Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

31
Jan18

Esperança vã


Quando nos atiramos para cima da balança que temos na casa-de-banho e por momentos ficamos extasiados porque no visor aparece o símbolo Lo, que na nossa cabeça significa que estamos tão magros mas tão magros que a balança nem consegue detectar o nosso peso.

 

Mas depois chega o cara-metade e estraga-nos a fantasia dizendo que são as pilhas que estão com low battery...

31
Jan18

A reintegração é para todos?


Mark Salling, actor que ficou conhecido por interpretar a personagem  Noah "Puck" Puckermam na série Glee, foi encontrado ontem sem vida, suspeitando-se que tenha cometido suicídio.

 

Por detrás deste acto poderá estar o facto de Mark ter-se declarado culpado pelo crime de posse de material pornográfico infantil e estar a aguardar a decisão do tribunal sobre qual seria a sua pena.

 

b55af7eed49801668f053315707efb0c--the-mohawk-noah-

Imagem retirada daqui!

 

Porém, a única incógnita ainda residia no número de anos que passaria encarcerado, porque o estigma que o acompanharia para o resto da sua vida, se tivesse tido a oportunidade de a viver, já era de todos sobejamente conhecido.

 

Nos Estados Unidos, a base de dados de agressores sexuais registados é de livre acesso. Qualquer pessoa pode aceder a um site na web, e através dele verificar se o novo vizinho ou aquele colega tão simpático do trabalho está identificado como um predador sexual.

 

Em alguns Estados as regras são ainda mais castradoras, sendo impedida a pessoa de habitar perto de escolas ou jardins infantis.

Mesmo que a condenação tenha sido por exibicionismo. Ou por voyeurismo. Ou mesmo por sexo consentido entre dois menores.

 

Qualquer pessoa que seja punida e catalogada como agressor sexual terá para sempre o seu registo (e muitas vezes a foto) numa espécie de Facebook perverso, tornando extremamente difícil a tarefa de arranjar uma casa, um trabalho, até mesmo uma família.

 

Para que serve a pena de prisão?

Supostamente para o individuo que errou pagar a sua dívida para com a sociedade, para ter tempo para se arrepender, para aprender com os seus erros, para melhorar como ser humano. Para quando sair em liberdade poder reintegrar-se na sociedade, começar do zero, apesar de ser impossível apagar certas manchas amargas na alma.

 

E eu questiono-me, a reintegração é para todos? Somos defensores da abolição da pena de morte mas não temos pudor em colocar um estigma tão pesado em cima de alguém que acaba por o matar ainda estando ele a respirar?

 

Criamos listas para termos um sentimento de falsa protecção, porque na realidade o perigo pode vir de qualquer direcção, mesmo que não o tenhamos encontrado numa qualquer pesquisa num site de acesso público.

30
Jan18

A minha verdadeira vocação profissional


O meu pai, antes de se reformar, pertencia à Polícia de Segurança Pública, trabalho ao qual se dedicou de corpo e alma durante muitas décadas.

 

Foi um trabalho árduo, que lhe custou centenas de horas de sono a fazer gratificados de forma a poder trazer algum rendimento extra para casa. Com o passar dos anos foi subindo na carreira hierárquica, sempre por mérito próprio e graças a um empenho incrível nos estudos, o que lhe permitiu ter um final de carreira mais tranquila.

 

Nem ele nem a minha mãe nunca me incentivaram a seguir a carreira policial. Que era um trabalho desgastante, que eu poderia ter boas condições de vida noutra profissão de menos risco, e por isso acabei por seguir a área das ciências.

 

Mas hoje compreendo que eles já sabiam era do rabeta do filho que tinham em casa e estavam a ver se me conseguiam proteger das tentações. Esta iluminação veio após ver o videoclip da Valesca Popozuda - Viado, que me mostrou que estou no caminho errado.

 

Pessoal, por favor vejam o vídeo, tirem o som se não quiserem ouvir o voz da Valesca, mas atentem nos detalhes desta mini produção cinematográfica para perceberem melhor do que eu falo.

 

 

 

A minha verdadeira vocação profissional é ser polícia, pelo menos polícia no Brasil. Porque de acordo com o videoclip da Popozuda só há vantagens em seguir esta carreira.

 

Primeiro a Valesca deve receber um ordenado upa-upa. Porque ela acaba por conciliar dois trabalhos num só, ela faz trabalho de policial na rua e é guarda-prisional, o que no fim do mês deve-lhe permitir comprar muitas roupitas sensuais.

Agora como é que a prisão funciona quando ela tem de ir fazer a ronda pela cidade? Pois isso é uma questão para ser abordada noutra altura.

 

Depois, é visível que a moça obteve uma formação rigorosíssima por parte das forças de segurança brasileiras - onde é que já viram cá em Portugal alguém a fazer uma detenção de um perigoso criminoso e ao mesmo tempo, de forma hábil, despir o sacana quase integralmente de forma a perceber se ele não tem nenhuma arma oculta? Não é para todos!

 

Além disso, poderia haver alguma reticência por parte da V. em fazer a inspecção nos balneários, já que é do senso comum que os prisioneiros gostam de enfiar telemóveis e pacotes de doritos nas extremidades mais recônditas, e apenas um profissional empenhado é que se aventura por túneis sem luz em prol do bem comum (todos nós sabemos que os doritos podem esquartejar uma garganta com aquelas pontas afiadas, e depois como é que era?).

 

Muito se fala na inclusão dos prisioneiros na sociedade, e sabemos que infelizmente muitos saem da prisão sem grandes esperanças de reintegração.

 

Mas não é o que o videoclip mostra.

Valesca Popozuda, além de dar o corpo às balas, percebe que há mais na vida do que o trabalho, por isso nas horas de pausa, em vez de ir para o Tinder ou para o Badoo, aposta na vertente social.

 

E faz shows (de referir que eu ficava mais sensual que ela naquela roupita mas pronto) onde dá oportunidade a meia dúzia de reclusos de treinarem os seus passos de dança, de forma a reforçarem as suas competências que podem usar lá fora. Quando forem libertados, estes homens suados de esforço, podem emigrar para Portugal e virem rebolar a pélvis para entreter a multidão enquanto a Rebeca encanta com os seus dotes musicais. Se forem muito bons, mas muito bons mesmo, poderão um dia até estar num palco com a Ana Malhoa - mas isso já é um sonho um pouco mais difícil de concretizar.

 

Quem não tiver pé para dançar, pode integrar o grupo de percussão do presídio, e afinfar no tambor e similares, de forma a poder empregar-se em qualquer fanfarra desse mundo fora.

Infelizmente a minha experiência com a percussão não foi tão interessante como a que é exibida no vídeo musical, o que de alguma forma me tranquiliza, já que não tenho salário para pagar os estragos que faria por martelar com demasiada força devido à excitação que o meio ambiente me provocaria.

 

No entanto, nem tudo é perfeito para a Valesca e eu sei que ela certamente sofre por não ter meios para ajudar os pobres dos reclusos.

 

Primeiro, há certamente uma carência de hidratos de carbono naquele estabelecimento. É impensável que todos os jovens encarcerados estejam magrinhos e musculados por sua própria vontade, o que me faz pensar que eles não sabem o que é uma batata para lá de mês e meio. Ao invés devem ser alimentados com batidos hiper-proteicos o que lhes vai dar cabo dos rins antes de chegaram aos 40.

 

Não é também normal que, entre toda a população residente apenas um ou dois tenham camisolas para vestir. Será que os fundos federais não chegam para tapar os abdominais dos jovens? Ou estaremos perante uma vaga de calor tão arrasadora que a única solução é estar o mais despido possível?

 

Por isso eu aqui lanço um apelo.

 

Vamos organizar-nos em grupos de voluntários. Não há necessidade de termos de ir trabalhar para lá permanentemente (nem pensem em roubar-me a vaga ouviram?), mas podemos fazer uma recolha de fundos para conseguirmos comprar camisolas para levar aos moços.

Ou no caso do problema ser o calor levamos arcas de campismo cheias de cubos de gelo, que poderemos derreter lentamente nos peitorais escaldados daqueles pobres indivíduos esquecidos pela sociedade.

 

Tudo em prol dos direitos humanos!

29
Jan18

Tag 100 Perguntas que nunca ninguém te faria


A blogesfera está ao rubro com tags e desafios, temos as 52 semanas da Happy, o meu Question Day ao qual a Tatiana já se juntou, as cinco coisas boas por semana da Fátima, e agora lanço-vos um novo desafio:

 

100 Perguntas que nunca ninguém te faria

Tag.png

 

 

O objectivo desta Tag é respondermos a 100 perguntas que nunca ninguém nos faria - ou que pelo menos não é suposto nos fazerem!

 

Como 100 é um número assim um bocado para o grande, resolvi que o melhor era dividirmos as perguntas em segmentos de 10 e responder quinzenalmente às mesmas. 

 

As orientações para este desafio:

 

  • Postar dia 1 e dia 15 de cada mês, à hora que se quiser, as respostas para cada bloco de 10 perguntas. Pode-se ser monossilábico ou fazer um pequeno texto - fica ao critério de cada um.
  • Usar a Tag 100 perguntas e a imagem do desafio
  • As perguntas vão ser publicadas aqui no blog três a quatro dias antes do dia estipulado para a publicação, de forma a não serem reveladas todas de uma vez e a manter-se o suspense.

 

Espero que achem a ideia divertida e que adiram, divulguem e caprichem nas vossas respostas.

 

 

As primeiras 10 perguntas a serem respondidas no dia 1 de Fevereiro são:

 

  1. Já fizeste alguma cirurgia plástica?
  2. Já tiveste que fazer cocó em algum sítio que não era suposto fazeres por estares demasiado aflito?
  3. Qual foi o disfarce de Carnaval que mais gostaste de usar quando eras criança?
  4. Já namoraste com alguém que tenhas conhecido numa "rede de engate"?
  5. Já curtiste com alguém de quem não te lembras por teres bebido demasiado?
  6. Tiras macacos do nariz? E o que fazes com eles?
  7. Já te peidaste e culpas-te outra pessoa?
  8. Preferias ser atacado por um urso ou por um enxame de abelhas?
  9. Já apanhaste alguma multa? (de carro ou de outra coisa qualquer - desacatos na rua, exibicionismo...)
  10. Se os teus vizinhos estivessem a fazer sexo no prédio à frente de janela aberta, ficavas a ver até ao fim ou fechavas as tuas cortinas?

 

27
Jan18

Blogs com gente dentro


Blogs com gente dentro é o slogan do SapoBlogs, e não poderia estar mais correcto.

 

Porque há pessoas verdadeiras de carne e osso por detrás dos blogs que seguimos todos os dias.

Pessoas fantásticas, incríveis, espectaculares, como a Tatiana, a Fátima e o David que se juntaram a mim para um jantar com a dESarrumada, que veio passar alguns dias a Lisboa.

 

Um jantar que sofreu muitas alterações, desde os participantes até ao local do mesmo, que confesso me causou algum stress miudinho, eu que tenho um pouco de control freak em mim, mas que me fez lembrar que mais importante do que o Onde é o Com Quem!.

 

O jantar estava delicioso - obrigado David pela escolha do local - mas mais delicioso foi o tempo que passámos juntos.

Apesar de termos todos idades físicas diferentes senti verdadeiramente que partilhávamos a mesma idade mental. Falámos, evocámos memórias, subimos de nível, descemos de nível, fizeram-se revelações, deram-se muitas gargalhadas.

 

E surpreendi-me, surpreendi-me com o à vontade que todos tínhamos, alguns de nós conhecendo-nos cara-a-cara pela primeira vez, mas o sentimento era o de sermos grandes amigos num tão esperado reencontro.

 

É isto que os blogs tem de especial.

É verdade que todos gostamos das visitas, dos comentários, dos destaques - não vamos dizer que não - mas na realidade o mais importante são as amizades.

 

São aquelas pessoas cuja vida nós acompanhamos diariamente e depois ali estão elas, ao alcance de um braço, reais, não apenas um aglomerado de letras num ecrã azul, tão iguais àquilo que transparecem no virtual. As mesmas pessoas que conhecemos tão bem mesmo sem as conhecer, que muitas vezes sabemos mais delas do que certos amigos ou membros da família.

 

Por isso eu encorajo todos a descobrirem-se uns aos outros.

Não precisam de estar em Lisboa para isso acontecer.

 

Onde quer que estejam encontrem bloggers ao pé de vocês, saiam de casa, reúnam-se, passeiem. Se mesmo assim preferirem ficar no anonimato troquem e-mails, mensagens, criem um grupo no whatsapp.

 

Escolham o método que preferirem mas não fiquem isolados atrás de um ecrã. Talvez muitos de nós se nos encontrássemos em outras situações não tivéssemos tanta facilidade em relacionar-nos, mas os blogs são a ponte que nos une, e numa era civilizacional tão pontuada por pequenas ilhas de pessoas, vamos mesmo querer perder esta oportunidade de contacto?

 

Há pessoas dentro dos blogs, e que feliz eu sou por conhecer algumas destas maravilhosas pessoas!

 

 

26
Jan18

Desafio das 52 semanas - Semana 4


20822269_WYkWp.jpeg

 

Semana 4 - As minhas citações preferidas são: 

 

 

"Tenho um batalhão de fãs
Um fã clube de inimigas
O batalhão é uma multidão
Fu** !
Os outros são formigas"

Ana Malhoa - Futura 

 

 

"...o amor é uma 
doença da qual ninguém quer livrar-se.

Quem foi atacado por ela não 
procura restabelecer-se,

e quem sofre não deseja ser curado."

Paulo Coelho - Zahir

 

f3af4ff9ddfb942e405c82cbe904b886.jpg

 

 

Anne Welles: Neely, you know it's bad to take liquor with those pills.

Neely O'Hara: They work faster.

Jacqueline Susann - O Vale das Bonecas

 

 

"Falando sério
Eu não queria ter você por um programa
E apenas ser mais um na sua cama
Por uma noite apenas e nada mais"

Roberto Carlos - Falando Sério

 

 

Gilda: I can never get a zipper to close.

Maybe that stands for something, what do you think?

Rita Hayworth - Gilda 

 

 

Muller: " Meister Eckhardt is about to return the Nephilim race to it's former glory. For our part in that triumph. He will grant us immortality"

Lara: "If I had a coconut for everytime some lunatic said something like that"

Lara Croft - Tomb Raider, The Angel of Darkness

 

 

26
Jan18

Desafios para 2018 : Update


1 - Inscrever-me na Natação 

 

E o desafio número 1 da minha lista já está riscado.

 

Ontem fui-me inscrever nas aulas de natação livre da piscina da Junta de Freguesia de Benfica.

 

Pensava eu que era só chegar lá, fazer o meu melhor sorriso, inscrever-me e está feito.

Mas ao que parece é necessário fazer um teste de aptidão para a utilização da piscina que basicamente consiste em nadar meia dúzia de piscinas enquanto um professor avalia o nosso grau de capacidade de afogamento passados dois minutos.

 

Como eu estava determinado em riscar este objectivo da minha lista, fui a casa equipar-me e voltei umas horas depois para fazer a avaliação.

 

Primeiro que tudo tenho a dizer que devo ser a única pessoa da Junta de Freguesia a entrar no complexo da piscina com óculos - mas não é com óculos de natação, é mesmo com óculos de ver ao longe.

 

Sou tão míope que sem eles a probabilidade de ir contra uma parede ou começar a falar alegremente com a estante onde arrumam o material seria muito grande. Quando antigamente ia ao ginásio com amigos, nos balneários na altura do duche ignorava-os sempre, simplesmente porque nunca tinha a certeza se eram eles ou não que estavam ali nas redondezas,e não ia começar a falar com alguém assim do nada sobre a evolução camaleónica da Ana Malhoa ao longo dos tempos.

 

Depois, para grande desgosto meu, constatei que estou em baixo de forma. Mas mesmo em baixo de forma.

 

Quando cheguei à piscina, dirigi-me a um dos professores, dei-lhe o papelinho que me deram na recepção que basicamente ele teria que preencher a dizer se eu estava apto ou não, e ele mandou-me nadar para ver o meu estilo.

 

Determinado, lancei-me à água, e comecei num fantástico crawl, oito braçadas e uma respiração, dei o meu melhor para mostrar que todos os anos de natação que os meus pais pagaram não foram em vão.

Cheguei ao fim da piscina, e antes de começar a voltar tentei ver se o professor estava a olhar para mim. Uma mancha foi o que consegui distinguir - por isso toca a voltar a nadar, agora já só quatro braçadas por respiração.

 

Termino a piscina e ele não diz nada.

 

Penso que ele deve estar a testar-me, por isso reúno todas as minhas energias - sim já estava estoirado depois de minuto e meio a nadar - e lanço-me num espectacular estilos de bruços, com duas braçadas por respiração, mas nesta altura já sinto os músculos todos a queimarem.

Mantenho a compostura e braçada para aqui braçada para lá, consigo fazer duas piscinas.

 

Estou eu a terminar, quando ouço a voz do Professor a gritar Ó Triptofano, faça lá umas piscinas de crawl que eu estava desatento.

 

Sacana do gajo. 

 

Sorri, ou fiz um esgar de quem teve uma trombose, e lá ataquei a pista no meu já-não-tão-impecável crawl.

 

Duas braçadas por respiração, o corpo já meio torto, as pernas descoordenadas dos braços, eu a pensar porque raio tinha decidido voltar a nadar quando podia estar a aperfeiçoar a minha simbiose com o sofá e se já alguma vez alguém tinha desmaiado enquanto nadava, porque eu sentia que isso estava muito perto de me acontecer.

 

Reuni toda as minhas forças e consegui, consegui terminar aquela provação do Inferno.

 

O professor disse que por hoje já estava e eu suspirei de alívio. Honestamente só me apetecia chorar depois de todo aquele esforço sobre-humano - seis piscinas, SEIS, e eu estava pronto para ir para casa dormir.

 

Entregou-me o papelinho onde orgulhosamente li que estava apto para a prática desportiva.

 

Agora a partir de Fevereiro é tentar ir com a maior regularidade possível - pode ser que no final do mês já consiga fazer umas doze piscinas sem me desfazer todo!

25
Jan18

Tag 25 Perguntas Aleatórias


Já há algum tempo que tinha sido desafiado para responder a uma Tag pela Hipster Chique, e como é uma Tag de 25 perguntas aleatórias (apesar da menina Hipster só ter 24 no seu blog, tive de andar a pesquisar qual seria a 25ª) acho que é a altura perfeita para publicar as minhas respostas, já que ontem lancei a rubrica Question Day, onde podem colocar-me as vossas perguntas mais ou menos aleatórias.

 

Por isso aqui ficam 25 pedaços de informação sobre mim que podem ser importantes de saber caso um dia calhe irmos a um daqueles programas de televisão onde temos que mostrar que sabemos tudo sobre outra pessoa!

 

 

Tag 25 Perguntas Aleatórias

 

 

1. Sais de Casa sem?       

Cuecas. Isto apenas porque de vez em quando levo vestidos os jockstrap que o cara-metade me ofereceu nos anos. Mas estou sempre com medo que haja um problema com o cinto das calças, e quando der por ela estou a apanhar a brisa no rabiosque!                                                                   

 

2. Alguma marca de maquilhagem preferida?

A vantagem de ser homem é que ninguém espera que coloquemos quilos de betume só para parecermos mais bonitos, quando na realidade já somos bastante atraentes mas a sociedade coloca-nos uma pressão idiota em cima. No entanto já experimentei BB creams da farmácia, e tenho a dizer que ficar com a cara de um tom e o pescoço do outro não é realmente a minha praia.

 

3. Flor/planta preferidos?

As que consigam aguentar o maior tempo possível as minhas variações de rega - ou dou água todos os dias, ou só o faço de duas em duas semanas. As sardinheiras costumam ser plantas bastante resistentes por isso sou fã delas.

 

4. Loja de roupa favorita?

Qualquer uma onde esteja a Fátima Bento de forma a eu poder assistir a uma magnifica libertação de gás tóxico. Ainda não tive a oportunidade mas podia bem ser uma das minhas 12 resoluções para 2018!

 

5. Saltos ou baixos?

Presumo que esta questão seja sobre beijar homens, ou seja, se preferimos andar aos saltos para chegar à boca do moço, ou se gostamos deles mais rasteirinhos mesmo que isso implique ficar com uma corcunda. A minha resposta politicamente correcta é que deitados as diferenças de altura não se notam nada - experiência própria!

 

6. Cor favorita?

Esta pergunta deu cabo de mim. Acreditam que por alguma razão desconhecida não consegui entrar no site do e-factura e para fazer a recuperação da senha tive de responder a uma pergunta de segurança. E qual era a questão? A minha cor favorita. Ao que parece na altura do registo a minha preferência em termos de coloração não é a mesma que a de hoje em dia, e como a minha memória é extremamente fraca tive de andar a experimentar todas as cores do arco-íris até conseguir acertar.

 

7. Bebida preferida?

Qualquer uma que não tenha sido alterada com uma droga da violação. Quando fui a Nova Iorque com a Rachel fomos a um bar onde havia karaoke, e nós como pessoas queridas que somos, guardamos lugar para uma jovem visto que o pai dela que tinha chegado primeiro pediu-nos esse favor. Porque é que não foi ele a guardar o lugar não sei nem me perguntem. O importante da história foi que ele para nos agradecer a amabilidade nos ofereceu uma cerveja - e eu todo feliz da vida por poupar uns dólares começo a bebe-la até que a Rachel diz muito séria que a bebida pode estar drogada. Ora eu honestamente não acreditava que tal pudesse ser possível, eu sei que a gente na altura até era bastante jeitosa, mas será que o homem ia conseguir arrastar dois corpos com ele para uma cave escura? Por via das dúvidas despejámos a bebida na sanita, para grande tristeza minha!

 

8. Hidratante favorito?

É o meu favorito e o da cara-metade, por isso gasta-se muito mais depressa do que qualquer outro creme que esteja cá em casa. Falo do Hydro Boost da Neutrogena (Neutrogena querida se estiveres a ler isto eu dou-te a minha morada para me mandares alguns grátis!).

 

9. Pretendes casar?

Esta pergunta é desnecessária. Acho que todos sabem a minha resposta, até já falei sobre isso na mini-entrevista que dei à equipa do Blogs Sapo. Sim, pretendo casar, mas só se a Ana Malhoa puder ir cantar na festa.

 

10. Irritaste facilmente?

Depende, se tiver comido hidratos de carbono ando mais compostinho da vida, se não tiver minha nossa, saiam-me da frente. Há dias do mês que também ando mais irritadiço, presumo que sofra de uma espécie de período masculino mas sem as toneladas de sangue a sair-me pelos genitais. Normalmente quem leva mais com o meu mau-humor é o cara-metade, desculpa meu amor, sabes que te amo mesmo quando digo baboseiras.

 

11. Róis as unhas?

Quando era novo roía imenso as unhas, depois a minha mãe obrigou-me a colocar aparelho nos dentes, já que segundo ela o meu dente torto ia-me impedir de casar com quem quer que fosse, e perdi a superfície de contacto necessária para cortar as unhas à dentada, o que me fez largar o vício.

 

12. Já desmaiaste?

Além de ter ficado meio em coma alcoólico um par de vezes quando era mais novo, desmaiei uma vez no Uganda. Foi no meu primeiro dia de trabalho de campo, não sabia o que me esperava e feito idiota comi um pequeno-almoço muito ligeiro. Conclusão, eram duas da tarde, ainda não tinha almoçado, estava numa cabana cheia de gente a falar, a assistir à limpeza de uma ferida de uma criança que chorava compulsivamente porque lhe estavam a retirar toda a pele morta do braço, com um calor insuportável, e de repente - quebra de açúcar. Começo a balançar para a frente, para trás, até que alguém me agarra mesmo a tempo antes de bater com os cornos no chão e precisar eu de primeiros-socorros.

 

13. Onde estavas há 3 horas?

A sonhar na minha cama, deitadinho num canto já que o cara-metade usurpa todo o espaço do nosso leito conjugal. Um dos meus maiores arrependimento, como muitos já sabem, foi não ter comprado uma cama maior. Ultimamente tenho tido sonhos recorrentes, onde estou na faculdade e vou ter um exame de uma cadeira que nunca sequer fui às aulas. Nem preciso de vos explicar o meu alívio quando acordo e percebo que afinal a faculdade já acabou há muitos anos.

Ah, e as minhas marcas alienígenas nas costas voltaram!

 

14. Estás apaixonado?

Pela Ampulheta da Ana Malhoa. E pelo cara-metade também (é melhor não me esquecer dele caso não queira ir dormir para a casa dos meus pais nas próximas duas semanas!).

 

15. Qual foi a última vez que foste ao shopping?

Ontem. Fui ao Vasco da Gama fazer compras e basicamente não comprei nada do que queria e fiquei apaixonado por uma data de coisas que não preciso. Cada vez mais estou convencido que para mim as compras pela Internet são a melhor solução.

 

16. Assististe algum filme nos últimos 5 dias? Qual?

Um facto engraçado sobre mim é que eu tenho uma muito pobre capacidade de organização temporal na minha cabeça. Ou seja, o que aconteceu ontem eu posso achar que se passou à um ano atrás e vice-versa. Por isso se eu fosse a tribunal e me fizessem aquelas perguntas do tipo, Onde estava no dia 13 de Fevereiro de 2009?, eu estava totalmente lixado, porque não ia saber responder. Assim sendo não me lembro se assisti a algum filme, mas posso garantir que andei a ver a série The Good Place, e tenho gostado!

 

17. Como estás vestido agora?

Quem fez esta pergunta deve ter algum fetiche voyeur ou coisa parecida, mas como eu não sou pessoa de estragar a alegria alheia aqui vai uma foto de como eu estou vestido.

InstagramCapture_34995c03-3779-4eb8-ab1a-d2b0f41e1

 

 

18. Qual foi o último alimento que comeste?

Ontem à noite fui a uma formação onde houve um jogo em que basicamente tínhamos de descobrir qual era o alimento com qualidade e qual era a cópia barata. Por isso entre azeite, fiambre, trufas, caranguejo e chocolate um desses foi o último alimento que enfiei para o bandulho! Ah esperem - eu ainda fui jantar depois, por isso esqueçam, não faço ideia, foi buffet, e vocês sabem como eu sou nos buffets!

 

19. Qual é o teu animal favorito?

Quando era mais novo o meu animal favorito era sem dúvida nenhuma o gato. Hoje em dia, amo de paixão as porquinhas-da-índia, especialmente as minhas três porcas que me levam à falência só em vegetais.

 

20. Como seriam as tuas férias de sonho?

1 - Ana Malhoa a fazer de guia turística

2 - Ana Malhoa a fazer shows de entretenimento à noite

3 - Ana Malhoa a fazer serviço de acordar

4 - Fazer uma volta ao mundo, sem estar a controlar a conta bancária, com os pontos número 1, 2 e 3 incluídos.

5 - Casar-me no fim da volta ao mundo e aproveitar o embalo e ter a Ana Malhoa a actuar no casamento.

Coisa fácil certo?

 

21. Quais são os planos para hoje à noite?

Snifar cocaína e fazer uma orgia de sexo seria um plano interessante, mas como a minha vida é mais pacata basicamente tenciono adormecer no sofá e discutir com o cara-metade sobre de quem é a vez de colocar comida nas meninas (as meninas são as porquinhas entenda-se!).

 

22. O que estás a ouvir agora?

A chuva. Mas se estivesse sol estava a ouvir o barulho que o gato-da-sorte que a avó do cara-metade nos ofereceu faz com a patinha a chamar a boa sorte.

Adoro o gato, mas o meu objectivo é ter um igual ao que a senhora do restaurante de sushi possui.

 

gato.jpg

O meu gato-da-sorte

 

WP_20180118_20_57_39_Pro (2).jpg

 O gato-da-sorte da senhora do restaurante de sushi

 

23. Coleccionas alguma coisa?

Sou um bocadinho acumulador, por isso na realidade colecciono de tudo, apesar das pessoas constantemente dizerem-me que enfiar em sacos dentro do armário não é bem a definição de coleccionador.

Quando era mais novo coleccionava rapazes com quem tinha curtido - mas isso é algo que não vou partilhar convosco porque tenho uma reputação a manter, certo?

 

24. Comes fastfood?

One night stands contam como fastfood? 

Bem, hoje em dia é raro comer a chamada comida de plástico, afinal tenho um Chef de cozinha em casa, seria tonto não aproveitar os dotes culinários dele, mas assim uma vez por mês ainda vou enfardar um hambúrguer e muitas batatinhas fritas salgadas, que são a minha perdição.

 

 25. Perfume favorito.

Sem dúvida alguma Bvlgari - AQVA pour Homme. No entanto gosto de quase todos os perfumes, mas em mim, porque se há coisa que eu odeio é estar num local qualquer e quase morrer intoxicado devido ao facto de alguma alminha ter entornado meio frasco em cima dela. Pior é quando são os clientes, o cheiro é tão forte mas tão forte que eu nem me consigo concentrar no que eles estão a pedir.

 

 

Para dar continuidade a esta Tag, nomeio a Marquesa de Marvila e o Sérgio Ambrósio, que de certeza vão estar à altura destas magníficas perguntas!

 

20850397_zSIBQ.png

 Já votaram na próxima história? Basta carregarem na imagem!

24
Jan18

Question Day


Caríssimos leitores deste pequeno blog, para vossa alegria (vá finjam estar alegres está bem?) dou-vos a conhecer a nova rubrica deste espaço,

 

a Question Day

(porque em inglês soa tudo melhor)

question day.png

Basicamente, no dia 24 de cada mês, vou responder às vossas perguntas, aquelas que sempre quiseram fazer mas nunca tiveram a coragem ou a oportunidade de as mandar cá para fora!


Não há filtros, não há limites, podem perguntar o que quiserem, sobre o que quiserem, da forma como quiserem.

 

Desde a questão mais filosófica até à maior vergonhice capaz de fazer corar uma profissional do sexo.

 

Para participarem basta deixarem a vossa pergunta na caixa de comentários deste post ou se preferirem podem mandá-la para o e-mail triptofano86@gmail.com. Caso não queiram ser identificados como os autores da pergunta basta fazerem essa menção no e-mail.

 

Por isso toca a invadirem-me com perguntas, a estratosfera é o limite.

 

Se gostaram da ideia, estejam à vontade para a replicar nos vossos blogs, basta usarem a tag question day e se quiserem, e não acharem demasiado piroso, colocar a imagem da rubrica.

 

Agora tenham atenção que eu sou perito em fazer perguntas complicadas! 

 

 

O LEITOR DECIDE.png

Já votaste na próxima história? Basta clicares na imagem para poderes escolher!

22
Jan18

O NIB do meu casamento


Hoje o cara-metade recebeu um Save the Date para o casamento de uma grande amiga dele. Obviamente que ficou felicíssimo, porque apesar de actualmente o casamento já não ser aquela instituição que era há algumas décadas atrás, continua a ser bonito quando um casal quer reforçar o seu amor através do matrimónio.

 

Como vivemos nas eras das tecnologias o Save the Date veio via mensagem electrónica, e com ele um link que dava acesso a um site com todas as informações sobre o casamento, onde seria, quanto tempo faltava e, para grande azia minha, um NIB. Para aqueles que considerassem que entregar um envelope no dia do casamento não era de todo o estilo deles.

 

Apesar de não estarem directamente a pedir dinheiro, como já me aconteceu receber convites onde fui informado que a minha presença no casamento iria custar X euros por isso se eu quisesse comparecer teria que pagar esses X euros, a meu ver acho totalmente deselegante escarrapacharem o número da conta para o pessoal lhes transferir dinheiro.

 

Obviamente que só dá quem quiser, mas quando se coloca uma informação destas para todos verem não é estar indirectamente a dizer que se deve fazer uma contribuição?

 

Não seria mais delicado apenas fornecer o número de conta a quem fizesse questão de o pedir, de forma a não passar um ar de quem já está a contar com o ovo no cú da galinha, ou mais literalmente com o dinheiro dos convidados no bolso?

 

É que convenhamos, quando dizem que a prenda para os noivos é para os ajudar a pagar a festa, na maior parte das vezes é mentira. Porque quem abriu os cordões à bolsa foram os padrinhos e/ou os pais das duas alminhas que se decidiram casar.

 

E se há quem esteja bem na vida e não lhe faça diferença despender algumas boas dezenas de euros numa oferta generosa, há aqueles que tal prenda pode causar um tsunami no orçamento familiar. Porque além da oferta monetária há o dinheiro que se vai gastar em deslocação, vestuário, e no caso da celebração ocorrer lá para trás do sol posto, em alojamento.

 

Claro que se uma pessoa não pode ou não quer empregar o seu dinheiro dessa forma pode sempre dizer que não vai à festa. Mas para mim isso é absurdo.

 

Espero um dia casar-me, mas quando esse dia chegar faço questão em oferecer a festa às pessoas que quero que estejam lá a celebrar comigo. Não quero convidar pessoas apenas para receber prendas em dinheiro - afinal se eu decidi casar-me, se eu quis conscientemente fazer uma festa para festejar tal acontecimento, porque é que vou, directa ou indirectamente, exigir dinheiro a quem eu tive o prazer de convidar?

 

Caso não tenha as possibilidades monetárias para oferecer uma grande festa às pessoas importantes da minha vida então terei de me contentar com uma pequena. Ou talvez mesmo em adiar o projecto mais alguns anos.

 

O grande problema de muita gente é querer viver e celebrar a vida muito além das suas posses, quase que depois exigindo que os outros paguem pelas suas decisões megalómanas.

 

Se realmente chegar à altura de dar o nó e as pessoas insistirem em querer dar alguma prenda, prefiro que me comprem um objecto que eu possa apreciar e recordar-me da pessoa, do que me passarem para a conta bancária uma meia dúzia de notas que vão perder a sua individualidade entre todas as outras notas que por lá estiverem a habitar.

 

Já agora, sou apenas eu ou existe mais alguém que fica cheio de suores frios quando pensa no dinheiro que vai gastar num casamento para muitas vezes o casal meia dúzia de anos depois já estar cada um para seu lado?

 

Às vezes parece que investir na bolsa é uma actividade de baixo risco em comparação com o investimento num casamento!

 

 

O LEITOR DECIDE.png

 Já escolheste a próxima história? Basta carregares na imagem!

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Follow

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D