Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Blogesfera: Ajuda Precisa-se (2)

05.05.18, Triptofano!

Pessoas queridas, maravilhosas e fantásticas da Blogesfera:

Preciso novamente da vossa ajuda. E desta vez não é para vos surpreender com nenhuma foto minha semi-nu! (eu sei que gostaram e tal, mas também não pode ser todos os dias.)

 

Tenho uma questão que me apoquenta o espírito. Uma interrogação que não me deixa dormir. Uma dúvida que me invade a tranquilidade do meu dia-a-dia.

 

E eu perguntei às minhas colegas de trabalho. E a resposta que me deram, unânime, deixou-me ainda mais confuso. Porque para mim não faz sentido. Para mim é completamente o oposto.

 

Por isso preciso de saber mais opiniões. E apesar de ser uma pergunta dirigida para as mulheres, homens da blogesfera, imaginem-se por instantes no sexo oposto, e respondam-me também. Para eu saber se é um problema só meu ou uma questão de género!

 

E quem tiver vergonha em dizer de sua justiça, deixe um comentário anónimo. Mas por favor, não leia este post sem escrever algo. Eu preciso mesmo da vossa ajuda.

 

Imaginem-se então (caso não o sejam) uma mulher solteira, sem compromissos nem satisfações a dar. Neste cenário, estão com as hormonas aos pulos e a vontade de ter sexo é assim indescritível. Por isso vão à caça (no terreno ou virtualmente) e encontram um homem que está disposto a ser usado e abusado por vocês.

 

A minha interrogação é:

 

 

Num primeiro contacto sexual, o que é vocês fariam mais facilmente?

 

 

A) Ter sexo vaginal

 

ou

 

B) Praticar sexo oral

(sendo vocês a darem e o homem a receber)

 

 

Por favor, digam-me de vossa justiça!

 

A desilusão

05.05.18, Triptofano!

Lembram-se quando neste post estava mais que entusiasmado com o novo produto da Neutrogena que eu sabia que ia revolucionar a minha vida?

 

Pois bem que enviei um e-mail para a Neutrogena Portugal para saber se havia previsões para a sua comercialização em terras Lusas.

 

Eis a resposta, no mínimo desapontante.

 

 

Estimado Consumidor,
 
Em primeiro lugar, queremos agradecer a confiança que deposita nos nossos produtos.
 
Em relação à sua questão, informamos que a Johnson & Johnson tem disponível em cada país diferentes gamas de produtos que se baseiam nas necessidades específicas dos consumidores. Ou seja, nem todos os produtos Neutrogena® que se encontram nos E.U.A ou em outros países, poderão estar também disponíveis em Portugal. Da mesma forma, nem todos os produtos locais se encontram à venda em outros países. Este produto não tem data prevista de lançamento em Portugal.
 
Lamentamos informar que não dispomos de informação dos produtos que a marca comercializa noutros países.
 
Atentamente.
 
 
Consumer Portugal
Johnson & Johnson Lda

Micolet: Dando uma nova vida ao antigo

04.05.18, Triptofano!

Vivemos num mundo onde cada vez mais batalhamos pela igualdade de género, por isso deixo aqui o meu descontentamento devido ao facto do género masculino ter muito menos opções para se vestir do que o género feminino.

 

Por um lado, nós homens, até podemos considerar que é uma bênção, visto que em casamentos e eventos mais formais, não precisamos de nos preocupar por aí além com o que vamos vestir, já que o fato e a gravata são as eternas escolhas seguras que nunca deixam ninguém ficar mal

 

Só que no dia-a-dia, ou um homem ousa e veste roupas mais fora do tradicional, sendo sistematicamente olhado de lado, ou tem que se manter fiel ao conservadorismo aborrecido das roupas desenhadas para o género masculino.

 

Por isso, é que volta e meia, gosto de visitar as lojas online de roupa feminina, e fazer um exercício sobre o que é que eu usaria se tivesse nascido mulher.

 

Claro que, vivendo num país livre, onde não existe apedrejamento em praça pública, poderia muito bem se quisesse comprar esses trapinhos e usá-los, mas como acho que o mundo não precisa de mais uma matrafona a consumir oxigénio fico simplesmente no campo da imaginação.

 

Entre os sites onde costumo navegar, um dos que costumo perder mais algum tempo, é no da www.micolet.pt, que me atraiu pelo facto de ter roupa de várias marcas. Só depois de duas ou três visitas ao site é que percebi a que se devia essa variedade - a Micolet é um loja de roupa em segunda mão.

 

Micolet

 

 

Quando me apercebi da particularidade desta loja torci o nariz.

 

E mal o fiz percebi que se devia aos exemplos que tinha tido em casa quando era mais novo - a minha mãe nunca tinha mostrado apreço por roupa que não fosse nova a estrear, e ainda me lembro quando fez um escândalo a nível mundial pelo facto do meu irmão ter trazido para casa uma t-shirt de uma banda que ele adorava que era proveniente de uma loja que revendia peças de roupa. No fim, a minha mãe venceu dando sumiço à pobre t-shirt, que ela considerava indigna de pernoitar na sua casa.

 

É curioso como é que a nossa infância consegue moldar a nossa forma de ver a realidade - na verdade a ideia que se possa ter de que as lojas de segunda mão tem roupa suja ou danificada é falsa, visto que há um processo criterioso sobre que peças é que se vão voltar a colocar à venda - o que não tiver qualidade suficiente para ter uma nova vida não é aceite pela loja.

 

E porque é que haveremos de gastar dezenas ou mesmo centenas de euros naquele item que tanto desejamos se o podemos obter por um preço muito mais diminuto?

 

Obviamente que se o queremos no instante em que ele é lançado, para estarmos dentro da tendência da estação, aí teremos que abrir os cordões à bolsa, mas muitas peças são intemporais por isso esperar algum tempo para que o preço baixe é uma atitude aceitável e inteligente.

 

O contrário também é válido.

 

Se temos em casas armários a abarrotar de roupas que já não usamos, ou porque não nos servem, ou porque simplesmente o nosso gosto já não corresponde àquela peça que anteriormente tanto adorávamos, fará sentido deixá-la a ser comida pelas traças em vez de podermos lucrar algo com a sua venda?

 

Sei que há pessoas que preferem deixar as coisas sem uso do que pensarem que alguém as vai usar, ainda por cima pagando um preço muito mais baixo do que aquele por o qual compraram o objecto, mas valerá mesmo a pena termos a casa entupida com coisas só para alimentarmos o nosso sentimento de posse?

 

Pessoalmente não posso criticar muito quem o faz, porque eu próprio sinto algum stress de separação, e mesmo que não use uma roupa há muito tempo, custa-me desfazer dela. Porém, tenho a noção de que o materialismo não é algo de mau, mas não devemos viver sufocados por ele. Comprar, vender, dar ou deitar fora são acções perfeitamente normais no ciclo do consumismo.

 

A única desvantagem das lojas como a Micolet é o facto de se estamos a ponderar aderir ao minimalismo estamos tramados, porque a tentação de comprar tudo e mais um par de botas (literalmente) é demasiado grande, e quando dermos por ela estamos a comprar um armário novo para colocar lá dentro todas as pechinchas que adquirimos.

 

Mas o mais importante nisto tudo, é vocês avaliarem o meu gosto relativamente a roupas de mulher. Por isso minha gente, se eu fosse gaja, estas seriam algumas das peças que eu certamente iria comprar.

 

 

Amaya Arzuaga - Vestido

Vestido Amaya Arzuaga

 

 

Tapioca - Vestido

Vestido Tapioca 

 

Hoss Intropia - Vestido

Vestido Hoss Intropia

 

Zara - Quimono

Quimono Zara

 

Buonarotti - Sapatos

Sapatos Buonarotti

 

Bimba&Lola - Gola

Gola Bimba&Lola

 

 

Bimba&Lola - Pulseira

Pulseira Bimba&Lola 

 

 

Todas as imagens foram retiradas do site da Micolet

 

 

 

Expossoma: A Doença do Século?

02.05.18, Triptofano!

E se eu vos dissesse que em cinco rugas apenas uma é resultante da nossa programação genética?

 

Que em cinco rugas, quatro delas são derivadas da nossa interacção com o Expossoma?

 

E o que é o Expossoma?

 

O Expossoma é um conjunto de factores com os quais interagimos diariamente, que a longo prazo pode-nos fragilizar as nossas defesas, sendo que a pele é uma das principais afectadas.

 

Nestes factores englobam-se a poluição e a luz ultra-violeta, mas também os hábitos alimentares, o consumo de bebidas alcoólicas, o tabagismo, a qualidade do sono e os níveis de stress diário.

 

As medidas que tomamos para lidar com o Expossoma de forma a ele ter o menor impacto no nosso dia-a-dia vão ser cruciais para a saúde da nossa pele no futuro, bem como para a saúde de todo o nosso organismo.

 

 

Expossoma

 

Os perigos da radiação ultravioleta já são sobejamente conhecidos, e os UVA já há muito que estão identificados como sendo dos principais causadores do envelhecimento cutâneo precoce. Por isso é que é tão importante a utilização de protecção solar diária, mesmos nos dias mais cinzentos.

 

O que ainda era desconhecido, era o potencial nefasto da Luz Azul.

 

A luz azul está presente no espectro da luz vísivel, emitindo assim o sol esta luz, tal como a iluminação fluorescente. O grande problema não advém destas duas origens, mas sim da iluminação LED, usada para iluminar computadores, smartphones, tablets, televisões, que tem uma concentração muito maior.

 

Luz Azul

 

 

A luz azul, com o tempo (e tendo em conta que cada vez mais passamos grande parte do nosso dia com os olhos presos a um qualquer tipo de ecrã, esse tempo virá muito mais depressa do que gostaríamos) causa danos no nosso corpo, que vão desde a alterações no ritmo circadiano (por isso é que é fundalmental desligar qualquer fonte de luz azul trinta minutos antes de ir para a cama), a fadiga ocular ou mesmo a degeneração macular de idade.

 

E a Pele?

 

A exposição à Luz Azul provoca o aparecimento de manchas pigmentares e o agravamento das pré-existentes, aumenta o stress oxidativo da pele o que leva a um envelhecimento precoce, e altera a função de barreira da mesma, o que a torna mais sensível à agressão de outros agentes externos.

 

Não é de estranhar, que pessoas que passam a vida no escritório em frente de variados monitores, apresentem a pele mais fragilizada e irritada, muitas vezes pontuada por manchas pigmentadas, não conseguindo perceber a razão visto que não estão expostas à luz solar.

 

É assim extremamente importante que, caso a nossa rotina diária consista em múltiplas horas a olhar para um qualquer monitor, que passemos a usar um produto que minimize a absorção da luz azul pela pele, de forma a mantermos a mesma saudável durante mais tempo.

 

 

Women's Night : Uma Discriminação Positiva ou Negativa?

02.05.18, Triptofano!

Não consigo deixar de ficar admirado quando dou de caras com estabelecimentos de animação nocturna que anunciam com pompa e circunstância uma Women's Night - a entrada para ela ou é grátis ou a um preço mais reduzido, enquanto que o homem tem que pagar um valor superior.

 

Fico admirado porque não consigo conceber que em 2018 ainda exista este tipo de discriminação de género - afinal porque é que uma mulher tem de pagar menos que um homem para usufruir do mesmo espaço e dos mesmos serviços?

 

E que mulheres são estas que acedem a ir a um local onde a discriminação é publicitada à boca cheia? Será que por ser uma discriminação positiva sentem que não se devem importar com a desigualdade que estão a ajudar a perpetuar? 

 

E na realidade, uma Women's Night é uma discriminação positiva ou negativa?

 

Estas noites tem como final propósito apelar às mulheres, ou na verdade elas são apenas o isco de uma estratégia que tem como finalidade cativar os homens que sabem que naquela noite vai haver um aumento significativo dos indivíduos do género feminino?

 

E ao diminuirmos os preços apenas para as mulheres não estamos indirectamente a perpetuar o estigma de que estas possuem menos capacidade económica que os homens?

 

Se ambicionamos uma verdadeira igualdade no nosso país, estas práticas absurdamente arbitrárias a meu ver, deviam ser proibidas.

 

Tangram

01.05.18, Triptofano!

Sou a única pessoa que adora fazer Tangram?

 

É uma das minhas actividades preferidas quando fico em casa a vegetar, apesar de ao fim de algum tempo o meu cérebro começar a ficar todo emaranhado.

 

Como eu e o cara-metade somos um bocadinho competitivos, comprámos dois e passamos grandes períodos a ver quem consegue montar determinada figura mais depressa.

 

Por mais que eu gostasse de dizer que sou o supra sumo do Tangram, tenho que confessar que as competições são bastante renhidas, e para infelicidade minha nem sempre consigo fazer a vela ou a senhora a dançar mais depressa do que ele! 

 

Tangram

 

 

Rentabilizar a Hora de Almoço

01.05.18, Triptofano!

Infelizmente, nos dias de hoje, a nossa vida cada vez é mais agitada. E isso traduz-se em termos mil e uma coisas para fazer, estarmos sempre atarefados, corrermos de um lado para o outro, e muitas vezes esquecermos-nos de cuidar de nós próprios.

 

Por isso é que é tão importante conseguirmos arranjar formas de rentabilizar os períodos mais mortos do nosso dia.

 

No meu caso é a hora de almoço. Há pessoas que aproveitam para ler, outras para pagar contas, há ainda quem simplesmente se entretenha a navegar na maionese para relaxar o cérebro.

 

Pois eu decidi fazer um peeling.

 

Desde que fui à formação sobre as novidades da Lierac para 2018, que fiquei apaixonado pela máscara iluminadora efeito duplo peeling da gama Supra Radiance. Eu andava a sonhar com ela durante o dia, durante a noite, quando ia à casa-de-banho, enfim, estava mesmo entusiasmado para a trazer para casa.

 

E ela ontem finalmente chegou à farmácia onde eu trabalho.

Só que quando vi o preço a minha carteira lançou um grito de sofrimento - lançou ela e lancei eu, porque é que uma pessoa tem de ter bom gosto mas não ter recursos financeiros para comprar todos os cremes que o seu coração deseja?

 

Estava eu a verter uma lágrima pela minha triste condição económica quando descubro que juntamente com a encomenda veio um tester da máscara.

 

ALELUIA

 

Naquele instante senti uma luz celestial a banhar-me o corpo e um canto magistral de anjos a inundarem-me os ouvidos. O tester, a par das amostras, são a salvação do consumidor compulsivo de produtos de cosmética que não têm recursos financeiros para comprar tudo aquilo que deseja.

 

O meu primeiro pensamento foi surrupiar o tester e namorar com ele na pacatez da minha casa. Mas percebi imediatamente que iria ser descoberto num ápice e habilitiva-me a ser chicoteado pela patroa.

 

Por isso, já que a máscara é apenas para ser usada uma vez por semana, resolvi usá-la na farmácia, mais propriamente durante a hora de almoço.

 

Tupperware a aquecer no microondas (que eu trago comida de casa), enfio-me na casa-de-banho, tiro a camisola, e espalho a máscara na cara.

 

Aguardo cinco minutos, de forma a ter os benefícios da exfoliação química, enquanto vou vendo as novidades no telémovel, depois massajo com movimentos circulares para fazer a exfoliação mecânica e no fim retiro com água, inundando parte da casa-de-banho.

Lierac - Máscara Supra Radiance

 

Resultados

 

Primeiro que tudo, não podemos estar à espera de aplicar apenas uma vez e ver logo milagres. O sucesso do produto vai depender da consistência da nossa aplicação.

 

Agora o que vos posso dizer é que o produto cheira maravilhosamente bem e que é bem tolerado pela pele.

 

Um dos meus maiores medos quando uso um produto que faz uma exfoliação química é ficar com a pele a arder, ou muito vermelha, ou com sensibilidade depois de usar o produto.

 

No caso da máscara Supra Radiance da Lierac não senti nenhum desconforto cutâneo, e a pele ficou lisinha e suave depois de acabar de a usar.

 

Aconselho a quando a retirarem usarem mesmo muita água, especialmente se forem homens com barba, porque as partículas que fazem a exfoliação física são um bocadinho mais complicadas de eliminar - não é que tenha algum mal mas é chato depois passarmos a mão no rosto ou no pescoço e sentirmos alguma "areiazinha".

 

Terem em atenção também, quando deixarem passar os cinco minutos da exfoliação química, perceberem como é que o produto aderiu à vossa pele.

 

No meu caso ficou bastante fundido, por isso se eu fosse massajar sem aplicar um pouco de água era provável que ainda arrancasse algum bocado de epiderme. Assim, se virem que o produto não está fluido o suficiente para massajar, ponham um bocadinho de água na mão para a exfoliação ser mais agradável e satisfatória.

 

 

A partir de agora, as minhas horas de almoço vão ser muito melhor rentabilizadas. É que tenho muita coisa em casa que não uso por falta de tempo/preguiça, que posso começar a levar para o trabalho!

Ficar com o Maio no Cu

01.05.18, Triptofano!

Desde criança que a minha mãe me dizia que a última pessoa a levantar-se no 1º de Maio seria a pessoa mais preguiçosa durante o resto do ano.

Supostamente isso devia-se por se ficar com o Maio no cu, e para nos escaparmos de tamanha sina tínhamos que saltar da cama bem cedo, para não corrermos o risco de que quando nos levantássemos já toda a gente estivesse a pé.

E não valia sair da cama e voltar 10 minutos depois para o vale dos lençóis, se voltássemos a adormecer o Maio migraria de um cu alheio para o nosso.

Apesar de agora na idade adulta ter a consciência que não existe nenhuma entidade abstracta que se agarre com unhas e dentes ao meu cóccix, continuo a ter um medo que me pelo de ficar com esse título honorário.

É feriado bem sei, podia ter roncado até ao meio-dia e meia que ninguém me julgaria, mas a tradição ainda continua a ser o que era.

Pág. 4/4