Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Triptofano

Como ser 20% mais feliz?

13
Set18

10 Viagens antes dos 40


Quando tinha vinte e poucos anos lembro-me de ter feito uma lista de 10 viagens que gostaria de fazer antes de entrar na terceira década de vida.

 

Não sei o que aconteceu a essa lista, mas ainda me lembro de duas ou três entradas e sei que pelo menos essas não as cumpri.

 

É verdade que viajei bastante nos últimos dez anos e tive óptimas experiências que nunca equacionei ter, o que só mostra que por vezes a vida muda-nos completamente os planos e isso não precisa de ser algo mau.

 

Apesar de ter um pouco a mentalidade de não me interessa para onde vou desde que vá ainda há experiências que gostava mesmo de ter, por isso deixo-vos aqui a minha lista de 10 viagens a fazer antes dos 40!

 

1 - Passear de Camelo entre as Pirâmides do Egipto

 

Sempre quis ir ao Egipto!

 

Desde pequeno que sonho em ir visitar o Museu Egípcio do Cairo, fazer um cruzeiro no Nilo, ver a Esfinge e desidratar à torreira do sol do deserto.

 

Mas o que eu gostava mesmo muito era de passear bucolicamente em cima de um camelo, preferencialmente um que não me tentasse cuspir em cima, enquanto via a imponência das pirâmides e me questionava acerca de que espécie de alienígenas é que as tinha ajudado a construir.

 

Passear de Camelo Entre as Pirâmides do Egipto

 

2 - Acampar no Deserto

 

Nada de piadas, quando eu falo em acampar no deserto não estou a referir-me a pegar numa tenda e ala para a Margem Sul.

 

Falo em ir para o deserto do Saara em Marrocos, fazer uma viagem cheia de sacudidelas num 4*4, acampar numa tenda envolto pelo silêncio apenas quebrado pelo vento do deserto, enfardar tajine até não poder mais, conviver com o povo berbere, ver o nascer do sol e encantar-me com as dunas a ficarem iluminadas, questionar-me se estou a sofrer de alucinações ao ver um maravilhoso oásis e evitar que um dromedário me cuspa em cima! (sim, já perceberam que eu tenho um trauma com cuspidelas!)

 

3 - Flutuar num Lago Gelado a ver a Aurora Boreal

 

Pode parecer uma má ideia, mas na Lapónia é possível flutuar em lagos gelados graças a fatos especiais que mantém uma pessoa quente e evitam que o nariz ou as pontas dos dedos congelem, gangrenem e caiam.

 

Ouro sobre azul seria flutuar no lago enquanto me encantava com a aurora boreal, um espectáculo da natureza que dizem ser inolvidável.

 

4 - Visitar a Ilha da Páscoa

 

Um dos sete chacras do planeta, a Ilha da Páscoa está repleta de simbolismo, mistério e energia electromagnética.

 

Mas o mais importante é que está carregadinha de Moais, aquelas esculturas gigantescas com formas humanas esculpidas em pedras vulcânicas, umas de pé, outras tombadas, algumas inacabadas.

 

Independentemente de quem ou como as tenham construído, são o local perfeito para levarmos o nosso selfie stick e tirarmos óptimas fotos para o nosso feed do Instagram.

Ilha da Páscoa

 

5 - Explorar Butão, o País que Parou no Tempo

 

No Butão não se mede o Produto Interno Bruto mas sim a Felicidade Interna Bruta.

 

Não há cadeias de fast-food, não há painéis publicitários gigantes cheios de leds, e mais importante que tudo, não há quantidades colossais de turistas desrespeitadores que acham que por pagarem uma viagem podem fazer o que bem lhes entender em país alheio.

 

Para ir ao Butão não se pode ser turista, tem de se ser viajante, tem de se perceber que estamos num país que parou no tempo mas que não deixou de se desenvolver.

 

A diferença é que nós ocidentais temos telemóveis cada vez mais sofisticados, eles têm corações e almas cada vez mais funcionais.

Mosteiro Ninho do Tigre no Butão

 

6 - Sambar num Carro Alegórico no Rio de Janeiro

 

Já tive a oportunidade de ir ao Sambódromo na semana antes do Carnaval e ver o desfile de ensaio de duas escolas e foi simplesmente uma loucura.

 

Chovia a bem chover nesse final de dia mas a energia inebriante da música era tal que ninguém se importava.

 

Saltei, dancei, fiquei extremamente cansado porque cada escola tem gente a dar com um pau, mas fiquei com a vontade de regressar e participar na festa mas em bom.

 

Isto é, todo cheio de plumas (que eu sou um moço recatado e não quero andar com nada ao léu), dançando furiosamente em cima de um carro alegórico e temendo pela minha vida porque já ouvi casos de pessoas que se espatifaram todas cá em baixo.

 

Perfeito perfeito era a Ana Malhoa ser a porta-bandeira da escola onde eu estivesse a desfilar.

 

7 - Perder-me nas Igrejas Escavadas na Rocha de Lalibela

 

Centenas de quilómetros a norte de Adis Abeba, capital da Etiópia, ficam as Igrejas de Lalibela, que possuem a particularidade de terem sido escavadas na rocha.

 

Labirínticas, dificilmente visitáveis apenas num dia, a construção destas igrejas é muitas vezes atribuída a anjos, que de um dia para o outro, puff, fizeram aparecer uma data de edifícios.

 

Outra coisa que gostava de fazer na Etiópia, além de visitar as igrejas, era alimentar as hienas.

 

No meu sonho colocava um pedaço de entrecosto entre os dentes e segurava-o firmemente até que uma hiena o viesse buscar.

 

Na realidade provavelmente iria parar ao hospital para receber um transplante de cara.

 

Igrejas Escavadas na Rocha de Lalibela

 

 

8 - Libertar a Fúria na Tomatina

 

De certeza que todos nós já tivemos uma ocasião onde nos apeteceu iniciar uma luta de comida.

 

Tenha sido na cantina da escola, na pacatez da nossa casa ou na área de restauração do Amoreiras, de certeza que já nos passou pela cabeça pegar numa mão cheia de esparguete e arremessar na fuça da pessoa que estava ao nosso lado.

 

A Tomatina é a melhor forma de concretizar este guilty-pleasure ao mesmo tempo que se alivia tensão acumulada durante o ano poupando algumas dispendiosas consultas no psicoterapeuta.

 

O meu sonho é pegar em tomates e atirar furiosamente qual metralhadora humana não poupando velhinhos, mulheres ou crianças assustadoramente altas para os seus sete anos de idade.

 

A minha única questão é: o que é que eu fazia aos meus óculos?

É que sem eles nem consigo ver onde estão os tomates.

 

9 -  Fazer um Retiro Ayurvédico no Sri Lanka

 

Além de explorar a ilha e perder-me com os seus encantos, o que eu gostava mesmo de fazer no Sri Lanka era um retiro ayurvédico de uma ou duas semanas.

 

No início do retiro somos vistos por um especialista neste tipo de conhecimento médico que nos prescreve tudo o que devemos fazer, desde à alimentação, aos remédios, às massagens, às aulas de ginástica, tudo personalizado para a nossa pessoa.

 

Normalmente o período da manhã é passado em tratamentos enquanto que à tarde podemos ficar de papo para o ar na praia a ouvir o relaxante som do mar.

 

Este seria o meu tipo de férias ideal, aquele onde não preciso de tirar férias por vir extenuado das férias oficiais!

 

10 - Ir de Barco às Berlengas

 

Pronto, vocês devem achar que eu estou a gozar convosco.

Então falo de tanta viagem XPTO e depois encerro a lista com as Berlengas?

 

A verdade é que desde pequeno que quero ir a este arquipélago português composto de ilhas graníticas e nunca surgiu a oportunidade de o visitar.

 

Eu sei que não há quase nada para ver, que há só lá um barzinho com preços provavelmente inflacionados, que a probabilidade de ser atacado por uma gaivota territorial é elevada, mas pronto, o que é que eu posso fazer?

 

Gostava de ir às Berlengas e não hei-de passar os 40 anos sem lá ter posto o pé!

 

Berlengas

 

11 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D