Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Grrr...Sou Vítima de Discriminação!

12.09.18, Triptofano!

Quem me acompanha aqui no blog sabe que eu e os cosméticos somos unha com carne!

 

Gosto de saber as novidades, experimentar novas texturas, estudo a fundo as promessas milagrosas de certas marcas para perceber se realmente são promissoras ou é tudo marketing, deliro com cremes que se transformam em gel e depois em óleo e depois em unicórnios coloridos que cavalgam velozmente na nossa epiderme, e acumulo quantidades astronómicas de produtos meio-cheios na casa-de-banho, já a ganharem um boa camada de pó, mas dos quais não me consigo desfazer porque nunca se sabe quando é que posso ter um surto de rosácea acneica com micro-pigmentações descamativas (uma pessoa precisa de estar preparada para todas as eventualidades!).

 

No trabalho os meus colegas já sabem que sou eu que domino a parte da cosmética por isso quando há alguma dúvida pedem-me ajuda!

 

Atenção não é que eu saiba tudo, e quando não sei não invento para não dar parte fraca, mas interesso-me verdadeiramente e se for preciso telefono para os laboratórios, mando e-mails, tudo para o utente levar o produto mais correcto para ele (isto quando os utentes não insistem que querem levar algo que não é de todo o melhor para a sua pele, mas aí já não posso fazer nada).

 

O meu balcão fica mesmo à frente dos lineares de cosmética, de forma a eu poder controlar mais facilmente o que se vende e estar de olho em algum colega mais afoito que esteja a aconselhar um creme nutritivo para uma pele oleosa desidratada ou um tónico quando a pessoa lhe pediu uma água de limpeza.

 

Apesar disto tudo, continuo a ser vítima de discriminação.

 

Não porque os meus colegas achem que sou X ou Y por colocar seis cremes de manhã - quando eles estiverem enrugados e eu não depois hão-de-se arrepender - mas porque não há semana que não se chegue uma utente ao pé de mim com esta conversa:

 

Olá bom dia, eu queria comprar um creme, mas olhe eu preferia falar com uma das meninas, é que elas percebem mais do assunto!

 

É que não é uma menina em particular, é uma menina qualquer, pode ser a estagiária ou a podologista, desde que seja uma menina está tudo bem.

 

Aqui a minha pessoa, detentora de uma genitália baloiçante, não serve para aconselhar um creme para o belo rosto da senhora.

 

Digam-me lá se isto não é ser vítima de discriminação?!?!

Cooperação Brasil-Portugal à Mesa!

12.09.18, Triptofano!

Quando eu era pequeno não gostava de queijo.

Era uma criança estranha, porque também não gostava de bolos, a única coisa que suportava comer era um palmier simples, sem nada de recheio.

 

Os anos passaram e o meu palato transformou-se, porque presentemente enfardo bolos a uma velocidade astronómica e o queijo, bem, o queijo é uma autêntica perdição para mim.

 

Agora, depois desta pequena nota auto-biográfica, imaginem que morreram e foram parar ao céu do queijo.

 

Esse local certamente ia chamar-se Aromas e Temperos, um restaurante pequenino em Arroios onde os sabores brasileiros são complementados com toques portugueses dando origem a pratos de fazer afogar a nossa língua num pequeno lago de saliva.

 

É verdade que nem todos os pratos levam queijo (o restaurante nem pretende ser um cheese-bar ou coisa similar) mas para mim o Aromas e Temperos é sinónimo de óptima comida e queijo muito bom.

 

Eu e o Cara-Metade começámos a refeição com uma cesta de pães e coisinhas saborosas, que vinha com um pão de queijo da Ilha de São Jorge quentinho e delicioso, de fazer lágrimas de alegria nos olhos, uns palitos de mandioca e umas tiras de pães onde podíamos barrar um óptimo queijo ou colocar em cima um apetitoso mini-mozzarella.

 

Depois vieram uns croquetes de alheira divinais, acompanhados por um ketchup de goiabada (pessoalmente acho que ainda ficaria melhor se viesse com uma maionese de goiabada), e ao mesmo tempo aterraram na nossa mesa seis unidades de pastel de queijo, crocante, bem recheado, com um queijo soberbo.

Se pudesse tinha comida mais uma dúzia dos pastéis, de tão bons que estavam.

 

Normalmente eu e o Cara-Metade pedimos pratos principais diferentes para experimentarmos o maior número de coisas possíveis, mas desta vez foi impossível resistirmos ao Escondidinho.

 

Um prato tipicamente brasileiro, com carne de sol (uma carne seca desfiada que é feita por eles, algo muito difícil de encontrar em Lisboa), com um puré de batata doce de polpa laranja assada, com uma crosta de queijo gratinado de fazer perder a cabeça.

 

O Escondidinho é bem servido e enche, muito graças à batata doce, por isso se já tiverem atacado as entradas sem dó nem piedade talvez devam considerar em dividir esta delícia.

 

Algo que é mesmo para dividir é o brigadeiro de chocolate com cachaça e farofa crocante de castanha de caju e tiras de citrinos do Algarve. É um creme denso de chocolate amargo, mas quando eu digo denso é mesmo denso, de ser difícil de tirar com a colher.

 

A sobremesa é deliciosa, fantástica mesmo (podia talvez ter um bocadinho mais de cachaça), mas eu, guloso-mor de Lisboa e arredores teria dificuldade em a comer sozinho, porque para mim é demasiado chocolate (não me mandem pedras pessoas que acham que não há tal coisa como demasiado chocolate!).

 

A visita ao Aromas e Temperos serviu para me relembrar que não é preciso tudo correr perfeitamente bem ou ser impecavelmente infalível para um almoço ou jantar ser cinco estrelas.

 

Cinco ou seis pratos não estavam disponíveis de momento, visto o restaurante ter estado fechado para férias até à relativamente pouco tempo e ainda não estar tudo novamente nos eixos, mas avisaram-nos de tal logo no início antes de escolhermos e pediram desculpas por isso tanto no começo como no fim da refeição.

 

O nosso pedido de pastel de queijo foi trocado por um de carne, mas mal apontámos o erro foi-nos resolvido na hora, de forma simpática e atenciosa, sem olhares de esguelha nem resmungos.

 

Apesar dos pequenos contra-tempos não senti que eles tivessem sido impeditivos para eu me sentir bem acolhido, confortável, respeitado e valorizado como cliente, ao mesmo tempo que me deliciava com boa comida feita com técnica e com carinho.

 

E acreditem, não são todos os restaurantes que possuem esta capacidade de nos fazer pertencer a um sítio mesmo quando nunca lá tínhamos ido antes!

 

Restaurante Brasileiro Aromas e Temperos

 

Restaurante Brasileiro Aromas e Temperos

 

Restaurante Brasileiro Aromas e Temperos

 

Restaurante Brasileiro Aromas e Temperos

 

Restaurante Brasileiro Aromas e Temperos

 

Restaurante Brasileiro Aromas e Temperos

 

Restaurante Brasileiro Aromas e Temperos

 

 

Aromas e Temperos Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato