar, apesar de com algumas dores.

 

Na segunda-feira de manhã não conseguia andar.

 

Levantar-me e atravessar o corredor para ir à casa-de-banho tornou-se uma tarefa que não consegui realizar em menos de dez minutos, com constantes facadas no nervo ciático que me obrigavam a agarrar ao que estivesse mais perto para não cair redondo no chão.

 

Dobrar-me para calçar e atar uns sapatos era uma tarefa para além de impossível.

 

Como felizmente estava de folga fiquei o dia todo na cama, sem posição que me trouxesse algum repouso, sem vontade para fazer nada, nem para escrever no blog, nem para viajar pelo Instagram, simplesmente a olhar para o vazio e a tentar dormir de forma a abstrair-me da dor.

 

Pensei que quando acordasse na terça-feira estaria melhor, já conseguiria ir trabalhar, cumprir as minhas funções laborais, com mais ou menos dificuldade.

 

Quando me levantei da cama percebi que o meu corpo pensava totalmente o contrário.

 

Bastou dois passos para perceber que nunca na vida conseguiria chegar ao trabalho quando mais permanecer oito horas de pé nele.

 

Vi-me obrigado a faltar.

 

A passar mais um dia deitado na cama, a enfiar medicamentos para o estômago na esperança de sentir algum alívio.

 

Podia ter utilizado todo este tempo livre para escrever tudo aquilo que tenho em atraso, para responder a comentários, para por as leituras em dia, mas só conseguia pensar em como um simples espirro conseguiu mudar a minha vida tão drasticamente.

 

Passamos tanto tempo a achar que somos imortais, que nada nos deita abaixo, que temos tempo para tudo.

 

Usamos as nossas forças em lutas mesquinhas, preocupados com problemas que são tudo menos importantes em vez de nos esforçarmos em desenvolver soluções para o bem geral.

 

Achamos que temos o mundo na palma da nossa mão para depois, de um momento para o outro, ficarmos com uma mão cheia de nada.

 

Tenho a perfeita consciência que estas epifanias sobre a fragilidade da vida são transitórias, quando estiver a 100% provavelmente vou voltar a pensar que sou invencível, que tenho todo o tempo do mundo, que as coisas mais importantes são os mexericos em vez de me focar em algo que possa mudar o mundo nem que seja de uma pessoa para melhor.

 

Mas hoje, que decidi ir trabalhar mesmo com as limitações e as dores e o medo que este nervo trilhado me dá, decidi que vou focar-me em fazer aquilo que eu quero em vez de aquilo que os outros esperam de mim.

 

Em reflectir sobre quem quero que continue na minha vida e em quem quero investir.

 

Compreender de uma vez por todas que a felicidade é aquilo que nos enche o coração, mesmo que não nos encha tanto a carteira como gostaríamos.

 

Somos tão frágeis quando a força de um espirro, mas podemos desenvolver um espírito que suporte a força de mil furacões.

Pág. 1/4