Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Diário da Gratidão

18.01.19, Triptofano!

Cara entidade sobrenatural, energia cósmica ou divindade multifacetada, sei que normalmente não me dirijo a ti porque por um lado ainda não me decidi se acredito em alguma coisa fora do meu perímetro umbilical e por outro porque normalmente anda sempre a 1000 à hora esquecendo-me de parar e respirar fundo.

 

Mas hoje senti que tinha de utilizar parte do meu tempo para te agradecer, para te mostrar a minha gratidão por teres tornado logo pela manhã o meu dia um dos melhores destes últimos tempos.

 

Estou-te grato por hoje, quando estava na piscina a fazer o meu exercício diário, o professor brasileiro super gostoso de hidroginástica, que infelizmente anda sempre vestido mas que conseguiu diminuir drasticamente o número de vendas de lubrificantes vaginais (e não só!) porque com ele ao pé não há pessoa que consiga ficar seca, ter resolvido trocar o CD do costume e colocar um com música ligeira portuguesa.

 

Foi assim lá para a quarta ou quinta música que eu a ouvi.

 

A Diva, a Deusa, a Cristina Ferreira da música nacional, a inconfundível Ana Malhoa.

 

Enquanto os velhotes da aula de hidroginástica levavam os joelhos ao peito apertando o melhor que podiam o esfincter para não causarem um tsunami, eu vibrava com o Sinto-me Sexy da Ana cantado naquela voz tão sensual que ela possui.

 

Estou grato porque uma música apenas fez o meu dia ganhar outra cor.

 

Já não fiquei chateado com os senhores que vão para a minha pista andar em vez de nadar, nem com a senhora do costume que carrega no perfume antes de entrar na piscina causando-me uma tremenda alergia ocular, nem sequer me preocupei com os 2 decilitros de água que engoli por estar a nadar com a tacha toda arreganhada, tal era a felicidade que explodia dentro de mim.

 

A gratidão é isto mesmo, é perceber que algo pequeno como uma música da nossa ídola nos pode irremediavelmente alegrar o dia.

 

Agora se tivessem passado o CD inteiro tinham que chamar o INEM, porque o meu coração não ia aguentar de tanta euforia!

Brunchar num Autocarro

18.01.19, Triptofano!

Buzz Lisboeta em 10 Segundos: Surpreenda-se com o autocarro-restaurante, delicie-se com a waffle, fique indeciso com as 1001 combinações possíveis da caçarola quente mas prepare-se para a possibilidade de ficar apertadinho!

 

Brunch no Buzz Lisboeta

 

Quando se chega ao Buzz Lisboeta, o restaurante do Village Underground Lisboa que nasceu em 2014 como Cafetaria Village, situado na estação de Santo Amaro em Alcântara, onde também fica o Museu da Carris, uma pessoa fica a pensar se não está no cenário dum filme do Mad Max, mas assim um bocadinho menos apocalíptico, já que o que nos entra pelos olhos é um antigo autocarro de dois andares "estacionado" em cima de contentores.

 

Brunch no Buzz Lisboeta

 

Um olhar mais atento faz-nos suspeitar que este autocarro possa pertencer a algum acumulador em série, porque pelas janelas do primeiro andar é possível vislumbrar uma quantidade astronómica de pratos, copos e até uma caixa de uma máquina de fechar a vácuo numa organização um pouco caótica, algo que fez despertar em mim o meu desejo obsessivo-compulsivo em ir organizar tudo por tamanhos e cores! (estranho que este desejo de arrumação está sempre adormecido em minha casa)

 

Por dentro, o autocarro convertido em restaurante pela artista plástica Joana Astolfi, é algo delicioso, sendo que o segundo andar é o mais cobiçado para se tomar uma refeição.

 

A vista preenche-nos os hemisférios cerebrais, com o rio, a ponte e os murais provocativos, sendo que volta e meia somos acordados do nosso transe pelo abanar do autocarro (da primeira vez pensei que era um terramoto e que pronto já não me safava) causado pelos empregados a subir e a descer as escadas de caracol num ritmo espantoso (no fim do dia já não é preciso ir sequer ao ginásio).

 

Brunch no Buzz LisboetaBrunch no Buzz Lisboeta

 

Consegui ficar no segundo andar, mas não tive a sorte de ter a mesa mais espaçosa onde se pode estar à larga, sendo que tive de me contentar com uma das outras mesas mais pequenas onde um grupo de quatro fica um bocadinho apertado e é preciso algum cuidado para não desferir uma cotovelada no maxilar de alguém, mas a qualidade e a quantidade de comida que nos foi trazida fez rapidamente esquecer esse pequeno detalhe do (des)conforto.

 

Brunch no Buzz LisboetaBrunch no Buzz Lisboeta

 

Se estão num first date e querem marcar pontos, o brunch do Buzz é fantástico, porque começa com um espumante com frutos vermelhos, que é algo que não se vê em todos os lados, e é o ideal para poderem brindar ao amor eterno e a enfardarem quantidades colossais de comida juntos.

 

Para mim o espumante podia estar um bocadinho de nada mais doce, mas escorregou pela garganta abaixo que foi uma delícia.

 

Brunch no Buzz Lisboeta

 

Depois veio para a mesa um croissant francês, um bagel e um waffle, acompanhados com manteiga, compota e supostamente mel de flores, mas este último não o vi mas honestamente também não me fez falta, porque fiquei rendido à qualidade e frescura tanto do croissant como do bagel.

 

O waffle, bem o waffle ainda hoje vive no meu sub-consciente fazendo-me acordar durante a noite com rios de baba, de tão bom que o raio do bicho era.

 

O brunch podia ser só com aquele waffle mas numa versão all you can eat que eu seria um homem feliz.

 

Brunch no Buzz Lisboeta

 

A bowl com iogurte, granola artesanal e fruta fresca era um prazer de comer, saborosa, leve, reconfortante, sendo que teria ficado para além de perfeita se tivesse sido servido com um bocadinho mais de granola.

 

Brunch no Buzz Lisboeta

 

Numa altura onde a mesa já estava cheia a transbordar (e só ainda tinha vindo o sumo natural tendo ficado a bebida quente para o fim) chegou a caçarola no forno.

 

Aqui temos a possibilidade de fazer a nossa própria caçarola, seleccionando primeiro uma base, entre ovos ou tofu, escolhendo depois três ingredientes de uma simpática lista que engloba, entre outros, bacon, farinheira, queijo feta, abacate, beringela grelhada, espinafres e salmão fumado, e decidindo depois qual o molho que queremos que acompanhe tudo!

 

Brunch no Buzz Lisboeta

 

O resultado é um prato quente de ir aos céus, que vem acompanhado por duas fatias de pão de trigo Gleba, onde podemos barrar o molho e depois empilhar os ingredientes que escolhemos, ou usar para molhar nos ovos, ou simplesmente para comer sem nada - vocês decidem!

 

Brunch no Buzz LisboetaBrunch no Buzz Lisboeta

Brunch no Buzz Lisboeta

 

Para quem não gostar da ideia de subir para dentro de um autocarro ou tiver uma mobilidade mais reduzida, existe uma esplanada ao nível do chão onde se pode desfrutar calmamente de todas as delícias gastronómicas que o Buzz tem para oferecer.

 

Brunch no Buzz Lisboeta

 

Confiem: se estão à procura de um lugar icónico que vos deixe de alma e olhos cheios e que sirva comida deliciosa e em quantidades generosas, o autocarro do Buzz Lisboeta vai-vos proporcionar uma viagem inesquecível!

 

Brunch no Buzz Lisboeta

 

Buzz Lisboeta Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato