Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Escolhas!

06.08.18, Triptofano!

As minhas últimas noites tem sido pautadas por longos momentos de reflexão, visto que um dilema tem-me corroído as entranhas neuronais!

 

Durmo de janela fechada e morro abafado mas sem picadas ou abro a janela e durmo ligeiramente mais à fresca mas acordo às seis da manhã a coçar-me como se tivesse apanhado sarna?

 

Neste preciso momento estou a besuntar-me em Caladryl e água termal e a fazer uma makumba contra a melga ou mosquito ou mosca ou lá o que me tenha picado em toda a extensão do braço enquanto o cara-metade continua a dormir sem nenhum sinal de ataque evidente, por isso é evidente qual foi a escolha que eu tomei!

Gelato Davvero

05.08.18, Triptofano!

Na procura constante de novos locais para nos deliciarmos com as melhores opções gastronómicas da cidade há que ter em conta uma regra de ouro: não ter vergonha na cara!

 

Foi esta pérola de sabedoria que transmiti a uma amiga quando ela me contou que ouviu uns desconhecidos que passavam por ela a falar de uma gelataria boa e barata na zona de Santos, gelataria esta cujo nome não descobriu porque teve vergonha de interpelar as pessoas e perguntar do que é que falavam.

 

Se ouvirem alguém falar de um sítio fenomenal onde se pode almoçar e não conseguirem de forma despercebida entender qual o nome do local, não se acanhem!

 

Ponham o vosso melhor sorriso, digam que não estavam a ouvir a conversa desde há 45 minutos para não darem um ar demasiado assustador, e perguntem qual o nome, preço, horário e must-have desse local de que estão a falar.

 

Acreditem que a maioria das pessoas vai partilhar convosco a informação de bom agrado, afinal o amor pela comida une-nos mais do que nos afasta.

 

Mas voltando à história da Gelataria boa e barata em Santos: apesar da minha amiga não ter descoberto qual o nome, eu, qual detective privado, botei no Google a pesquisa gelataria boa e barata em Santos e o resultado foi o Gelato Davvero.

 

Se era essa a gelataria de que os desconhecidos falavam nunca saberei, mas as probabilidades são grandes, e mesmo que não fosse o Gelato Davvero foi uma das minhas melhores descobertas (apesar de me dar a sensação que toda a gente já conhecia o sítio menos eu) dos últimos tempos!

 

Um local grande, apinhado de clientes, mas cujo serviço rápido e eficiente despachou em três tempos.

 

A disposição dos lugares sentados é muito original, criando mais espaço útil para podermos descansar a apreciar o gelado - imaginem uma espécie de montanha cheia de recantos, é mais o menos o que encontram no Gelato Davvero.

 

Além desta visão muito eufemística também há um escorrega para os mais pequenos (ou para os maiores que não tenham comido demasiado gelado que migrou para as ancas e que impede a utilização confortável do escorrega) e duas máquinas de jogos para os mais revivalistas.

 

Os preços não são caros, por dois euros conseguimos um pequeno copo apinhado de três sabores.

 

Escolhi o de maracujá, o de mirtilo e o de melancia. Deliciosos!!!!

 

Ainda tive o descaramento de enfiar a minha colher em sabores tão distintos como caramelo salgado, ananás, caju e limão, e todos eles eram extremamente saborosos.

 

Aviso desde já que os sabores disponíveis estão apresentados em várias línguas, com destaque para o italiano. Por isso se ficarem dez minutos a tentar perceber o que é um Cocomero e porque é que raio os cocos agora são vermelhos, leiam a tradução (em letras muito mais pequenas) em português, para descobrirem que afinal cocomero é melancia!

 

E o melhor de tudo é que aos sábados este paraíso dos gelado está aberto até à meia-noite. Ideal para uma sobremesa gulosa depois de um jantar com amigos ou como uma paragem para obter energia antes de uma noite inteira a dançar ao som da vibração da cidade de Lisboa!

 

Gelato Davvero

Gelato Davvero

Gelato Davvero

Gelato Davvero

Gelato Davvero

 

 

Gelato Davvero Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Alguém me Empresta um Comprimido de Fluoxetina sff?

04.08.18, Triptofano!

Atenção: Spoiler!

 

Ontem fui à sessão da meia-noite ver com o cara-metade (o nosso arrufo já está quase totalmente perdoado...ufa!) o Mamma Mia! Here We Go Again.

 

Acho que nunca conheci alguém que gostasse tanto do Mamma Mia como ele, que além de ter assistido ao musical em Lisboa e em Londres, viu o filme umas incríveis nove vezes.

 

Por isso a expectativa para este segundo filme era alta, muito alta.

E claro que ele gostou, mas não gostou assim tanto como o primeiro, mas mesmo assim cantou, dançou, chorou um bocadinho que eu bem vi, enquanto que eu, fã em quantidades muito mais moderadas, estava a deprimir na cadeira ao lado.

 

Passo-vos a explicar porquê!

 

Primeiro que tudo, a Donna, personagem interpretada por Meryl Streep, que é a alma do primeiro filme, está morta.

 

Não está de férias, não foi para um retiro na Índia, não foi raptada por extraterrestres, está morta, enterrada possivelmente cremada com as cinzas espalhadas no mar.

 

E isso é deprimente como tudo, porque uma pessoa pensa que vai ver um filme alegre em que irá mandar pipocas pelo ar enquanto faz uma interpretação sentida do Dancing Queen e depois espetam-lhe na fuça que a personagem que mais gostamos esticou o pernil.

 

Ainda por cima não dizem como é que ela morreu.

 

Se fosse esmagada por uma árvore a salvar uma família de cabrinhas uma pessoa chorava mas ficava com aquela sensação de ah que mulher de coragem, mas assim ficamos a remoer se arrancou uma cutícula, aquilo infectou e quando deu por ela já estava com uma septicemia descontrolada.

 

Além da morte da Donna todo o resto do filme está carregado de momentos depressivos. É a tempestade que dá cabo do hotel, são os casais que se encontram separados e a questionar o futuro das suas relações, é a Donna adolescente que dá o pito a três desconhecidos e acaba por ter um filho junto a um cavalo, não sei, tudo é demasiado pesado para o meu frágil sistema nervoso central.

 

Incrivelmente a única pessoa que não parece muito abalada com todo o drama é a mãe de Donna, interpretada pela Cher, que perdeu a filha mas certamente toma um anti-depressivo de oitava geração porque parece não estar nem aí!

 

Segundo, se eu vivesse no universo paralelo do Mamma Mia estava completamente lixado. 

 

É porque toda a gente sabe cantar e dançar e fazer coreografias espectaculares assim sem qualquer aviso.

Eu com os meus dois pés esquerdos e a minha voz de cana de açúcar rachada provavelmente ia-me ser visto fechado numa gruta durante o resto da minha vida.

 

Questiono-me se neste universo paralelo do Mamma Mia não haverá uma espécie de Hunger Games para cantar e dançar, onde todos aqueles que não forem bem sucedidos são eliminados de forma a não estragar a espontaneidade dos momentos musicais que aparecem quais cogumelos selvagens no tronco de um carvalho.

 

Terceiro, Sophie, a filha de Donna, finalmente vai inaugurar o hotel que era a visão da mãe desde que se mudou para a ilha.

 

Isto pode parecer muito bonito e tal, a filha vai realizar o desejo da mãe falecida, mas se tivermos em conta que passaram vinte cinco anos desde que a Donna começou a trabalhar no hotel, é impossível não pensar no que é que ela andou a fazer nestes anos todos?!?!

 

Mas será que demora assim tanto tempo para converter um espaço não tão grande num hotel? Será que ela descobriu as maravilhas dos métodosanticoncepcionais (e nã o, o coito interrompido não conta) e em vez de trabalhar nas remodelações andou a ampliar a sua vagina com uma série de estocadas consecutivas?

 

O pior é quando começamos a pensar se os nossos projectos e sonhos vão ser assim, arrastados interminavelmente pelo tempo e só quando morrermos é que chega alguém que num abrir e fechar de olhos os realiza, esfregando-nos na cara que afinal a culpa das coisas não andarem era nossa.

 

Quarto, a Cher parece mais nova que eu.

 

Sim, é verdade que ela não mexe a cara. Sim, ela parece que sofreu vinte AVC's seguidos. Sim, não há grandes diferenças entre ela e uma boneca insuflável, até os lábios são idênticos.

Mas no fim eu já estou aqui cheio de rugas de expressão e ela está lisinha, imaculada, perfeita.

 

Será que o segredo é esticar tanto a pele que as rugas dão a volta e ficam no rabo onde ninguém as precisa de descobrir?

 

É por estas quatro principais razões que terminei de ver o Mamma Mia! Here We Go Again completamente deprimido.

 

Já revolvi a minha caixa dos medicamentos e não encontrei nada que me pudesse ajudar. Não há nenhuma alma caridosa que tenha um comprimidozinho de fluoxetina que me possa dispensar sff?

Como fazer as pazes?

03.08.18, Triptofano!

Considero normal que entre um casal de vez em quando haja arrufos e discussões, se tal nunca acontecesse é que seria de estranhar, levando a crer que as pessoas estão de tal modo desligadas uma da outra que já nem se dão ao trabalho de discutir.

 

Ora eu e o cara-metade, como casal que se preze, volta e meia mandamos vir um com o outro, uma vez mais em tom de brincadeira, noutras mais a sério, mas nada que não se resolva rapidamente.

 

Só que ontem eu, feito mongolóide, falei-lhe de forma mais brusca e em vez de lhe pedir logo desculpa ainda consegui ser mongolóide ao quadrado deixando-o magoado.

 

Hoje já lhe pedi desculpas, dei beijinhos, prometi todo o sexo que ele quisesse, mas apesar de ele me dizer que não há mal sinto que ainda não me perdoou totalmente.

 

O que é que vocês me aconselham?

 

Quais são as técnicas que usam quando precisam que alguém que vocês gostam vos perdoe por uma asneirada idiota que fizeram?

Medicamentos Esgotados

02.08.18, Triptofano!

Não sei se este post será de grande utilidade mas quase todos os dias recebo telefonemas ou pessoas presencialmente a perguntarem-me sobre medicamentos (ou suplementos ou produtos de cosmética) que supostamente estão esgotados.

 

Enquanto que alguns realmente estão, outros foram já retirados do mercado, mas muitos tiveram foi substituição nos seus códigos - cada produto tem um código que o sistema informático da farmácia reconhece, se a empresa substituir esse código e não avisar ninguém o que acontece é pensar-se que o produto esgotou - ou estão a ser vendidos por uma plataforma diferente que a farmácia usa.

 

Por isso, se estiverem com dificuldades em encontrar o que quer que seja deixem-me uma mensagem que pode ser que eu consiga dar-vos uma ajuda! 

Longe da Vista Longe do Coração

01.08.18, Triptofano!

Quantas vezes é que já ouviram a história de alguém que foi a um casamento e encheu o bandulho de marisco e no dia a seguir estava hospitalizado por causa de uma intoxicação alimentar?

 

Infelizmente para todos os amantes destas iguarias marinhas, o marisco é extremamente sensível e acarreta riscos de contaminação microbiana muito mais elevados que outros alimentos. Por isso é que é tão importante a sua correcta conservação de forma a não causar danos no sistema gastro-intestinal de quem os ingere.

 

Mas não, este post não é uma aula de microbiologia.

 

Imaginem que vão a uma marisqueira na Ericeira, simpática, bom ambiente, espaço agradável e com um staff profissional e disposto a ajudar.

 

Que pedem uma mariscada, muito bem servida, com percebes, camarões, sapateira recheada, búzios, caranguejos, ostras, enfim tudo o que vocês merecem.

 

E que o marisco está fresquinho, delicioso, e vocês passam uma boa hora entretidos a partir cascas com o martelo e a rezar que nenhuma seja projectada em direcção à mesa do lado e cegue uma pobre pessoa incauta.

E que para acompanhar são trazidos cestos de pão torrado que de tão bom que são que quase se esquecem que ainda tem meia mariscada para devorar.

 

Imaginem que no fim de tudo, estão vocês super satisfeitos e contentes com o restaurante mas a pensar que precisam de ir caminhar meia hora para fazer a digestão, enquanto esperam para receber a vossa factura, um empregado chega com os restos da mariscada de outra mesa.

 

E para vosso espanto pega nos camarões que restaram espetados no limão e os coloca numa travessa de alumínio.

 

O que é que vocês pensariam?

 

A) O serviço é tão fantástico que em vez de irem directamente para o lixo colocam os camarões primeiro numa travessa e depois sim no lixo.

 

B)  Acabaram-se as caixinhas para colocar sobras e vão entregar assim ao cliente para ele levar para casa.

 

C)  Vão voltar a usar os camarões noutra mariscada

 

D)  Como existe creme de marisco no menu os camarões resgatados vão ter uma nova vida na forma de creme

 

É incrível como uma excelente refeição na Marisqueira Ribas na Ericeira (terra dos ouriços e dos surfistas jeitosos) consegue ficar manchada por um pequeno detalhe que supostamente nunca devia ter sido visto por um cliente.

 

A verdade é que não sei o que aconteceu aos camarões, mas o problema é essa incerteza, porque da forma como a situação se procedeu tudo me leva a crer que foram aproveitados para o creme de marisco.

 

Não é que eu pense que os outros clientes andaram a lambê-los ou coisa do género, é simplesmente porque é muito fácil o marisco degradar-se e depois as intoxicações alimentares acontecem e as pessoas ficam admiradas porque é que aconteceu!!

 

Como diz o ditado, longe da vista longe do coração. E se eu não tivesse visto tinha saído com um sorriso no rosto. Assim tenho muita pena mas a dúvida não me deixa voltar com tranquilidade à Marisqueira Ribas. Pelo menos enquanto me lembrar do sucedido.

 

Marisqueira Ribas

Marisqueira Ribas

Marisqueira Ribas

Marisqueira Ribas

 

 

Marisqueira Ribas Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Pág. 4/4