Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Caco, o Original

03.12.18, Triptofano!

Volta e meia, quando visito os meus pais, gosto de dar uma olhadela nos álbuns de fotos (sim pessoas que nasceram a partir de 2000, antigamente usavam-se álbuns de fotos) que eles tem guardados e perder-me nas memórias do passado.

 

Desta última vez encontrei uma resma de fotos que retratavam a minha primeira ida à Madeira, não teria sequer 18 anos, e a primeira coisa que pensei foi como é que raio eu tinha tanto cabelo na altura e onde é que ele se meteu!

 

As memórias mais fortes que tenho da viagem são do meu pai com um mapa na mão constantemente perdido, eu a beber durante o dia todo Brisa de Maracujá e as quantidades industriais de bolo do caco que comi, quentinho e barrado com manteiga de alho....hummm que delícia.

 

Foi essa nostálgica recordação madeirense que me fez ontem ir ao Caco, um restaurante de refeições rápidas em Benfica, onde podemos ferrar os dentes num hambúrguer feito com bolo do caco.

 

A primeira impressão do Caco engana, porque quando se entra o espaço visível não é extraordinariamente grande, mas se descerem para o piso inferior vão ficar surpreendidos com a área de refeição que têm à vossa disposição.

 

Não existe serviço de mesas mas dão-vos um aparelhozito que começa a vibrar e a emitir luz quando o vosso pedido está pronto - por isso deixo aqui um conselho de amigo, se estiverem num dia mais cinzento coloquem o aparelhozito no bolso de trás das calças, vai ser impossível não ficarem com um sorriso nos lábios.

 

O Aparelho arranca sorrisos do Caco, O Original

 

Relativamente à comida, o Cara-Metade pediu o Brie, com queijo Brie, bacon, rúcula e carne de vaca, e eu atirei-me a um Caniçal, também com carne de vaca mas acompanhado com ovo estrelado, tomate e cebola caramelizada.

 

Nada a apontar aos hambúrgueres, carne bem cozinhada, quantidade satisfatória de ingredientes de qualidade envolvidos por um belíssimo bolo do caco e um sabor global muito agradável.

 

A limonada (acreditam que nem me lembrei de ver se havia Brisa de Maracujá? Chibatada em mim....) era boa, com o toque de acidez que se quer e sem um excesso de açúcar que mata muita limonada por esse mundo fora.

 

Agora as batatas fritas minha gente, as batatas eram boas, eu comi as batatas todas e não sobrou migalha alguma, mas quando se diz que são batatas caseiras espera-se umas batatas feitas in loco, não na casa de outra pessoa qualquer.

 

Apesar de serem de qualidade superior e de terem sido salpicadas no momento com orégãos, não deixavam de ser pacote, e pronto eu já enfardo tanta batata de pacote em casa que teria ficado ainda mais contente se no Caco as batatas fossem realmente caseiras.

 

Concluindo, se estiverem à procura de uma refeição acessível mas com qualidade e saudável ou quiserem reunir um grupo de amigos para descobrirem quem é que já se casou ou continua encalhado enquanto fincam o dente em hambúrgueres saborosos, o Caco é sem dúvida uma boa opção!

 

Caco, O Original

Caco, O OriginalCaco, O OriginalCaco, O Original

Caco, O Original

Caco, O Original

 

Caco, o Original Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Como é que correram os meus desafios para 2018?

03.12.18, Triptofano!

Agora que entrámos no último mês de 2018 é altura de fazer um apanhado de como foi o ano relativamente aos 12 desafios que coloquei a mim mesmo no final de 2017.

 

  • Inscrever-me na Natação

 

Este foi o desafio mais fácil de realizar.

 

Inscrevi-me e mantive-me a nadar activamente, entre 4 a 6 vezes por semana, nas piscinas da Junta de Freguesia de Benfica.

 

Passei de conseguir fazer 4 piscinas a umas espectaculares 60 em 45 minutos, isto sem precisar que o professor de serviço venha fazer-me suporte básico de vida no final da aula!

 

 

  • Perder 10kgs até ao final do ano 

 

Equacionei a amputação de membros para conseguir concretizar este desafio, mas depois de muita ponderação achei que talvez não valesse a pena.

 

Não perdi 10kgs de certeza, além de que devo dizer que eu e a balança fizemos uma pausa na nossa relação amorosa.

 

Porém, no trabalho dizem-me que este ano não estou tão barrigudo, já que parece que emagreço no Verão e engordo no Inverno, por isso posso não ter perdido peso mas também não aumentei, o que já é uma grande vitória!

 

 

  • Adoptar um cão

 

Este foi um assunto debatido até à exaustão entre mim e o Cara-Metade, mas por agora nenhum de nós sente que possui a disponibilidade necessária para dar o amor e carinho que um patudo precisa.

 

Tivemos a fantástica oportunidade de tomar conta do Bart, o bulldog francês narcoléptico, e apesar de morrer de saudades dele a experiência não foi o suficiente para termos o nosso cão!

 

Bart, o Bulldog Francês

 

 

  • Ler 24 livros até ao final do ano 

 

Em minha defesa tenho a dizer que comecei o ano em força e li uns dois ou três livros, mas depois olhem, não sei o que aconteceu, mas basicamente não li mais nada de nada em suporte de papel que não fossem revistas de fofocas.

 

Agora que o meu polegar está hipertrofiado de tanto scroll que faço no meu Instagram está, por isso simplesmente podemos considerar que passei a ler coisas num suporte digital!

 

Ah mas o Instagram é maioritariamente fotos................passando à frente....

 

 

  • Escolher uma instituição para fazer voluntariado regularmente 

 

Contribuir com alguns bens neste fim-de-semana para o Banco Alimentar Contra a Fome conta como voluntariado regular?

 

Sei que devemos dar de volta ao mundo o que ele nos dá, mas acho que estou numa fase mais de receber do que de dar!

 

Pelo menos sou honesto, por isso não me critiquem muito está bem?

 

 

  • Ir de férias à Patagónia com a senhora minha mãe e o Cara-Metade 

 

Estava muito esperançoso em conseguir cumprir este desafio mas infelizmente as economias não foram suficientes para uma viagem de tamanha envergadura.

 

Fui com eles à Tailândia e foi fantástico, talvez a Patagónia seja o destino do próximo ano.

 

Comer Escorpiões em Banguecoque

 

 

  • Saltar de para-quedas 

 

Aqui culpo o Cara-Metade.

 

Eu estava pronto, mais que pronto, já tinha aprendido a algaliar-me e tudo para não me mijar pela perna abaixo, mas ele disse que só entrava no avião se o drogassem.

 

Eu ainda me ofereci para o fazer mas ele não foi na conversa, o desmancha-prazeres!

 

 

  • Fazer um novo piercing 

 

Embora no final de 2017 enfiar mais um pedaço de metal no corpo me parecesse extremamente sedutor a verdade é que esse desejo se desvaneceu.

 

Colocar um piercing na cara estava fora de questão, tanto por questões laborais como pelo facto de honestamente achar que não me ia favorecer em termos estéticos.

 

Todas as outras zonas do corpo não me pareceram apetecíveis, e olhem que até ponderei a possibilidade de fazer um na ponta do pénis, mas só de pensar em ter relações sexuais com uma argola de metal lá pendurada faz-me ficar com calafrios.

 

 

  • Voltar a conduzir 

 

Perdi o meu de ser raptado por um estranho e comecei a andar de Taxify.

 

Eu sei que não é a mesma coisa, mas já é um passo em direcção a voltar a sentar-me no banco do condutor, não é?

 

 

  • Correr uma meia-maratona 

 

Desenvolvi uma relação mais estreita de amizade com alguém que corre meias-maratonas e, pasmem-se, maratonas completas!!

 

Até aprendi que o Imodium é o melhor amigo do maratonista!

 

Vamos então considerar que por osmose eu corri realmente uma meia-maratona mas sem sair de casa...

 

 

  • Ir a um restaurante com estrela Michelin 

 

A verdade é que não coloquei o pé em nenhum restaurante galardoado com este prémio, mas não me posso queixar da minha vida gastronómica nestes últimos meses.

 

Tive o privilégio de visitar vários restaurantes, de comer muita coisa boa, de postar imensas fotos a fazer pirraça e de conseguir elevar o meu colesterol quase aos 300.

 

Por isso em termos de encher o bandulho sinto-me completamente realizado!

 

Uma das muitas coisas boas que comi este ano!

 

 

  • Tirar uma selfie com a Ana Malhoa 

 

É do coração quando vos digo que pensei que ia conseguir concretizar este desafio, sobretudo depois do meu irmão ter enviado um e-mail para os canais de comunicação dela a dizer que era o meu maior sonho, o meu desejo mais profundo nesta vida, que eu podia morrer em paz se tivesse uma selfie com ela.

 

Mas não, a Ana Malhoa ignorou-me, não me disse nada, fingiu que eu não existia.

 

Eu continuo a amá-la, mas que fiquei com uma fendazinha no coração fiquei!

 

 

Por isso, em jeito de conclusão, dos 12 desafios a que me propus realisticamente só cumpri 1, o que me mostrou que sou uma nódoa no que toca a resoluções de Ano Novo.

 

É verdade que 2018 ainda não acabou e se eu quisesse muito muito muito ainda consegui riscar da lista 3 ou 4 desafios, mas acho que isso não vai acontecer!

 

E vocês, como correram as vossas resoluções de Ano Novo?

Quantos desafios é que conseguiram cumprir?