Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Ser gay

14.05.18, Triptofano!

Ser gay tem as suas coisas positivas, as suas coisas negativas, e as coisas aborrecidas que são partilhadas pela maioria da população, como seja a entrega atempada do IRS de forma a não pagarmos uma multa descomunal (ah esperem que agora o IRS para muitos é automático, ando mesmo desactualizado).

 

Uma das coisas negativas em ser-se gay é o pensamento instalado de que somos uma minoria.

 

E sim é verdade que o somos, mas há pessoas que pensam que nós somos assim meia dúzia de homens destrambolhados que decidiram que iam gostar de outros homens igualmente destrambolhados.

 

Só isso pode explicar o facto de, quando conheço alguém novo que me identifica como homem gay (especialmente no caso das mulheres), haja um pico de euforia e automaticamente me informem que têm um grande amigo que também gosta de pila.

 

Se já é desnecessária essa informação, torna-se ridículo quando logo a seguir vem a temida pergunta:

 

Será que não o conheces? Não conheces um Ricardo assim alto, moreno, com óculos? Aposto que o conheces!

 

E quando nós acedemos a ver a foto do tal Ricardo e afirmamos que não, não o conhecemos (e respiramos fundo porque não é o mesmo Ricardo que fomos para a cama há uns anos e correu muito mal) e tentamos explicar que não nascemos com um radar que nos dê a localização geográfica de todos os homossexuais de Portugal, nem sequer existe um FaceGayBook onde somos todos amigos e passamos o tempo a mandar emojis de beringelas e pêssegos, somos imediatamente interrompidos com outra temida pergunta:

 

Olha por acaso és solteiro? É que o meu amigo é solteiro! Aposto que se iam dar os dois bem!

 

Ora como é que eu vou dizer isto de uma forma simpática e que não ofenda ninguém?

 

Minha gente, o facto de dois homens gostarem de chupar pila não é o único requisito para que eles sejam um match made in heaven. Há outras coisas para além disso!

 

É fundamental perguntarem quem é o pão e quem é a carne.

 

Toda a gente deveria saber que pão com pão não faz sandes!

O grande vencedor da Eurovisão 2018

13.05.18, Triptofano!

Portugal foi o grande vencedor da Eurovisão 2018 porque atraiu milhares de pessoas ao país. Teve os seus hotéis e alojamentos cheios, os restaurantes a transbordar, as lojas de lembranças e produtos típicos tomadas de assalto.

 

Portugal foi o grande vencedor porque soube sabiamente utilizar o seu tempo de antena para vender o país, de sul a norte, passando pelas magníficas ilhas.

 

Eu próprio fiquei fascinado com a viagem de balão em Monsaraz que foi exibida na primeira semi-final como experiência realizada pela intérprete do Azerbaijão e achei extremamente inteligente mostrarem que o país tem capacidade para receber o turismo do golfe, como foi mostrado por duas vezes aquando a experiência da intérprete da Finlândia.

 

Portugal foi o grande vencedor porque mostrámos ao mundo que conseguimos organizar um evento ao mesmo nível (ou mesmo melhor) que outros países com possibilidades financeiras muito superiores às nossas.

 

Conseguimos criar um espectáculo fenomenal dentro do Altice Arena e, para aqueles que não tiveram bilhetes para assistir ao vivo, a Aldeia da Eurovisão instalada no Terreiro do Paço foi um ponto obrigatório de passagem, não só para ver a grande final, mas também para vibrar com os concertos dos artistas que por lá passaram e com a energia dos milhares de fãs eurovisivos.

 

Portugal foi o grande vencedor porque as nossas apresentadoras foram excepcionais, estando à altura de um desafio tão exigente, numa língua que, para a maioria, não é aquela que usam no dia-a-dia.

 

Portugal foi o grande vencedor porque soube aproveitar a Eurovisão para lembrar ao mundo que não somos apenas Salvador Sobral; somos Mariza, somos Ana Moura, somos Beatbombers, somos Branko, somos Sara Tavares, somos Plutônio, somos Dino D'Santiago, e que partilhamos orgulhosamente a nossa língua com Mayra Andrade e Caetano Veloso, sendo eles um pouquinho nossos e nós um pouquinho deles.

 

Podemos ter recebido o menor número de pontos neste Festival da Eurovisão mas a longo prazo fomos os grandes vencedores desta edição de 2018.

 

Parabéns Portugal!

 

 

Invasão de Palco na Eurovisão

12.05.18, Triptofano!

SuRie, a intérprete representante do Reino Unido na Eurovisão, viu a sua actuação ser temporariamente interrompida por um individuo desconhecido que invadiu o palco.

 

Apesar de não ser algo inédito - já o ano passado Jamala teve de encarar o rabo desnudo de um intruso - o incidente foi mais grave visto que foi retirado a SuRie o microfone, ficando impedida de cantar por alguns momentos.

 

O invasor de palco usou o tempo de antena para gritar algo como " Para os Nazis dos Media do Reino Unido, Exigimos Liberdade". Envergava também uma t-shirt com uma mensagem escrita aparentemente relativa a um livro sobre máfia que supostamente pode ser encomendado através da Amazon.

 

Eurovisão Final Uk

Créditos da Imagem: AP Photo

 

A SuRie foi dada a oportunidade de voltar a repetir a sua actuação, algo que ela recusou, alegando sentir-se orgulhosa da sua prestação. E na realidade, ao ver novamente a performance, percebe-se que uma chama ainda mais forte acendeu-se dentro dela após o incidente, e o resto da canção foi interpretada de uma forma totalmente arrebatadora.

 

Lamento que estes incidentes aconteçam num espectáculo que tem como objectivo celebrar a diversidade e unir as pessoas através da música.

 

Por muito válida que seja a mensagem que se queira transmitir, ninguém possui o direito de prejudicar outra pessoa, usando o seu tempo de antena para ter alguma visibilidade.

Os Looks da Segunda Semi-Final da Eurovisão

12.05.18, Triptofano!

Como o prometido é devido, eis a minha análise (muito pouco) profissional acerca dos looks da segunda semi-final da Eurovisão.

 

Ao contrário do post referente à primeira semi-final, que foi algo extenso, não vou falar mal analisar todos os concorrentes, mas sim instaurar um processo de classificação que servirá para ocasiões futuras.

 

Assim teremos:

 

Um vencedor do Ceptro Lunar, representado pela bela e deliciosa perna de frango  (que por acaso foi o meu jantar ontem)

 

Duas Coroas, para aquelas indumentárias que estiveram quase quase lá, mas faltou-lhes um danoninho, representada pelo emoji da coroa 

 

Dois Oh No She Better Don't, para quem não devia ter saído de casa assim vestido, sendo o emoji a mãozinha para baixo 

 

E por fim, o pior da noite, o vencedor do Buraco Negro Cósmico, que terá como símbolo o emoji ninja  (porque é um look tão mau que era melhor ter desaparecido assim num estalar de dedos).

 

Mas antes de atribuirmos os prémios vamos falar de quem?

 

 

Das apresentadoras

 

Eurovisão 2018 Segunda Semi-final Apresentadoras

 

As senhoras sem dúvida são elegantes, mas questiono quem é que escolhe as roupas para elas usarem, porque são assim, digamos, peculiares.

 

O vestido da Daniela Ruah era bonito, mas aquele efeito vincado no fim do vestido era desnecessário e acaba por lhe tirar alguma beleza.

 

A Catarina Furtado parece um bolo de casamento - nem consigo dizer mais nada de tão mau que o vestido é!

 

A Sílvia Alberto tinha tido uma escolha vencedora se não fosse aquela penugem nos ombros, que a deixou parecida com um espanador ou uma avestruz.

 

A Filomena Cautela, em comparação com a semi-final passada estava muito melhor, dando o vestido alguns ares de inspiração greco-romana. No fim de contas foi a que se safou melhor entre as 4.

 

Eurovisão 2018 Segunda Semi-final Apresentadoras

 

Para gáudio de todos, as meninas fizeram uma mudança de indumentária para protagonizarem um belíssimo número de dança.

Mas será que as roupinhas escolhidas foram melhores que as primeiras que tinham?

 

A da Daniela Ruah sem dúvida, às vezes menos é mais, era um vestido que pautava pela simplicidade mas que lhe ficava muito bem, sem acessórios espalhafatosos.

 

O da Sílvia Alberto era pavoroso, criando-lhe um volume de que ela não precisava, além de que foi tão bem concedido que quando ela encheu mais o peito de ar a parte de cima abriu-se toda.

 

A Catarina Furtado estava com uma criação muito bonita sem dúvida, mas se a parte da frente fosse um bocadinho de nada mais descida ficava perfeita, assim parecia demasiado nua.

 

A Filomena Cautela, eu percebo que a indumentária era a ideal para dançar a música que foi escolhida para ela, mas meus senhores, ela parecia uma octagenária vinda de um coro de Gospel. A senhora merece um bocadinho mais no que toca à escolha das roupas.

 

Vamos deixar as apresentadoras sossegadas e passar para os prémios desta segunda semi-final.

 

 

Coroa 

 

Eurovisão 2018 Roménia

 Roménia

 

A cor ficava-lhe bem e o corte no geral também favorecia a cantora.

Simplesmente dava uma tesourada naquele pedaço de tecido entre as pernas, que não estava ali a fazer nada, e ajustava-lhe um bocadinho a parte de cima para ficar menos largueirona. Mas de resto, tendo em conta as opções por onde tinha de escolher, é uma das vencedoras da coroa da noite.

 

Eurovisão 2018 Eslovénia

Eslovénia

 

Um vestido apropriado para o estilo e tipo de canção apresentado, jovem, moderno, irreverente e com algumas transparências que ficam sempre bem.

Mas aquele pedaço de plástico na parte da frente do vestido? Arruinou completamente as chances de ganhar o ceptro lunar da noite. Foi mesmo por uma unha negra, mas são os detalhes que podem arruinar um look perfeito.

 

 

Ceptro Lunar 

 

Eurovisão 2018 Letónia

Letónia

 

Normalmente não sou muito apreciador de vestidos conjugados com calções, mas fiquei rendido a este. A cor era linda, as transparências estavam no local certo, o corte favorecia o corpo da cantora, tinha glamour e uma elegância que faltaram a tantas outras roupinhas que desfilarem pelo certame. Palmas para a Letónia.

 

 

Oh No She Better Don't 

 

Eurovisão 2018 Austrália

Austrália

 

Por favor, despeçam quem teve a audácia de colocar na melhor intérprete da noite, um dos piores vestidos de sempre. Era um bocado de tecido atado ao tornozelo, uma faixa a pender que mais parecia papel higiénico colorido, um amontoado no ombro, outro na anca.... Não, não e não!

 

Tiravam todos esses acessórios que só estão a fazer lixo visual e ficava um vestido simples mas apropriado para o tema e que deixava a intérprete respirar.

 

 

Eurovisão 2018 Holanda

Holanda

 

O representante da Holanda abusou um bocadinho nos padrões e o resultado foi que ficou a parecer o dono de uma casa de meninas, ou de meninos, que isto não podemos discriminar nos dias de hoje. Dizer mais alguma coisa para quê?

 

 

Buraco Negro Cósmico 

 

Eurovisão 2018 Montenegro

Montenegro

 

Não há palavras para descrever este atentado visual.

 

A cor, o corte, enfim, tudo! Por favor, peguem neste look e em vez de o colocarem no museu da Eurovisão (deve haver um certo?), usem-no para acender o grelhador, agora que o calor chegou e dá vontade de ir almoçar ao ar livre.

 

 

E para vocês, quais foram os melhores e os piores da noite? 

Os Looks da Segunda Semi-Final da Eurovisão

12.05.18, Triptofano!

Como o prometido é devido, eis a minha análise (muito pouco) profissional acerca dos looks da segunda semi-final da Eurovisão.

 

Ao contrário do post referente à primeira semi-final, que foi algo extenso, não vou falar mal analisar todos os concorrentes, mas sim instaurar um processo de classificação que servirá para ocasiões futuras.

 

Assim teremos:

 

Um vencedor do Ceptro Lunar, representado pela bela e deliciosa perna de frango  (que por acaso foi o meu jantar ontem)

 

Duas Coroas, para aquelas indumentárias que estiveram quase quase lá, mas faltou-lhes um danoninho, representada pelo emoji da coroa 

 

Dois Oh No She Better Don't, para quem não devia ter saído de casa assim vestido, sendo o emoji a mãozinha para baixo 

 

E por fim, o pior da noite, o vencedor do Buraco Negro Cósmico, que terá como símbolo o emoji ninja  (porque é um look tão mau que era melhor ter desaparecido assim num estalar de dedos).

 

Mas antes de atribuirmos os prémios vamos falar de quem?

 

 

Das apresentadoras

 

Eurovisão 2018 Segunda Semi-final Apresentadoras

 

As senhoras sem dúvida são elegantes, mas questiono quem é que escolhe as roupas para elas usarem, porque são assim, digamos, peculiares.

 

O vestido da Daniela Ruah era bonito, mas aquele efeito vincado no fim do vestido era desnecessário e acaba por lhe tirar alguma beleza.

 

A Catarina Furtado parece um bolo de casamento - nem consigo dizer mais nada de tão mau que o vestido é!

 

A Sílvia Alberto tinha tido uma escolha vencedora se não fosse aquela penugem nos ombros, que a deixou parecida com um espanador ou uma avestruz.

 

A Filomena Cautela, em comparação com a semi-final passada estava muito melhor, dando o vestido alguns ares de inspiração greco-romana. No fim de contas foi a que se safou melhor entre as 4.

 

Eurovisão 2018 Segunda Semi-final Apresentadoras

 

Para gáudio de todos, as meninas fizeram uma mudança de indumentária para protagonizarem um belíssimo número de dança.

Mas será que as roupinhas escolhidas foram melhores que as primeiras que tinham?

 

A da Daniela Ruah sem dúvida, às vezes menos é mais, era um vestido que pautava pela simplicidade mas que lhe ficava muito bem, sem acessórios espalhafatosos.

 

O da Sílvia Alberto era pavoroso, criando-lhe um volume de que ela não precisava, além de que foi tão bem concedido que quando ela encheu mais o peito de ar a parte de cima abriu-se toda.

 

A Catarina Furtado estava com uma criação muito bonita sem dúvida, mas se a parte da frente fosse um bocadinho de nada mais descida ficava perfeita, assim parecia demasiado nua.

 

A Filomena Cautela, eu percebo que a indumentária era a ideal para dançar a música que foi escolhida para ela, mas meus senhores, ela parecia uma octagenária vinda de um coro de Gospel. A senhora merece um bocadinho mais no que toca à escolha das roupas.

 

Vamos deixar as apresentadoras sossegadas e passar para os prémios desta segunda semi-final.

 

 

Coroa 

 

Eurovisão 2018 Roménia

 Roménia

 

A cor ficava-lhe bem e o corte no geral também favorecia a cantora.

Simplesmente dava uma tesourada naquele pedaço de tecido entre as pernas, que não estava ali a fazer nada, e ajustava-lhe um bocadinho a parte de cima para ficar menos largueirona. Mas de resto, tendo em conta as opções por onde tinha de escolher, é uma das vencedoras da coroa da noite.

 

Eurovisão 2018 Eslovénia

Eslovénia

 

Um vestido apropriado para o estilo e tipo de canção apresentado, jovem, moderno, irreverente e com algumas transparências que ficam sempre bem.

Mas aquele pedaço de plástico na parte da frente do vestido? Arruinou completamente as chances de ganhar o ceptro lunar da noite. Foi mesmo por uma unha negra, mas são os detalhes que podem arruinar um look perfeito.

 

 

Ceptro Lunar 

 

Eurovisão 2018 Letónia

Letónia

 

Normalmente não sou muito apreciador de vestidos conjugados com calções, mas fiquei rendido a este. A cor era linda, as transparências estavam no local certo, o corte favorecia o corpo da cantora, tinha glamour e uma elegância que faltaram a tantas outras roupinhas que desfilarem pelo certame. Palmas para a Letónia.

 

 

Oh No She Better Don't 

 

Eurovisão 2018 Austrália

Austrália

 

Por favor, despeçam quem teve a audácia de colocar na melhor intérprete da noite, um dos piores vestidos de sempre. Era um bocado de tecido atado ao tornozelo, uma faixa a pender que mais parecia papel higiénico colorido, um amontoado no ombro, outro na anca.... Não, não e não!

 

Tiravam todos esses acessórios que só estão a fazer lixo visual e ficava um vestido simples mas apropriado para o tema e que deixava a intérprete respirar.

 

 

Eurovisão 2018 Holanda

Holanda

 

O representante da Holanda abusou um bocadinho nos padrões e o resultado foi que ficou a parecer o dono de uma casa de meninas, ou de meninos, que isto não podemos discriminar nos dias de hoje. Dizer mais alguma coisa para quê?

 

 

Buraco Negro Cósmico 

 

Eurovisão 2018 Montenegro

Montenegro

 

Não há palavras para descrever este atentado visual.

 

A cor, o corte, enfim, tudo! Por favor, peguem neste look e em vez de o colocarem no museu da Eurovisão (deve haver um certo?), usem-no para acender o grelhador, agora que o calor chegou e dá vontade de ir almoçar ao ar livre.

 

 

E para vocês, quais foram os melhores e os piores da noite? 

Os melhores momentos da segunda semi-final da Eurovisão

10.05.18, Triptofano!

Após a segunda semi-final, que nos trouxe algumas surpresas relativamente aos escolhidos para disputar a final de sábado, tenho a certeza que a luta pelo primeiro lugar deste ano vai ser uma das mais competitivas dos últimos tempos.

 

Isaura e Cláudia Pascoal vão ter de dar o seu melhor em palco se ambicionam uma boa classificação na edição deste ano da Eurovisão - e não vale a pena virem com a conversa das casas de apostas e de classificações e patati patata, tudo está em aberto e os resultados são completamente imprevisíveis.

 

Enquanto esperamos ansiosamente por sábado, deixo-vos aqui os momentos que para mim foram os melhores desta semi-final.

 

 

Riverdance Style

 

Algo me diz que depois das críticas cerradas à pronúncia de algumas das apresentadoras (ainda bem que não me convidaram a mim, porque certamente iam chover pedras), o próximo tiro vai ser contra as capacidades de dança.

 

Mas quer se goste ou não, quer se faça melhor ou só se goste de opinar, foi surpreendente e refrescante ver as nossas quatro beldades a dançar ao melhor estilo irlandês.

 

 

A partir do minuto 2:13

 

 

Mocheeeeeeeeeee

 

Eu sempre tive a reputação de ser o filho mais ajuizado, mas o meu irmão adorava-me contar os concertos a que ia e todos os moches que tinha feito e tinha sofrido.

 

Até que uma vez viu alguém a atirar-se com fé e os mares a separaram-se, tendo a pessoa afogado-se em seco e o meu irmão ponderado melhor acerca das mazelas que a confiança em terceiros nos pode trazer.

 

Felizmente que não foi o que aconteceu na actuação da Hungria, que nos trouxe diversidade com uma sonoridade heavy metal, e cujo moche foi realizado com sucesso.

 

 

 Também a partir do minuto 2:13   

 

 

Problemas Técnicos

 

Sem dúvida que durante alguns breves instantes houve inúmeras pessoas a vociferar impropérios contra Portugal e contra as nossas capacidades de levar a cabo um show sem problemas técnicos.

 

Isto tudo por causa da falsa falha de música da Eslovénia - não foi mais do que um truque bem conseguido para fazer com que o público se unisse a apoiar a artista em apuros.

 

Agora resta saber se vai usar o mesmo truque na final.

 

 

A partir do minuto 2:06

 

 

Sophia, qual Sophia?

 

Tenho muita pena, mas a Sophia dos anúncios da Meo é melhor reformar-se, porque o coração de toda a gente foi arrebatado pelos pequenos robots que foram os verdadeiros protagonistas da actuação de San Marino.

 

Ainda por cima não tem o ar assim a atirar para o assustador que a Sophia possui (acho que em parte é pelo facto do cérebro dela estar exposto...)

 

Os pequenos robots aparecem em vários momentos do vídeo (por ex: ao minuto 1:04)

 

 

E para vocês, qual foi o melhor momento desta semi-final?

 

Chuva Dourada

10.05.18, Triptofano!

Será demasiado inocente acharmos que a vida sexual de todos os que conhecemos se resume ao acto sexual básico, penetração seguida de ressonadela sem mais nenhum tipo de variação.

Cada vez mais as pessoas, mesmo que não o admitam, exploram outras formas de prazer, sendo que algumas, em casos extremos, acabam por ficar condicionadas a certas práticas para conseguir atingir um nível de satisfação sexual que considerem satisfatório.

As parafilias - padrões de comportamento sexual no qual, em geral, a fonte predominante de prazer não se encontra na cópula, mas em alguma outra actividade - vulgarmente conhecidas como fetiches, não são uma invenção dos tempos modernos, simplesmente com o tempo foram deixando de ser considerados desvios de personalidade o que fez com que começassem a sair do armário onde tinham estado escondidas durante muito tempo.

A chuva dourada, ou urofilia, é o fetiche que envolve urina.

Seja urinar para cima de alguém, ou receber um jacto de mijo quente na cara.

Podia alongar-me aqui sobre o assunto, falar-vos de como há quem tome diuréticos para conseguir uma maior quantidade de urina, quem beba determinados sumos antes de praticar a chuva dourada para modificar o sabor da mesma, de quem gosta da prática apenas no banheiro, de quem coloca oleados em cima da cama ou das pessoas que enchem um copo para dar a beber a outra pessoa como se fosse um refresco (que não mata a sede, ainda se fica mais desidratado por causa da quantidade de ureia existente na urina).

Mas o objectivo deste post não é entrar em detalhes muito específicos, apesar de ser quase minha obrigação de alertar de que, apesar de ser predominantemente estéril, pode haver alguma bactéria (como a clamídia) presente na urina,  sendo desaconselhado ingerir a mesma se não conhecermos a pessoa e o seu boletim de análises.

Quando decidi escrever sobre chuva dourada, foi porque tinha na ideia questionar-vos sobre outra coisa, o acompanhamento de luxo!

Porque prostituição é uma palavra muito estigmatizada e com uma conotação extremamente negativa, por isso é preferível usar um termo mais ligeiro.

Claro que não ia-vos perguntar quem é que não se importava de ser acompanhante de luxo, porque provavelmente as respostas iam ser unânimes pela negativa.

Mas o que eu gostava de saber era se, alguém vos pagasse umas centenas de euros para ir a um quarto de hotel, chegar, dizer olá boa noite como está, mijar para cima da pessoa, pegar no dinheiro e ir embora à vossa vidinha, vocês aceitavam?

Receber dinheiro para realizar um fetiche que não envolva contacto sexual é aceitável, ou seria algo que não conseguiriam de qualquer das formas fazer?

 

Também podem gostar de ler:

Passar com um vibrador no aeroporto como bagagem de mão?

Show de Sexo em Amesterdão!

Jantar com um Butt Plug

Os Looks da Primeira Semi-Final da Eurovisão

08.05.18, Triptofano!

Antes de começar a dar tesouradas e coroas aos participantes da primeira semi-final do Festival da Eurovisão 2018 (será que não consigo mesmo um lugarzinho no programa da Mariama? Aposto que ficava bonito na televisão...) tenho de dizer que estou muito contente com o nível das canções que se apresentaram em concurso. Houve bastante talento em palco e infelizmente, nem todos puderam seguir em frente.

 

Relativamente às minhas escolhas pessoais, a Áustria e a Estónia avançaram para a grande final, enquanto que a Bélgica e a Bielorrússia não conseguiram votos suficientes e ficaram pelo caminho, mas podendo gabar-se de uma óptima prestação.

 

Só que o mais importante da noite é analisar os trapinhos de toda a gente, por isso vamos lá!

 

 

As Apresentadoras

 

Festival Eurovisão 2018 Apresentadoras

 

Fomos muito bem representados por 4 grandes Mulheres, isso não haja dúvida, mas e quanto às escolhas de indumentária?

 

A Catarina Furtado estava de tirar o fôlego a qualquer um, apesar de eu ter alguns ressentimentos relativamente ao Nuno Baltazar, porque há uns anos participei num concurso para ganhar um vestido dele e a minha frase não foi a escolhida, humpf!

 

A Sílvia Alberto tinha um vestido bonito, mas aquela zona central e a transição para a cauda do vestido, não sei, não me convenceu totalmente.

 

A Daniela Ruah dá-me sentimentos contraditórios, tanto gosto como torço o nariz.

 

Agora a Filomena Cautela, ó menina, mas então deixou que alguém lhe vestisse uma camisa de noite e lhe cosesse um bocado de tecido extra? Ná, não foi a melhor escolha...

 

 

Azerbaijão

 

Festival Eurovisão 2018 Azerbaijão

 

Se eu um dia me casasse com uma mulher - algo cujas probabilidades de vir efectivamente a acontecer são virtualmente nulas, porque nós queremos todo o mulherio deste mundo satisfeito sexualmente - esta seria a roupa que eu esperaria que ela tivesse por debaixo do vestido de noiva.

 

Uma lingerie sexy com mais uns bocados de tecido para se fingir assim para o púdica resulta bem na minha imaginação, mas não é a melhor escolha para o Festival.

 

 

Islândia

 

Festival Eurovisão 2018 Islândia

 

Gosto do padrão na parte superior do casaco, consigo tolerar aquela faixa vermelha a meio da manga que corta o comprimento do braço do cantor, mas os sapatos vermelhos a combinar com a camisa, não, isso já é demais para mim! 

 

 

Albânia

 

Festival Eurovisão 2018 Albânia

 

Sou o primeiro a defender que os homens devem ousar na forma de vestir, para não ser tudo mais do mesmo.

 

Mas camisas estranhamente maiores na parte de trás do que da frente? Mangas que desapareceram para um universo paralelo? E a foto não mostra as costas, porque essas sim são de arrepiar!

 

 

Bélgica

 

Festival Eurovisão 2018 Bélgica

 

A indumentária da representante da Bélgica proporcionou uma interessante ilusão óptica no início da música, mas na resto da actuação a moça simplesmente parecia que flutuava pelo palco, devido à ausência de corpo da cintura para baixo.

 

Uma observação mais detalhada permite verificar a existência de um dos meus ódio de estimação - calças com saia!

 

 

República Checa

 

Será que terei sucesso se começar uma petição a exigir que o cantor em vez de se apresentar assim

 

Festival Eurovisão 2018 República Checa

 

 apareça na final desta forma?

 

Mikolas josef czech republic

 

E por favor, sem aquela mochila da escola!

 

 

 Lituânia

 

Festival Eurovisão 2018 Lituânia

 

Pronto, eu confesso, eu é que sou uma pessoa amarga e odiosa, porque o vestido até é bonito e a cor fica bem à moça, mas não consigo deixar de olhar e ver apenas uma camisa de noite.

 

Mas se calhar até é a nova moda do momento e eu é que estou desactualizado!

 

 

Israel

 

Festival Eurovisão 2018 Israel

 

Esqueçam as escolhas de indumentária da senhora, o mais importante é perceber se todos aqueles gatos-da-sorte estão ali por sua própria vontade. 

 

Quando os vi corri ao escritório para saber se o meu gato estava a salvo - ainda podia ter sido raptado enquanto eu estava a trabalhar e depois como é que eu o ia reconhecer entre tantos? 

 

 

Bielorrússia

 

Festival Eurovisão 2018 Bielorrússia

 

Única explicação possível para este look - o moço foi apanhar umas rosas, desequilibrou-se, rasgou a camisa toda, tentou fazer um curativo com umas ligaduras baratas que acabaram por se desenrolar, e quando deu por ela já estava na altura de subir ao palco! 

 

Se a carreira como cantor um dia enfraquecer terá sempre a possibilidade de fazer anúncios a enaltecer as pastas de carvão, porque já não via uns dentes tão brancos como os dele há muito tempo.

 

 

Estónia

 

Festival Eurovisão 2018 Estónia

 

Um visual fantástico que deixou todos sem fôlego, em grande parte pela utilização da parte inferior do vestido para a projecção de imagens.

 

Nesta imagem em concreto parece que a intérprete está a ser lançada de um vulcão que imerge das águas turbulentas de um qualquer oceano.

 

 

Bulgária

 

Festival Eurovisão 2018 Bulgária

 

Só tenho uma coisa a dizer

 

Dominatrix do Século XV

 

 

Macedónia

 

Festival Eurovisão 2018 Macedónia

 

Mau...

 

Festival Eurovisão 2018 Macedónia

 

Péssimo...

 

Festival Eurovisão 2018 Macedónia

Caso-me com aquela camisa! (e se o modelo vier agarrado à mesma não digo que não!)

 

 

Croácia

 

Festival Eurovisão 2018 Croácia

 

Aqui está o exemplo de um vestido que tinha tudo para dar certo mas que por algum motivo caiu da ribanceira abaixo e não houve salvação possível.

 

Alguém me explica o que é suposto ser aquela mancha frontal? É que parece que alguém tem um fluxo super abundante e não veio preparada com uma mão cheia de tampões.

 

E se uma pessoa tem uma figura tão esbelta é preciso agarrar numa data de fitas com que se embrulham os presentes de Natal e colar-se-lhe ao rabo...?

 

 

Áustria

 

Festival Eurovisão 2018 Áustria

 

Roupa? Qual roupa? Mas alguém está a prestar atenção à roupa do moço? Talvez a pensar em como lhe tirar a roupa, mas nada mais do que isso...

 

 

Grécia

 

Festival Eurovisão 2018 Grécia

 

Coroa para a Grécia!  

 

Ah esperem, que mãozinha cinzenta é aquela? Será que é uma versão moderna do toque de Midas? Se alguém souber o que simboliza a mão cinzenta por favor informe-me!

 

Eu até pensei que poderia ser poeira estelar, mas isso seria ser poético demais não?

 

Coroa para o vestido, tesoura para a mão!

 

 

Finlândia

 

Festival Eurovisão 2018 Finlândia

 

Para mim, a surpresa da noite.

 

Quando vi o vídeo de apresentação temi seriamente pela minha saúde visual mas a indumentária escolhida para a actuação em palco estava irrepreensível.

Era o estilo da artista, não estava desproporcional, tinha o que interessava no sítio, era suficientemente fluido para a deixar dançar, enfim, um tiro certeiro.

 

A Finlândia recebe o meu ceptro lunar da noite!  (como não há emoji melhor o ceptro lunar será representado por uma perna de frango)

 

 

Arménia

 

Festival Eurovisão 2018 Arménia

 

Metade t-shirt, metade casaco? É isto que nós precisamos aqui em Portugal, quando de manhã está um calor abrasador e ao fim do dia quase somos levados pelo vento e pela chuva.

 

Eu seria das pessoas que compraria este visual, mas quando vi que a parte do casaco era maior que a parte da t-shirt, todo o encanto se perdeu...

 

 

Suíça

 

Festival Eurovisão 2018 Suiça

 

Mais uma coroazinha  por tudo estar no local devido, e o conjunto ter uma boa harmonia em termos de estilo. Só aqueles apliques nas calças é que eram dispensáveis, e aí sim, era a perfeição em forma de roupa.

 

 

Irlanda

 

Festival Eurovisão 2018 Irlanda

 

Se consigo perdoar aquelas riscas brancas que ficam ali pavorosas e fazem horrores à silhueta de uma pessoa?

 

Consigo, mas só porque trouxe para a actuação dois dançarinos que representavam um casal gay fofíssimo! (não me venham dizer que eram só amigos que gostam de dançar que eu não acredito)

 

 

Chipre

 

Festival Eurovisão 2018 Chipre

 

Quem conseguiu a proeza de incendiar a noite foi a representante do Chipre, com a sua canção de fogo.

 

Agora vamos lá ver uma coisa, eu compreendo o fato temático, eu até consigo vibrar com ele e sentir a energia de cobra de fogo, mas aquelas mangas?! Aquelas mangas?!?!

 

Queimem-nas por amor de Afrodite!

 

 

 

Agora é esperar por quinta-feira para saber quem ganha o Ceptro Lunar  da segunda semi-final e quem é atirado para o buraco negro das más escolhas de moda!

 

 

Rentabilizar a Hora de Almoço (2)

08.05.18, Triptofano!

Sabem quando vocês passaram o dia todo a falar com outras pessoas e têm uma mancha gigante na vossa camisola?

Ou um macaco malandro a espreitar-vos pela narina?

Ou um bocado de favas bem escarrapachado no dente da frente?

 

Enquanto vocês não têm a auto-consciência da figura que estão a fazer, continuam alegres e animados, falando com todas as pessoas que se cruzam no vosso caminho. Até que se apercebem da mancha/macaco/fava que toda a gente viu, e ninguém teve a coragem de vos avisar acerca de.

 

Quando há esse momento de descoberta, o nosso universo centra-se nesse pequeno grande detalhe, que não nos incomodava por estar entregue à ignorância, mas agora que somos conscientes dele parece que é o fim do mundo. E enquanto não o conseguirmos resolver, toda a nossa tranquilidade, paz de espírito e capacidade de interagirmos com terceiros desapareceu pela sanita abaixo.

 

Foi basicamente o que me aconteceu ontem.

 

Estava eu a atender um cliente, de uma forma profissional e serena, quando olho para a minha mão direita.

 

Contemplo uma mão macia, suave, com umas unhas arredondadas. Olho para a esquerda e só não dou um grito porque me consegui conter e trinquei a língua. Estava com uns sachos do tamanho do mundo, capazes de cortar a garganta a sangue frio a qualquer delegado de informação médica demasiado aborrecido.

 

A partir desse instante, o utente à minha frente eclipsou-se, e tudo o que eu conseguia ver eram as minhas unhas gigantes, que eu não conseguia perceber como é que tinham ficado tão grandes em comparação com as da mão direita.

 

O meu primeiro impulso foi enfiar a mão à boca e começar a roer as unhas, mas desde que usei aparelho nos dentes que incrivelmente perdi essa capacidade.

 

Poderia sempre afirmar que era uma afirmação político-social-qualquer-coisa, que aquelas unhacas gigantes de uma mão simbolizavam a vida dura do sector primário, que tinha a pele ressequida do trabalho agrónomo, enquanto que a outra mão representava a privilegiada vida de quem laborava na área dos serviços, e tinha tempo para cuidar de si.

 

Como era uma explicação muito longa e demasiado filosófica, decidi que tinha de conseguir cortar as unhas, desse por onde desse. 

 

Fui ao meu cacifo (que digamos é assim um acumular de tudo e mais alguma coisa) e descobri, milagre dos milagres um corta-unhas (que o cara-metade já se tinha questionado onde é que estaria!)

 

Eu sempre odiei quem corta as unhas no trabalho, aquele schlac schlac tirava-me do sério, mas bem diz o ditado Nunca digas desta água não beberei!

 

Por isso mal chegou a minha hora de almoço (que estava muito perto Graças a Deus!), enfiei-me na casa de banho e schlac schlac schalac, dei cabo do meu problema.

 

Quem neste momento tiver visto a sua consideração relativamente a mim baixar astronomicamente, tenho em minha defesa a dizer que pelo menos não cortei as unhas no comboio nem andei a comer pevides e a cuspir as cascas para o chão do metro.

 

Ah pois é, há gente muito mais badalhoca do que eu.

 

Claro que podia ter cortado a unhas e ficado por aí. Mas quando eu fui procurar no cacifo um utensílio para aniquilar aqueles pedaços de queratina, o que também achei eu?

 

Óleo para unhas Dr. Scholl

O óleo para unhas e cutículas da Dr.School.

 

 

Este óleo possui vitamina E e 7 óleos nutritivos para umas unhas com aspecto saudável e brilhante sem esforço! Quer dizer, é preciso algum esforço, pelo menos para nos lembrarmos de usar o produto.

 

Segundo o site da Dr.School, este óleo tem um feito WOW, que para mim é entendido, como WOW, consegui gastar dinheiro e nunca usar isto! Supostamente utiliza-se diariamente, e deve-se após aplicar fazer uma massagem circular de forma a que o produto seja melhor absorvido pelo leito da unha.

 

É verdade que depois de aplicar as unhas ficam com um aspecto mais bonito e brilhante, mas o problema é quando se é homem e as pessoas olham logo de lado por verem algum brilhozinho nos nossos dedos.

 

A minha sugestão para os elementos do sexo masculino é colocarem o verniz à noite - na manhã seguinte o brilho já desapareceu.

Ou dizerem que estão a usar um verniz amargo para deixarem de roer as unhas.

Ou desculparem-se com o facto de fumarem e que aquela camada brilhante é para evitar que a unha fique amarela do tabaco.

Ou simplesmente borrifarem-se para o que os outros possam pensar - afinal a vida é nossa ou das outras pessoas?

Eurovisão 2018: Os meus Favoritos

07.05.18, Triptofano!

A tão aguardada festa da Eurovisão está mesmo mesmo à porta, e este ano o certame tem um brilho especial por Portugal ser, pela primeira vez, o país anfitrião.

 

No que toca à ESC (Eurovision Song Contest), duas coisas são avaliadas ferozmente por todos os fãs espalhados pelo mundo.

 

Primeiro, como não podia deixar de ser, as músicas a concurso, e a sua qualidade, ou ausência da mesma.

 

Em segundo, já num registo mais de Fashion Police, os trapinhos, ou ausência dos mesmos, que os intérpretes escolhem para levar a palco.

 

Como só posso dar coroas e tesouradas depois de as actuações serem transmitidas (sim eu confesso que vejo o Tesouras e Tesouros com bastante afinco), partilho aqui convosco as minhas canções favoritas que vão actuar no ESC 2018.

 

 

Portugal - Cláudia Pascoal, Isaura - O Jardim

 

 

 

Fale-se bem, fale-se mal, que elas mereciam ou deixavam de merecer, na altura de competir o que interessa é que são as representantes de Portugal e por isso temos de torcer todos por elas.

 

Pessoalmente acho que o que vai decidir o nosso (in)sucesso no festival será a apresentação em palco - os espectadores tem de conseguir perceber a história que é transmitida pela música, que acaba por ser o cerne gravitacional da mesma.

 

Espero que a Cláudia mostre a sua tatuagem do bacalhau a todo o mundo, pode ser que pelo menos a Noruega nos dê alguns votos extra.

 

 

Austrália - Jessica Mauboy - We Got Love

 

 

Depois de ter actuado em 2014 no intervalo do concurso, Jessica Mauboy volta para representar a Austrália.

 

Fico sempre admirado como é que este país convidado consegue enviar sempre canções incríveis. Para mim, Dami Im em 2016, com Sound of Silence merecia ter arrebatado o prémio, mas depois como é que se decidia onde é que o festival iria ser realizado? É que a Austrália ainda fica um pouco longe...

 

 

Áustria - Cesár Sampson - Nobody But You

 

 

Ser giro não chega para ganhar a ESC, mas que dá uma ajudinha isso dá. O representante da Áustria pode ter a vantagem da boa aparência, mas possui também uma óptima voz e interpreta uma canção que fica no ouvido.

 

 

 Bielorrússia - Alekseev - Forever

 

 

Conhecido um pouco por toda a ex-União Soviética - o que garante sempre alguns pontos extra por empatia natural - o representante da Bielorrússia alia a uma boa sonoridade musical uma excelente presença em palco.

 

 

Bélgica - Sennek - A Matter of Time

 

 

Estão a ver aqueles filmes do 007, onde ele consegue sempre escapar ileso aos inimigos e ainda ter tempo para dar umas voltinhas com a jeitosa do sítio? Pois bem, a canção belga poderia muito bem pertencer à soundtrack de um desses filmes!

 

 

Estónia - Elina Nechayeva - La Forza

 

 

 A canção - e a voz - de Elina Nechayeva é simplesmente fantástica, fora do habitual registo da ESC e consegue a proeza de nos transportar para um mundo paralelo etéreo.

 

 

França - Madame Monsieur - Mercy 

 

 

Não tenho grandes ilusões relativamente a uma vitória da França, mas esta música e toda a mensagem que encerra tocaram-me. Vale a pena procurar a versão com sub-títulos em português para quem como eu não pesca muito da língua francesa!

 

Rússia - Julia Samoylova - I Won't Break

 

 

Depois de ter sido banida da Ucrânia no ano passado, por questões políticas, e assim ter sido impedida de participar no festival, este ano Julia volta à ESC com uma vontade extra de ganhar.

 

Alguns dizem que a música é atroz, outros que é sublime, outros que o facto de estar condicionada a uma cadeira-de-rodas lhe dá acesso ao voto por simpatia triste. Mas a verdade é que a representante da Rússia é dotada de imenso talento.

 

 

E vocês quais são as canções que gostavam de ver em segundo lugar? Porque sim, o primeiro lugar tem de ser sempre para Portugal!