Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

SOS Prenda de Natal

19.12.18, Triptofano!

Esta é aquela altura do ano em que meio mundo anda louco a gastar o subsídio de Natal a comprar prendas para outro meio mundo e meio, simplesmente porque é tradição oferecer alguma coisa e não queremos que nos achem uns bota de elástico.

 

Também é nesta altura que as empresas lembram-se de fazer os jantares de Natal com o sempre fantástico Amigo Secreto, onde normalmente nos calha uma pessoa que nem sabíamos que trabalhava no mesmo escritório que nós, sendo que rezamos a todos os santos para que quem nos vá oferecer a prenda não seja aquele colega com o qual discutimos na semana passada pelo facto de ele ser um autêntico nabo, já que a probabilidade de ele nos ofertar um envelope com anthrax é mais que muita!

 

O que oferecer então de forma a fazer boa figura e não ter um rombo ainda maior no orçamento?

 

O primeiro pensamento é uma garrafa de vinho para os senhores e um lenço ou uma peça de bijutaria para as senhoras, sendo que se tivermos mais confiança com a pessoa podemos cometer a loucura de oferecer um livro erótico com a mensagem subliminar que talvez seja melhor ela dedicar-se à leitura visto estar encalhada para lá de dois anos e meio.

 

Mas eu este ano resolvi ser diferente e no Amigo Secreto da farmácia ofereci um mini-cabaz com coisas boas para comer.

 

Não havia presunto nem bacalhau mas fiz muito boa figura e não gastei uma fortuna!

 

O que é preciso então para oferecerem um mini-cabaz alimentar?

 

Primeiro que tudo encontrem uma caixa.

 

Pode ser de sapatos, de uma encomenda que tenham recebido pelo correio, de bolachas onde guardam os talões de compra do supermercado desde 1998, o que interessa é que dê para colocar coisas lá dentro com a mínima segurança.

 

Se não for a caixa mais bonita do universo não dramatizem. O que interessa é o conteúdo. E qualquer coisa também a podem forrar.

 

Depois estipulem um orçamento.

 

Para mim o confortável é entre os 15 e os 20 euros, que é um valor com o qual já se consegue dar um prenda mais vistosa.

 

Se tiverem margem de manobra para mais ainda melhor, se quiserem gastar menos também se arranja.

 

Quando souberem que valor querem gastar é altura de ir às compras.

 

Foquem-se nas secções gourmet e/ou biológicas/orgânicas/feitas-com-suspiros-de-monges-na-andropausa dos supermercados, porque normalmente possuem produtos mais invulgares.

 

Aqui o segredo é em vez de comprarem apenas um produto caro adquirirem vários mais baratos de forma a encher mais a vista de quem receber o prenda.

 

Ou seja, esqueçam as poupanças que as embalagens económicas conferem.

 

Não vos interessa comprar um pacote com cinquenta bolachas pelo facto de cada bolacha ficar 20 cêntimos mais barata se gastarem logo 15 euros.

 

Claro que também não comprem uma bolacha apenas, mas neste caso em particular as embalagens mais pequenas permitem que dentro do vosso orçamento possam dar uma maior variedade de coisas!

 

É verdade que há sempre o risco de adquirem algo que a pessoa não goste, mas podem tentar sempre jogar mais pelo seguro, e em vez de uma compota de gengibre, chilli e noz moscada talvez a de pêra com champanhe seja uma aposta mais consensual.

 

No meu caso comprei um pacote de chocolates biológicos, uma embalagem de chá gourmet de papaia e laranja e uma compota de figo de uma marca mais refinada, enfiei tudo dentro de uma caixa que tinha em casa e não gastei sequer 20 euros!

 

Cabaz Natal Amigo Secreto

 

E as hipóteses são infinitas.

 

Uma boa garrafa de azeite, ervas aromáticas, sal marinho, conservas, rebuçados caseiros, um frasco de mel, um licor, uma embalagem de café, são apenas alguns exemplos do que podem escolher para formar o vosso mini-cabaz de Natal (ou de qualquer outra altura do ano!).

 

Garanto-vos que no futuro todos vão querer receber uma prenda vossa!!

A Avó'Tinha

19.12.18, Triptofano!

A Avó'Tinha em 10 Segundos: Vá pela decoração peculiar, fique pela imperial servida em caneca de esmalte à moda antiga mas reze a todos os Santos para ter mais sorte do que eu quando pedir a comida!

 

A Avó'Tinha

 

Há pessoas que gostam de criticar apenas pelo prazer de criticar, pessoas que quando visitam um local já vão com o intuito de pegar na mais pequena coisa e fazer dela uma monstruosidade apenas porque lhes dá uma descarga de adrenalina.

 

Eu não sou de todo essa pessoa.

 

Quando vou ter uma refeição fora de casa gosto que tudo corra da melhor forma possível porque o meu objectivo é relaxar e desfrutar e não ficar irritado ou desapontado com a experiência.

 

Por isso, quando faço uma crítica menos positiva faço-a com bastante pesar, porque significa que eu fiquei triste ou irritado ou desapontado ou ofendido (ou num dia incrivelmente mau tudo isto ao mesmo tempo) e eu gosto é de estar com um sorriso na cara e não ficar de trombas.

 

A Avó Tinha abriu um novo espaço no Mercado de Arroios e em termos de decoração está incrivelmente giro, repleto de pequenos detalhes deliciosos.

 

Usando toda a tralha que a Avó devia ter no sótão de sua casa conseguiram criar uma atmosfera confortavelmente vintage, rentabilizando ao máximo o espaço e aumentando a privacidade de quem quer ter uma refeição sossegada.

 

O serviço prometia quando as imperiais vieram servidas em canecas esmaltadas com motivos florais como as de antigamente, inteligentemente usadas para manter a sensação de que estávamos na casa de uma avó amorosa e acolhedora.

 

A Avó'Tinha - Caneca Esmaltada

 

Mas quando a comida chegou percebemos que ou a Avó não Tinha mesmo jeito nenhum para cozinhar e devia ter-se mantido fiel à comida pré-feita do Pingo Doce ou que naquela dia a Avó Tinha ido de férias para as Canárias e colocado no seu lugar a vizinha cujas únicas capacidades culinárias eram as de comer os aperitivos que lhe serviam no Bingo.

 

Foi uma desilusão colossal, tanto pela apresentação, como pela qualidade e também pelo facto dos preços estarem desajustados face à quantidade de comida servida (preços demasiado altos para doses muito pequenas)!

 

A refeição até nem começou mal, com um bom queijo gratinado para barrar no pão, mas pronto, é quase impossível falhar num queijo gratinado certo?

 

A Avó'Tinha - Queijo Gratinado

 

Quando começaram a chegar os petiscos é que percebi que algo de muito errado se passava na cozinha (espero que tenha sido apenas naquele dia).

 

Os ovos rotos foram a minha maior desilusão.

 

Depois de ter visitado locais onde me serviram este petisco com toda a pompa e circunstância que eles merecem as minhas expectativas estavam altas.

 

Na Avó'Tinha serviram-nos com chouriço em vez de presunto, algo que até consigo desculpar, mas apresentar ovos mexidos em vez de estrelados?

 

Não trazer o ovo intacto para ser partido e misturado com a batata?

 

Eu não sou esquisito com a comida, apesar de às vezes parecer, mas há coisas que eu gosto que sejam da forma tradicional.

 

A Avó'Tinha - Ovos Rotos

 

Também o Pica-Pau de vitela gostava que tivesse vindo com algum molhinho para poder molhar o pão e sentir o colesterol a aumentar nas minhas veias, e não numa autêntica sopa onde as tiras de vitela, que apesar de serem de um corte nobre, já estavam em rigor mortis de tanto tempo que permaneceram afogadas (para lá de serem apenas 3 pequenas tiras).

 

A Avó'Tinha - Pica Pau de vitela

 

O Camarão ao alhinho, embora com sabor, vinha com molho em excesso o que podia indicar que os camarões foram directamente descongelados para dentro do refogado de azeite e alho.

 

E descascar camarões, congelar e voltar a descongelar pode não ser a melhor das práticas em termos de segurança alimentar.

 

A Avó'Tinha - Camarões ao Alhinho

 

O Choco Frito (que veio em substituição das trompetas de lagostim que estavam em falta) estava tenro mas com um polme ligeiramente queimado, o que era indicativo de que o óleo já devia ter sido mudado há mais tempo.

 

A Avó'Tinha - Choco Frito

 

Os mexilhões à moda da Avó tinham um molho muito pouco equilibrado, sentindo-se em demasia o sabor do vinho branco e a forte presença de tomate concentrado, ainda que quem nos estava a servir referisse que apenas havia sido usado tomate fresco.

 

A Avó'Tinha - Mexilhões à moda da Avó

 

As bolinhas de farinheira com compota roxa (saborosa!) pecavam pela quantidade.

 

Para um prato que custava 7€, a pouca quantidade de farinheira colocada em cada bolinha faz com que este prato seja (sem dúvida) um dos mais rentáveis do restaurante, o que é óptimo para o restaurante mas não propriamente fantástico para o cliente!

 

A Avó'Tinha - Bolinhas de Farinheira

 

À semelhança do queijo gratinado do couvert, o Chèvre fundido com mel, nozes e figos é mais um clássico onde não há muito por onde errar, encontrando-se muito saboroso!

 

A Avó'Tinha - Chévre fundido com mel, nozes e figos

 

Quanto aos ovos mexidos com espargos e farinheira, merecem o mesmo comentário que o Chèvre: a expectativa foi cumprida, dada a simplicidade do prato.

 

A Avó'Tinha - Ovos Mexidos com Espargos e Farinheira

 

Como tínhamos tido medo que os petiscos não fossem suficiente para nos aconchegar o estômago (éramos 4 ok? não fiquem a pensar que eu sou um poço sem fundo) pedimos umas bochechas estufadas ao vinho tinto com pão frito para partilhar, o prato preferido do Cara-Metade.

 

Começando pelo menos óbvio: as migas a acompanhar estavam muito para lá de más.

 

Com um sabor fortíssimo a vinagre e tomilho, estavam mal feitas, com sabores errados e muito desagradáveis, o que de resto se verificou na carne.

 

As bochechas, que não foram marinadas, apresentavam um molho desligado, com muita água, sem sabor ainda que com a textura correta (desfiavam-se como se pretende numa boa bochecha).

 

A Avó'Tinha - Bochechas Estufadas ao Vinho Tinto

 

Em suma, fiquei extremamente desapontado com a refeição que me proporcionaram na Avó'Tinha e gostava de pensar que tinha sido uma vez sem exemplo, mas o facto de quem nos atendeu insistir que era assim que as coisas eram feitas geralmente e que toda a gente adorava deu-me calafrios na espinha.

 

Não acredito que a maioria das pessoas coma o que me foi apresentado e saia do restaurante com um sorriso no rosto, preparadíssimas para voltar.

 

Talvez não reclamem mas certamente riscam a Avó'Tinha da sua lista de restaurantes a visitar novamente.

 

Espero um dia voltar e ser surpreendido pela positiva pela comida, e nessa altura poder dizer que a Avó Tinha tido um alzheimer culinário momentâneo e afinal até é boa entre os tachos e as panelas.

 

A Avó'Tinha

 

A Avó'Tinha - Arroios Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato