Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Os melhores momentos da segunda semi-final da Eurovisão

10.05.18, Triptofano!

Após a segunda semi-final, que nos trouxe algumas surpresas relativamente aos escolhidos para disputar a final de sábado, tenho a certeza que a luta pelo primeiro lugar deste ano vai ser uma das mais competitivas dos últimos tempos.

 

Isaura e Cláudia Pascoal vão ter de dar o seu melhor em palco se ambicionam uma boa classificação na edição deste ano da Eurovisão - e não vale a pena virem com a conversa das casas de apostas e de classificações e patati patata, tudo está em aberto e os resultados são completamente imprevisíveis.

 

Enquanto esperamos ansiosamente por sábado, deixo-vos aqui os momentos que para mim foram os melhores desta semi-final.

 

 

Riverdance Style

 

Algo me diz que depois das críticas cerradas à pronúncia de algumas das apresentadoras (ainda bem que não me convidaram a mim, porque certamente iam chover pedras), o próximo tiro vai ser contra as capacidades de dança.

 

Mas quer se goste ou não, quer se faça melhor ou só se goste de opinar, foi surpreendente e refrescante ver as nossas quatro beldades a dançar ao melhor estilo irlandês.

 

 

A partir do minuto 2:13

 

 

Mocheeeeeeeeeee

 

Eu sempre tive a reputação de ser o filho mais ajuizado, mas o meu irmão adorava-me contar os concertos a que ia e todos os moches que tinha feito e tinha sofrido.

 

Até que uma vez viu alguém a atirar-se com fé e os mares a separaram-se, tendo a pessoa afogado-se em seco e o meu irmão ponderado melhor acerca das mazelas que a confiança em terceiros nos pode trazer.

 

Felizmente que não foi o que aconteceu na actuação da Hungria, que nos trouxe diversidade com uma sonoridade heavy metal, e cujo moche foi realizado com sucesso.

 

 

 Também a partir do minuto 2:13   

 

 

Problemas Técnicos

 

Sem dúvida que durante alguns breves instantes houve inúmeras pessoas a vociferar impropérios contra Portugal e contra as nossas capacidades de levar a cabo um show sem problemas técnicos.

 

Isto tudo por causa da falsa falha de música da Eslovénia - não foi mais do que um truque bem conseguido para fazer com que o público se unisse a apoiar a artista em apuros.

 

Agora resta saber se vai usar o mesmo truque na final.

 

 

A partir do minuto 2:06

 

 

Sophia, qual Sophia?

 

Tenho muita pena, mas a Sophia dos anúncios da Meo é melhor reformar-se, porque o coração de toda a gente foi arrebatado pelos pequenos robots que foram os verdadeiros protagonistas da actuação de San Marino.

 

Ainda por cima não tem o ar assim a atirar para o assustador que a Sophia possui (acho que em parte é pelo facto do cérebro dela estar exposto...)

 

Os pequenos robots aparecem em vários momentos do vídeo (por ex: ao minuto 1:04)

 

 

E para vocês, qual foi o melhor momento desta semi-final?

 

Chuva Dourada

10.05.18, Triptofano!

Será demasiado inocente acharmos que a vida sexual de todos os que conhecemos se resume ao acto sexual básico, penetração seguida de ressonadela sem mais nenhum tipo de variação.

 

Cada vez mais as pessoas, mesmo que não o admitam, exploram outras formas de prazer, sendo que algumas, em casos extremos, acabam por ficar condicionadas a certas práticas para conseguir atingir um nível de satisfação sexual que considerem satisfatório.

 

As parafilias - padrões de comportamento sexual no qual, em geral, a fonte predominante de prazer não se encontra na cópula, mas em alguma outra actividade - vulgarmente conhecidas como fetiches, não são uma invenção dos tempos modernos, simplesmente com o tempo foram deixando de ser considerados desvios de personalidade o que fez com que começassem a sair do armário onde tinham estado escondidas durante muito tempo.

 

A chuva dourada, ou urofilia, é o fetiche que envolve urina.

 

Seja urinar para cima de alguém, ou receber um jacto de mijo quente na cara.

 

Podia alongar-me aqui sobre o assunto, falar-vos de como há quem tome diuréticos para conseguir uma maior quantidade de urina, quem beba determinados sumos antes de praticar a chuva dourada para modificar o sabor da mesma, de quem gosta da prática apenas no banheiro, de quem coloca oleados em cima da cama ou das pessoas que enchem um copo para dar a beber a outra pessoa como se fosse um refresco (que não mata a sede, ainda se fica mais desidratado por causa da quantidade de ureia existente na urina).

 

Mas o objectivo deste post não é entrar em detalhes muito específicos, apesar de ser quase minha obrigação de alertar de que, apesar de ser predominantemente estéril, pode haver alguma bactéria (como a clamídia) presente na urina,  sendo desaconselhado ingerir a mesma se não conhecermos a pessoa e o seu boletim de análises.

 

Quando decidi escrever sobre chuva dourada, foi porque tinha na ideia questionar-vos sobre outra coisa, o acompanhamento de luxo!

 

Porque prostituição é uma palavra muito estigmatizada e com uma conotação extremamente negativa, por isso é preferível usar um termo mais ligeiro.

 

Claro que não ia-vos perguntar quem é que não se importava de ser acompanhante de luxo, porque provavelmente as respostas iam ser unânimes pela negativa.

 

Mas o que eu gostava de saber era se, alguém vos pagasse umas centenas de euros para ir a um quarto de hotel, chegar, dizer olá boa noite como está, mijar para cima da pessoa, pegar no dinheiro e ir embora à vossa vidinha, vocês aceitavam?

 

Receber dinheiro para realizar um fetiche que não envolva contacto sexual é aceitável, ou seria algo que não conseguiriam de qualquer das formas fazer?