Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Ainda bem que não sou Atleta

06.06.18, Triptofano!
Sopa: Sopa de grão com espinafres

Peixe:​ Salmão grelhado com batata doce e bróculos salteados

Carne: Lombinhos de vitela grelhados com arroz de ervilhas e cenoura

Sobremesa: Arroz doce e fruta fresca laminada

 

 

Este é o menu do jantar que o Presidente da República ofereceu à Seleção Nacional de Futebol antes da partida para a Fase Final do Campeonato do Mundo 2018.

 

Eu bem sei que são atletas de alta competição, que tudo o que eles ingerem está meticulosamente estudado de forma a não interferir no rendimento deles (afinal quem é que quer comer uma salada de pimentos antes de um jogo importante para depois passar os 90 minutos a soltar gases?), mas acho que o Xô Presidente Marcelo podia-se ter empenhado um bocadinho mais a oferecer um jantar diferente aos rapazes.

 

Nem que pusessem nomes todos XPTO nos pratos do menu, com muitas reduções e sublimações e evaporações à mistura, mas que no fim fossem o mesmo arroz de ervilhas e cenoura de sempre.

 

Não quero ser do contra, mas este menu seria algo que até eu, pessoa limitada no âmbito da culinária, conseguiria fazer para oferecer aos moços da Selecção.

 

Obviamente que não faço que além de ficar stressado em cozinhar para tanta gente, onde é que eu iria sentar aqueles marmanjos todos? Se fossem cinco ou seis, uma pessoa ainda os distribuia pela sala e pelo quarto e a coisa compunha-se, agora mais que isso é logisticamente impossível.

 

Mas o que dá ainda mais pena é saber que os nossos jogadores vão comer um arroz doce e uma fruta fresca laminada enquanto eu estou agarrado sem dó nem piedade a um balde de gelado com pepitas de chocolate.

 

Graças a Deus que não nasci para ser atleta!

Mais uma farpa no meu coração

06.06.18, Triptofano!

Lisboa ultimamente tem-me espetado farpas no coração.

 

Uma cidade que gosto tanto, não fosse ela a minha cidade, e não sei o que se passa, se é alguma cabala contra mim, mas recentemente só me tem deixado amargos na boca, quando antigamente, mesmo quando adormecia, ainda permanecia na minha cavidade bucal uma doçura tão característica da metrópole.

 

Adoro o Miradouro da Senhora do Monte, é um lugar mágico, fabuloso, com uma vista incrível para a cidade. Já o adorava quando ele era pouco conhecido, e continuei a ter um espaço para ele no meu coração quando foi invadido diariamente por tuc tuc's repletos de turistas.

 

Lembro-me tão bem da primeira vez que lá fui, era já noite escura e o silêncio reinava. Sentei-me num dos bancos de madeira, que tinham a fantástica característica de serem mais largos e mais fundos - ou seja, era possível ficarmos meio deitados - e ali permaneci, semi-sentado, semi-deitado, a olhar para o céu estrelado de Lisboa, perdendo-me no meu próprio pensamento, eu partícula finita dum universo infinito.

 

Antigos Bancos Miradouro Senhora do Monte

 

Não sei precisar as vezes que voltei ao Miradouro da Senhora do Monte. Mas sempre que lá fui fazia questão de me sentar/deitar naqueles bancos de madeira tão peculiares.

 

Até que esta semana descobri para minha incredulidade que os bancos já não existiam. Tinham sido substituídos por uns de cimento, banais, incaracterísticos, sem qualquer magia ou capacidade de criar memórias. Nem sequer dão para apoiar as costas, simplesmente são um assento de cimento, triste e melancólico.

 

A farpa que se me espetou no coração foi tão grande que me recusei a tirar uma foto.

 

Vou continuar a negar enquanto puder o desaparecimento dos bancos de madeira, mas sei que nunca mais vou poder olhar para as estrelas da mesma forma.

Sou Sexy, Eu Sei - O filme que mostra o que pior há em nós

06.06.18, Triptofano!

Atenção - este post contém Spoilers

 

Sou Sexy, Eu Sei

 

Esta segunda-feira fui ver o Sou Sexy, Eu Sei, um filme pipoca com algumas piadas muito bem conseguidas perfeito para desligarmos o cérebro.

 

Isto claro se não forem como eu, que passei grande parte da película a pensar que a mensagem que esta passa não é assim tão positiva como muita gente quer pensar que é. Na realidade, Sou Sexy, Eu Sei, tem a capacidade de nos escarrapachar na cara o pior que há em nós.

 

Para vos situar, o filme retrata a vida de Renee, uma mulher com problemas de auto-confiança porque considera não se enquadrar nos parâmetros de beleza que a sociedade impõe.

 

Farta de passar os dias numa cave abafada, Renee sonha em transitar para a sede da empresa de cosméticos para a qual trabalha para o cargo de recepcionista, mesmo que isso implique uma descida no seu ordenado. O único problema é que sente que o seu aspecto nunca vai lhe permitir atingir esse sonho.

 

Depois de um pedido desesperado numa noite de chuva para que fique bonita, Renee tem um acidente no ginásio, batendo com a cabeça. A partir daí começa a ver algo que os outros não conseguem, uma cara linda, um corpo tonificado, em suma, uma verdadeira brasa.

 

Com esta transformação milagrosa digna de meter inveja a muitos cirurgiões plásticos, a sua auto-estima atinge a estratosfera e ela está pronta para conquistar o mundo e mais além.

 

Pois bem, aqui é que tudo começa a descarrilar.

 

Porque para a mensagem deste filme ser positiva, Renee quando batia com a cabeça tinha de ganhar auto-estima amando o seu corpo como ele é. Mas não, simplesmente passou a ver o seu corpo como a sociedade tenta impor que ele tem de ser - ou seja, a sua confiança é uma farsa, uma mentira, um todo cheio de nada.

 

Apesar de no início acharmos que a protagonista vai conseguir manter a cabeça em cima dos ombros é uma esperança vã. Tal como acontece na vida real, após estar incluída no grupo que a segregou durante tanto tempo, Renee passa ela própria a julgar aqueles que não se enquadram nos padrões que ela miraculosamente conseguiu atingir.

 

Aliena as amigas, tem comportamentos diferentes no trabalho consoante o aspecto de quem a aborda, mostra uma faceta narcisista - basta ver a cena em que quando está a fazer sexo com o namorado fica absorta a contemplar a sua própria beleza - e perigosamente quase que manda os seu princípios pela janela fora, quando está a pontos de beijar o irmão da patroa, mesmo estando num relacionamento com outro homem.

 

Obviamente que quando o efeito da pancada desaparece, Renee fica desesperada e com a auto-estima no zero. Tudo porque se baseou numa mentira, numa falácia, num jogo de ilusões.

 

Aqueles que olharam para ela como um exemplo a seguir foram também enganados, porque toda aquele positivismo, aquele Sou Sexy, Eu Sei, esfumou-se de um momento para o outro porque não existiam alicerces para o manter de pé. É como quando bebemos uns copos a mais e ficamos prontos para conquistar o universo, mas quando o efeito do álcool passa queremos é rastejar para debaixo da nossa pedra.

 

Há algumas mensagens positivas a retirar de Sou Sexy, Eu Sei, como o facto de habitualmente nos centrarmos mais naquilo que achamos que nos torna imperfeitos, do que naquilo que nos torna especiais.

 

Mas no fim, bem espremido, este filme mostra que só temos a capacidade de nos amar se conseguirmos por algum meio sermos iguais àquilo que os outros consideram correcto. E quando chegamos a esse patamar, o poder sobe-nos à cabeça e rapidamente esquecemos-nos de onde viemos e de quem fomos.

Aquabella - Novidade Nuxe 2018

06.06.18, Triptofano!

Para mim, a Nuxe enquanto marca de cosméticos, tirando um ou outro produto muito específico, enquadra-se mais na categoria de beleza do que de tratamento.

 

Isto quer dizer que se vocês tiverem algum problema de pele complicado esta não é a marca para vocês.

 

No entanto se foram abençoados com uma pele simpática, que não dá grandes problemas nem tem nenhuma patologia, então a Nuxe pode ser a vossa escolha ideal, já que concilia os princípios activos de origem natural com uma experiência sensorial muito agradável.

 

A mais recente novidade deste ano da Nuxe é a gama Aquabella, dirigida a uma pele tendencialmente mista. O objectivo é hidratar a pele sem deixar brilho - ninguém que parecer um farol -, corrigir e melhorar a qualidade da pele e dar à pele um efeito fresco e natural.

 

Mais uma vez friso que esta gama é para uma pele tendencialmente mista sem grandes problemas. Se sofrerem de acne ou tiverem outra patologia associada recomendo procurarem uma gama mais medicalizada.

 

Aquabella confere hidratação e frescura graças aos seus activos de nenúfar branco e de ácido hialurónico, corrigindo e melhorando a qualidade da pele devido ao seu complexo blur vegetal, um exclusivo Nuxe que possui uma patente pendente em França.

O perfume floral possui notas de pepino, água de jasmim e almíscar, sendo que a gama não possui parabenos, óleos minerais nem ingredientes de origem mineral.

 

Aquabella é constituído por três produtos:

  • Um Gel Purificante micro-esfoliante de aplicação diária para uma limpeza em profundidade
  • Uma Loção-Essência reveladora de beleza para completar a limpeza da pele - tem com objectivo fechar os poros e dar um aspecto mais homogéneo à pele
  • Uma Emulsão Hidratante reveladora de beleza (minha gente vamos descobrir beleza que nem sabíamos que a tínhamos) que hidrata e matifica.

 

Nuxe Aquabella

 

A minha opinião

 

Vocês sabem que sempre que eu posso gosto de experimentar os produtos para poder dar um feedback mais realista.

 

 

Como nem sempre tenho orçamento para poder comprar tudo e mais alguma coisa socorro-me das amostras que os laboratórios mandam - e este é um conselho que eu vos quero dar.

 

Nunca comprem nada que não conheçam sem experimentar uma amostra primeiro, porque correm o risco da vossa pele não tolerar o produto e depois é dinheiro deitado ao lixo. Claro que nem sempre isso é possível, especialmente se comprarem por canais virtuais, mas quando tiverem a possibilidade experimentem primeiro o produto antes de o adquirirem.

 

Mas falando sobre os produtos em si:

 

Fiquei fascinado com o gel purificante porque como é de uso diário e ainda por cima é micro-esfoliante já não tenho que andar a pensar em fazer esfoliações com outros produtos tão regularmente. Obviamente que não substitui o uso de um esfoliante mais forte de vez em quando, mas para aquelas pessoas que não querem comprar dois produtos - um de limpeza e um esfoliante - esta é a escolha certa.

O grão é fininho mas suficiente para se sentir a fazer o seu trabalho. Ponto positivo para a cor do produto, um azulado muito bonito - afinal a Nuxe é uma marca que aposta na sensorialidade.

 

A loção-essência para mim é um grande não não.

 

Provavelmente porque eu não estou habituado a usar tónicos depois da limpeza, ainda por cima tendo em conta que se tem de usar com um algodão, coisa que eu nem sempre tenho paciência para fazer. Mas o que me leva a evitar este produto é o facto de ele realmente deixar a pele fresca, mas também com uma ligeira sensação de ardor persistente. Talvez seja eu que tenha a pele mais sensível mas a presença de álcool na formulação também não deve ajudar.

 

A emulsão hidratante tem um perfume fantástico, como é habitual nos produtos da Nuxe. De fácil aplicação, absorve rapidamente e não deixa a pele pegajosa!

 

 

Conclusão: Sim ao gel purificante, a emulsão hidratante está Ok, vade retro loção essência!

 

Nuxe Aquabella

 

Sunshine Blogger Award - Parte 3

05.06.18, Triptofano!

Ora aqui vamos nós para a terceira parte do Sunshine Blogger Award.

 

Desta vez foi a maravilhosa e simpátiquíssima Gorduchita que me presenteou com 11 questões.

 

Sunshine Blogger Award

 

Sem mais demoras, venham elas! 

 

   1. O que farias se tivesses a certeza que não serias apanhado/a?

 

Uns corninhos ao Marcelo quando ele resolvesse ter a decência de tirar uma selfie comigo!

 

É que o homem tira selfies com toda a gente e com a minha pessoa nada. E ainda por cima já estivemos à distância de um palmo por duas vezes, uma no Cemitério dos Prazeres, outra agora recentemente na Feira do Livro.

 

Por isso se tivesse a certeza que não ia levar uma carga de porrada dos seguranças, haveria de ficar com uma foto do "Marcelo Corninhos".

 

   2. Gostas do que fazes a nível profissional?

 

Gosto, há dias que gosto mais, há dias que gosto menos, depende do meu humor, mas no geral tiro bastante satisfação do que faço. Há outras coisas que gostava de conciliar no espectro profissional mas estou à espera que surja a oportunidade para a poder agarrar.

 

   3. O que mudarias no teu/tua parceiro/parceira?

 

Ai isso agora, ficava aqui até amanhã a dizer as coisas que mudava no cara-metade.  

 

Mas pronto, se tivesse que mudar só uma desligava-lhe um bocadinho o interruptor da resmunguice. É que eu gosto do moço mas quando ele está rabuja ninguém o aguenta!

 

   4. O que mudarias em ti?

 

É nesta altura que eu diria que sou perfeito e maravilhoso, por isso não há nada que valesse a pena mudar em mim!

Mas sendo sincero a primeira coisa que mudava em mim é a minha horrível mania de estar constantemente a adiar as coisas. Acabo por perder oportunidades e por me prejudicar apenas porque sou preguiçoso em pegar o boi pelos cornos, preferindo sempre esperar pelo dia de amanhã!

 

   5. Que ações tomas, no dia a dia, para reduzir o teu impacto ecológico?

 

Como não conduzo desloco-me maioritariamente a pé ou de transportes públicos, o que já é uma grande ajuda para reduzir a minha pegada ecológica.

 

Faço reciclagem, uso sacos de pano ou de plástico reutilizáveis (odeio comprar sacos de plástico no supermercado - prefiro trazer as compras na mão) e tento comprar os meus legumes e frutas de origem portuguesa ou o mais próximo possível do nosso país, de forma à pegada ecológica que envolveu todo o processo entre o fruto ser colhido e vir até minha casa ser o menor possível.

 

   6. Serias capaz de te tornar vegan?

 

Muito provavelmente não - ovolactovegetariano sem qualquer dúvida, vegan é demasiado restritivo, apesar de saber que há imensas receitas e tudo e tudo para ajudar quem quiser seguir esse caminho. Mas pelo menos por agora é uma estrada que não me vejo a tomar.

 

   7. Como são as tuas férias de sonho?

 

Primeiro que tudo com o cara-metade.

 

Em segundo com a mãezinha, que ela já é presença assídua nas nossas férias.

 

Depois para serem perfeitas perfeitas, quinze dias num resort com tudo incluído e com animação farta e boa, e outros quinze a passear por cidades e vilas e aldeias e tudo o que se possa imaginar, a beber cultura, mas sempre com uma massagem de spa no final do dia.

 

Sonhar não custa!

 

   8. Ficas moreno/a com facilidade ou és daqueles/as que não há sol que te pegue?

 

Ora bem, eu fico branco, branco, branco, vermelho, sem pele!

 

Na minha escala cromática não está contemplado o moreno!

 

   9. Livro que ainda não leste mas que gostarias mesmo de ler.

 

Ui, tantos - mas falta-me a paciência. Assim de repente lembro de Anna Karenina de Tolstói e A Montanha Mágica de Thomas Mann

 

  10. Alguma vez experimentaste drogas ilegais?

 

Antes de responder a esta pergunta tenho de verificar se a minha contra-ordenação já prescreveu! 

 

Digamos que experimentei drogas que são legais em países que não o nosso.

 

  11. Se tivesses de mudar de país e tivesses escolha, para onde irias?

 

Na Europa ia para a Dinamarca.

 

Na Ásia ia para a Tailândia.

 

Em África ia para o Uganda.

 

Nas Américas ia para o Canadá.

 

Não conheço nada da Oceânia por isso não me posso pronunciar, mas certamente que a Austrália ou a Nova Zelândia seriam bons locais para se viver.

 

 

Espero que tenhas gostado das minhas respostas Gorduchita!

Está aberta a época dos Arraiais

04.06.18, Triptofano!

O tempo pode não estar o mais convidativo para ir à praia, especialmente tendo em conta que já estamos em Junho, as pessoas podem andar meio chateadas com o trabalho ou com o clube de futebol e os euros na carteira infelizmente não se multiplicaram para se embarcar com destino a umas férias paradísiacas, mas há algo que tem a capacidade miraculosa de deixar todos com um sorriso no rosto.

 

Os Santos Populares em Lisboa são sinónimo de arraiais em todos os becos e vielas da cidade, um óptimo pretexto para deixar a melancolia fechada em casa e sair para aproveitar tudo o que a vida tem para oferecer.

 

É ver as pessoas a sorver caldo verde com chouriça à mesma velocidade que bebem uma cerveja geladinha, a comerem batatas cozidas sem se preocuparem se estão a ingerir hidratos de carbono depois das nove e a devorarem uma salada de pimentos mesmo sabendo que vão ficar com azia depois.

 

Os arraiais são sinónimo de bifanas a pingar no pão e de dedos lambuzados de sardinhas gordas que são comidas sem garfo nem faca - afinal quando é que nos esquecemos que a comida deve ser provada com o paladar mas também com o tacto?

 

Mesmo aqueles que foram brindados pela genética com um pé de chumbo, como é o meu caso, bamboleiam o corpo ao som do senhor do teclado que consegue fazer a proeza de tocar o Despacito monocordicamente, ao mesmo tempo que equilibram numa mão uma fartura ou um churro recheado de Oreo e na outra uma caipiroska, que pode não ser tradicional da capital mas cumpre os requisitos de empurrar para baixo alguma massa mais farinhenta.

 

Não é dia de Quim Barreiros nem Rosinha, mas o senhor do teclado faz a festa, com um jogo de luzes digno de qualquer discoteca da moda, enquanto toda a gente larga sorrisos entre bandeirinhas, barracas de rifas muitas vezes sem prémio e manjericos com um preço hiper-valorizado.

 

Não faltam os eternos vendedores de balões, o senhor que bebeu mais que a conta e faz um passo de break dance, os turistas que vieram visitar o país para ver a essência da cidade e não para ver mais turistas, as senhoras cinquentonas que se atiram à pista improvisada mostrando as suas habilidades recém-aprendidas nas danças de salão enquanto os maridos bochecham a boca dos caracóis com um trago de Licor Beirão.

 

Os Arraiais de Lisboa são isto, são as filas intermináveis para comer, é o fumo da grelha que nos entra pela garganta dentro, são os locais tão cheios de pessoas que o contacto humano é impossível de evitar, são as músicas que banimos da nossa playlist do Youtube mas naquele momento parecem-nos os melhores hits de todo o sempre.

 

E são sinónimo de felicidade, de despreocupação, e da esperança que a vida pode ser sempre assim, tranquila, ao som de uma música pimba e acompanhada por uma fatia de pão e uma sardinha.

 

Arraiais Lisboa

Arraiais Lisboa

Arraiais Lisboa

Arraiais Lisboa

 

Uma Mosca no Lugar Errado

03.06.18, Triptofano!

Há alguns anos atrás tive a oportunidade de fazer voluntariado no Uganda.

 

Uma das coisas que mais me fez confusão no início foi ter de usar uma latrina para fazer as minhas necessidades. Apesar de estar dentro dum edifício de cimento a latrina era simplesmente um buraco no chão onde tínhamos de nos colocar de cócoras e fazer pontaria para basicamente não sujar o pavimento, algo que não iria de todo agradar à pessoa que fosse a seguir usá-la.

 

Como qualquer boa latrina que se preze ela era apenas limpa assim de dois em dois meses, ou seja, quando cheguei conseguia visualizar um buraco enorme e ao longo do tempo fui vendo ele ir-se enchendo daquilo que vocês estão a pensar. Porque raio eu olhava para lá? Acho que era uma espécie de medo mórbido em deixar cair um chinelo no buraco e ter de o ir lá buscar no meio daqueles dejectos todos. Na realidade o chinelo ainda seria o menos, agora imaginem que deixava cair lá o passaporte, é que não havia forma de o poder deixar lá, tinha mesmo de o ir buscar. Felizmente nunca fui destrambelhado o suficiente para o levar perto sequer da latrina.

 

O edifício estava virado directamente para uma zona do povoamento repleta de pequenas cabanas, o que fazia com que qualquer pessoa pudesse ver quem entrava e saía da casa-de-banho. A meu ver um grande erro de planeamento urbanístico! Também interessante era a sofisticação do sistema de fecho da porta da latrina – um prego atado a um cordel que encaixava num pequeno buraco na parede.

 

Ora numa fatídica manhã dirigi-me à latrina acompanhado pela minha fiel lanterna visto o sol ainda não ter nascido. A razão para tão matutina incursão devia-se ao facto de quando começava a haver luminosidade era impossível usar os lavabos devido à quantidade industrial de moscas que eram atraídas pelo inconfundível cheiro a cocó.

 

Entro, fecho a porta com o sistema do cordel e do prego, baixo as calças e agacho-me entregando-me à tarefa de reflexão sobre o que teria de enfrentar naquele dia de trabalho. Foi então que do buraco surgiu tresmalhada uma mosca solitária que, sem pedir licença, fez um voo directo ao buraco do meu rabiosque.

 

Ao sentir tão inesperada presença num local tão sensível dei um grito, levantei-me num rompante, desequilibrei-me nas calças que me estavam pelos tornozelos, caí, bati contra a porta da latrina que para meu desespero tinha ficado mal fechada e se abriu de rompante, e ali fiquei eu estatelado no chão, de porta aberta, calças em baixo e à vista de todas as cabanas do povoado.

 

Felizmente todos ainda dormiam, senão a minha vergonha teria sido bastante maior.

 

Levantei-me, voltei a entrar na latrina e fechei a porta convenientemente.

 

Da mosca nem sinal. Nem uma bebida sequer me pagou!

 

 

 

 

(Este texto foi publicado no blog da Chic'Ana, na rubrica One Smile a Day. Como na altura apenas um excerto foi partilhado aqui no blog achei que era justo ser divulgado na íntegra aqui neste meu cantinho! As minhas desculpas a quem já conhecia a história!)



Sunshine Blogger Award - Parte 2

02.06.18, Triptofano!

As primeiras 11 perguntas já foram respondidas aqui pelo Je por isso vou passar às próximas 11, desta vez feitas pela Bruxa mais Encantada do Pedaço, que na realidade não deveria ser Bruxa, devia ser Fada ou Maga, mas pronto cada um escolhe o nick que lhe apetece , a linda, a fantástica, a soberba, a deliciosa, Bruxa Mimi (e não, não estou a falar de um gelado!).

 

Sunshine Blogger Award

 

1. Ser mãe (pai) a tempo inteiro é/seria uma boa opção para ti (pondo de parte a questão financeira)?

 

Não. A minha mãe foi mãe a tempo inteiro e tenho muito a agradecer-lhe por isso, mas não consigo deixar de sentir que ela abdicou de viver em prol de viver para os filhos. Acho que como em tudo na vida temos de balancear as coisas e simplesmente não podemos chutar para canto os nossos sonhos, as nossas vontades, os nossos desejos, unicamente para tratar dos filhos.

 

E se eu ficasse em casa o tempo inteiro com uma criancinha a chorar e a gritar e a correr de um lado para o outro tinha um colapso mental em menos de mês e meio!

 

2. Preferes ir à praia ou à piscina?

 

Piscina.

 

A praia tem demasiada areia, demasiados bichos na areia, demasiadas beatas de cigarros na areia, além de muitas vezes haver algas na água o que me deixa chateado. Só gosto de praia quando o mar está bravo e vou lá para dentro cavalgar as ondas!


3. Qual é a tua cor de olhos preferida?

 

Prefiro uma boa pessoa associada a qualquer cor de olhos.

 

Mas uma coisa que não me agrada são as lentes de contacto coloridas - qual é que é a necessidade que as pessoas têm em ter de mudar todos os aspectos do seu corpo? E que tal amarem-se como são?

 

4. Que prato preferes: de carne, de peixe ou vegetariano?

 

Hoje em dia se puder optar por vegetariano, como vegetariano. Honestamente estou farto de comer antibióticos e hormonas e coisas similares. Eu sei que os legumes também não estão isentos, mas quero acreditar que hão-de ter uma quantidade menor.


5. O que preferes: areia, relva ou neve?

 

Areia já sabem a minha opinião sobre ela. Relva deixa uma pessoa com a roupa manchada. Neve deixa-me o rabiosque gelado e molhado. A minha preferência vai para o belo e intemporal CIMENTO!.


6. Preferes ir ao cinema ou ao teatro?

Apesar de ir muito poucas vezes prefiro o teatro. É fantástico ver os actores em carne e osso mesmo perto de nós, e quando eles decidem interagir com o público? Isso sim é uma loucura. Claro que eu quase que me escondo debaixo da cadeira quando eles chegam-se perto de mim, mas tirando isso adoro ir ao teatro.


7. Qual é o teu restaurante preferido e onde fica?

 

O Maizakura em Lisboa.

 

Ainda ontem fui lá enfardar sushi. Não é o melhor restaurante do mundo admito, mas para mim a relação preço/qualidade/rapidez/estômago-a-rebentar é mais que perfeita!


8. Qual é o melhor presente que te podem/poderiam oferecer?

 

Um estágio num estúdio de filmes porno!

 

Era o sonho da minha vida. A fazer o quê isso já deixo ao vosso critério. Mas posso dizer que mesmo que fosse de filmes heterossexuais eu não me importava, por isso obviamente que não era para ser actor!

 

Vá eu confesso, eu adorava ser a pessoa que tem a toalhinha e limpa o suor dos esforçados actores quando eles já estão no truca truca há duas horas e meia e começam a derreter!


9. O que preferes: chocolate(s) ou gelado(s)?

 

Chocolates dentro de múltiplos gelados. 

 

Mas se tivesse que escolher, escolhia gelados. Sempre tinha mais sabores por onde variar.


10. O que é pior para ti: tirar sangue para análises ou ir ao dentista?

 

Nenhum dos dois.

 

Já desvitalizei um dente sem anestesia e praticamente adormeci na cadeira do dentista durante o procedimento. Em relação às análises sou a pessoa que gosta de olhar quando lhe estão a tirar o sangue, por isso pior para mim é mesmo pensar em voltar a conduzir um carro!


11. Qual é a primeira palavra que te vem à cabeça e que rima com "Mimi"? (pode não ser a primeira, vá )

 

Xixi   Pipi   Apita Aqui   ALDI que é onde eu mando os meus utentes comprarem um sumo de beterraba quando se queixam de estarem anémicos!

 

 

Muito Obrigado pelas perguntas Bruxa Mimi, espero que tenhas gostado das respostas!

Sunshine Blogger Award - Parte 1

01.06.18, Triptofano!

Ao que parece a blogesfera anda louca com o Sunshine Blogger Award, visto que só vejo posts desta Tag em tudo o que é sítio.

 

Para grande honra minha fui nomeado por 5 pessoas diferentes, cada uma das quais fez 11 perguntas aleatórias às quais eu vou responder de uma forma muito séria, como é meu costume!

 

Como fazer um post com 55 perguntas e respostas seria algo descomunalmente grande, que faria qualquer pessoa com insónias sucumbir passados dois minutos de leitura, resolvi dividir esta Tag em cinco partes, uma para cada pessoa que me nomeou, e no final fazer eu as minhas perguntas.

 

Sunshine Blogger Award

 

Comecemos com as perguntas da minha querídissima colega de profissão, Charneca em Flor (que felizmente não fez nenhum interrogatório sobre interacções fármaco-alimento para me apanhar em falso!).

 

1 - Há quanto tempo tens o blogue e porque é que começaste a escrever num blogue?
 
O blogue está quase quase a fazer um ano - preparem-se para uma festa de arromba - e não acredito que já passou tanto tempo. Um ano não é assim uma eternidade verdade seja dita, mas parece-me que comecei a escrever há dois ou três meses e afinal já se passaram quase 12.
 
Quando comecei a escrever no blogue foi uma forma de me empenhar num projecto, visto que todas as coisas que me dedicava a fazer abandonava passado pouco tempo.
 
Sinceramente pensei que este espaço virtual fosse ter o mesmo fim, passadas duas ou três semanas acabasse por ser esquecido, por isso nunca tive um objectivo concreto para ele, era ir escrevendo e ver no que dava. Para minha alegria ele acabou por ser bem recebido pela comunidade blogueira e cresceu em mim de uma forma que nunca pensei ser possível!
 
2 - Que medidas tomas para proteger a tua privacidade?
 
Nenhumas!  O meu irmão que lê o meu blog disse-me que descobriu mais sobre mim aqui do que em todos os anos que tivemos de convivência, por isso acho que é claro que não tenho grande paranóia com a privacidade. Obviamente que há temas que ainda não abordei, mas a seu tempo lá chegarei.
 
Uma das regras pelas quais me rejo é Não faças nada que não possas assumir que fizeste sem vergonha (ou pelo menos sem muita vergonha...)
 
3 - Cães ou gatos?
 
Adoro gatos mas tenho uma alergia horrível aos bichanos, por isso opto pelos cães. Ainda estou no processo de procurar um amigo de quatro patas que esteja disposto a compartilhar a sua vida comigo e com o cara-metade.
 
4 - Praia, campo ou montanha, o que preferes?
 
Indiferente - desde que haja coisas para fazer estou bem em qualquer local.
 
Não sou é pessoa de ficar esparramado o tempo todo a apanhar sol, acabo por me fartar rapidamente ou adormeço e quando acordo tenho um escaldão do tamanho do mundo.
 
Gosto de fazer jogos, passear, nadar, tudo o que envolva mexer-me fisicamente ou psicologicamente é do meu agrado, por isso é um pouco indiferente o sítio onde a acção decorre. Claro que se for um local com poucos ou nenhuns mosquitos e onde os alérgenos estejam em quantidades pequenas, então ainda mais contente ficarei!
 
5 - Se gostas de ler, preferes livros físicos ou ebooks?
 
Livros físicos sem dúvida. Eu sou aquela pessoa que nem os folhetos do supermercado gosta de ver em formato digital, por isso desculpem-me árvores deste planeta, mas para mim tem que ser em versão física (mas faço reciclagem ok?).
 
6 - Que música tens vergonha de trautear mas não te saí da cabeça?
 
Quem me conhece sabe que eu não tenho vergonha de trautear música alguma.
 
E além de trautear também faço as danças correspondentes que normalmente são uma mistura de espasmo muscular com um gato a esfregar o cu no chão por causa do cio.
 
Mas de momento o que não me sai da cabeça é o Fuego da Eleni Foureira (não era giro se ela se chamasse Eleni Fogueira?....piada seca eu sei!).
 
7 - Quem é o teu maior ídolo?
 
A sério?
 
Obviamente que a resposta é a Ana Malhoa! Quem não souber deste meu fascínio pela artista basta ver a Tag Ana Malhoa Casa Comigo, e ficar a saber que ela foi feita para mim, mas provavelmente eu não fui feito para ela!
 
8 - Que cantor/artista te faria acampar à porta de uma sala de espectáculos?
 
Sou muito fã da Ana Malhoa, mas acampar à porta de uma sala de espectáculos não é algo que eu tencione fazer nem sequer para ela.
 
Se os ABBA voltassem a reunir-se e viessem a Portugal, aí talvez pensasse em acampar, mas mesmo assim mais rapidamente pagava a alguém para guardar o meu lugar do que ia comer massa com atum para o meio da rua enquanto esperava que as portas abrissem.
 
9 - Já que estamos na Primavera, qual a tua flor preferida? Por alguma razão em especial?
 
A minha flor preferida é aquela que não me fizer espirrar quando aproximar a cara dela. De resto não sou pessoa de ter gostos definidos relativamente a assuntos florais - cada flor tem a sua beleza e eu gosto de todas (desde que novamente não me faça ficar todo ranhoso e a chorar dos olhos!)
 
10 - Trabalhas naquilo que sempre sonhaste ou o teu emprego é fruto das circunstâncias da vida?
 
Gosto imenso daquilo que faço mas a verdade é que nunca tive um sonho de emprego.
 
Simplesmente deixei a vida ir correndo e fui-me moldando às oportunidades que me apareciam e ao que eu ia descobrindo acerca de mim mesmo.
 
Agora que passei os 30 já sei melhor aquilo que me gostava de ver a fazer no futuro - não queria desistir do trabalho de farmacêutico, que me faz estar constantemente a aprender coisas novas, mas gostava muito de poder conciliar com outras tarefas que sei que me iam dar muito gozo a realizar.
 
11  - Se tivesses o poder de mudar um momento na História, qual seria esse momento?
 
O passado é o passado.
 
A única coisa que quero mudar é o futuro, e esse poder temos todos nós nas nossas mãos. Somos nós que com os nossos gestos, as nossas acções, as nossas decisões, que podemos tornar o futuro num sítio melhor ou pior para se viver.
 
O mais importante é aprender com os erros do passado, e não pensar que lá por estarmos em 2018 que eles não se podem voltar a repetir!
 
 
Muito obrigado pelas perguntas Charneca. Espero que tenhas gostado das respostas! 

Pág. 3/3