Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

O teu aminoácido essencial!

Tag 100 Perguntas que nunca ninguém te faria 2/10

13.02.18, Triptofano!

Tag.png

 

Um bocadinho em cima da hora mas eis que é revelado o segundo bloco de dez perguntas relativas à Tag 100 Perguntas que nunca ninguém te faria, para ser respondido neste próximo dia 15.

 

  1. Eras capaz de fazer nu frontal para uma revista? Se sim, em troco de que valor?
  2. Qual foi a canção em que demoraste imenso tempo até perceberes que estavas a cantar a letra de forma errada?
  3. O que é que te disseram na tua infância que te marcou negativamente e nunca mais te esqueceste?
  4. Já fingiste algum orgasmo?
  5. Pelo quê é que deixavas tudo?
  6. Voltarias a namorar com o teu primeiro namorado?
  7. Já tiveste alguma experiência paranormal?
  8. Tens alguma tatuagem que gostasses de fazer mas que nunca tenhas tido coragem para?
  9. Já tiveste sexo num primeiro encontro?
  10. Qual é o primeiro alimento que te recordas de comer?

1001 Noites numa Noite Só

13.02.18, Triptofano!

Olá!

 

Já há algum tempo que guardava em mim umas saudades de aqui vir!

 

Mentira. Vim à força porque o Trip me obrigou. Mas, como é Carnaval, ninguém leva a mal :’)

 

Ontem, para celebrar o aniversário de uma amiga nossa, fomos conhecer o mundo escondido dos novos restaurantes de Lisboa. E como as coincidências são já muitas nos últimos tempos, entre restaurantes escolhidos e os destinos de férias pelos quais optamos, ontem, a nossa amiga escolheu o restaurante “1001 Nights Iranian Restaurant”, ficando claro que visitar o Irão é já um dos nossos objetivos há algum tempo.

 

Com respeito ao restaurante, bem escondido ali para os lados do Areeiro, tem um ar simples, decorado com motivos persas e os donos - de Teerão e de uma cidade-mais-pequena-que-não-fixei - encerram em si uma simpatia e um saber-receber típico daquela zona do globo que é partilhada ora em inglês, ora em português.

 

Quanto à comida, começámos com um naan. O que achámos que iria ser uma agradável surpresa foi, na verdade, um desastre. Com medo que tal nos penhorasse o jantar, achámos que o facto de os naans serem ali tortillas pudesse indiciar o fiasco em que se iria tornar a refeição. Mas, por acaso, até não… Só o naan é que estava deslocado!

 

Como nenhum dos quatros convivas tinha alguma vez experimentado comida iraniana, optámos por pedir entradas e pratos para dividir.

Para acompanhar o nosso naanilla, optámos por um Mast Bademjan que o mesmo é dizer uma excelente Beringela fumada com alho, molho de iogurte, “cremoso e saboroso” e nós atestamos. O falafel, que dispensa apresentações, estava também magnífico. Mas as naanillas com a beringela… Hummmm!

 

IMG_20180212_214749.jpg

 

Como pratos principais – igualmente para dividir – pedimos Koobideh, Joojeh e Chenjeh. Três preparados de carne (semelhantes aos Koftas de toda a região do Médio Oriente) bastante deliciosos e todos parte de um só prato. Pedimos também um prato de perna de cordeiro –  Baghali Polo ba Mahicheh – cuja estrela, para mim, era o arroz. O arroz de aneto que o acompanhava era absolutamente delicioso: com aneto qb (que nós em Portugal pouco usamos, mas que tem um potencial aromático incrível) e manteiga mais do que qb (e nós adoramos!).

 

Pedimos ainda o Khoresht, uma espécie de ensopado iraniano, mas, quanto a este, pouca história para contar. Neutro, com arroz e molho.

 

IMG-20180213-WA0002.jpg

 

IMG-20180213-WA0001.jpg

 

Menu étnico que se preze deve ter igualmente bebidas étnicas que se prezem. E nós fomos optar pelas duas do menu: Doogh, uma espécie de lassi salgado, e ainda uns copos de Tokhm Sharbati (que tinha uma semente com o mesmo nome, semelhante à chia). O primeiro salgado e o segundo doce.

 

IMG_20180212_214127_HDR.jpg

 

Para a sobremesa, não pudemos fugir muito da já customeira Baklava que foi uma das opções disponíveis. O gelado – Bastani Sonati – revestiu-se de algumas particularidades fruto da inclusão do açafrão, água de rosas e do pistacho num gelado. Apesar de diferente, acabou por se revelar igual a muitos dos sabores a que já estamos habituados.

 

IMG_20180212_225113.jpg

 

Genericamente, a refeição foi agradável com alguns momentos de descoberta. No final, a dona, que identificou o meu gosto pela culinária, ainda me falou de um outro prato – o Abgoosht - que ali não servem mas que se faz num Dizi que tem exposto e que é uma espécie de estufado de grão e cordeiro que servirá como mote para voltar 😉

 

O Cara-Metade

 

IMG_20180212_233439.jpg

 

 

 

1001 Nights Iranian Restaurant Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato